A cassete… que tinha razão

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 Responses to A cassete… que tinha razão

  1. Jorge diz:

    Verdades que ferem como punhais.

    • JgMenos diz:

      A verdade dos fins, o arcaísmo dos meios…
      em contraposição
      Quem, sem fins, só vê os meios da última treteirice em moda…

  2. Vítor Vieira diz:

    Não esqueçamos o debate de 1975, igualmente muito esclarecedor: http://www.rtp.pt/rtpmemoria/?t=FRENTE-A-FRENTE-SOARESCUNHAL.rtp&article=1730&visual=2&layout=5&tm=8

    (cópia da transcrição, no “Diário de Lisboa”, aqui: http://www1.ci.uc.pt/cd25a/media/Pdf/alvcunmarsoar1975.pdf)

  3. Mário Soares, dos 2:28 aos 2:34 –

    “O que é muito preocupante é o desemprego jovem. Que é muito maior que o desemprego…a taxa de desemprego, em termos… coiso…”

    ah então vinha daqui… Agora não sei se deva perdoar ao Álvaro Santos Pereira ou de o acusar de continuar a festa ”socialista” em termos de estratégia de emprego.

  4. Jorge diz:

    Soares é uma velha raposa anticomunista. Ao contrario desta direita pouco inteligente , estou a ser generoso, que esta no poder. Soares teme que a esquerda tome conta da solução do país e que os partidos da direita e do chamado arco de governação deixem de ter maioria e que sejam derrotados por muito tempo. Defende um governo de iniciativa presidencial com apio parlamentar do PS, por forma a controlar as coisas. Passos e Relvas obstinados como estão nao vislumbram mais do que omque esta um palmo à frente do nariz e continuo a ser generoso. Soares esta com medo da esquerda.

  5. De diz:

    Um vídeo excelente.E mais do que oportuno.
    Em 1999, foi?

  6. edgar diz:

    O ar enfadado e displicente de Mário Soares não ilude a responsabilidade do PS no buraco em que nos enfiaram e da cumplicidade com os que preparam esta União Europeia e este euro.
    Ao rever as declarações de Álvaro Cunhal em 1999, percebe-se bem que as declarações, os argumentos, as propostas do PCP sejam deliberadamente deturpadas e desvalorizadas e depreciativamente classificadas de “cassete”.
    Obrigado por nos recordar este importante momento.

  7. Miguel Botelho diz:

    É pena ver algumas pessoas neste debate, sem vontade de ouvir o que Álvaro Cunhal está a dizer. Algumas estão a coçar o nariz, outras a sorrir, quando algumas verdades são ditas. Até o próprio Mário Soares mexe no nariz e pisca os olhos, sem vontade de ter o debate. Um homem tão sério e tão diferente de outros homens, como foi Álvaro Cunhal será sempre um equívoco por esta classe de ignorantes, preguiçosos e estúpidos que não conseguem distinguir a verdade da mentira.
    Também, é pena não haver as imagens e o documento disponível desse outro debate, entre Mário Soares e Álvaro Cunhal que foi transmitido na RTP-2 e moderado por José Eduardo Moniz (salvo erro, em 1982), onde Mário Soares perdeu a calma, no final, gritando com Álvaro Cunhal e dizendo que este não era de esquerda, enquanto Álvaro Cunhal, muito calmo, dizia: «Palavras, palavras, só palavras.»
    Muitos falam do debate de 1975 e de 1999. Esquecem-se deste debate (1982) que nunca foi publicado, talvez com medo de ver a imagem de Mário Soares diminuir perante a personalidade de Álvaro Cunhal.

  8. Helena Rino Moraes diz:

    O Álvaro Cunhal pertence ao núcleo de Homens que claramente estava sempre à frente do seu tempo e com uma visão gigantesca. Em Tudo … quem nos anos 40 ousava pensar e muito menos escrever sobre a temática que ele abordou na sua Tese de Licenciatura…?
    As comemorações que se irão realizar pelo Centenário do seu nascimento são uma Homenagem justíssima !

Os comentários estão fechados.