MOVIMENTOS SOCIAIS E ACTIVISTAS CONVOCAM CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Duas dezenas de grupos políticos e movimentos sociais e uma centena de activistas que estiveram na origem de várias manifestações no último ano, e que participaram na manifestação da última greve geral, dão hoje uma conferência de imprensa, às 16h, em frente ao Ministério da Administração Interna, para esclarecer e informar a população da sua posição face aos acontecimentos ocorridos em S. Bento no dia da greve geral, nomeadamente a carga policial. É necessário e urgente dar a conhecer a verdadeira versão dos factos, dado que até então apenas se tem veiculado uma mensagem completamente deturpada pelo Governo e pelos porta-vozes da Polícia.

A Rede 14N dá assim o seu primeiro passo, naquele que pode ser o Comunicado e a Conferência de Imprensa mais participada e subscrita pelos activistas, grupos políticos e movimentos sociais.

Assista em directo, via streaming.
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

23 Responses to MOVIMENTOS SOCIAIS E ACTIVISTAS CONVOCAM CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

  1. Rafael Ortega diz:

    Mas a cada manifestação criam um novo movimento com o dia em que foi? Já há o movimento 12 de Março, a plataforma 15 de Outubro, agora também uma rede 14 de Novembro?

    Vejam lá, não gastem os dias todos do ano, que depois têm que repetir dias e podem confundir as pessoas.

    • Renato Teixeira diz:

      Trata-se de uma rede de contacto entre movimentos e activistas sociais. Não é nem um novo movimento, nem uma nova plataforma. Pode continuar a dormir descansado.

  2. Nuno Silva diz:

    Onde se pode ver? (net)

  3. Pedro Marques diz:

    A Comunicação Social provavelmente vai tentar silenciar isto, portanto quando se der a conferência de imprensa, temos que partilhar por todos, inclusivé, mandar isto para o estrangeiro para que todos possam ver a repressão fascista da PIDE.

    • Renato Teixeira diz:

      Estarão muitos meios de comunicação social presentes, mas a partilha pelos meios alternativos também ajuda a passar a mensagem.

  4. Jorge diz:

    Desculpem, mas convosco ninguem pode dormir descansado

  5. Frederico diz:

    Não justificando a actuação policial, longe disso, nem a dos ditos anarcas e tipos das claques, será inteligente do ponto de vista político a malta concentrar energias na repressão policial e deixar as considerações políticas de lado?

    • Renato Teixeira diz:

      Haverá sobretudo considerações políticas, além de uma leitura comum sobre o que se passou na manifestação da greve geral.

    • antónimo diz:

      A repressão policial é parte fundamental do contexto político.

      Nenhum regime político prescinde das forças de autoridade e segurança, que até a direita considera como inalienável das funções de Estado.

      • Renato Teixeira diz:

        É verdade, mas reduzir o Frederico tem razão que ao falar-se da repressão não se deve perder de vista o contexto político mais geral.

        • antónimo diz:

          A repressão não deve fazer esquecer o contexto geral. e muito menos abafá-lo que é o que tem acontecido, mas também não tenho dúvida de que uma comissão parlamentar como a que ouviu Macedo a propósito das agressões à Patrícia Moreira de Melo e ao Sena Goulão (e não só) de nada serve.

          Deputados da esquerda e do centro-direita com preocupações sociais concomitantes, pareceram demasiado contemporizadores com as explicações do ministro para a actuação da polícia – cecília honório menos. Deixam cavalgar-se a ideia de que a PSP pode ter agido bem e provocada, sem levantar as hipóteses, legítimas, de que pode existir uma manipulação das autoridades policiais para obter dividendos repressivos e ganhos políticos. Não se pode deixar instalar a ideia de que a repressão é justificada, quando não é.

  6. Malcolm X diz:

    The revolution will not be televised

  7. Pingback: Anónimo

Os comentários estão fechados.