A Adriana e a Rita foram claramente ultrapassadas pela esquerda. A ortodoxia continua a ter um problema com as mamas, no momento em que elas se despojam de tudo o que as coloca em evidência.

Nota: A fotografia da Rita Rato- e por conseguinte o título – foi actualizado, por haver dúvidas relativamente à veracidade da imagem publicada em primeiro lugar. O substancial da crítica mantém-se. O uso do corpo para fazer um statement político é tão verdade com um strip num protesto, no erotismo de um decote ou numa pose na escadaria do parlamento.
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

77 Responses to A Adriana e a Rita foram claramente ultrapassadas pela esquerda. A ortodoxia continua a ter um problema com as mamas, no momento em que elas se despojam de tudo o que as coloca em evidência.

  1. RS diz:

    Sempre elegante, Renato. Sempre em forma.

  2. PR diz:

    isto é uma filha da putice mascarada de piadola, mas faz juz ao seu autor

    • Renato Teixeira diz:

      Não. É uma maldade à ortodoxia que se esquece frequentemente que tem telhados de vidro.

      • RS diz:

        PR, o Renato sabe bem quem são os seus inimigos. E não perde uma oportunidade para o demonstrar. Com a habitual elegância.

        • Renato Teixeira diz:

          Sou crítico, não inimigo, de quem se acha no direito de criticar selectivamente o uso das mamas e o abuso dos abraços.

          • RS diz:

            És é parvo. E um parvo que ainda por cima não tem coragem de assumir o que escreve. Glândulas mamárias? Ó Renato, cura-te pá.

  3. PR diz:

    Não. É mesmo uma filha da putice, mal criada e despropositada.

    • Renato Teixeira diz:

      Excelsa sumidade da sensibilidade e do bom gosto, ide ler o que andam a escrever os camaradas da Rita Rato sobre as mamas e os abraços das camaradas dos outros. Depois volte, mas só depois de ler isto: http://www.marxists.org/portugues/trotsky/1923/vida/index.htm

      • RS diz:

        Ó Renato, mas o que é que a Rita Rato tem a ver com isto, pá? Achas mesmo que a foto em cima é dela? És ainda menos capaz do que pareces…

          • PR diz:

            de certeza que uma mente aberta como a sua não validou o meu comentário apenas por engano, por isso cá vai outra vez:

            e pronto, confirma-se, o autor das filha da putices é um filho da puta

            continuação do bom trabalho, um abraço e tudo de bom!

          • Renato Teixeira diz:

            Não aprovo tanta tralha desde, vá, a semana passada. Esteja à vontade. Liberte-se homem.

          • RS diz:

            Olha: se te resta um pingo de vergonha retira a imagem deste blogue que não é só teu (a foto NÃO É da Rita Rato), retrata-te e ganha um mínimo de juízo e bom senso.

          • Renato Teixeira diz:

            Já foi alterada oh suprema elevação, sem que beliscar uma vírgula na polémica.

            As mamas da extrema-esquerda – ou de qualquer variação de infidelidade – continuam a ser provocação gratuita e um mau contributo à causa. Já utilizações da beleza em nome da causa por parte das camaradas mais bem desenhadas – de Lisboa a Santiago do Chile – nada que ultrapasse o puritanismo da classe trabalhadora.

            Bem comparado, sa̼dam-se as barricadas dos mineiros galegos aqui e ali, a causa basca, a resist̻ncia anti-imperialista siria e as demais frentes dos projectos amigos do partiḍo Рmas quando essas mesmas formas de viol̻ncia t̻m origem nos infi̩is, abrenuncia ̩ vandalismo ou fundamentalismo, desenhado para dividir e ajudar a burguesia.

          • arnardo matos diz:

            o menino Renato Teixeira anda a fazer mal os trabalhos de casa.

            http://margensdeerro.blogspot.pt/2009/10/anos-70.html

            olháa que assim nem no facebook se faz a revolução.

          • Renato Teixeira diz:

            Um Cábula. O que havia eu de estudar com manifestações com aquela animação?

          • Carlos Carapeto diz:

            O Renato vive tão obscecado com aquilo que a Rita Rato devia dizer e não diz e vice versa e não o preocupa a descida aos infernos da vida dessas populações depois do instaurado do capitalismo.

            Vc com este tipo alarido silencioso comporta-se como um autentico oportunista. Dá mostra que não passa de um réles impostor.

            Ignora o recuo que aquela sociedade deu nestes ultimos vinte anos?
            Se ignora isso não provoque os outros a largar bacoradas.

            Como também é muito estranha a sua “solidariedade” para com os Chineses e repousa tranquilmente sobre a situação miseral em que vive a maioria dos Indianos?

      • Carlos Carapeto diz:

        Em contrapartida aconselho-o a ler de Victor Serge (tradutor e amigo de Trotsky durante algum tempo). “Memórias de um Revolucionário”.

        Verificará que é praticamente o oposto daquilo que o seu mentor (Trotsky) escreveu.

    • A.Silva diz:

      Não o Renato tem achaques de cretinice.

      • Renato Teixeira diz:

        É. Mais ou menos como o achaque que deu aos camaradas para desconsiderar a diversidade no reino das forma de luta.

        • A.Silva diz:

          Renato, “aquilo que conta dizer é a ousadia do amor de quem o diz. Que ele é que é o verdadeiro operante da mudança que já está em curso no meio de nós. Estamos aqui, não temos medo quando amamos. Peço por todas as nossas relações!”

          Ou resumindo…, vai-te catar!

  4. pá… plo menos provou-se que há gajas giras na extrema-esquerda… moralistas de merda

  5. Tiago Mota Saraiva diz:

    Tenho vergonha deste post estar num blogue em que também escrevo.

  6. Rocha diz:

    És um parvalhão Renato, precisas de te curar.

    Pareces um cronista de revistas cor-de-rosa. Deixa-te disso. Ninguém sabe o que disse ou o que disseram sobre a Rita para tu vires para aqui provocar. E ninguém quer saber.

  7. e depois… aquela imagem das babes despidas com mascarados atrás e bófias à frente é uma boa tentativa… mas não chega a ser tão hard-core como a situação do país!

  8. Edgar diz:

    Sem dúvida, um comentário provocador e ofensivo sobre as manifestações de protesto de muitas centenas de milhares de cidadãos que, por todo o país, lutam contra as políticas de direita e a destruição deste país.
    Um comentário que certamente a direita agradecerá e coloca o signatário do lado de todos os que, insensíveis aos dramas sociais, tentam ridicularizar ou menosprezar os protestos.
    E, além disso, um comentário de baixo nível, que ofende a dignidade das mulheres em geral e da deputada do PCP em particular.
    Um comentário que desprestigia o autor mas esclarece sobre o seu carácter.

  9. Rocha diz:

    É evidente que isto não se trata de uma questão política, trata-se sem de uma questão pessoal.

    A tua ideia é ir buscar uma entrevista à imprensa de esgoto do capital em que a Rita reponde a provocações de uma forma correcta, escusando-se a responder. Se fosse eu respondia de outra maneira mas isso sou eu.

    Aqui há tempos – e não foi em 2009 mas sim há poucas semanas – a tua camarada Raquel Varela publicou uma imagem claramente ofensiva e divisionista para quem prepara uma grande manifestação para lançar uma grande Greve Geral com todo um calendário de lutas marchas e manifs. Alegando de forma comprovadamente falsa a possibilidade de ocorrerem protestos descentralizados que nem aconteceu nem estava para acontecer, em suma para simplesmente confundir e dividir.

    Essa crítica foi feita em termos estritamente políticos e sem recorrer a esta linguagem baixa e pessoal.

    A Raquel fartasse de dizer asneiras (algumas não só ofensivas como também desmobilizadoras) e nunca lhe li nenhuma autocrítica. A Rita escusa-se a responder a provocações e a falar do que ela própria admitiu não conhecer. As pessoas tiram daqui as suas próprias conclusões.

    Mas sim tu preferes falar de mamas e de decotes.

    E mais uma coisa: Tenho orgulho numa camarada que não está “bem informada” pelas notícias da comunicação social burguesa. Comunistas de verdade investigam os factos por sua própria conta.

    • ahahahahah!
      Contra os decotes reformistas, vivam as mamas revolucionárias!

    • Carlos Carapeto diz:

      Rocha, desculpa camarada. Os comunistas não têm que se preocupar em esgravatar na estrumeira da desinformação burguesa, para encontrar as imundicies que os seus inimigos lá enterram.

      Todo aquele que se preze ser comunista têm o dever impreterivel de se esforçar por conhecer basicamente a ideologica que se propõe defender, como também o seu percurso histórico, assumindo erros e fracassos, ao mesmo tempo que saber abordar e dar relevo às suas virtudes, êxitos, qualidades, diferenças e objetivos politicos e sociais em relação às outras ideologias.

      Para isso basta apenas obter alguns conhecimentos doutrinarios e saber fazer uso da verdade. Porque a verdade resiste à mentira e ao tempo.

      Ainda há poucos dias ouvi uma deputada no parlamento (não me preocupei saber de que partido) surzir nos comunistas com a chibata da URSS (países de leste).

      Eu tinha imenso prazer perguntar na cara dessa senhora o que foi que o capitalismo em vinte anos fez de melhor que os comunistas?
      Quais foram os problemas que criticavam durante a vigência do Socialismo que o capitalismo conseguiu resolver? Nenhum, agravaram os “problemas” existentes e ainda levaram outros!

      O que foi que melhorou na vida desses povos?
      Que tipo de desenvolvimento se verificou nesses paises nas ultimas duas décadas?

      Pelo contrário deu-se um retrocesso a todos os níveis (excepto na Bielorrussia).
      Porque nenhum desses países conseguiu ainda alcançar os parametros de desenvolvimento de 1991, nem tão pouco as Republicas Balticas.

      Agora abordando diretamente a prebenda do Renato quanto ao desconhecimento da Rita Rita sobre os tais GULAG (ela tinha o dever de estar melhor preparada para estas questões ou então calava-se).
      Se alguém pretende negar a sua existencia falta deliberadamente à verdade.
      Mas também não é recorrendo à mentira grosseira inventado numeros fabulosos durante a época Soviética que vão autenticar o empolamento que pretendem.

      Primeiro que tudo.
      Quem foi que instituiu esse sistema de deportações?
      Qual foi o periodo de maior fluxo de desterrados?
      Quais os meios usados para chegarem aos seus destinos?
      Qual era a taxa de sobrevivencia durante o percurso?
      Para dar um exemplo de Moscovo a Irkutsk são mais 6000 Km e os milhões de deportados (por Stolypin) da revolução fracassada de 1905 fizeram esse percurso a pé.
      Uma situação não pode legitimar a outra. Mas também não é valorizando mais o sofrimento de umas vitimas que de outras que se vai impor a verdade.
      Se houve vitimas então que haja dignidade para saber respeitá-las todas. Fazer o contrário é retirar credibilidade àqueles que demagogicamente pretendem obter dividentos politicos à custa do sofrimento alheio.

      É precisamente isso que o Renato a Raquel e outros da mesma linha costumam fazer. Volta e meia Estaline, GULAG, repressão, comunismo.

      A obsessão politica destas pessoas reside na essência do ódio que nutrem por o comunismo. O caricato é que se servem da linguagem social dos comunistas para traficar o embuste.

      Senão observesse os discursos verrinosos da Raquel, durante as lutas dos mineiros na África do Sul. Só acordou ao som das rajadas.

      E as carpidisses do Renato acerca da Líbia, China, Irão, Siria e Palestina. Vai para onde ouve rebentar os foguetes, não lhe interessa quem os está a lançar.

  10. “Streep” como em “Meryl”?

  11. Mário Reis diz:

    Pretexto e justificação bem ao estilo da Raquel V.

    • Renato Teixeira diz:

      Obrigado.

      Se lhe disser que teve uma resposta ao nível de alguns camaradas seus, retribuía. Estou certo.

  12. Buiça diz:

    é mais strip como em comic…
    O renato é parvo por gostar de mamas?
    and who the fuck is rita rato?!
    Adoro as palavras “divisionista” e “desmobilizador” também.

  13. LAM diz:

    Renato, nada me liga aos visados, mas este post é duma filha da putice de todo o tamanho. Era escusado, pá.

    • Renato Teixeira diz:

      Ainda assim com falta de pólvora para quem destrata os que entendem protestar fora das fronteiras da linha justa.

  14. Martelo diz:

    este tópico é puramente ordinário! mais uma vez o esquerdismo a demonstrar os seus verdadeiros inimigos! mesmo após uma acção de luta, vêm colocar coisas deste género, parecem mais interessados em brincar a uma espécie de “campeonatos da Luta” contra as forças PCP/CGTP e outros… este comentário demonstra-o de uma forma ordinária e muito ofensiva, que estão mais interessados em competições político partidárias…

  15. Francisca diz:

    Sou mulher e só tenho um par de coisas a dizer… és mal educado, estúpido, confundes erotismo, sexualidade com posturas inconsequentes e que têm 0 de significado. A minha modesta opinião é: nada me incomodam as mamas, são mais umas, no entanto provocam-te excitação tal que denuncias a falta de as veres, a saudade de as tocares… provavelmente nem foste amamentado… e sinceramente para um gajo com o teu discurso não há outra dedução a fazer…

    • Renato Teixeira diz:

      Uma ode à boa educação e à estupidez. Disse “amamentado”?!?!? Vou tomar mais dois cafés para ver se o problema é de leitura.

  16. rms diz:

    Sendo verdade que o assunto está loge de ser a Rita Rato, a verdade é que não resististe a trazê-la para o meio da merda que fazes. Essa cabeça gira à volta do PCP e da CGTP e devias procurar ajuda profissional.

    Este post é vergonhoso, mas a vergonha é coisa que te deve ser estranha.

    ps: já agora, tu que aqui te confratulaste com a violência em S. Bento ( http://5dias.net/2012/10/16/aqui-esta-a-grecia-so-ficam-mesmo-a-faltar-as-eleicoes/ ) foste o mesmo que repudiou e se demarcou em nome de um certo e determinado movimento ( http://www.publico.pt/Sociedade/organizadores-de-manifestacao-frente-ao-parlamento-demarcamse-de-confrontos—1567648) ?

  17. Rural diz:

    A Mama esquerda ficou mais murcha, ao contrário da direita.

  18. rms diz:

    Li tudo: “A organização demarca-se, contundo, destes desacatos”. Em que ficamos? Não me digas que já há revisas nos teus movimentos…

  19. Pingback: Imagens do «Cerco a S. Bento a 15/10» |

  20. marteleiro diz:

    Se a revolução resultar com o pensamento de Guy Fawkes e mamas à mostra, não haverá trotsky teórico que resista e o sr. Teixeira, Renato entrará na história da ideologia m-l. Notável.

  21. Antónimo diz:

    Alguém me explica que tinha a foto anterior (uma fake) da rita rato?

    O diálogo vai longo, mas sem saber do que falam não chego lá.

    Não vejo que adiante a esta questão política andar a mostrar mamas (no médio oriente já percebo, embora eu não mostrasse as minhas), tirando o interesse punheteiro dos tipos do Correio da Manhã que à custa disto já deram manifestação em duas edições seguidas – melhor que as televisões que davam futebol a essa hora e melhor que as edições anteriores todas do correio da manhã que mancheta reality shows e reserva as breves para as manifestações.

    Também confesso que há aí uma série de mamas políticas que eu gostaria de ver, numa abrangência pluralista que deve tudo ao meu lado voyeur e nada ao combate político.

    Não digo quais, que isso traria confusão, invejas, ciumeiras.

  22. Catarina Morais diz:

    Este Renato Teixeira é um autêntico nojo! Mente. Depois é desmacarado. Emenda a mão. Mas continua a sair merda!

    • Renato Teixeira diz:

      Ia jurar que morreria sem ver a palavra merda, nojo e mente intercaladas em vácuo.

      Sobre o assunto, nicles?

  23. ISKRA diz:

    Indigente, este post.

  24. Dédé diz:

    Renato, para merdas destas já chega o Correio da Manhã.

  25. Ângela Teixeira diz:

    Olha lá, mas bateste com a cabeça ou andaste a comer canja? Lá porque há camaradas que não achem isto assim tão fixe, esta forma de luta – que a bem da verdade digas: ninguém julgou! Há apenas pessoas que comentam e que dão a sua opinião pessoal, isso não significa que seja a posição do Partido. De facto, tempo é coisa que não te falta. Cretinice também não.

  26. Tiago diz:

    Eu vi as “mamas” e não liguei nenhuma. Porquê? Para mim é ânsia de protagonismo, nada mais. Não consigo encontrar um único motivo para isto ser considerado uma acção revolucionária, ou algo de particular interesse, uma raparigada despir-se numa manifestação. O que acrescenta à manif além de fazer capa do Correio da Manhã?

    Aliás essa capa prova imediatamente a inutilidade do gesto, bastando fazer a pergunta, se o Correio da Manhã mostra em tão grande destaque, há alguma consequência para o capital? Claro que não. Mas é a mesma história de o MAS e o Rubra e os seus protestos serem amplamente divulgados pela comunicação social… o que só prova o medo que o capital tem desses movimentos. Só não percebe, quem não quer perceber.

    Acho até idiota, por ser tão grande a ânsia de protagonismo. Parece que esta opinião é reaccionária para certa gente. Também não consigo perceber, o porquê.

    Depois disto ligar ao PCP e à CGTP-IN, para mim, já não é debate político, discordância, é simplesmente ou doença mental, algum recalcamento profundo, ou simplesmente são pessoas que ganham a vida a dizer mal dessas forças.

    A mim não me chateia nada. Renatos já conheci tantos ao longo da vida e foram todos parar ao mesmo lugar. Faz-me lembra uma série de rupturas, grandes marxistas-leninistas, que eu fui vendo nos últimos anos, e recordo bem as discussões que tive com eles, e bem os procuro agora em muitas manif’s e nunca os encontro.

    Onde estarão eles?

    A mim o que me orgulha é ver de que da direita à direita encoberta de fraseologia de esquerda…o alvo é só um… PCP/CGTP-IN.

    Para mim chega para provar que estou do lado certo da luta. Se tivesse dúvidas bastava ler um post destes para confirmá-lo. E não me interessa para nada se a foto é da Rita Rato ou não nas escadarias. Comparar as duas coisas é doentio.

    Com se a exposição de “mamas” numa manifestação para chamar à atenção dos média, fosse igual a tirar uma foto para uma entrevista. Ao menos que a taradice sexual seja tanta, que considerem a foto da (?) Rita Rato como erótica.

    Há palermas para tudo, continua Renato, parece que dia 14 há greve geral, e tu como sempres estás na vanguarda da discussão política, a atacar os teus inimigos de classe, o PCP e a CGTP-IN.

    Nada de novo, mais uma vez, tédio absoluto ao ler os teus posts, de tão previsíveis que são.

    O que me espanta é a tua cobardia, de aqui ser um grande agitador e depois para os jornais enfiam o rabinho entre as pernas e desmarcam-se da violência. É óbvio, perante o patrão, há quem não tenha coragem para dizer o que sente.

    • Renato Teixeira diz:

      Ninguém nos movimentos em que participo se demarcou da violência. A notícia do público tem um título que não corresponde às declarações dos porta-vozes, que a atribuíram às políticas do governo. Não vai ser fácil virar ninguém contra ninguém porque quem esteve lá viu o que se passou. Não houve nenhuma acção bloqueada pela organização, que apenas procurou garantir que todos levavam a cabo o que haviam preparado.

      Assim, espero, vai continuar a ser: https://www.facebook.com/events/157580147719166/?fref=ts

      • Tiago diz:

        Escreve para o público a reclamar então, porque não é isso que foi dito pela organização (ou melhor, que é citado).

        Mas isso do dito por não dito é parte de quem faz intrigas. Aliás tirar “Rita Rato” do título e por na legenda é de uma seriedade de grande alcance.

        Das duas uma, ou é a Rita Rato e fazes a crítica que queres fazer (mas num minimo de honestidade terias de confirmar se é ou não), ou se não é tiras o nome dela, porque ninguem te dá o direito de criticares algo sem sequer saberes se a foto é dela.

        Ninguem te dá o direito de criticar uma pessoa sem sequer saberes se é ela. É simplesmente uma ataque imbecil, natural porque ela representa algo que tu odeias, uma postura de defesa dos trabalhadores directamente ligada à crítica ao capital, e que não a mil textos a criticar de forma acéfala os outros “parceiros” de luta.

        Cito “O uso do corpo para fazer um statement político é tão verdade com um strip num protesto” Ou seja, numa entrevista a um jornal tirar uma foto de contexto (com mais ou menos poses, sempre discutivel o gosto) para ilustrar a reportagem é a mesma coisa que numa manif ver que existem câmaras prontas a disparar e tirar a roupa. Brilhante.

        É atirar para o ar, criticar por criticar. Nada de novo. Dividir, dividir, dividir, vale tudo.

        Já disse: Passos Coelho deu a ordem, os subordinados cumprem. Queres violência oh Passos para impor o medo, justificar a repressão? Toma lá amiguinho, que somos os revolucionários desta terra.

        Mentiras=> Público noticia que : A organização demarca-se, contundo, destes desacatos. “Não somos polícias de ninguém e não podemos controlar todas as pessoas”, rematou Ana Rajado, salientando que é o “Governo quem deve ser acusado de violência”.

        Então a organização não se desvincula da violência? : “não podemos controlar todas as pessoas”… isto não é dizer: que existe controlo para não haver violência, só que não existe possibilidade de “controlar” todas as pessoas.

        Ah esta gente… quanta vezes já ouvi vocês falarem do “controlo” da CGTP. É o que dá cuspir para o ar.

        A mentira tem perna curta. Ou vocês se assumem e dizem AQUI e LÁ que é para a violência revolucionária, e são coerentes, ou metes o rabinho entre as pernas e assumes a cobardia.

        O resto é a treta de sempre. Hipócritas.

      • Tiago diz:

        Escreve para o público a reclamar então, porque não é isso que foi dito pela organização (ou melhor, que é citado).

        Mas isso do dito por não dito é parte de quem faz intrigas. Aliás tirar “Rita Rato” do título e por na legenda é de uma seriedade de grande alcance.

        Das duas uma, ou é a Rita Rato e fazes a crítica que queres fazer (mas num minimo de honestidade terias de confirmar se é ou não), ou se não é tiras o nome dela, porque ninguem te dá o direito de criticares algo sem sequer saberes se a foto é dela.

        Ninguem te dá o direito de criticar uma pessoa sem sequer saberes se é ela. É simplesmente uma ataque imbecil, natural porque ela representa algo que tu odeias, uma postura de defesa dos trabalhadores directamente ligada à crítica ao capital, e que não a mil textos a criticar de forma acéfala os outros “parceiros” de luta.

        Cito “O uso do corpo para fazer um statement político é tão verdade com um strip num protesto” Ou seja, numa entrevista a um jornal tirar uma foto de contexto (com mais ou menos poses, sempre discutivel o gosto) para ilustrar a reportagem é a mesma coisa que numa manif ver que existem câmaras prontas a disparar e tirar a roupa. Brilhante.

        É atirar para o ar, criticar por criticar. Nada de novo. Dividir, dividir, dividir, vale tudo.

        Já disse: Passos Coelho deu a ordem, os subordinados cumprem. Queres violência oh Passos para impor o medo, justificar a repressão? Toma lá amiguinho, que somos os revolucionários desta terra.

        Mentiras=> Público noticia que : A organização demarca-se, contundo, destes desacatos. “Não somos polícias de ninguém e não podemos controlar todas as pessoas”, rematou Ana Rajado, salientando que é o “Governo quem deve ser acusado de violência”.

        Então a organização não se desvincula da violência? : “não podemos controlar todas as pessoas”… isto não é dizer: que existe controlo para não haver violência, só que não existe possibilidade de “controlar” todas as pessoas.

        Ah esta gente… quanta vezes já ouvi vocês falarem do “controlo” da CGTP. É o que dá cuspir para o ar.

        A mentira tem perna curta. Ou vocês se assumem e dizem AQUI e LÁ que é para a violência revolucionária, e são coerentes, ou metes o rabinho entre as pernas e assumes a cobardia.

        O resto é a treta de sempre. Hipócritas.

        PS: Quanto aos links do facebook, não tenho conta para ver. Não é crítica a quem tem, não é desvalorizar o facebook, é simplesmente uma opção minha.

        • Renato Teixeira diz:

          Debater não é dividir nem unir. É debater. Por esse raciocínio quem divide foi quem, no seu direito, foi largando fel sobre a dimensão “a”política do corpo e do nu.

          • Tiago diz:

            Se para o necessário debate entre as forças que se assume de esquerda, inclui conversas sobre “mamas” e poses em entrevistas políticas… estamos conversados.

            A questão não é debater. A questão é inventar qualquer coisa, mesmo que seja ridiculo, para atacar pessoas ligadas ao PCP.

          • Renato Teixeira diz:

            Basta então que as pessoas do PCP não se aventurem por temas nos quais não gostam de levar com as pedras que atiram.

          • João Valente Aguiar diz:

            A merda de toda esta macacada é que as pessoas em vez de discutirem o que interessa atiraram-se ao Renato. Reconheço que o post dele era desnecessário, mas ele ilustra duas coisas.
            1) mais de 3 dias depois ainda vêm para aqui ver se descredibilizam as pessoas chamando-lhe tudo e mais alguma e ainda andam a brincar às graçolas de que as raparigas queriam protagonismo… Interessante essa sanha persecutória sobre o que cada um quer ou não usar numa manif. Uma sugestão: que tal um manual de boas maneiras e de boa conduta para as manifestações? Enquanto não chega um manual de como se devem praticar as relações sexuais, esse seria um bom passo para a higienização das manifs…
            2) gostava de ver o mesmo entusiasmo e o mesmo empenho destes comentadores em discutir as questões fundamentais do nosso contexto histórico. Pena que prefiram dedicar-se a reproduzir essa guerrinha patética em defesa do seu clube, do que em debater de modo franco e aberto questões bem mais importantes do que o que aqui esteve em causa.
            Repito, não me revejo no post do Renato, mas parece-me bem mais desnecessário andar-se tudo para aqui armado em purista, ainda por cima dias a fio. Pena que não tenham visto o Lénine a dançar quando a Revolução soviética ultrapassou a duração da Comuna de Paris. Certamente que estes puristas teriam dedicado o mesmo carinho e conservadorismo com que brindaram o Renato e as meninas com as mamas ao léu…

  27. Pingback: Hummm… |

  28. zuogmi diz:

    as mamas são de quem as mostra, não são da ‘esquerda’ (seja lá o que isso for)

    os comunistas são padres

    orto de oh que se os

Os comentários estão fechados.