Mas nem tudo foi mau no Congresso Democrático das Alternativas

Enquanto Ana Gomes pululava pelas televisões e Alegre falava da bandeira, havia quem, como a minha amiga Mariana Avelãs, procurasse pensar um pouco além do seu umbigo e da sua eleição para o parlamento que se segue. A sua intervenção pode ser lida aqui.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 Responses to Mas nem tudo foi mau no Congresso Democrático das Alternativas

  1. Antónimo diz:

    Mas para quê, se segundo parece não conseguiu referências nos jornais?

    Três coisas essenciais:

    Convergir no levantamento com outros países. o sectário Seguro já anda falando com os seus dele. Então e nós e os nossos?
    Obter pluralismo na comunicação social
    Nesta fase, trocar o medo deles pelo nosso.

  2. Leo diz:

    “Convergir no levantamento com outros países.” ????

    E a convergência com as lutas no país? Parece-me autismo – e não só da Mariana – não ter havido uma única palavra de encorajamento aos participantes da Marcha contra o Desemprego e pelo Trabalho com Direitos iniciada em Faro e Braga nesse mesmo dia.

    • rogério diz:

      AUTISMO GRAVE. Considerando que uma das figuras de destaque desta coisa, que me fez lembrar uma certa iniciativa blá blá acontecida aqui há uns tempos, foi e é precisamente o ex-secretário geral da CGTP-IN, estrutura organizadora desta Marcha contra o Desemprego e pelo Trabalho com Direitos. Mas enfim, enquanto uns lutam na rua, outros fazem de conta que encontram alternativas.

Os comentários estão fechados.