Coragem

Uma mulher, de 57 anos, exigiu a entrada no Pátio da Galé para assistir às comemorações da Implantação da República e, apesar de algumas respostas negativas dos seguranças, a entrada foi autorizada. Já lá dentro, Luísa Trindade, gritou que estava “desesperada” e que se não fosse o seu filho estaria “na miséria”.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 Responses to Coragem

  1. Maria do Sol diz:

    Espero que a”coragem” seja efetiva…bem precisamos dela!
    Constatei que quando manifestações têm a garantia da presença dos órgãos de comunicação social, as pessoas saem à rua, porque é giro aparecer na Televisão.

  2. Miguel Botelho diz:

    Já ontem, Pacheco Pereira disse que o que está a acontecer em Portugal é um clássico das revoluções sociais. Acompanho a leitura da Revolução Francesa e há bastantes semelhanças entre os dois eventos.
    Passos Coelho faz lembrar o rei Luís XVI. É um poço de insegurança. Tenta dar uma imagem de firmeza, mas lá dentro aquilo treme que nem varas.
    A luta é agora todos os dias e continuará no dia 13 de Outubro, na Praça de Espanha.
    Um bom trabalho do Tiago Mota Saraiva. É o melhor correspondente do 5 dias nestes dias tumultuosos que nos levarão à mudança necessária.

  3. Pingback: Rei(s) Regicida(s) | cinco dias

  4. JgMenos diz:

    Não estava na miséria porque tinha um filho que a protegia!
    Bom filho!
    Foram durante milénios os filhos a única instituição de previdência. A probabilidade de funcionar aumentava com o número de filhos.
    Agora temos o Estado Providência que verdadeiramente só providência bem para os seus filhos: funcionários, políticos e aderentes.
    A natalidade vem caindo sistemáticamente.
    Nem filhos nem Estado Providência!

  5. um anarco-ciclista diz:

    covardolas de merda: 4 matulões pra expulsar uma cidadã das comemorações da República… filhos da puta! vossa hora há-de chegar!!!

Os comentários estão fechados.