A resposta basca à violência do capital: organização e consciência política.


Era assim que estavam muitas cidades bascas esta tarde em dia de greve geral. Sempre que o capitalismo é posto em causa, os capitalistas respondem com violência. Por isso é que à violência do capital há que responder com o tenaz combate dos trabalhadores e do povo. A diferença entre os bascos e os de Madrid é que os primeiros foram calejados por décadas de repressão e já aprenderam que o problema não são os partidos e a política. O problema é o capitalismo e os seus representantes políticos. O povo basco quando responde sabe que está a dar uma resposta política, consciente e organizada. As armas dos bascos não são as mãos. As armas dos bascos são a organização e a consciência política. É disso, principalmente, que os capitalistas têm medo. Porque um povo desorganizado e que não sabe definir os seus inimigos é um povo fácil de derrotar.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 Responses to A resposta basca à violência do capital: organização e consciência política.

Os comentários estão fechados.