C. M. Almada: a «cegueira» que deixa o povo às escuras! [EDITADO às 14h, com resposta da CMA]

À hora a que vos escrevo, é esta a «paisagem» captada pela câmara do meu telemóvel, nas traseiras do prédio onde vivo.

Laranjeiro, Almada, 26 de Julho de 2012, 5h36

Antes de mais, isto é algo que deixa perceber, claramente, que continuo a não saber adequar os meus horários aos do horário solar. Como um mal nunca vem só, isto significa ainda que, ao fim de largos meses de contestação popular, o Executivo da Câmara Municipal de Almada (CMA) e, principalmente, a sua Presidente, não tiveram, ainda, tempo de reconhecer o erro que cometeram ao passar a gerir a iluminação pública do Concelho da forma que aqui foi noticiada.

Há uns meses, numa sessão pública, na Cova da Piedade, disse à Sra. Presidente Maria Emília de Sousa que, para uma autarca que está a terminar aquele que será o seu último mandato, se está a arriscar a ser recordada como a Presidente que apagou a luz ao povo!

Fonte: TSF (http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Interior.aspx?content_id=1388472)

As «sete reeleições» de Maria Emília de Sousa, sendo dignas de registo, não escondem a ironia patente naqueles «olhos postos no futuro» com que foi saudada a mais recente vitória eleitoral. É que se o futuro se proporcionar a certas horas… não haverá olhos que o vejam!

ADENDA

Resposta do Vereador António Matos, do Executivo da C. M. Almada. No Facebook. Às 13h30 do dia em que este artigo foi publicado.

Agradeço ao Vereador António Matos quer a rapidez, quer a gentileza da resposta. Para quem conhece a «resposta-padrão» que esta situação vinha merecendo por parte, quase sempre, da Sra. Presidente da Câmara (a quem não conhecer aconselho uma rápida visita à caixa de comentários deste post) é evidente que se nota uma atitude diferente. A evolução, ainda que tardia, é sempre positiva. Vamos então ver no que isso vai dar!

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

41 Responses to C. M. Almada: a «cegueira» que deixa o povo às escuras! [EDITADO às 14h, com resposta da CMA]

  1. kruzes diz:

    A foto ilustra na perfeição a situação a que chegaram as autarquias portuguesas. Negra. Umas, poucas, já perceberam. Outras ainda não. Quanto ao povo esse quer muita festa, muita obra e, já agora, muita luz.

    A titulo de curiosidade refira-se que a CM de Almada gastou, no ano passado, 1.911.498,81€ em iluminação pública!

  2. tiago diz:

    coitado, já não basta teres de viver no Laranjeiro!

  3. A.Silva diz:

    Meu caro, como sabes também vivo em Almada e por acaso no passado sábado também cheguei por volta dessa hora a casa e posso garantir-te, embora sem foto, que a visibilidade na rua em redor da minha casa era muito, mas muito superior àquilo que a tua imagem reproduz. Tendo em conta que a lua está em quarto crescente, depreende-se que a luminosidade que no passado sábado vinha desse maravilhoso objecto de iluminação natural era ainda menor que no passado dia 26 às 5h36, donde se pode concluir que ou a tua máquina fotográfica (telemóvel?) têm uma péssima qualidade, ou as traseiras do prédio onde vives dão para um qualquer “buraco negro”… é evidente que poderíamos ainda estar perante outras hipóteses, mas ai iriamos começar a divagar e o problema de “divagar” é que às vezes não se vai muito longe.

    Mas esta questão coloca outros tipo de visões ou de falta delas, ou seja numa altura em que o governo/troika/PS levam a cabo o mais violento ataque à democracia, nomeadamente ao Poder Local, com a diminuição das verbas que deveriam ser distribuídas através do orçamento do estado (ao arrepio da lei das finanças locais), numa altura de “crise do sistema” que faz com que se tenha verificado uma profunda redução de entrada de Processos de construção nas autarquias, com a consequente diminuição de verbas e se a tudo isso somarmos o aumento brutal dos custos derivados da energia, diremos que a visão que se tem das finanças de uma autarquia são mais negras que a visão do buraco negro existente nas traseiras da tua casa.
    Por isso meu caro que fazer? Continuar a gerir a autarquia como se nada disto se passasse? Cortar nos investimentos que à partida já estão a ser reduzidos? Cortar ainda mais nos equipamentos e apoio escolar, cultural e desportivos? Cortar na manutenção dos espaços públicos? Cortar no pessoal?

    Fazer isso ou cortar 1 hora (julgo que é isso), na iluminação pública e noutros gastos de energia com o funcionamento de instalações municipais, ou a diminuição da aquisição de determinados materiais para funcionamento dos serviços?

    É que não estamos a falar em tomar boas medidas mas sim nas menos más.

    Por isso meu caro, se tiveres uma parte da frente na tua casa que te permita VER alguma coisa, ou se a sede do BE ficar num sitio com mais alguma visibilidade, gostaria que me dissesses algumas medidas que aches que se deviam tomar para reduzir custos, sem entrar neste jogo baixo da direita (PS/PSD/CDS), que aproveitam as coisas mais estapafúrdias para fazer os ataques mais baixos e estúpidos contra a CDU em Almada, como é esta campanha por causa da iluminação, como se PS/PSD/CDS não tivessem nada a ver com o caso.

    • Carlos Guedes diz:

      A máquina pode ser fraca… mas como os olhos não mentem, se queres combinamos e um destes dias damos uma volta pelo concelho. A partir das 5 horas.

    • Telma diz:

      Se algo não está bem, não se deve tentar calar as vozes discordantes com argumentos parvos, e sim reconhecer as falhas e tentar que elas possam ser corrigidas.

      Não é por a Camara ser da CDU, que está isenta de criticas,

      Neste caso a culpa não é da Troika , é da Tia Emilia…..e das suas opções.

      • Carlos Guedes diz:

        É isso mesmo. E nada mais.

        • Carlos Vidal diz:

          Eh pá não percebi o post. Quer dizer que comes às escuras?
          A culpa é da presidente?
          Tem coragem: a culpa é do Jerónimo. Assume as coisas pá.

      • A.Silva diz:

        Telma se por acaso é de Almada e não vive num “buraco escuro”, podia avançar com algumas propostas de solução, é que não estamos a falar de boas soluções mas sim das menos más, para resolver problemas financeiros objectivos.

        E já agora Telma, é claro que tanto a Troika nacional como a estrangeira não têm nada a ver com o roubo às autarquias feito pela via do não cumprimento da lei das finanças locais, ou com o empobrecimento do país que faz com que exista menos actividade económica e muitas empresas vão à falência, com a consequente diminuição das receitas fiscais, ou com o aumento brutal dos custos de energia que mais parece uma espécie de assalto aos bolsos de contribuintes e empresas, nem com a divida brutal que o estado tem com a autarquia de Almada pelo não pagamento da parte que lhe competia na obra do Teatro Municipal.

        Não cara Telma, o PS/PSD/CDS nada têm a ver com estado de miséria a que o país chegou, a responsabilidade por tal é toda da Maria Emilia, que por acaso tem e sempre teve das gestões mais criteriosas e responsáveis a nível de autarquias. Mas sabe o que lhe digo, é que há pessoas que por mais luz que lhe ponham em cima da cabeça não conseguem enxergar nada, tal é a miopia política de que padecem.

        E Carlos, não fujas à questão, não estou a dizer que o problema não existe, repito, não estamos a falar em boas medidas, mas sim nas menos más dada a conjuntura, por isso tinha perguntado por alternativas, mas parece que tanto tu como a Telma estão mais interessados em discursos populistas sobre este assunto do que propor soluções, tal como os aldrabões do PS/PSD/CDS cá do concelho gostam de fazer.

  4. Pisca diz:

    Eh pá tou admirado ainda não apareceu a Toscaninha, ou foi por se zangado com o Guedes ? Faziam uma bela dupla

    Neste post só falta uma pérola que li há tempos, “falta a rotatividade democrática em Almada, ter havido outro partido a governar”, pois as Eleições que se lixem

    • Carlos Guedes diz:

      Escrever coisas ao acaso dá nisto. Nunca fiz dupla com a pessoa que refere. Aliás, foi a primeira pessoa com quem me «peguei» mal entrei para o BE. De resto… alguma coisa do que escrevi é mentira?

  5. Pisca diz:

    Já perguntaram mas eu repito, como é que se faz para não aumentar custos, levando em conta o equilibrio orçamental da CMA ?

    Estendemos um cabo pela ponte fora e vamos “sacar” energia a Lisboa ?

    • Carlos Guedes diz:

      Há coisas que, tão evidentes que são, não pensei ter necessidade de escrever. Estamos já na segunda década do século XXI. O progresso trouxe-nos coisas que há 50 anos atrás nos pareciam saídas dum romance de Verne. 50? 40. 30…
      Há cidadãos e cidadãs que, fruto do progresso tecnológico não ter sido acompanhado por progressos sociais e/ou individuais à altura, são forçados a sair dos seus lares para se dirigirem para os seus locais de trabalho a horas em que o sol ainda não nasceu ou já se terá posto. Ou vice-versa. A verdade é que, em 2012, há almadenses que não têm iluminação pública. Há zonas do concelho em que a escuridão é mesmo total.
      Não tirei uma foto à parte da frente do sítio onde vivo por tal poder ser passível de tornar a localização mais evidente. Oportunamente voltarei ao tema com mais fotos, obtidas com equipamento que as liberte da dúvida a que a lente 5.0 Mp do meu telemóvel tem sido sujeita!

      • Pisca diz:

        Para além das tiradas sociológicas do tipo Reader’s Digest, continuo na expectativa de uma ideia de poupança, ou já estás a estender o tal cabo, olha que o Zé de Lisboa pode não gostar

        • Carlos Guedes diz:

          Olha pá. O Reader’s Digest nunca fez mal a ninguém. Nem bem. Que pedantes que andam alguns (felizmente parece que poucos) comunistas de Almada! Lê a resposta do Matos e tem vergonha dessas coisas que escreves, próprias de um gajo aburguesado que se acha mais «esperto» que todos os demais!

          • Pisca diz:

            Olha menino, umas coisas para te dizer:

            1 – Essa do comunista pedante vem a propósito do quê ? Tiveste logo que colar um rotulo, normal, creio que serás um “puro revolucionário”, já dei para esse peditório há muitos anos e vi o destino final da maioria, com o tempo isso passa-te

            2 – Ditares que eu “devo ter vergonha nas coisas que escrevo”, quem te dá esse direito, ou anda aí um censor em potência ?

            3 – Gajo aburguesado ? De onde me conheces. Digo desde já que não tenho o menor interesse em saber quem és, mas pela forma e conteudo deves o ultimo dos ferozes metalurgicos ou camponês que ainda vem das praças de jorna, se não fores fico espantado, devo confessar

            Esta foi a parte pessoal, desculpa mas os meus estudos pouco vão além da 4ª classe

            No entanto repito mais uma vez a pergunta:

            COMO RESOLVIAS A QUESTÃO DO AUMENTO DOS CUSTOS COM A ILUMINAÇÃO PUBLICA ?

            vai em letra grande a ver se entendes, para além das teorias que tens na cabeça e te ocupam todo o raciocinio

          • Carlos Guedes diz:

            Se não sabe o que é ser pedante… devia ler mais vezes o que escreve. Passe bem.

      • A.Silva diz:

        Carlos, parece que enveredamos pelo doce caminho da demagogia.

        Saberás tu porventura que estando nós já na segunda década do século XXI, temos tido uns governos PS/PSD/CDS que nos querem reconduzir para os tempos mais negros e sombrios da nossa história? Por acaso estarás a par disso?

        E por acaso terás conhecimento, apesar de viveres no Laranjeiro, que o concelho de Almada fica num país que se chama Portugal?

        Perguntei e volto a perguntar, que soluções para a brutal diminuição de receitas a que as autarquias, nomeadamente a de Almada, têm sido sujeitas?

        Cortar mais no apoio à cultura? no apoio à educação? No apoio ao desporto? Às estruturas associativas? Na manutenção dos equipamentos e estruturas municipais? Cortando no pessoal e despedindo como a troika tanto deseja? deixando de investir na melhoria e manutenção das infraestruturas, como esgotos, àgua e rede viária? Aumentando ainda mais o preço da água? Aumentando as taxas que já não são nada baratas, numa altura em que o investimento privado está a ir a pique?

        Enfim, parece que nos ficamos pela doce linguagem populista e demagógica, de quem prefere tirar proveito dos problemas em vez de procurar soluções.

        • Carlos Guedes diz:

          Sei disso tudo, A.Silva. E demagogia é coisa que não usamos cá por casa. Não a pratico e não a recomendo. Se o fizesse não teria tido o cuidado, não só, de actualizar o post com a resposta do Vereador, como também, de proceder à sua divulgação pelos mesmos meios usados anteriormente!

        • Baresi88 diz:

          A. Silva é excusado, o mal sdo Guedes é ser a CDU que está na Câmara, porque se fosse o PSD ou o PS não sairia todo indignado, nem faria este espalhafato todo. O ódio ao PCP é fodido.

          • Carlos Guedes diz:

            Talvez pudesse ter-se informado um pouco melhor. Talvez pudesse ter reparado melhor na resposta cordial e sincera do Vereador António Matos. Talvez… mas preferiu escrever disparates. É a vida!

          • Baresi88 diz:

            Coitado. Isso passa-te.

          • Carlos Guedes diz:

            A mim, talvez… já a si, e pelo que me está a demonstrar, duvido que passe! Olhe, passe muito bem que eu tenho mais que fazer do que aturar quem escreve as baboseiras que você escreve.

  6. Bruno Simão diz:

    Em Loures a Câmara Municipal (PS) aplicou uma medida semelhante. Decidiu desligar candeeiro sim, candeeiro não, de forma aritmética. A sua aplicação foi estupida! A iluminação pública é importante para a segurança de pessoas e bens e, não de somenos, ajuda a diminuir o sentimento de insegurança dos cidadãos.
    Grande parte dos gostos resulta da existência de sistemas de iluminação pública desadequados e pouco eficientes. Acredito que uma rigorosa avaliação das necessidades e o investimento em luminárias tecnologicamente mais avançadas e logo energeticamente mais eficientes pudessem trazer poupanças significativas (ainda que não a curto prazo). As razões evocadas são as do costume nos dias de hoje, a troika, a crise, o equilíbrio dos orçamentos… Enfim, anda-se em todo o lado a usar os mesmos argumentos para fazer sensivelmente o mesmo.

    Em Almada (CDU), a estupidez parece não ter sido menor, quando se decide desligar toda a iluminação, ainda noite fechada (para experimentar). Conclui-se agora que se se desligar a iluminação ainda de noite, as ruas ficam escuras e as pessoas sentem-se inseguras! Ele há cada descoberta! O Carlos Guedes tem razão. E a mim, o me aborrece solenemente são as justificações que visam justificar um pouco o injustificável, com argumentos que nem deviam ser utilizados e que se entendem válidos nuns lados e insustentáveis noutros. Por algum decoro, algumas das coisas que disse em relação a idêntica medida em Loures, poupo-me a escreve-las aqui em relação a Almada. Não as escrevo, mas penso-as!

  7. Pisca diz:

    Sobre o que disse o Vereador Matos, elementar apenas justifica o que se passa nada mais, se há outras alternativas que as apresentem e digam como, o que por aqui ainda não foi dito, mas eu aguardo

  8. Pisca diz:

    Para os Iluminados com falta de Luz

    1 – A luz está mais cara – Iva Aumento entre outras
    2 РAs Camaras ṇo esticaram os or̤amentos
    3 – Alguma poupança tiveram que fazer, será a melhor ? Não sei

    Dificil perceber ?

    Os Iluminados com falta de luz andam a investir contra os candeeiros e postes, só pode

    • Carlos Guedes diz:

      Pisca, para além de pedante… arrogante!

      • Baresi88 diz:

        Não sei quem é que é mais pedante se é o Pisca ou o Guedes. O ódio ao PCP é uma coisa enorme ai para esses lados. Coitado, nem deves conseguir dormir só de saberes que a Câmara é da CDU!

  9. Bruno Simão diz:

    … o repetido repto para que se indiquem medidas alternativas que assegurem o mesmo nível de poupança parece o disco riscado do Governo. Quer o autor do repto insinuar que na Câmara Municipal de Almada os gastos são tão criteriosos que será impossivel fazer um corte de despesa que não tenha um impacto sobre a qualidade de vida das pessoas, este da iluminação pública ou outro qualquer. Está a fazer demagogia da mais baratinha. Caro apoiante da CDU em Almada. Se eu votasse em Almada também votaria na CDU e não se me vislumbra outra alternativa melhor para esse concelho, mas se quer um conselho tente não ser tão obtuso e talvez conserve o gosto de ver o seu Município bem gerido por mais uns anos. Caso contrário um dia destes a realidade ultrapassa-o e você nem percebe o que lhe aconteceu.

  10. AMD diz:

    Oh Carlos se precisar de uma bengala avise que eu tenho por aqui uma a mais, não quero que o meu amigo bata com a cabeça na parede. Também lhe posso dispensar uma lanterna que funciona a energia solar mas com essa escuridão toda é melhor tirar daí o sentido.

  11. Eduardo Rocha diz:

    Talvez se gastassem menos em publicidade e em assessores, era provável que sobrassem receitas para pagar as contas da electricidade, digo eu.

  12. incirvel_almadense diz:

    A senhora presidente fez em Almada exatamente o que o governo fez em Portugal. Não há dinherio? Corta-se na despesa. É tudo a mesma lógica.

  13. democles diz:

    POr defeito tenho andado por essas horas por Almada (trabalho por turnos)só quem não anda pelas ruas de Almada às 19 horas e 5 horas é que pode dar o valor que a falta de iluminação faz( e quem utiliza o transporte público) ,,,falta de segurança,acidentes por não ver-mos onde colocamos os pés e cagarmos os pés por pisar o que não devemos ,,,sobre o poupar existem muitas maneiras como os carros da autarquia não serem carros para uso pessoal,má gestão recursos em todas as vertentes e muito mais que poderia enumerar,sobre os ataques a pessoas por não pensarem como nós é muito triste……nas respostas comentadas poderemos analisar o país que temos e ver se a culpa não é nossa.

  14. Joana diz:

    Existem soluçoes alternativas! E têm vindo a ser sugeridas!Estas são apenas algumas que já foram apresentadas pelos municipes no ano passado. Esta é uma questão transversal a muitos cidadãos, independentemente da sua ideologia politica, atentando contra a sua integridade moral e física e o direito à liberdade e à segurança, direitos esses expressos, nos art. 25 e 27 da Constituição Portuguesa
    •Utilização da água da chuva para rega dos espaços públicos (rotundas, jardins, etc) e ajuste do seu caudal, limitando a rega no Inverno e concentrando a dispersão nos espaços a regar;
    •Renegociação do contrato com a EDP, melhoria dos serviços de manutenção e substituição por luminárias mais eficientes;
    •Redução das verbas gastas em publicidade outdoor e festividades (fogo de artificio, iluminação de Natal, cartazes publicitários e inaugurações);
    •Colocação de painéis foto voltaicos em edifícios públicos;
    •Melhor planeamento das vias de tráfego (para que as rotundas e viadutos que são construídos sejam apenas os que são realmente necessários e o transito seja mais fluido, diminuindo o impacto ambiental e melhorando a qualidade de vida).

Os comentários estão fechados.