Armados de razão

É difícil não nos sentirmos emocionados ao assistir à entrada da marcha dos mineiros em Madrid – sentimento a que as televisões nos entenderam poupar. Estes corajosos operários que gastam a sua vida dentro da terra numa das profissões de maior risco e desgaste, foram acolhidos por centenas de milhares de pessoas a gritar “estes são os nossos verdadeiros campeões”. Com as luzes dos capacetes acesas, os mineiros responderam entoando o seu belíssimo hino “Santa Bárbara Bendita”.
Isto sucedeu exactamente na véspera de Rajoy anunciar novas medidas de austeridade. Aquelas que, no dia em que falou sobre o resgate da banca, dizia ter evitado. À falta de pudor com que se mente junta-se uma inexorável vontade de catástrofe.
As medidas que Rajoy anuncia em Espanha são as mesmas que destroem a economia em Portugal e na Grécia – e que Chipre terá rejeitado, pedindo um empréstimo à Rússia, com taxas de juro mais baixas e sem imposição de medidas de governação. Aumentar os impostos universais e diminuir os apoios sociais, trará mais falências, menos poder de compra para a maioria, mais desemprego e mais miséria.
Contudo Passos Coelho poderá continuar a olhar Rajoy com desdém. 21% de IVA, 24 meses de subsídio de desemprego e um salário mínimo que é praticamente o dobro do nosso, não será suficiente para ameaçar o seu posto no Olimpo da barbárie e a rápida resposta nas ruas de Madrid, ao lado dos mineiros, não será augúrio de vida fácil para os “ajustes”.
Nem a história, nem a genética dão razão à tese de um Portugal de brandos costumes. Esse vírus, criado nos laboratórios do fascismo, tem sido repetido pelo poder dos últimos trinta anos. Mesmo na semana em que os hospitais pararam e quando não há governante que não seja insultado sempre que sai da sua zona de conforto continua a repetir-se que não há contestação. Temo que quem fala nos brandos costumes só acorde com o chilrear das balas.

Hoje no i

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

3 Responses to Armados de razão

  1. A.M. diz:

    Chilrear das balas?
    Não é silvar (de silvo)?

  2. licas diz:

    Limparam os comentários
    Mudaram o boneco . . .
    ELES PERMITEM-SE A TUDO . . .
    (já não há respeito pelos outros postadores).

Os comentários estão fechados.