«Eu não quero vingança! Eu quero que se faça justiça!» (3)

O Tony conseguiu fazer chegar a sua voz à SIC. À volta, todo o silêncio é ensurdecedor!
As justificações apresentadas pela PSP (por correio electrónico) são FALSAS e há provas e testemunhos disso mesmo!

 

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

7 Responses to «Eu não quero vingança! Eu quero que se faça justiça!» (3)

  1. Baresi88 diz:

    Se o gajo tinha levado com gás pimenta como é que pode ter agredido?

  2. Carlos raimundo diz:

    podem publicar o meu mail k n keru saber é td um monte d merda a psp e dps querem respeito?? como é k vamos respeitar a autoridade s elas n respeitam ninguem…eu ja n digo mais nada simplesmente isso so tem um nome para mim…monte d merda é o k eles sao…eu n falo na geral mas sim a quem fez isso e espero k s faça justiça s querem msm mostrar k a autoridade mereçe respeito ou algo parecido.

  3. Vítor Israel diz:

    Conselho da Europa
    Convenção para a Protecção dos Direitos do Homem e das Liberdades Fundamentais
    Artigo 5.º

    (Direito à liberdade e à segurança)

    1. Toda a pessoa tem direito à liberdade e segurança. Ninguém pode ser privado da sua liberdade, salvo nos casos seguintes e de acordo com o procedimento legal:

    a) Se for preso em consequência de condenação por tribunal competente;

    b) Se for preso ou detido legalmente, por desobediência a uma decisão tomada, em conformidade com a lei, por um tribunal, ou para garantir o cumprimento de uma obrigação prescrita pela lei;

    c) Se for preso e detido a fim de comparecer perante a autoridade judicial competente, quando houver suspeita razoável de ter cometido uma infracção, ou quando houver motivos razoáveis para crer que é necessário impedi-lo de cometer uma infracção ou de se pôr em fuga depois de a ter cometido;

    d) Se se tratar da detenção legal de um menor, feita com o propósito de o educar sob vigilância, ou da sua detenção legal com o fim de o fazer comparecer perante a autoridade competente;

    e) Se se tratar da detenção legal de uma pessoa susceptível de propagar uma doença contagiosa, de um alienado mental, de um alcoólico, de um toxicómano ou de um vagabundo;

    f) Se se tratar de prisão ou detenção legal de uma pessoa para lhe impedir a entrada ilegal no território ou contra a qual está em curso um processo de expulsão ou de extradição.

    2. Qualquer pessoa presa deve ser informada, no mais breve prazo e em língua que compreenda, das razões da sua prisão e de qualquer acusação formulada contra ela.

    3. Qualquer pessoa presa ou detida nas condições previstas no parágrafo 1, alínea c), do presente artigo deve ser apresentada imediatamente a um juiz ou outro magistrado habilitado pela lei para exercer funções judiciais e tem direito a ser julgada num prazo razoável, ou posta em liberdade durante o processo. A colocação em liberdade pode estar condicionada a uma garantia que assegure a comparência do interessado em juízo.

    4. Qualquer pessoa privada da sua liberdade por prisão ou detenção tem direito a recorrer a um tribunal, a fim de que este se pronuncie, em curto prazo de tempo, sobre a legalidade da sua detenção e ordene a sua libertação, se a detenção for ilegal.

    5. Qualquer pessoa vítima de prisão ou detenção em condições contrárias às disposições deste artigo tem direito a indemnização.

  4. Joao diz:

    Espero que as pessoas que fizeram isto sejam responsabilizadas e devidamente punidas pela justiça. A culpa não pode morrer solteira.

  5. Pingback: O “alívio” |

  6. zUka diz:

    fdx esses xuis saO mxm fOda…um gajo k é de cOr aki na tuga é fOda…
    nem mais esses bakanos tem de ser punidos,agr só pk sao psp´S pensam k pOdem fazer tdu u k lhes apetece. ..kerem descOntar em algm k descOntem neles fdx. ..

  7. Munditica diz:

    Vergonhosa a acção da PSP num país que diz ser um estado de direito. Não é de estranhar, pois a justiça nunca funciona para esta instituição, a PSP, que continua a abusar do poder a seu belo prazer. Agem como a antiga PIDE e quando alguém riposta lá vêm políticos como Paulo Portas a pedir mais policiamento na rua. Vergonhoso.

Os comentários estão fechados.