Missão Troika/FMI – Transformar a Grécia (e os outros PIGS) em países estilo África Subsariana

Lembro-me de há uns anos ouvir conversas do estilo “hoje a opressão é mais subtil que noutros tempos, os mecanismos de exploração não são tão claros, já não há uma bastilha ou palácio de inverno identificável que se possa tomar”…

Bem, creio que nos dias que correm, ninguém se pode queixar desse problema. Tudo se está a tornar bem mais claro. Muitos à Esquerda têm vindo a afirmar que a UE e sobretudo as políticas da Troika, têm como um dos seus grandes objectivos a transformação dos países da periferia (os ditos PIGS ou PIIGS agora…) em países estilo república das bananas latino americana, ou estilo África subsariana.

Basicamente, elites corruptas controlam o país e actuam como capatazes de interesses estrangeiros, quer seja para extracção de matérias primas muito abaixo do que acontece em países desenvolvidos (que na maioria dos casos, basta pensar no Petróleo Norueguês, nem permitem a estrangeiros entrarem nesses mercados! ou se permitem cobram preços altíssimos, como é óbvio!), ou para a sobre exploração do trabalho. Para os exploradores estrangeiros sai bem mais em conta comprar a uma elite corrupta do que pagar o que é devido a um povo soberano e livre. Esta exploração da riqueza e trabalho alheio é possível, sobretudo, devido a dois factores interligados:

– As elites corruptas impõe regimes autoritários que aterrorizam o povo e para isso, sempre que preciso, contam com o auxílio dos seus mestres estrangeiros;

– As diferenças sociais são abissais, o poder e riqueza dos de cima é muitíssimo superior à da maioria da população e a classe média é quase inexistente. Para sobreviver a população muitas vezes tem de se subjugar às elites e mendigar por biscates ou esmolas. Em situações como essas, é sempre fácil por o nú contra o roto e é difícil às massas organizarem uma forte resistência. (embora esteja longe de ser impossível, como a História da América Latina o demonstra, mas quantas foram as Revoluções e insurrecções que triunfaram? E quantas foram esmagadas?)

Bem as políticas da Troika, objectivamente, vêm no sentido de transformar os PIIGS (onde essas características à partida são mais vincadas que no Norte da Europa) em países do estilo acima descrito. Primeiro emprestaram dinheiro para que se cria-se um mercado para os seus produtos, agora que isso está a dar o berro, é partir para a sobre-exploração do trabalho nos PIIGS. Estas propostas do IV Reich são muito claras, mais clara ainda foi a chefe do FMI. Aqui em mais detalhe Lagarde é muito explícita… Bem podem as crianças na Grécia sofrer, bem podem faltar medicamentos aos idosos, bem se podem estar a suicidar em catadupa… “Na Nigéria é pior”. Ficamos entendidos quanto aos objectivos da Troika e do FMI. Ficamos entendidos quanto ao preço a pagar pela Grécia & Cª LDA. O Preço a pagar à Troika e ao FMI será TUDO O QUE O FMI E A TROIKA CONSEGUIREM SUGAR AO POVO GREGO E RESTANTES PIIGS, TUDO ATÉ AO TUTANO DOS OSSOS. Porque se a situação for pior que na Nigéria, sempre poderão dizer que no Ruanda ainda é pior… Fica também claro que para o FMI um país pode pertencer à União Europeia e ter condições de vida e dinâmicas sociais equivalentes às da África subsariana. Qualquer ilusão na União Europeia como espécie de garante ou bastião dos direitos socais no mundo é simplesmente ridícula.

O auge do desplante é atingido quando Lagarde exige que os Gregos paguem os seus impostos… Mas pera lá, quem é que na Grécia foi responsável pela construção da Cleptocracia corrupa em que as elites não pagam impostos???? Os mesmos que Lagarde e Cª LDA querem, tudo por tudo, que ganhem as próximas eleições, ou seja ND+PASOK! E quem é que tem sido demonizado até mais não?  Exactamente as forças Gregas que poderiam acabar  com a pouca vergonha!

A sucessão de ameaças terroristas contra o povo Grego (para não falar de terrorismo puro e duro, como seria de prever), sendo expectável, não deixa de ser impressionante, até quem não está no Euro os ameaça com a expulsão! Mas pode bem acontecer que o feitiço se vire contra o feiticeiro, os ataques (alguns racistas) são de tal ordem descontrolados, que podem ter o efeito contrário ao desejado pelos autores. Não seria a primeira vez na história que tal sucederia…

Por estas e por outras, como aqui venho referindo, a solidariedade para com a escolha livre e democrática do povo Grego. A luta para que um Governo Anti-Troika surja após as eleições de dia 17 de Junho. É o evento absolutamente central na luta entre os povos e o Capital nas próximas semanas. E seja qual for o resultado, este terá consequências profundas nos próximos anos (para não dizer décadas). A solidariedade internacionalista para com o povo Grego é absolutamente necessária para que o combate à barbárie na Grécia, e aqui, seja bem sucedido.

Em boa hora o Comité para a Anulação da Dívida Pública Portuguesa anunciou uma concentração dia 17 no Rossio, mesmo dia das eleições na Grécia. Em boa hora foi lançado o Manifesto de Solidariedade para com o Povo Grego e a carta aberta Na Grécia, o povo é quem mais ordena.

Para finalizar devo dizer que a filosofia “Lagardiana” pode ser entendida de várias maneiras. Sei lá, se da próxima vez os “Amigos de Loukanikos“, ou outros que tais, pegarem fogo ou rebentarem um carro com a Lagarde lá dentro poderemos dizer “não tenho pena, morreu bem mais depressa que o Kadafi que foi espancado e empalado com uma faca”….

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , . Bookmark the permalink.

15 Responses to Missão Troika/FMI – Transformar a Grécia (e os outros PIGS) em países estilo África Subsariana

  1. Pingback: A Greve Geral 14N, a primeira onda de protesto | cinco dias

  2. Pingback: Esmagar o Relatório FMI, batalha decisiva para derrotar o processo reaccionário em curso | cinco dias

Os comentários estão fechados.