Combate a precariedade e luta contra o desemprego!

Entre outras propostas que venham a surgir, a manifestação pelo direito ao trabalho estará em cima da mesa. Participa!

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Combate a precariedade e luta contra o desemprego!

  1. Diogo diz:

    Os portugueses já começam a ficar cansados de manifestações, cartazes, palavras de ordem, canções de protesto e de cargas policiais e cujo resultado é zero.

    Fernando Madrinha – Jornal Expresso de 1/9/2007:

    […] «Não obstante, os bancos continuarão a engordar escandalosamente porque, afinal, todo o país, pessoas e empresas, trabalham para eles. […] os poderes do Estado cedem cada vez mais espaço a poderes ocultos ou, em qualquer caso, não sujeitos ao escrutínio eleitoral. E dizem-nos que o poder do dinheiro concentrado nas mãos de uns poucos é cada vez mais absoluto e opressor. A ponto de os próprios partidos políticos e os governos que deles emergem se tornarem suspeitos de agir, não em obediência ao interesse comum, mas a soldo de quem lhes paga as campanhas eleitorais.»

    Estando fartos de saber que os partidos políticos “do arco do poder” agem a soldo de uma Máfia Financeira que domina também o Poder Legislativo, o Poder Judicial e o Poder Mediático, que pode um povo fazer?

    E que tal, se um número crescente de grupos de cidadãos contratasse “indivíduos sem escrúpulos” para forçar banqueiros usurários, políticos corruptos, legisladores subornados, juízes a soldo e comentadores venais, a entregar a alma ao Criador?

  2. Diogo diz:

    Então Renato Teixeira, o campeão da luta contra os grandes interesses, censura-me o comentário?

    Um indivíduo que percebe que políticos, legisladores, juízes e comentadores mediáticos estão todos debaixo da mesma pata, não tem a coragem de colocar o meu comentário?

    Será você um ingénuo ou um medroso?

    Afinal, tanta luta, tanta fé, mas incapaz de dizer duas verdades?

    Volte lá para as suas manifestações, erga bem alto os seus cartazes, grite as suas palavras de ordem, mas duvido que você não seja o primeiro a fugir quando se der alguma carga policial…

Os comentários estão fechados.