“Sei que estás em festa, pá. Fico contente e enquanto estou ausente guardo um cravo para mim. Eu queria estar na festa, pá. Com a tua gente e colher pessoalmente uma flor no teu jardim. Sei que há léguas a nos separar. Tanto mar, tanto mar. Sei também quanto é preciso, pá. Navegar, navegar. Lá faz primavera, pá. Cá estou doente. Manda urgentemente algum cheirinho de alecrim.”

No blogouavida, no indymedia, no Público, no Correio da Manhã, no Porto 24, na RTP, na TVI, na SIC, na Sábado, na TSF, no Expresso, no JN, na Rádio Renascença, na Visão, no Sol e no i e manifesto da ocupação de Lisboa, via Party Program. Acompanha as próximas actividades no blogue da Es.Col.A..

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to “Sei que estás em festa, pá. Fico contente e enquanto estou ausente guardo um cravo para mim. Eu queria estar na festa, pá. Com a tua gente e colher pessoalmente uma flor no teu jardim. Sei que há léguas a nos separar. Tanto mar, tanto mar. Sei também quanto é preciso, pá. Navegar, navegar. Lá faz primavera, pá. Cá estou doente. Manda urgentemente algum cheirinho de alecrim.”

  1. Pingback: “Sei que estás em festa, pá. Fico contente e enquanto estou ausente guardo um cravo para mim. Eu queria estar na festa, pá. Com a tua gente e colher pessoalmente uma flor no teu jardim. Sei que há léguas a nos separar. Tanto mar, tanto mar. Sei tam

Os comentários estão fechados.