MAGINA DA SILVA – Todos os regimes precisam de um Kaúlza de Arriaga.

O Magina da Silva é a melhor figura que o governo poderia ter escolhido para assumir de vez ao que vem e sintetizar a sua estratégia para lidar com a resistência. Este verdadeiro homem-metáfora do Miguel Macedo, do Rui Rio e das suas pandilhas de indigentes, não quer nada com a diplomacia, é avesso a grandes conversas e é dotado de um cadastro currículo feroz ao serviço dos GOE. Personifica a declaração de guerra que já havia sido feita à vida das pessoas e será um aliado de primeira linha para desmascarar o caminho escolhido pelos gestores nacionais da troika.

“A manutenção e, portanto, a segurança e a defesa da Pátria elevam-se a primeiro objectivo. (…)

Assim, o Estado Novo, com o seu autoritarismo condicionado pelo Direito e pela Moral Cristã, e com o seu regime de partido único, era, perante a longa conjuntura vivida, mas a prazo, a melhor fórmula possível. E eu, conscientemente e com fé, aceitei-o e defendi-o, e nele trabalhei e com ele cooperei. Tal como me bati, na guerra, pela Pátria Portuguesa.”  (…)

“O ’25 de Abril’ foi a maior catástrofe da História de Portugal.”

Kaúlza de Arriaga

Ontem, Kaúlza de Arriaga foi deposto pela resistência anti-colonial e pela luta anti-fascista. Depois de amanhã, a resposta terá que ser dada nas ruas.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 Responses to MAGINA DA SILVA – Todos os regimes precisam de um Kaúlza de Arriaga.

Os comentários estão fechados.