Da nobre arte de deputar-se

A união nacional aprovou, mas alguns deputados do PS pretendem colocar a cabeça fora do pardieiro apresentando uma declaração de voto a defender exactamente o contrário do que acabaram de aprovar. Nada de novo no Largo do Rato. Que o façam ao som do Charlatão, é o meu desejo mais simpático.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

Uma resposta a Da nobre arte de deputar-se

  1. Sérgio Medeiros diz:

    Na minha terra chamava-se aputado ou aputada aquele ou aquela que vivia em mancebia, concunbinato, não eram casados… (Ex.. Fulano está aputado, cicrana anda aputada com)
    Quando se separavam, chamavam-lhes deputados ou deputadas… (Ex. Funalo está deputado de… cicrana anda deputada de…)
    Espero que tenham compreendido o significado (calão, regionalismo) da palavra, aputar e deputar, talvez verbo que indica movimento, porque não, temos tantos, mais um não ocuparia muito espaço, e logo este, aposto que nenhuma criança tem dificuldade em apreender.
    Atenção, não ponham o Relvas nisto! A relaçaõ que ele vive com o PSD, a Lusófona ou a política não tem qualquer semelhança!
    Além disso o homem um dia destes dá aulas numa universidade.
    A propósito, Quantos Revas existem na actividade política?
    Eu não sei, mas….
    Na Minha terra também dizem que a assembleia da répública é como uma porca parida, cheia de leitões. Uma porca tem por vezes mais leitões que tetas, agravado o facto que as tetas traseiras são menos produtivas, pelo que as mamadeiras não chegam para todos, e os que chucham nas mamas traseiras passam fome, ou outrros ficam de fora. Assim, os leitões que ganham as mamas dianteiras andam satisfeitos da vida, chucham que se farta…. os das tetas traseiras e os que ficam de fora roncam, protestam…Têm fome….
    Parabéns Sérgio Godinho, muitos anos de charlatão cantados por ti.

Os comentários estão fechados.