Fazer frente

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

19 Responses to Fazer frente

  1. De diz:

    Uma bela imagem em contraponto ao cheiro fétido,podre e obscuro que exala de tal medida governamental.

    “Dizem não existir dinheiro para o SNS, mas para as PPP na saúde, em apenas 4 hospitais – Braga; Cascais; Loures e Vila Franca -, o país assumiu encargos de cerca de 2500 milhões de euros, numa linha de favorecimento dos privados que representam já na estrutura de prestação de serviços de saúde, 52% e em que os grandes grupos privados de saúde facturaram mais de mil milhões de euros em 2011.”

    Não há dúvidas.Somos governados por pulhas sem quaisquer escrúpulos

  2. António diz:

    Porquê contra? Qual a fundamentação?

  3. anónimo diz:

    Mas qual é o mal de encerrar esta maternidade?
    O edifício é velho. Está numa zona da cidade onde nem sequer vive muita gente (e nasce ainda menos). O conhecimento vai ser transferido para outros hospitais.
    Não me digam que estão preocupados com o emprego dos médicos?!

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      O edifício é velho
      FALSO, TEVE OBRAS PROFUNDAS HÁ 5 ANOS

      Está numa zona da cidade onde nem sequer vive muita gente (e nasce ainda menos)
      O QUE É QUE ISSO INTERESSA?

      O conhecimento vai ser transferido para outros hospitais
      VERDADE, SOBRETUDO SE O GRUPO MELLO BENEFICIAR DISSO

      Não me digam que estão preocupados com o emprego dos médicos?!
      TAMBÉM, E DE TODOS OS TRABALHADORES DA MAC.

      • anónimo diz:

        Tiango,

        Não é preciso gritar.

        Sinceramente, espero bem que vendam aquilo, ao menos ainda rendia alguma coisa. Uma urgência num dos sítios com mais tráfego e barulho da cidade não é certamente uma boa opção.

        As obras foram remendos. Os médicos que nos andaram a lixar (em classe como convém) todo este tempo não me dão pena.

        • Zuruspa diz:

          E eu espero que o vendam a si. Se é que alguém o quer comprar, mesmo a preço de saldo.

        • De diz:

          “As obras foram remendos”
          O conhecimento deriva de onde?Do conhecimento local para avaliar o negócio?E já que foram remendos pode-se assim deitar o dinheiro à rua?Impunemente?

          “Rendia alguma coisa”
          O dinheiro e o lucro como leitmotif para os negócios privados dos privados negócios?Sempre a mesma insuportável ladainha neoliberal?Enquanto a saúde das populações é deitada para trás das costas,mesmo que tal custe sofrimento,dor e morte?

          “Médicos como classe.””que nos andaram a lixar”
          Médicos há que nos podem ter lixado.Mas quem nos tem verdadeiramente lixado é quem nos governa.Os pulhas que nos governam.Paulo Macedo por exemplo.Passos ou Gaspar,por exemplo.Os Mellos e os comparsas por exemplo.Não é a “classe dos médicos” mas a classe possuidora dos meios de produção.
          O agitar papões fazendo-os passar como o “inimigo” é uma velha estratégia das classes dominantes.Para perpetuar o seu domínio.
          E tal não passará sem denúncia tenha o formato anónimo que tiver

          • anónimo diz:

            Se tudo o resto falha, culpa-se o governo. Isto claro desde que não esteja lá o nosso “clube de futebol”…

            Pensei que já tinha ultrapassado essa história dos “possuidores dos meios de produção”. Vejo que ainda vive agarrado a fantasias.

          • De diz:

            Este anónimo era o que há pouco dizia que não tinha pena dos médicos que fossem para o desemprego ( o coitado preferiu citar estes já que rendem mais em termos de demagogia e de sacanice?”Esqueceu-se” de todos os outros?).
            Curiosamente tal anónimo verte agora baba e ranho, não por quem é alvo da cupidez e da desenfreada exploração dos grandes interesses económicos ou de quem sofre com a implementação de tais políticas mas… pelo governo.
            Exemplar demonstração do que faz correr este “Sammy”(pela boca do próprio,lol)

            O governo de classe composto por patifes que mentem e que roubam?.Hoje o serventuário de Merkel teve a lata de dizer,qual súbdito venal sem princípios nem coluna vertebral, que “repor subsídios em 2014 poderia dar “imagem precipitada” de Portugal.Entretanto o mesmo Passos justifica o encerramento da Alfredo da Costa pelo “melhor aproveitamento do pessoal”.Por favor não se riam.Um pulha hipócrita e ladrão,que mente e que sabe que mente.É para este e os seus comparsas que vai o carinho do referido anónimo?

            Já percebemos o motivo das “fantasias”do pobre coitado.
            É uma chatice que Marx tenha de facto razão

    • De diz:

      Já não há pachorra para estes anónimos.
      “O edifício é velho”. Adivinha-se a máquina de calcular perante a avaliação do “velho edifício”.Ah, o valor imobiliário da Maternidade e do local onde está implantado´são perfeitamente desprezíveis…
      (E o dinheiro investido nas obras de remodelação terá ido directamente para o bolso dos ex-ministros ligados à construção civil,não?)
      Mas há mais.Os pedidos dos Mellos para fechar tão somente a melhor unidade de cuidados obstétricos do país não deve ter pesado nada na decisão do ex-banqueiro ao serviço precisamente…dos Mellos?

      “O conhecimento vai ser transferido para os outros hospitais”?A ignorância desculpará a boçalidade de tal afirmação ou o cartão partidário justificará a bacorada de tal desplante?Tanto mais posta a nú quando mais a seguir fala no dito”emprego médico”?Então o conhecimentoo vai ser transferido ou o desemprego é a saída?
      Começa a meter nojo o paleio do anónimo!
      Porque ainda há mais.Não é o desemprego médico que paira.É o desemprego dos que lá trabalham;todos.E como qualquer anónimo neoliberal que se preze, o desemprego é algo que lhe agrada.Mão-de-obra barata para vergar a espinha ao mundo do trabalho?

      O retrato típico de um neoliberal a salivar.Mete nojo de facto

      • anónimo diz:

        Entendo o teu nojo e a tua falta de pachorra quando não apresenta um argumento válido para manter a maternidade. Quando a mensagem não agrada ataca-se o mensageiro.

        • De diz:

          Cada vez menos pachorra para.

          Argumento válido para manter a maternidade?
          Mas quem andou a pedir argumentos para manter a maternidade não foi o “António”?
          Este anónimo o que disse foram outras coisas.Como por exemplo:O edifício é velho.Numa zona onde não vive muita gente(!).O conhecimento vai ser transferido para outro local.E nas tintas para o desemprego médico.

          O meu comentário diz respeito às alarvidades deste anónimo aqui transcritas.Que queira agora este fingir-se de virgem ofendida, ao mesmo tempo que tenta aldrabar o âmbito da discussão é algo que me ultrapassa.Mas que não deixarei passar.

          Tenho agora mais do que fazer.Dar um abraço à MAC por exemplo

        • Zuruspa diz:

          Quando o mensageiro näo entende as argumento válidos por ser demasiado estúpido faz-se de vítima. Tadinho.

          • anónimo diz:

            Zuruspa,
            Vejo que nunca vai entender porque é que o seu “abraço” para nada serve. Sugiro vivamente que aplique as suas energias em algo que contribua para o seu salário, ou será que vive às custas do contribuinte?
            Abraço! 😉

          • De diz:

            Um pequeno “abraçador” feito anónimo?Tentando que o imitemos na sua curvatura ao poder instituído?E que vai,qual borboleta borboleante, saltando de tema para tema…(desde a vetusta idade dos edifícios até aos “impostos”?)…

            Impostos já sabemos quem os não paga.Os mesmos que esta cambada protege e ampara.O dito comum sobre a diferença entre quem rouba um tostão ou quem rouba um milhão aplica-se que nem uma luva aos protegidos pelos párias neoliberais instalados nesciamente no poder.

            Sobre os salários que este anónimo fala,naquele tom de voz semi-ameaçador próprio de um capo em exercício, lembremos que os propagandistas do sistema têm pudor de falar em lucro. O capital é sempre tratado como uma entidade benevolente e altruísta a que todos nos devemos submeter de forma obediente e subserviente.Preferem falar no dinheiro que não há para os salários.
            Citemos Marx:
            ” “ A magnitude da acumulação é a variável independente e a magnitude do salário a variável dependente” – Marx- O capital – Livro 1º

            Uma frase magnífica que desmascara um ror de anos depois as políticas dos patifes neoliberais que nos governam
            Sorry anónimo.A verdade acima de tudo.
            Tinha mesmo razão o velho barbudo

  4. Augusto diz:

    Fecharam as Urgências do Curry Cabral, porque iam concentrar em Sta Maria e S. José as urgências , e assim poderiam responder melhor aos doentes, o resultado está á vista, urgências entupidas , doentes nos corredores horas de espera.

    Os resultados da MAC são públicos, e reconhecidos a NIVEL MUNDIAL, é uma maternidade com um serviço multi-valências de EXCELÊNCIA,e apesar disso querem encerra-la.

    Seguindo o raciocionio , do empregado de uma empresa do sector privado da saúde, o actual ministro Paulo Macedo, se num caso, o das urgências se concentraram meios para servir melhor o doentes, ( o resultado foi o inverso diga-se) , então porquê da necessidade de na MAC se dispersarem profissionais?

    Sabemos que quando o Correia de Campos fechou muitas maternidades, apareceram como por milagre, maternidades privadas em muitas dessas localidades.

    Será que Paulo Macedo está a cumprir ordens dos seus patrões, e a oferecer um bonus extra aos Hospitais de Loures, Vila Franca e Cascais , todos geridos por essa enorme MOSCAMBILHA que são as Parcerias Publico Privadas.

    Não há dinheiro, mas para os AMIGOS ( PATRÕES) do BES . do Mello há sempre um ministro atento venerador e obrigado

Os comentários estão fechados.