Em defesa do ovo, do impropério e da barricada.

Ao que parece, a claque e alguns adeptos da Briosa, foram brindar a equipa com “o arremesso de ovos e também com cânticos insultuosos à equipa”. Nada mais justo, sobretudo se o arremesso visar também a equipa técnica e os seus dirigentes. Uma equipa que tem um dos seis orçamentos mais elevados da primeira liga e apresenta o pior futebol dos últimos trinta anos, não merece outra coisa. Pode ser que acossados ainda evitem ser humilhados pelo Sporting, no Jamor.

No mesmo sentido, o Governo merece que o povo lhe dê igual tratamento. Caídos na ilegitimidade, apanhados na teia da mentira e em saque descarado às vidas dos trabalhadores com e sem emprego, a milícia do Passos Coelho merecerá cada acto de resistência, assim como cada gesto de desdenho. Cada um desses momentos é um espasmo de dignidade, por mais vil que isso possa parecer aos olhos dos que ainda têm estômago para ser diplomáticos.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Em defesa do ovo, do impropério e da barricada.

Os comentários estão fechados.