Nos limites da solidão

Acabo de ouvir dizer que em Portugal 8 milhões de pessoas vê televisão ao Domingo. O assunto é sério. É possível que outros 2 milhões estejam ao computador. Basta ir a um jardim público, passear num aldeia, fazer um passeio pedestre, um piquenique, para ver que estes números não são disparatados. Já me aconteceu ter o jardim do Palácio das Necessidades, ao Domingo, só para mim, a família e os amigos. O jardim do rei só para nós! Às vezes apanhamos lá uns «bifes», uns tipos louros e altos que vêm de uns países estanhos do norte da Europa.
Sejamos porém optimistas – olhando para estes números temos indubitavelmente uma taxa de suicídio baixa e uma alta percentagem de resistência à solidão e à loucura. Um povo preparado para a solitária!

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 Responses to Nos limites da solidão

Os comentários estão fechados.