Em que é que irão dar?

Conforme o Carlos Guedes já aqui referiu, esta coisa não é uma piada nem uma montagem. É mesmo um genuíno aborto intelectual e político, ontem afixado no Facebook pela organização juvenil que leva o nome de Social-Democrata.

O que me leva a convidar-vos a (re)lerem este post, acerca de “direitos adquiridos”.

E me suscita uma consternação:

A julgar por um par de reuniões institucionais que então tive com ele, Pedro Passos Coelho era, quando presidente da JSD, um homem genuinamente democrata e preocupado com questões de direitos e justiça social (believe it or not…).

Enquanto primeiro-ministro, deu no que se vê.

Se estes meninos e meninas já começam assim, em que é que irão dar?

 

 

post scriptum: passando da constatação da obscena bimbalhice neo-cavaquista (empreendedorizem BPNs piquenos, empreendedorizem BPNs…) a algo mais geral, aqui deixo uma frase oportuna que acabei de ler.

«Está na natureza de todas as estruturas de poder, armado ou não, apresentar as mudanças, por muito contraditórias ou cruéis que elas sejam, como um progresso necessário para atingir a luz.» (Christopher Hope, in A Montanha de Kruger)

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

7 Responses to Em que é que irão dar?

Os comentários estão fechados.