Do ensino “tendencialmente gratuito” ao “tendencialmente gratuito antecipado”.

Apelo também aos alunos que têm condições para antecipar o pagamento das propinas o fazerem e desta forma ajudarem a ultrapassar o pico de dificuldades

Entretanto parece que os representantes dos alunos tentam dar aos professores lições de neoliberalismo. Que triste é ver a AEFA que foi durante muitos anos uma associação de estudantes de referência na luta por um ensino superior público de qualidade e com uma intervenção qualificada emitir documentos como este.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

6 Responses to Do ensino “tendencialmente gratuito” ao “tendencialmente gratuito antecipado”.

Os comentários estão fechados.