Porque Marx estava certo – 1

Recomendo a leitura deste livro do filosofo Terry Eagleton (ver video). Pega nas dez mais comuns objecções ao Marxismo – que conduz à tirania política, que reduz tudo à esfera económica, que é determinismo histórico, etc. – e em cada instância demonstra como cada ataque é uma travéstia do pensamento de Marx. ~

No primeiro capítulo aborda a seguinte crítica: “O Marxismo está acabado. Pode ter tido relevância num mundo industrial, mas certamente não tem relevância num mundo crescentemente sem classes, pós-industrial.

Eagleton replica que o Marxismo é uma crítica ao capitalismo, a mais rigorosa e extensa alguma vez avançada. Enquanto o capitalismo persistir, a crítica Marxista mantêm-se válida. No mundo ocidental terá havido um decréscimo do peso da classe operária e um crescimento do sector dos serviços. Mas isso foi previsto por Marx. Tal como a intensificação da globalização, da concentração do capital e da sua actuação predatória. Há que não esquecer que Marx tinha uma certa admiração pelo capitalismo, enquanto fase histórica capaz de resolver o problema da produção. Mas explicou também porque este sistema inexoravelmente produzia desigualdades, como era incapaz de levar a a um futuro que não fosse a reprodução ritual do presente. Um presente desigual, banhado de fantasia, fetichismo, mito e idolatria, guerra e exploração, que após uma longa história, se tem demonstrado incapaz de satisfazer as necessidades humanas, e não parece inclinar-se para o fazer num qualquer futuro. O lema “Socialismo ou barbárie” é cada vez mais pertinente.

Sobre André Levy

Sou bolseiro de pós-doutoramento em Biologia Evolutiva na Unidade de Investigação em Eco-Etologia do Instituto Superior de Psicologia Aplicada, em Lisboa
Este artigo foi publicado em luta dos trabalhadores and tagged . Bookmark the permalink.

17 Responses to Porque Marx estava certo – 1

  1. Pingback: Porque Marx estava certo – 2 | cinco dias

  2. Pingback: Porque Marx estava certo – 3a | cinco dias

Os comentários estão fechados.