“I’M GONNA MAKE HIM AN OFFER HE CAN’T REFUSE”: o verdadeiro diálogo entre o pinochetista não assumido Vítor Gaspar e o ministro da Fazenda do Reich

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

11 Responses to “I’M GONNA MAKE HIM AN OFFER HE CAN’T REFUSE”: o verdadeiro diálogo entre o pinochetista não assumido Vítor Gaspar e o ministro da Fazenda do Reich

  1. Joao Passos Dias Aguiar Mota diz:

    A Mancha Negra esta a par disto?.

    Quer me parecer que vai haver desacordo no sentido da “politização”..

  2. De diz:

    Entretanto :
    “Alemanha ameaça jornalistas
    Ministro alemão das Finanças ficou furioso com a divulgação do vídeo de conversa mantida com Vítor Gaspar e já terá exigido que a recolha daquele tipo de imagens passe a ser proibida.”

    Heil Merkel

    • Carlos Vidal diz:

      Sim, De, efectivamente os alemães estão em crescendo imparável (uma psicose colectiva?, outra vez?) a aproximar-se do seu passado.

      • De diz:

        Como consequência da fúria germânica lê-se hoje,19/2/ 2012 que:
        “Os serviços de imprensa da União Europeia suspenderam o repórter de imagem da TVI que captou a conversa do ministro português Vítor Gaspar com o seu homólogo alemão, Wolfgang Schäube.”

        “…em crescendo imparável a aproximar-se do seu passado…”
        sob os auspiciosos tons paternais de quaisquer serviços da União Europeia

  3. Zebedeu Flautista diz:

    Se tivésseis que escolher entre um país com o nível de riqueza e prosperidade da Suiça ou uma democracia popular a papel químico da cubana o que escolherias?

    • Carlos Vidal diz:

      A China, evidentemente.

    • Luis Almeida diz:

      A cubana, evidentemente! Prefiro viver num sítio parco em bens materiais mas com dignidade, sentimentos solidários e emoções humanas do que na “asseptizada” Suiça. Tão limpinha, tão cromo postal com as vaquinhas nos Alpes, mas, com o segredo bancário consagrado na próprio Constituição!
      Uma enriquece com as contas secretas provenientes da lavagem de dinheiro do crime organizado de todo o mundo e dos grandes “patriotas” que fogem a pagar impostos na sua “pátria”.
      A outra exporta equipas médicas para os países que delas necessitam. Tem os melhores de desenvolvimento social dos países do terceiro-mundo!
      Outra prova de solidariedade ? Se não fosse a ajuda militar cubana às FAPLA, contra o poderoso invasor sul-africano, Angola seria hoje uma colónia sul-africana, o “apartheid” não teria caído, Nelson Mandela continuaria preso em Robben Island e nunca teria sido Presidente da República. Achas pouco, Zebedeu, comparar a integridade de Cuba com a “merda” interior que é o regime suiço? Pergunta à própria esquerda suiça…

  4. Luis Almeida diz:

    Muito boa, Carlos Vidal! A Máfia, pelo menos, não esconde que é uma organização criminosa…

Os comentários estão fechados.