A concentração de capital é uma realidade estruturante: para quem anda preocupado com os prejuízos da banca portuguesa é bom que se lembre dos lucros das 500 maiores empresas portuguesas em 2010

«As 500 maiores empresas do país, segundo a lista publicada pela «Exame», mais que duplicaram os lucros em 2010, face a 2009. (…) No seu conjunto, as 500 companhias registaram lucros de 12,2 mil milhões de euros, um aumento de 130,2%, em grande parte impulsionado pela venda da Vivo pela PT. «Mas, mesmo sem considerar esta operação, a expansão dos lucros conjuntos das 500 M&M atingiu 27,8%, dando um pontapé na crise», escreve a «Exame».

O grupo vendeu também mais 13,7% em 2010, revela o estudo «500 M&M», na sua 22ª edição. Este aglomerado de empresas, que representa 71,7% do Produto Interno Bruto (PIB), facturou 124 mil milhões de euros no ano em causa. No ano de 2009, o grupo representava «apenas» 64,7% da riqueza produzida no país.»

Retirado daqui.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

41 Responses to A concentração de capital é uma realidade estruturante: para quem anda preocupado com os prejuízos da banca portuguesa é bom que se lembre dos lucros das 500 maiores empresas portuguesas em 2010

Os comentários estão fechados.