Há que aprender a escolher a cabeça que se chupa

Cabeças de "pixota" frita, termo usado pelos pescadores para designar a conhecida pescadinha "de rabo na boca". Servida ontem, à hora de almoço, nas cantinas da Universidade de Coimbra. (Roubado no fb da Marta Roriz)

Cabeça de garoupa com embutido de camarões, acompanhado com açorda de ovas.

Em sentido inverso ao sentido da crise e com a intenção de cultivar o gosto por cabeças de peixe na comunidade estudantil, as cantinas da Universidade de Coimbra foram promovidas a espaço gourmet. Ao invés do sensaborão rancho, célebre no tempo das vacas gordas e sempre com o toucinho mal rapado, serve-se agora cabeça de pescadinhas fritas, vulgo “pixotas”, mas desta feita sem rabo na boca. É de louvar que a formação do gosto comece cedo, que isto de yes men a yuppie são dois dias.

Que o diga o Ricardo Morgado, que com escassos 24 anos o requinte no palato já lhe permite auferir 2.505,46€ pelo cargo de “Especialista/Assessor” do Ministério da Educação e da Ciência. Que agradeça também a “Especialista/Assessor” Joana Maria Enes da Silva Malheiro Novo, que com 25 anos, com 3.069,33€ de salário e com um nome maior do que o seu local de trabalho, presta serviço no Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, MAMAOT para o os amigos, onde bem lhe dá jeito ter aprendido a escolher peixe. Já o “Especialista/Assessor” João Miguel Folgado Verol Marques, com 24 anos e com 3.069,34€, um cêntimo a mais do que a Joana Maria Enes da Silva Malheiro Novo, faz por governar a vida no Ministério da Economia. De volta à faixa etária dos 25 anos mas ainda no campo do “Especialista/Assessor” na tutela da Economia, Ana da Conceição Gracias Duarte é agraciada com 3.069,34€. Nas Finanças, onde há mesmo quem tenha que amanhar, damos conta do oficio de “Adjunto”, onde  Carlos Correia de Oliveira Vaz de Almeida, de 26 anos, ganha calos de tanto debulhar cabeças. Pelo esforço, no entanto, e pelo risco agravado para a coluna, preserva o vencimento de um especialista: 3.069,33€.

Apesar de mandar os jovens à procura de oportunidades fora do país, não se pode dizer que o governo não esteja a fazer a sua parte. O Cavaco que se roa de inveja, seja dos estudantes, seja do governo.

Fonte: http://www.portugal.gov.pt/, onde pode ainda encontrar outros 29 assessores abaixo dos 30 anos, 14 deles entre os 24 e os 25 anos. Ler ainda: http://www.portugal.gov.pt/pt/o-governo/nomeacoes/ministerio-das-financas.aspxhttp://www.citador.pt/facebook/jose-rodrigues-dos-santos/site-do-governo-portugues-121130674675210http://ironiadestado.com/http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1947783&page=-1http://lusofolia.blogspot.com/2012/01/afinal-sempre-vale-ser-jotinha.html e http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=39139.

 

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

16 Responses to Há que aprender a escolher a cabeça que se chupa

  1. Pingback: Inveja social. « vida breve

  2. Pingback: More jobs for the boys da São Caetano à Lapa e more shit for the boys de Rabo de Peixe | cinco dias

Os comentários estão fechados.