QUEM SABE FAZ A HORA NÃO ESPERA ACONTECER Rasgou-se a dívida, a concertação e o bloco central. Votou-se um apelo à CGTP por uma nova greve geral e ainda houve tempo para gritar “25 de Abril sempre, fascismo nunca mais!”

Foto da Associated Press

“Esta dívida não é nossa”, “É o banqueiro quem deve aqui dinheiro”, “João Proença não nos representa”, “PS e PSD são a crise que se vê”, “Troika não”, “A concertação não passa neste chão”, “Capitalismo humanitário, esta é a tanga do Fundo Monetário”, “Precários nos querem, rebeldes nos terão”, “1ª, 2ª, 3ª geração, somos todos filhos de imigrantes”, “Espanha, Grécia, Irlanda e Portugal, a nossa luta é internacional”.

Estas foram algumas das muitas palavras de ordem gritadas na manifestação que levou cerca de cinco mil pessoas de novo às portas do Parlamento para, depois de expulso de forma exemplar uma dúzia de provocadores fascistas e de se ter gritado “Fura-Greves” à porta do Partido Socialista, dar corpo a mais uma Assembleia Popular.

Ainda que não seja nem o local nem a hora para tirar grandes conclusões, a esquerda anti-fascista e a esquerda anti-capitalista pode ter muitas diferenças entre si, mas junta no que a unifica e organizada em plataformas democráticas, tem uma palavra muito séria a dizer no contexto da resistência à barbárie que nos querem impor.

Acossados pelo harakiri do João Proença e do Cavaco Silva, para quem a porta da rua é a serventia da casa, os manifestantes votaram um apelo à CGTP para que convoque uma nova greve geral, se desenvolvam os contactos necessários para que se comece a construir uma greve geral europeia, a realização um encontro nacional de activistas e a suspensão do pagamento e sucessiva auditoria da dívida pública. A Plataforma 15 de Outubro convocou ainda um plenário aberto, no próximo dia 29, às 15h, na Casa do Brasil, convidando todos os presentes para assumir a responsabilidade, o desafio e o prazer, de continuar o movimento.

Veja também o que saiu em boa parte da comunicação social, os primeiros vídeos e fotos dos activistas do movimento e o panfleto distribuído pelo Comité para Anulação para a Dívida Pública (CADPP), que anunciou igualmente uma reunião aberta já para segunda feira, e que agora também pode acompanhar no Facebook.

http://www.flickr.com/photos/tintas/sets/72157628969768415/show/

http://www.rtp.pt/noticias/?t=Indignados-marcharam-para-derrubar-medidas-de-austeridade.rtp&headline=20&visual=9&article=520309&tm=8

http://www.rtp.pt/noticias/?t=Plataforma-15-de-Outubro-promove-novo-protesto-esta-tarde-em-Lisboa.rtp&headline=20&visual=9&article=520260&tm=8

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/article1257975.ece

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/indignados-nacionalistas-lisboa-tvi24/1319092-4071.html

http://www.dn.pt/politica/interior.aspx?content_id=2255842

http://www.jn.pt/multimedia/video.aspx?content_id=2256128

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=2255799

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/confrontos-entre-indignados-e-nacionalistas-em-lisboa-com-fotos

http://aeiou.visao.pt/fotos-dois-grupos-de-manifestantes-envolvem-se-em-confrontos-em-lisboa=f643515

http://aeiou.expresso.pt/manifestantes-envolveram-se-em-confrontos-em-lisboa=f700719

http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=39437

http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/manifestacao-junta-1500-contra-as-medidas-de-austeridade-1530120

http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=2255833

http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=25&did=47495

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

8 Responses to QUEM SABE FAZ A HORA NÃO ESPERA ACONTECER Rasgou-se a dívida, a concertação e o bloco central. Votou-se um apelo à CGTP por uma nova greve geral e ainda houve tempo para gritar “25 de Abril sempre, fascismo nunca mais!”

  1. Pingback: GUEDES DA SILVA E DIRECÇÃO DA PSP EXONERADOS! As moscas mudam, claro, mas nem sempre fica tudo igual. Isso só é garantido se nunca se mexer na merda.

  2. Pingback: QUEM É QUE SÃO MESMO OS FASCISTAS? – Já tinha visto anarquistas libertários, autónomos e até autoritários, mas nunca tinha visto anarquistas sem um pingo de vergonha na cara. | cinco dias

Os comentários estão fechados.