EXPRESSÕES DA BARBÁRIE – O sangue das árvores

Caçador Awa-Guajá, fotografado por Fiona Watson

Uma criança morreu carbonizada num incêndio provocado pela indústria madeireira, no último reduto da nossa humanidade. A tribo da qual fazia parte está em fuga com o receio dos ataques que acontecem um pouco por toda a Amazónia e dirigem-se a todos os que se oponham aos interesses do sector. As autoridades remeteram-se à cumplicidade do silêncio. A foto circula na rede mas e vai levar tempo até que a consiga publicar. É preferível deixar uma imagem dos Awa-Guajá que nos remeta para o campo da resistência e para a hipótese de um dia vermos crescer outro tipo de sociedade. Entre os indígenas, os patrões dos madeireiros, o governo brasileiro e as madames e os cavalheiros do Leblon à Quinta da Marinha, não há inocentes e todos dividem a responsabilidade.

Que paz é esta, Dilma superstar?

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.