TRÊS DÚÍVIDAS A LA MINUTE

Amanhã este debate dá o pontapé de partida para a IAC. A ver se a iniciativa é cidadã ou se serve apenas a agenda política da Ana Drago, do Pedro Nuno Santos e quiçá, do José Pacheco Pereira.

O Pedro Nuno Santos, ao afirmar que quer “as pernas dos banqueiros alemães a tremer”  e que se está a “marimbar para o banco alemão que emprestou dinheiro a Portugal nas condições em que emprestou”, está a ultrapassar o Bloco de Esquerda pela Esquerda, a piscar o olho ao novo partido que anda para aí a ser falado ou prepara-se para aderir ao Comité Contra o Pagamento da Dívida?

A Ana Drago, ao afirmar que “este é o momento de auditar a dívida pública, de começar a renegociação, a reestruturação da dívida pública”, está a “condenar a sociedade portuguesa a um empobrecimento sem saída,” a cometer “uma total irresponsabilidade” ou que os tipos do BE se “marimbaram na Europa e trazem de lá uma bomba atómica para lançar na sociedade portuguesa”?

O José Pacheco Pereira, ao afirmar que incomoda “uns radicais de esquerda e outros de direita” e que aprendeu há muito tempo que never to wrestle with a pig. You get dirty, and besides, the pig likes it, está a dizer que a sua resposta não é uma resposta, que poucas vezes na vida os seus actos estão de acordo com a sua consciência ou que nunca como agora os seus valores se traduziram em palavras?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 Responses to TRÊS DÚÍVIDAS A LA MINUTE

Os comentários estão fechados.