A BAD TRIP DA [U]”D”(P) – O partido revolucionário da frente de massas defende as massas do partido revolucionário. Será que para o Victor Franco o Luís Fazenda é um “aderente clandestino” do Ruptura/FER?

Cartaz para um comício de apoio às brigadas de solidariedade internacionalistas com a Albânia, a China e outros "irmãos", patrocinadas pelo PCP(R), partido clandestino da UDP, a sua "frente de massas".

No BE não há quotas de secretário-geral para nomeação de dirigentes, nem de jotas, nem de sindicalistas, nem de mulheres – no Bloco um aderente vale um voto, e todas as pessoas têm iguais direitos e deveres entre si. No Bloco não elegemos líderes, elegemos equipas que se responsabilizaram previamente por apresentar linhas de orientação livremente escolhidas e votadas. (…) No BE, ao contrário do grupo Ruptura, os textos não são recolhidos no final das reuniões para que ninguém os possa divulgar, são até publicados na internet. No BE, ao contrário do grupo Ruptura, não recebemos ordens de uma qualquer internacional – só recebemos as ordens / decisões das votações dos aderentes. No BE, ao contrário do grupo Ruptura, não há aderentes “clandestinos” que só se dá por eles quando há votações e quase sempre votam por correspondência para que não se saiba quem são. (…) A razão porque o grupo Ruptura sai do Bloco apenas tem a ver com a falta de apoio dos aderentes às suas posições fundamentalistas e esquizofrénicas. O Bloco não se fortalece por o grupo Ruptura sair, apenas deixa de sofrer alucinações.

In Jornal a Voz do Povo acomuna.net

Estalinista uma vez, estalinista for Enver!

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , . Bookmark the permalink.

19 Responses to A BAD TRIP DA [U]”D”(P) – O partido revolucionário da frente de massas defende as massas do partido revolucionário. Será que para o Victor Franco o Luís Fazenda é um “aderente clandestino” do Ruptura/FER?

Os comentários estão fechados.