Classe, valor e conflito social

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas
Sala multiusos 3, piso 4, Edifício de I&D, Av. de Berna, nº 26
28 de Novembro
14h00
Sessão de abertura
Presidente do Instituto de História Contemporânea (FCSH-UNL), Professor Doutor Fernando Rosas
14h30
Composição social dos assalariados e movimentos sociais nas últimas décadas
Ursula Huws (London Metropolitan University, Reino Unido), José Nuno Matos (ICS) e Giovanni Alves (UNESP, Brasil)
16h30
Classe, valor e conflito social
João Valente Aguiar (ISFLUP), Bruno Peixe Dias (CFUL), Ricardo Noronha (IHC, FCSH-UNL) e Guilherme da Fonseca Statter (CEA-ISCTE)

Múltiplos discursos políticos e ideológicos têm incidido sobre a classe trabalhadora ao longo dos últimos 150 anos. Das perspectivas de exaltação ou de atribuição de um pendor teleológico a essa classe social, às abordagens que buscam consensualizar o mundo assalariado na sociedade contemporânea, os enunciados políticos e simbólico-ideológicos em torno deste assunto têm sido variados. Nas ciências sociais, a discussão da classe trabalhadora e das classes sociais tem dado igualmente lugar a posições relativamente focalizadas numa dimensão, desde as perspectivas que vão da inserção sócio-profissional no tecido social à equiparação das classes sociais ao somatório de estilos de vida.

O cruzamento interdisciplinar apresenta por isso potencialidades interpretativas relevantes para, por um lado, ultrapassar discursos enraizados no senso comum, que tendem a polarizar a classe trabalhadora em termos de uma maior ou menor propensão revolucionária ou conservadora no campo político. E, por outro lado, que procure superar concepções unilaterais e relativamente unidimensionais na aproximação ao objecto de estudo em equação, sejam elas portadoras de um viés economicista ou culturalista.

Este seminário tem como objectivo ampliar a discussão em torno das classes sociais – e sobretudo da classe trabalhadora – enquanto entidades colectivas dinâmicas. A sua inscrição no processo histórico permitir-nos-à compreender o nexo entre as posições objectivas na estrutura socioeconómica e a sua participação num contexto social, político e cultural mais amplo, com um enfoque particular sobre a produção de valor, as relações sociais que caracterizam a sociedade capitalista, as dinâmicas de mobilização colectivo e de conflito social que tomam forma no seu seio.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

9 Responses to Classe, valor e conflito social

Os comentários estão fechados.