Era bom ouvir 60 mil a gritar Messi, Dzeko, Bento! [actualizado]

Manuel Alegre e Paulo Bento, à sua maneira, são duas boas metáforas do patriotismo patego que o país atravessa. O primeiro, pede um gáudio sebastianista para salvar a nação. O segundo, garante que desta vez Portugal vai mesmo jogar para a ganhar embora desdramatize eventual eliminação. Um e o outro deviam ter abandonado a vida política depois dos últimos desaires. Os bósnios, hoje, só numa noite muito má perdem o bilhete para o Europeu e arriscam-se a deixar o estádio da Luz com muito mais brilho do que a Grécia, em 2004. Dentro do espírito de salvação que se vive, deixo dois onzes à borla e à consideração do Manuel José, o melhor sucessor de Bento à frente da selecção nacional:

Quim

Miguel – Carvalho – Pepe – Bosingwa

Moutinho – Meireles – Coentrão

Nani – Éder – Ronaldo

[Mika, Cédric, João Pereira, Eliseu, Bruno Alves, Tonel, Danilo, Vieirinha, Varela, Nélson Oliveira, Liedson]

NOTA: Portugal ganhou. A Bósnia teve uma noite má. O Hélder Postiga com um remate marcou dois golos, tendo começado a jogar aos 70′. O Paulo Bento vai poder continuar à frente da selecção e jogar uma fase final de um Europeu com meia equipa do Saragoça. Estamos todos de parabéns. O Álvaro Pereira afinal tem razão. A crise vai acabar em 2012…

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

30 Responses to Era bom ouvir 60 mil a gritar Messi, Dzeko, Bento! [actualizado]

Os comentários estão fechados.