Ordenados em atraso na Bulhosa

Partindo do principio, e acredito que sim, de que esta notícia é verdadeira: ordenados em atraso na Bulhosa; não posso deixar de ficar profundamente triste e chocado com a situação dramática que os funcionários da Bulhosa devem estar a viver. Quero expressar a minha solidariedade, para com antigos colegas e para com aqueles que já não tive oportunidade de conhecer. A Bulhosa Livreiros foi fundada, em 1989, por três irmãos: por mim, o Paulo e o Gonçalo. Todavia, tanto eu como meus irmãos, prescindimos há pelo menos meia dúzia de anos de ter qualquer ligação com esta empresa; apesar de ainda ostentar o nosso nome. Criámos esta empresa a partir de uma só livraria e fizemo-la crescer até sete livrarias. Evidentemente que isso só foi possível com a ajuda dedicada de quem connosco trabalhou. Muitos desses colegas ainda lá se mantêm e podem confirmar que o espírito da empresa, nessa altura, era outro. Bem, mas essa é outra história e que não interessa aqui contar.
Eu entendo que uma empresa possa estar a passar dificuldades, ainda para mais tratando-se de uma livraria, no meio desta imensa crise económica. Já não entendo, tão facilmente, porque é que a situação não foi devida e atempadamente explicada aos funcionários da Bulhosa. Desejo, sinceramente, que a situação se resolva rapidamente e da melhor maneira possível, tanto para os funcionários como para os proprietários.

Jaime Bulhosa

Copiado daqui
Mais informação no facebook

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a Ordenados em atraso na Bulhosa

  1. DrStrangelove diz:

    Não esperem pela notícia do encerramento definitivo da Bulhosa para verterem uma lágrima enquanto procuram culpados aqui ou acolá. Façam alguma coisa já.

    Se cada um dos que ler este artigo for à Bulhosa (ou à sua associada no Porto, a Leitura) comprar um livro esta semana, e convidar um amigo a ir lá convosco, estarão a dar o vosso contributo prático para evitar o seu encerramento definitivo da Bulhosa.

    .

    • HUMBERTO SOTTO MAYOR diz:

      Lancei um livro de poemas no dia 13 de Outubro e até à data a livraria Bulhosa não me pagou o dinheiro que arrecadou da venda dos livros.Passei recibo,dei o meu Nib e até hoje nada ! Constatei há momentos que os telefones não funcionam.Nem o mail.Uma vergonha ! Andaram a empatar-me este tempo todo. Os funcionários deveriam ter-me alertado.Não o fizeram.Paguei à Bulhosa tudo o que havia para pagar, incluíndo o serviço de bar utilizado durante pouco mais de uma hora (paguei duas horas) .Considero esta atitude por parte da livraria Bulhosa um ROUBO.

    • Illuminatti diz:

      Não é indo a uma livraria comprar um livro que possiblita que esta situação se resolva, as compras feitas entram directamente para as contas do grupo empresarial, ou seja os funcionarios não recebem na mesma e os donos continuam a encher os bolsos

  2. A. diz:

    É importante realçar que também os funcionários da Livraria Leitura, do Porto, que integra o grupo da Bulhosa, estão sem receber os seus ordenados de Setembro. Aliás, os funcionários da Leitura receberam sempre os seus ordenados tarde, a más horas, e depois dos colegas de Lisboa.

Os comentários estão fechados.