Da indignação à revolta

Daqui a pouco desço o Chiado, com uma raiva a crescer-me nos dentes.
Não me digas que não me compreendes.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Da indignação à revolta

  1. José António Jardim diz:

    Já vou a caminho!

  2. A comunalha anda doida ….

    Nunca em tantos anos se viu tamanho fernezim. Pode-se mesmo dizer que os partidos “urubu” como o pcp e o be se alimentam das misérias alheias.

    Os “Vidais” desta vida adoram este tipo de agitação e pelam-se por uma manif qualquer onde podem gritar e berrar e espernear.

    Desta vez o 25 de Novembro irá até ao fim….

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Antonio Cunha, obrigado pelo seu comentário. Coloca a questão certa. Desta vez estão a tentar que o 25 de Novembro vá até ao fim. E a ofensiva ainda não acabou.

    • De diz:

      Eis a face hedionda que espreita por detrás da governação dos pulhas que nos governam.O gosto pelo 25 de Novembro,pela cacetada,pelo revanchismo,pela contra-revolução.Também pelo sangue?
      Adivinha-de este Cunha com uma vela perpetuamente acesa ao 25 de Novembro,a amaldiçoar quem não cumpriu a senha persecutória dos raivosos Jaime Neves e seus rapazes.Com uma mão no altar ao capanga Neves,com a outra no breviário do neo-liberalismo viscoso e manhoso,adivinha-se um putativo candidato ao cargo dos “capos” que esta corja que nos governa sonha no futuro.
      Esta é a face de alguma extrema-direita que espreita.Vestida de laranja?Provavelmente.
      Fede!

  3. Bolota diz:

    Tiago,

    A falar assim, os comunistas depois queixam-se de não serem convocados para debates, podera.

    Quase qua aposto que aquele que supostamente destá de acordo com as medidas, será convidado mais vezes. Até me admira não ver ali o Camilo Lourenço…

  4. De diz:

    Muito bom.
    É bom ouvir isto.E replicá-lo

  5. Manuel diz:

    Parabéns Tiago pelo seu filmezinho. Foi uma boa ideia a colagem da entrevista da RT.

  6. Vasco diz:

    … e da revolta à luta organizada pela mudança!

    Também eu desci o Chiado. Somos muitos e somos os que estão na luta sempre. Todos os dias. Em todas as frentes.

Os comentários estão fechados.