A coragem de José Manuel Fernandes

Na sequência deste post abjecto, aguardo que José Manuel Fernandes brinde o titular de cargo público que aufere 10.000€/mês como pensão de reforma e que se mantém à sombra do Estado há mais de 30 anos a administrar os interesses privados que representa, com semelhante qualificação de carácter. Ou será que José Manuel Fernandes tem receio do seu conhecido espírito de retaliação?
É que bater em alguém que recebe 1.000€/mês, sem direito de resposta nos meios a que JMF tem acesso, e que não terá dinheiro para contratar um advogado, é muito fácil. Corajoso seria ir ao cerne da questão e denunciar os pensionistas dourados.
Fico a aguardar.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a A coragem de José Manuel Fernandes

  1. fnv diz:

    Bem, de alguém que deu o nome de Saint-John Perse como exemplo de Nobel atribuído a um irrelevante-desconhecido, pode-se esperar muita coisa.
    Repulsivo é constatar que JMF nem sabe se a senhora se reformou por problemas de saúde, preferindo aludir à esperança média da vida fornecida pela deusa Pordata.

  2. Armando Cerqueira diz:

    Pois é, ele há trânsfugas muito merdosos, não é?

  3. João Torgal diz:

    Dar publicidade a esse sujeito, simplesmente não vale a pena.

    No texto de opinião do “Público” de 6ª feira, JMF disse que o protótipo do indignado da manifestação de 15 de Outubro seria alguém com “cabelos compridos e desgrenhados, roupas descuidadas, higiene mínima, refeições colectivas de batatas descascadas em grupo” (terá sido apenas e só por os seus companheiros da JSD não marcarem presença, ao invés do que sucedeu em Março?). Perante este tipo de argumentação, acho que nem vale a pena contra-argumentar…

Os comentários estão fechados.