Nova Rubra, nº 11

Três economistas marxistas, três visões sobre a crise. Para Anwar Shaikh e François Chesnais a crise é sobretudo uma crise financeira decorrente da política de crédito desde a décade de 70;  para José Martins é uma crise de desvalorização do capital na produção que se manifesta financeiramente. A polémica é discutida aqui em duas grandes entrevistas a Shaikh e Martins, seguidas de um imperdível artigo de François Chesnais.

Em comum, estes três economistas têm a denúncia da dívida como um mecanismo de transferência de recursos públicos para o sector privado e a prova de que os trabalhadores pagam mais para o Estado do que recebem.

Entrevistámos Sebastien Abbet, 27 anos, carteiro há 11 anos, militante do Movimento para o Socialismo Suíço, partido que organiza todos os anos O Outro Davos, na Suíça. Simpático, afável e radical fala-nos do «país refúgio» da burguesia europeia, que tem uma população activa de 2 milhões e meio de trabalhadores, exactamente o mesmo número de trabalhadores fora do país que trabalham em multinacionais suiças.

Para o marxismo existe «democracia real» sem conteúdo de classe?/ Um artigo de fundo do historiador Felipe Demier.

Crianças sem espaço para a imprevisibilidade e a aventura nas cidades modernas.  A rua deve voltar a ser um local de encontro, e não de passagem. / Um artigo da psicóloga Filipa Lopes.

Do jazz à música contemporânea ou pós-modernista, diversas são as influências da obra de Debussy. Um artigo do músico Tiago Sousa.

Os imigrantes portugueses no Brasil estavam longe da imagem de passivos, «amarelos» menos conscientes e organizados que deles deu alguma literatura anarco-sindicalista. Um artigo do historiador Paulo Cruz Terra.

Para assinar: www.revistarubra.org

À venda a 15 de Outubro, nas manifestações que se seguem e na Livraria Letra Livre, na Calçada do Combro, Lisboa.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Nova Rubra, nº 11

Os comentários estão fechados.