O futuro da esquerda: entre ultrapassar o “obstáculo PS” ou ser a sua muleta?

Num comunicado recebido por email a Renovação Comunista anuncia: (…) No âmbito dos seus esforços para possibilitar o diálogo à esquerda, a Renovação Comunista vai a breve prazo reunir-se com a nova liderança do Partido Socialista. (…)
Como já tenho escrito sou por uma estratégia de clarificação à esquerda. Qualquer confusão entre esquerda e PS, só serve o bloco central. Estou perfeitamente de acordo com o João Semedo quando escreveu o seguinte: A esquerda não pode contar com este PS para uma alternativa de esquerda. Todos os dias há mais socialistas a reconhecê-lo, fazendo crescer o campo dos que se interrogam sobre os caminhos que a esquerda pode e deve percorrer para ultrapassar o “obstáculo PS” e dar corpo a uma mudança para a esquerda.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

27 respostas a O futuro da esquerda: entre ultrapassar o “obstáculo PS” ou ser a sua muleta?

  1. Vitor Ribeiro diz:

    Esse tipo de diálogo ‘à esquerda’ só pode significar uma coisa: encontrar bom aconchego para os ditos renovadores, cansados de não poderem usufruir dos benefícios do poder. É clássico. A nossa história política está repleta de exemplos de ex-esquerdistas outrora mais papistas que o próprio papa (ou será melhor dizer, mais marxistas, leninistas, estalinistas, maoistas, trotskistas que os próprios ditos cujos…) hoje transfigurados (por acção divina?) em (mais ou menos) neo-liberais dos quatro costados.
    Que ‘a esquerda não pode contar com o este PS’), estamos de acordo, mas então impõe-se (e cada vez mais do que nunca) a pergunta: de que está a esquerda à espera para procurar os caminhos que “deve percorrer para ultrapassar o “obstáculo PS” e dar corpo a uma mudança para a esquerda”? Este eleitor agradece resposta rápida (porque o tempo urge), pese embora reconheça que, qualquer que ela seja, não se traduza em mudanças efectivas, pois com o povo que temos (já estou cansado de ouvir dizer “ah e tal, mas os outros não fariam melhor, por isso, mal por mal…”) está visto que não se vai a lado nenhum (diferente daquele para onde estamos a seguir).

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Vítor Ribeiro, apenas uma pequena observação. Ainda que tenhamos vários exemplos públicos de dissidências, não só do PCP mas da esquerda, por oportunismo e para poder “usufruir dos benefícios do poder”, não me parece que essa seja a regra. Nem me parece que a divergência ideológica e táctica que manifesto, se deva concluir tratando-os como traidores ou oportunistas. Se as poucas pessoas que constituem a RC quisessem, já poderiam estar no PS. Não o fizeram. Ainda bem.

      • diz:

        “Se as poucas pessoas que constituem a RC quisessem, já poderiam estar no PS. Não o fizeram. Ainda bem.”

        Onde é que estas pessoas fazem mais jeito ao PS e à política de direita?

        E por tudo o que já fizeram, são, no minimo traidores. Há os que deixam de ser comunistas e vão à sua vida. Há os outros que deixando de ser comunistas assumem como papel principal destruir a organização a que pretenceram, recorrendo à mentira, à falsidade, à deturpação… sempre com amplo apoio mediático!

      • Bruno Carvalho diz:

        Podem não estar no PS mas, mesmo com o nariz tapado, a traição cheira a quilómetros.

        • Tiago Mota Saraiva diz:

          Bruno, não consigo embrulhar a RC da forma que fazes. Há 3 pontos em que podemos concordar:

          1. Corresponde a uma organização composta por um pequeno grupo de dissidentes do PCP;
          2. Não conseguiu organizar a maioria dos militantes do PCP que dissidiram em 2000/2001;
          3. É composta por muitos que têm um passado de luta e combate que cresci a valorizar.

          Para mim declarar o Carlos Brito como traidor implica uma revisão de uma série de momentos históricos… das lutas… das prisões… da tortura. Lamento mas não o consigo catalogar como tal por mais que, hoje, divirja de mim.
          Exemplos como a Zita, é tudo uma outra história. Mas, ainda assim, interessa-me menos chamar-lhe traidora do que perceber como é que alguém com a sua formação pode chegar onde chegou.

          • diz:

            Oh Tiago responda lá à questão que lhe fiz, onde dá mais jeito estarem os ex?

            Por outro lado, a sua linha de reciocinio de que “Para mim declarar o Carlos Brito como traidor implica uma revisão de uma série de momentos históricos… das lutas… das prisões… da tortura” apliacado, entre outros ao exemplo de trosky, implicaria revêr a Rev. de Outubro?

          • De diz:

            …tenho a mesma opinião….

      • Vitor Ribeiro diz:

        Totalmente de acordo. No entanto, não posso deixar de colocar outra questão (ou formulá-la de maneira diferente): sabendo-se há mais de 30 anos que o PS não está minimamente interessado em ‘diálogos à esquerda’, do que é que esses renovadores estão efectivamente à espera? De fazer a ponte entre os dois lados (como, se da parte de onde saíram o mais provável, e compreensível, é serem tratados com desconfiança)? Vão tentar modificar o PS por dentro (posso-me rir)? Vão tentar introduzir e fazer valer alguns temas ditos fracturantes (‘à la’ Miguel Vale de Almeida… mudando alguma coisa para que tudo fique na mesma…) para que o PS possa fingir a adopção de políticas ‘de esquerda’?
        E de qualquer forma: de que serve esse diálogo, se as esquerdas entre si (nomeadamente, PC e BE) continuam a olhar-se de lado e por cima do ombro?…

  2. João Delgado diz:

    Pretender que é possível ultrapassar este PS com gente do mesmo é mais uma ilusão, que só servirá para futuros desencantamentos. No fundo, estes piscar de olhos aos “verdadeiros socialistas” do PS tem como finalidade manter viva a ilusão de uma esquerda vencedora, que seria constituída pelo PS, pelo BE e/ou pelo PCP. Sim, não esqueçamos que o PCP também tem no seu horizonte imaginário o dia em que o PS “voltará” a ser de esquerda.
    E enquanto se vai mantendo essa ilusão, que já é doentia, BE e PCP eximem-se a fazer a sua parte do trabalho. Alguém ainda se lembra da reunião pré-eleitoral e das promessas que daí saíram? Alguém se lembra de alguma iniciativa concreta PCP / BE, numa altura em que vivemos a mais grave situação para os trabalhadores desde o 25 de Abril?
    O gesto da Renovação Comunista é efectivamente um enorme favor ao António José Seguro, cujo objectivo táctico é recolher à esquerda do PS os votos necessários para regressar ao poder.

    • Bruno Carvalho diz:

      O livro do Álvaro Cunhal A verdade e a mentira na Revolução de Abril é uma dos trabalhos que melhor denuncia, entre outros, o papel do PS no processo contra-revolucionário. Por isso, acho estranho que o João Delgado pense que o PCP tem ilusões de que o PS “volte” (????) a ser de esquerda. Apesar de acordos pontuais com o PS, no passado, o único partido que tem mantido esse tipo de ilusões tem sido o BE.

      • João Delgado diz:

        Penso que estas linhas apontadas “como elementos para a discussão no Partido com vista ao apuramento final das linhas essenciais a integrar nas Teses/Projecto de Resolução Política do XVIII Congresso” clarificam o que escrevi:
        “A arrumação e o desenvolvimento do quadro político e institucional. O PS e a sua evolução como principal protagonista da política de direita e executor dos interesses dos grupos económicos e do capital financeiro. ”
        Enquanto o PCP (e o BE) continuarem a falar do PS como um partido que está a fugir às suas responsabilidades históricas ,estão na prática a manter a ilusão nos de portugueses que votam nos socialistas esperando políticas socialistas. Ok, social-democratas, convenhamos.

  3. André diz:

    Vocês nem sequer conseguiriam ser muleta do PS. O PS, com aquele insípido-histérico Seguro, jamais conseguirá qualquer vitória. Uma longa e penosa travessia do deserto aguarda o PS.

  4. Augusto diz:

    O industrial mais rico da China deverá ascender ao Comité Central do Partido Comunista da China.

    Esquerda…que esquerda?

  5. Tiago diz:

    Não aceitam e parece que nunca aceitarão que no PS haja pessoas de esquerda. Se até aos próprios camaradas do PCP, pessoas com uma história de luta e sacrificio contra a ditadura, adjectivam tranquilamente de traidores. Rapazes radicais que não aceitam de forma nenhuma outra opinião que não a deles e nem respeito têm por aqueles, que como bem diz o Tiago Mota Saravaia, cresceram a admirar e que tinham como exemplo. Metem tudo no mesmo saco e assim continuam sozinhos e todos os outros são fachos, traidores, reaccionários. E assim tranquilamente a direita vai dominando todos os sectores da sociedade.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Dizer que o PS não é de esquerda não é a mesma coisa que dizer que no PS não há pessoas de esquerda e/ou que os seus eleitores não são de esquerda. Há um oceano de diferenças, não tente baralhá-las. O PS não é dono das cabeças dos seus militantes e/ou votantes. Se assim fosse estaríamos perdidos. À esquerda restar-lhe-ia abdicar e/ou emigrar.

    • Rui F diz:

      Bloquistas ortodoxos e muito menos os PC’s, vão entender a Social democracia; nem vão confiar nos seus seguidores em Portugal, sob o ponto de vista partidário.
      Sublinhe-se que o Social democrata é basicamente um individuo que preconiza o Estado Social com as regras de mercado Ocidentais.

      Metade dos dirigentes do PS é Social democrata e a outra metade é liberal. Ambos fazem cedências ideológicas conforme as circunstâncias (como diria o Eusébio: conforme o cariz do jogo) políticas nacionais e internacionais. Socialista é que o PS não é.

      O PSD é na sua esmagadora maioria Liberal e tens uns poucos (muito poucos) Sociais democratas. E joga exactamente no mesmo tabuleiro que o PS. Ou seja, como partido liberal o PSD é bastante mais competente qque o PS, e o PS é bastante mais competente como Social democrata.

      Agora…Social democracia é Esquerda?
      Para mim é.

      • Tiago Mota Saraiva diz:

        Para Rui F., “bloquistas ortodoxos” e “PC’s” devem ser eliminados. Gente que não preconiza um “Estado Social” bem comportado com as “regras de mercado Ocidentais”, leia-se mantendo cordatamente todas as relações de classe existentes, são BURROS, CEGOS, RETÓRICOS e INCONSEQUENTES.
        No fundo Rui F. quer uma renovação, para que tudo se mantenha. Compreendo que se identifique com a sebastianica ala esquerda do PS.

        • Rui F diz:

          “…Para Rui F., “bloquistas ortodoxos” e “PC’s” devem ser eliminados…”
          É o grande problema da esquerda marxista: castração.
          Tiago, não aprendem com a história.
          Assim sendo tenho o mesmo direito de “suspeitar” dos actuias marxistas. Ou não?

          Nem sei o que é um Estado Social bem comportado. Se me quiser explicar…agora o que sei é que igualdade é uma coisa e igualitarismo é outra coisa completamente diferente.

          Não sei se já lhe disse mas prefiro 500 vezes mais, trabalhar e viver na Suécia do que em Cuba. E olhe que nunca estive em nenhuma delas.

          • Pedro Vaz diz:

            Essa comparação de Cuba com a Suécia só seria válida se Os primeiros tivessem tido as mesmas condições base de desenvolvimento que os segundos. Sem bloqueios, por exemplo…

          • De diz:

            A questão é mesmo essa.

            Sem o querer,Rui F tocou no problema,no cerne do problema
            A História
            A aprendizagem com a história

            Eu sei que pode ser penoso a Rui F ser confrontado com alguns fantasmas
            Seus ou de outros
            Mas infelizmente,para todos nós, os que lutam por um mundo melhor,a História está repleta da traição do dito “socialismo” ou da referida “social-democracia”
            Que acabam por não ser uma coisa nem outra

            Há um ror de anos,há já um ror de anos,Engels dizia ” “os nomes dos partidos políticos reais […] nunca estão completamente certos; o partido desenvolve-se, o nome permanece”

            Há já um ror de anos..e a História tem confirmado quotidianamente a verdade de tal afirmação

            A classificação de “social-democrata ” tem destas coisas
            Vale a pena falar na gaveta de Soares?
            Sócrates nem sequer foi um social-democrata.Naquele “boneco” simplista do Rui terá sido um “liberal”.Fez “apenas” cedências ideológicas”conforme as circunstâncias

            Cedências ideológicas…ah,esta forma de catalogar as coisas
            O não ver como está o mundo
            O não ver quem conduziu o mundo até aqui
            O não ver a cedência que os ditos partidos,com um pé no “liberal” e com um pé na”social-democracia” fizeram e fazem ao capital,ao grande capital

            O mundo está como está
            São as tais cedências ideológicas…
            Rui F não vê que estamos todos fartos das conversas da treta de quem mais não faz do que governar em nome de “outros”,servindo outros,beneficiando outros?
            Precisamente os mesmos “outros” que têm governado até aqui,que se têm governado,que governam e que querem continuar a governar?

            É que Rui F quer o mundo dentro da “economia de mercado” Dos mercados ” ocidentais” especifica….e não sabe muito bem o que é isso de “bem comportado”?
            Veja-se onde desaguou a tal “economia de mercado”

            Veja-se a que conduziram o mundo os tais adoradores do mercado
            Mercado “ocidental”,como é de bom tom dizer-se
            …até nisso se vê a visão”limitada” de quem mais não vê do que o seu quintal

            Ah. ..e os velhos refrões…igualdade sim,igualitarismo não
            Vácuos fogos com que se agitam fantasmas…ignorando-se que tais fantasmas já existem há dezenas de anos
            Mais poeira necrológica com que se tentam confundir as coisas

            Tais como os velhos e estafados gritos patéticos dos slogans”500 vezes mais na Suécia do que em Cuba”
            …é que nem sequer têm a menor humildade de compreender que o que pretendemos é viver,
            não em Cuba ou na Suécia,
            mas apenas em Portugal,
            com a dignidade que cabe a todo o Ser Humano,
            vivendo em paz consigo e com os outros,
            com a tal qualidade de vida que aqui há pouco alguém falava
            e em que o Homem não se porte como lobo de outro Homem

          • De diz:

            Com as devidas distâncias,os devidos pontos críticos,acabo de ver este vídeo e penso nos comentários de Rui F
            ..talvez pela tal”economia de mercado”
            http://ladroesdebicicletas.blogspot.com/2011/09/o-video-que-esta-dar-volta-ao-mundo.html

  6. Rui F diz:

    Finalmente

    Uma esquerda politicamente (infelizmente NÃO parlamentar) LÚCIDA e INTELIGENTE, NÃO RETÓRICA e inconsequente.

    Parabéns a todos os Renovadores.

Os comentários estão fechados.