Vinte anos fora do armário

O bebé cresceu, mas vinte anos depois de Nevermind, boa parte da sua mensagem continua a fazer todo o sentido.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a Vinte anos fora do armário

  1. a anarca diz:

    Lithium ?!!
    Precisamos é de prozac 🙂

    • Renato Teixeira diz:

      O chile está lindo e claramente fora do armário!! Obrigado pelas fotos LAM. Em breve terão amplo destaque. Abraço.

  2. José Borges Reis diz:

    Que bem lembrado. Este álbum introduziu-me na rebeldia da adolescência, na crítica como princípio, na busca permanente de boa música. 20 anos depois, soa ainda tão bem que resgata a nossa adolescência da total superficialidade. Os miúdos mais novos não tiveram a mesma sorte, quando uns anos depois levaram com Limp Bizkit etc; não sei se alguns a tiveram desde então. Duvido.

    • Renato Teixeira diz:

      Foi mesmo o fim do penico e o principio do armário. Também tinhas LB no teu tempo, pá. ;), mas percebo o que queres dizer.

Os comentários estão fechados.