“Partir a espinha aos sindicatos”

Num editorial do i da semana passada, António Ribeiro Ferreira declara ser urgente partir a espinha aos sindicatos. Esta frase provocou inúmeras reacções de protesto à esquerda, que não acompanho por entender que a clarificação de posições é uma questão central para o debate político.

Ler o artigo completo

 

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

30 respostas a “Partir a espinha aos sindicatos”

  1. Caro Tiago,

    Concordo consigo no essencial isso não impede de considerar uma afirmação dessas anti-democrática e fascista.

    Cumprimentos
    João Martins

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      João, tem toda a razão. Mas a afirmação ainda é mais perigosa quando proferida por um ministro de um país que acabava de sair de meio século de ditadura.

      • Antónimo diz:

        Não sei se era. Corre-se maior risco de caminhar alegremente para lá agora do que na altura, que sempre teriam uma fronda esperando por eles, suportada por um pcp poderoso e armado e uma extrema esquerda belicosa (apesar dos ribeiros ferreiras, pachecos pereiras, helenas matos e zé manéis fernandes que já por lá andavam). Na praça, desde há uns meses, continuo a não ver nem o povo nem esses partidos.

        Aliás, Ribeiro Ferreira tem um passado activo de limpeza de redacções de tudo que cheirasse a esquerda e publicação de pontos de vista do cds

  2. ‘Quand le besoin oblige’, disserta-se com recurso ao disparate.

  3. Chalana diz:

    «Se a reacção aguça os dentes e se prepara para morder, é necessário partir-lhos antes que morda»

    Álvaro Cunhal, Setembro de 74

    • Dzeko diz:

      Oh Chalana dedica-te à bola que é a única coisa que sabes fazer mesmo com a já respeitável barriga…

      • Chalana diz:

        Djeko, imagino que esta citação será, para ti, mais apropriada:

        “Se todo o aborto é um mal, a clandestinização do aborto é uma catástrofe.”

        Álvaro Cunhal, anos 30

        • Dzeko diz:

          Ui… Que medo! Nos anos 30 é que era… Olha, Chalana, dedica-te lá à bola pois nas citações pouco ultrapassas a mediania…
          E leva contigo o Álvaro que tinha um pé direito do catano…
          Que idiota do crlh!

    • Bolota diz:

      Pois…e disse que sabia quanto doi uma dentada.

      Não sei os espaço que António Ribeiro Ferreira frequenta, mas será que a garantia de imponinade é tal que os António Ribeiro Ferreira se sentem seguros ao proferir afirmações destas??? Eu na eventualidade de me cruzar com ele no minimo tinha de lhe chamar PALHAÇO.

  4. Nunca declarei que o cinco dias era uma merda. Posso pensá-lo ou não. Fica o mistério. Essas metáforas cunhalescas é que são uma verdadeira MERDA.

  5. Pedro Penilo diz:

    Não percebo este post, Tiago. Essa lógica leva a adorar levar porrada da polícia ou a pedir mais em nome da clarificação de posições.

    Era o que faltava se perante uma declaração fascista – que o é em qualquer tempo e em qualquer parte do planeta – ficássemos a louvar a sinceridade do homem.

  6. Pedro Penilo diz:

    É que o homem não é tonto. Clarificação de posições é o que ele deseja. Pensando, não sem razão, que agora ainda está num momento de força.

    • João Valente Aguiar diz:

      Meu caro Pedro,
      a clarificação de posições é bem melhor do que, por exemplo, as declarações de amor à esquerda por parte do PS e que, como nós sabemos, tem uma prática política de direita. Não me parece que o texto do Tiago seja magnânimo com aquele senhor, mas parece-me ilusório esperar que todos os actores políticos do outro lado da barricada assumam perante o povo português ao que cá andam. É nisto a única coisa que discordo com o Tiago quando ele diz que «a clarificação de posições é uma questão central para o debate político», pois ela nunca pode ser plenamente atingida. Nem isso interessa a múltiplos actores políticos do sistema (PS, intelectuais do estilo Bebiano, sindicalismo amarelo, doutrinas sociais das igrejas, etc.). Estes, para a generalidade do povo, nunca abrirão o jogo. Nós sabemos o baralho com que eles jogam connosco, mas nem todos o sabem. Precisamente porque a clarificação por via do «dar uma no cravo, outra na ferradura» é sempre nebulosa. Nem todos serão límpidos e cristalinos como a direita mais extremista, mesmo que com eles compartilhem posições de fundo.
      abraço aos dois

      • Tiago Mota Saraiva diz:

        João, repara que não escrevo que existirá uma clarificação de posições. Escrevo que a clarificação é uma questão central para o debate político.
        O texto pega na declaração do director do i, enquadra-a politicamente, pelo exemplo do Mira Amaral julgo que se perceberá estar nas antípodas do meu, e recorda a sua proveniência.

        • João Valente Aguiar diz:

          sim, sim. eu sei. Eu acho o texto bom, apenas peguei numa parte do argumento que me pareceu plausível e divaguei para zonas relativamente paralelas. Apenas isso.

      • Pedro Penilo diz:

        Está tudo bem no artigo excepto num pormenor que não é pouco importante: a crítica (“não acompanho”) daqueles que com o artigo de ARF legitimamente se indignaram – como foi o meu caso. É que para haver “clarificação de posições também convém, já agora, que nós exprimamos as nossas!

        • Tiago Mota Saraiva diz:

          Pedro, acho que o texto do ARF é importante pelos 2 pontos que coloco. Acho que ajuda a mobilizar para dia 1.

          • Pedro Penilo diz:

            Claro, mas se ficarmos calados, ajuda como? Ainda não percebi em que é que “não acompanhas” a reacção legítima da esquerda.

  7. rato zinger diz:

    Hoje ouvi o prof de economia do iseg ferreira do amaral( o irmão do outro,gordo,da Lusoponte que fez onegócio de estado e,qdo,acabou o governo do psd,foi para presidente da coisa,NÃO SEI SE ESTÃO A VER e,seja necessário fazer um desenho…)dizia ele,q na Grécia dos corruptos governos do psd/ps/cds locais era de prever uma ditadura militar caso os protestos continuem…depois da bitadura aceite pelas ígnaras massas se,estas fugirem do padrão,o capital tem na manga uma ditadura na democracia europeia….Em consonância com a invasão da lIBIA PELA NATO,of course,pq dos 10 mil milhões de euroslibios na França(for instance)1.5 mil milhões vai para os fantoches democráticos ex-ministro dA JUSTIÇA PQ o resto, reste chez la banque française………………..não seise estão a ver.8.5 mil milhões de euros para a cona dos banksteiros franceses.Ora a NATO,é o braço armado dos ladrões da elite democrática europeia e tutti quanti lumpen de alto nível.

  8. Vitor Ribeiro diz:

    Clarificação de posições? Caro Tiago, isso é um mito. Essa clarificação só existiria, de facto, se tivéssemos uma imprensa verdadeiramente livre e plural (o facto de haver articulistas do 5 dias e militantes ou simpatizantes comunistas ou que se posicionam à esquerda do PS a escrever colunas de opinião ou a trabalhar nas redacções pode ser condição necessária mas está longe de ser suficiente…). Na actual situação, são essas ‘posições’ que prevalecem e se fazem ouvir (a tal história da mentira tantas vezes repetida…), pois o barulho que fazem é tanto que abafam qualquer manifestação de posição contrária. E, portanto, já não se trata de saber o que cada um pensa e defende e dar oportunidade a um debate verdadeiramente livre e clarificador, mas antes de passar determinadas mensagens bem embrulhadas no simulacro de pluralidade a que o Tiago (como outros) se presta – com o devido respeito, pois não tenha a certeza de que se não se prestassem a isso ficássemos todos melhor servidos…
    Mas o problema mesmo é que isso que muita gente quer ouvir. A maior parte do ‘povo’ só vai acordar no dia em que a coisa doer mesmo. Até lá, vamos cantando e rindo e mandando umas ‘bocas’ aos mandriões e ‘mamões’ dos professores e dos funcionários públicos nas caixas de comentários dos sítios em linha dos jornais e aos sacanas dos sindicatos que defendem esses ‘interesses instalados’.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Viva a revolucionária direcção do JN por correr com os prestadores de serviços ao capital Honório Novo, Óscar Mascarenhas e Alice Vieira! Deputados comunistas fora do parlamento burguês, já!

      • Vitor Ribeiro diz:

        Aí sim, a ‘clarificação’ venceu colocando um ponto final no simulacro. Portanto, aproveite (que eu agradeço, visto haver cada vez menos gente que valha a pena ler com um mínimo de atenção, para além de que a pachorra também é cada vez menor…), enquanto lhe dão ‘trela’ no i em nome duma suposta liberdade de imprensa que eu (mesmo de binóculos…) cada vez tenho mais dificuldade em vislumbrar.

  9. Alexandre Cantigas diz:

    Sobre o homem sem espinha que tem todo o direito de clarificar as suas posições. Tal como eu!

    PROLETÁRIOS DE TODOS OS PAÍSES UNÍVOS!

    Têm TODA A RESPONSABILIDADE na bancarrota e QUEREM CONTINUAR A SER donos do país

    Não há festa nem dança em que não apareçam os BANCOS, BANQUEIROS E SEUS CÃES DE FILA a debitar opiniões, a meter o nariz onde não são chamados. Os BANCOS NÃO têm uma esfera de acção perfeitamente definida. Existem para defender os seus INTERESSES em matérias muito MUITOS concretas, como as SUAS remunerações e as condições de AUMENTO DA EXPLORAÇÃO. Ponto. Mas SE ISTO NO MUNDO JÁ É MAU em Portugal não é SÓ assim. As centenas de MAMÔES, PREGADORES E COMENTARISTAS, TANTO DA BANCA COMO DOS GRANDES GRUPOS ECONÓMICOS, têm a mania que devem ser ouvidos sobre tudo e sobre nada. E SOBRETUDO DE DETER TUDO E MAIS ALGUMA COISA. E, verdade seja dita, políticos e jornalistas fazem-lhes a vontade. Não há dia em que não apareça alguém a questionar as políticas de saúde, educação, segurança interna, defesa nacional, obras públicas e transportes, TODOS OS DIAS PARA EXPLORAR MAIS, PRIVATIZAR MAIS, AUMENTAR MAIS, ROUBAR MAIS. Para MAL DOS MEUS PECADOS ESTES SENHORES SÃO AINDA UNS AUTÊNTICOS ESPECIALISTAS em política externa e relações diplomáticas EM PARTICULAR COM OS SEUS “IRMÃOS” DO CAPITAL EUROPEU. Dito isto, é verdadeiramente incrível que a privatização de uma empresa ESTRATÉGICA, A MAIOR EXPORTADORA NACIONAL, como a TAP, por exemplo, e o eventual interesse de brasileiros, ALEMÃES, FRANCESES, OU OUTROS CÁMONES QUAISQUER no negócio NÃO mereçam comentários de alguns dos INTERESSES ECONÓMICOS INSTALADOS NO GOVERNO, PELO CONTRÁRIO APENAS SE OUVEM APELOS PARA QUE O ESTADO pulule DA companhia aérea. A política de privatizações é uma matéria QUE A MIM NÃO ME ASSISTE E MUITO MENOS AO CAPITAL. Na TAP, na EDP, nos CTT, nas Águas ou na RTP. Não SE METAM NISSO DEIXEM O PATRIMÓNIO DE TODOS NÓS NAS NOSSAS MÃOS. São assuntos de governo e oposição, E CASO NÃO HAJA (COMO ESTÁ À VISTA) GOVERNOS DE DEFENDER O INTERESSE NACIONAL ENTÃO IMPONHA-SE UM GOVERNO AO SERVIÇO DE QUEM TRABALHA, ISSO SIM São temas em que o debate é político e as decisões são políticas. É claro que os senhores DO CAPITAL, como tal ou na qualidade de “cidadãos”, sempre com via verde para a comunicação social, podem opinar sobre as privatizações, as nacionalizações ou as nomeações de administradores. Mas apenas isso. O mesmo se diga na educação com os poderosos INTERESSES EM JOGO. Os senhores falam sobre tudo. Currículos, preços de manuais escolares, escolha de directores para as escolas, extinção de direcções regionais, orçamentos de funcionamento dos estabelecimentos de ensino, número de professores contratados pelo Estado, horas de matemática e português, enfim, são uns verdadeiros tudólogos da educação com o professor ANTÓNIO DE OLIVEIRA, O ERA E QUE QUERIA MANDAR EM TODO ATÉ NA COR DO papel higiénico nas escolas, NÃO FOSSE ELE SER VERMELHO. Há uns anos, muitos, MARX, ENGELS, LENINE AFIRMARAM: PROLETÁRIOS DE TODOS OS PAÍSES UNÍVOS! Hoje, em 2011, com o país numa emergência nacional é urgente não só repetir a frase como pô-la em prática. Ainda por cima quando a irresponsabilidade DO CAPITAL é patente em todos os domínios e os senhores teimam em não perceber que também ajudaram, e muito, a empurrar o país para a bancarrota. Quando O PATRONATO EXIGE CORTES NOS SALÁRIOS, NOS SUBSÍDIOS, NAS PENSÕES E REFORMAS, FIM DAS HORAS EXTRAORDINÁRIAS (PAGAS POIS CLARO) NÃO SÓ ATÉ 2013 MAS SIM COMO MATRIZ PARA TODO O SEMPRE E outros já sonham com o que irão INVENTAR DE NOVO PARA CONTINUAR A EXPLORAR quando a crise acabar, está tudo praticamente dito. Importa por isso que o governo, os ministros, o primeiro-ministro, os deputados que apoiam a coligação, E O CAPITAL QUE SUSTENTA TODA ESTA GENTE arrumem rapidamente AS SUAS COISAS E SE PONHAM A ANDAR DAQUI PARA FORA A BEM. OU VÃO AGORA OU O POVO COMEÇARA A falar muito grosso a uma classe de gente que se imagina dona do país e dos portugueses.

  10. De diz:

    Concordo com João Martins. Acho todavia “saudável” o relembrar de outras frases do género ditas por”insuspeitas pessoas”…e a convocação à luta que uma clarificação de posições deve tornar mandatória. (por isso é que tantos fogem de tal …mas aí já João Valente Aguiar se debruçou)

  11. Pedro, o africano diz:

    Conheçam o boneco – his royal dummy – Tiago Mota Saraiva.

    Se lhe perguntarem para escrever sobre temas, como o Iraque, Líbia, Afeganistão, Gaza, o boneco diz:

    «não sei, não sei, não sei, não sei»

    Mas se lhe pedirem para comentar algum assunto nacional (e principalmente futebol), o famoso boneco sorri, ri, canta e até dança.

    Um boneco fantástico como este… só no blog Cinco Dias!

Os comentários estão fechados.