Antropologia soft

Ao mesmo tempo que, esta manhã, eu ia recolhendo a roupa que secara no estendal, uma senhora tratava de reparar uma avaria no seu estore, na casa em frente.

Os papeis de género já não são o que eram…

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

2 respostas a Antropologia soft

  1. João Valente Aguiar diz:

    Sem dúvida!
    A precariedade, essa continua. Ou melhor dizendo, até aumentou.

  2. Mário Abrantes diz:

    Arranjar um estore pode não ser fácil. Já estragá-lo parece acessível a qualquer um.

    Se a senhora era interessante, podes sempre estrapoirar um estore de tua casa e convidá-la para uma reparação. Se os papeis de género já não são o que eram, nada como reclamar a versão feminina do homem do gás ou do canalizador.

Os comentários estão fechados.