Lições do 12 de Março, a pensar nas aulas do 15 de Outubro (VII)

Para que se possam debater todas as diferenças não podemos prescindir da civilidade. Para que a crítica produza resultados ela não pode conviver com a calúnia, a injúria e o boato. Devemos derreter o Governo, o FMI e a NATO, não a fraternidade, o respeito e o bom trato.

Desenho novamente roubado à Gui.

[a 31 dias das ruas voltarem a ser nossas]
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a Lições do 12 de Março, a pensar nas aulas do 15 de Outubro (VII)

  1. De diz:

    Devemos derreter o Governo, o FMI e a NATO, não a fraternidade, o respeito e o bom trato.

    Repetido mil vezes

    Boa!

  2. Orlando diz:

    Oh Renato, a 31 dias das ruas serem nossos outra vez ??? Essa não entendi, que eu saiba falta menos tempo, é já dia 1 de Outubro que está convocada uma manif da CGTP, e sendo assim faltam 16 dias. Será que errou nas suas contas ?????

    • Renato Teixeira diz:

      Dia 1 há manifestação, e espero lá estar, não haverá debate sobre a apropriação do espaço público e muito menos assembleias onde cada activista tem igual direito à palavra. Boas práticas que a Central deveria adoptar. Não?

  3. Pedro M diz:

    No dia 12 de Março estavam desde neo-nazis até primitivos urbanos (minorias), com uma imensidão de descontentes “genéricos”, com maior ou menor fidelidade partidária.

    Importa no dia 15 mobilizar os 45% que não votaram, uma vez que não têm filiação (dos que votaram, 85% preferiu este descalabro que vivemos), bem como quem “votou ao engano”. Este governo tem legitimidade democrática e uma maioria, mas é importante mostrar que não tem a unanimidade nem metade da sociedade do seu lado.

    Para os mobilizar tem que se ter reinvindicações precisas (no 12M vi exigir desde monarquia a anarquia) e capazes de ter apelo global, sem se entrar no discurso do “porcaria dos políticos”.

    É um enorme desafio mas infelizmente ainda não percebi quais as reinvindicações ou apelos a virem fora dos meios tradicionalmente de esquerda…

  4. não sei como é que isso está em lisboa (pfff, lisboetas 😉 mas no porto, a organização do 15O não está a trabalhar num ‘manifesto’ e antes numa lista de reivindicações concretas para a manif.

Os comentários estão fechados.