Estudar não mata

Pobre Eduardo Pitta. Alguém lhe soprou que Passos Coelho ia inaugurar umas escolas a Viseu. Deram-lhe o número de alunos e custos de obra, coisa para gente importante. Meio papagaio, meio pavão, tinha tudo o que precisava para enriquecer o espólio do seu blogue. Avançou sem medos para o elogio ao monstro “made in Sócrates” – como refere.
Mas com tanta prosa encomendada, escapa-se-lhe o tempo para o estudo. Guloso, não cuidou de verificar que as escolas a que se referia não estão na lista da Parque Escolar. Pobre Pitta que se estatela.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 respostas a Estudar não mata

  1. a anarca diz:

    Tudo indicia que o parque escolar é um grupo de mal(f)heitores*
    Parabéns, pelo seu exaustivo serviço informativo, sobre este caso de policia 🙂
    aguardemos que haja mais alguém que considere pedagógico dar o exemplo:
    crime = castigo
    Esse Eduardo é um fútil só-cretino
    (*onde há um heitor há mais um, dois ou três…)

  2. O mais grave é que não me parece ser prova encomendada. É convicção, mesmo!

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Ana, achas mesmo que não foi encomenda? Olha que aqueles dados são coisa de gabinete… O DN, aliás, publica outros dados…

  3. Pisca diz:

    Mas pode causar sérios danos, tal como esta aqui, provavelmente merecia um post, brilhante a dada altura:

    – Ensinar matematica à crianças ? Mas estamos na Russia ?

    fica o link

    http://sorisomail.com/partilha/191100.html

  4. TLD diz:

    Essas escolas foram pagas pelo município e comparticipadas pelo QREN.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      No post, nem me arrisco a tentar explicar que os centros escolares foram pagos pelas autarquias com recursos a fundos comunitários (não tenho a certeza se terão sido todos com o QREN).

  5. Ó_da_Net diz:

    A renovação, remodelação, reestruturação, recuperação e modernização do Parque Escolar nacional foi das melhores e mais meritórias obras que se fizeram neste país nos últimos anos. É na escola que está a chave do progresso. Entre outras coisas também serviu para isto:
    “Querem que as sociedades petrolíferas continuem a beneficiar de nichos fiscais ou querem que se renovem escolas, para que os operários da construção civil possam novamente trabalhar?” (Obama in JN)

    • Rxc diz:

      Não basta gastar camionetas de dinheiro na renovação das escolas, era preciso estudar caso a caso a real necessidade dessas obras. Dou-lhe o caso da ESRBP (Bordalo Pinheiro), aqui nas Caldas da Rainha. Consta que a obra vale custou vários milhões largos (~10). A escola tem actualmente metade dos alunos que tinha há 10 anos, mas avançaram com a construção de um novo bloco, apesar de o município também ter ajudado à construção do Colégio Rainha Dona Leonor (semi-privado), que entra em competição directa por alunos da Bordalo Pinheiro. No entretanto, o Liceu (ESRP) precisava também de pequenas obras para melhoramentos mas como o dinheiro foi todo para a ESRBP, não o há para o resto. De referir que a nova ESRBP já tem problemas graves (e.g. inundações nas casas-de-banho). E quando precisar de obras dentro em breve (pois foi tudo feito à pressa para a estatística), não haverá naturalmente verba disponível.

      Eu também queria um Ferrari e de certeza que o mereceria, mas tenho de me contentar com o utilitário que as minhas posses me permitiram comprar…Para o só-cretino, era tudo em grande (claro, paga o povo, que é manso). Agora pagamos a factura (com juros…).

Os comentários estão fechados.