A Festa que não existiu

A julgar pelo que se vê e ouve na comunicação social a Festa do Avante é uma manifestação político-cultural bem menos relevante que uma catequese dos jovens laranja.
Tendo sido bem sucedidos os insistentes apelos de Fernanda Câncio para que os jornalistas não escrevessem sobre a matéria,  podemos dar como garantida com o total silêncio sobre tudo o que diga respeito ao PCP. Rompendo o muro do silenciamento, pode-se ver aqui imagens da Festa do Avante e ler este retrato da nossa Festa escrito pelo Luis Rainha.
Estando o primeiro ministro tão atento à blogosfera e, ao que parece, andando o 5dias no rol das suas preocupações aqui fica escrito: um blogue pode pouco, aquela gente pode tudo.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 respostas a A Festa que não existiu

  1. Augusto diz:

    No Cinco Dias tambem estão proibidas as palavras

    Figueira Relvas

  2. Oderico diz:

    A Fernandinha conseguiu convencer a malta a não escrever sobre A festa?
    Então e os deontológicos lá do sindicato ainda não lhe puseram um processo em cima?
    Fonix, nunca pensei que a f tivesse tanto poder!

  3. Bolota diz:

    Quanto á Festa, tudo o que se diga contra é dor de corno.
    A Câncio??? A Câncio definitivamente não presta. O que escreve não chega a ser uma opinião, porque se fosse…é mais uma ofensa.

  4. João Valente Aguiar diz:

    «um blogue pode pouco, aquela gente pode tudo.»

    Magnífica frase Tiago. 100% de acordo.

  5. LAM diz:

    Não recordo como tem sido nos anos anteriores, mas passaram em direto e penso que na íntegra o discurso do Jerónimo de Sousa (Sic n), além de reportagens sobre a festa que vi no telejornal da RTP, pelo menos.

  6. ricardosantos diz:

    Eu não percebo qual é a vossa dor .Não faziam parte da santa aliança?

  7. Pingback: Too late? | vida breve

  8. ezequiel diz:

    Saber organizar uma festa é critério de competência e de elevação moral. O Luís Rainha poderia ter escrito sobre a imensa “fraternidade” ( variedade tintol) que une toda a esquerda radical. (lol) É sabido que a entre-ajuda e outros ideais comunitários são pertença exclusiva da esquerda. Evidentemente.

    Crentes não faltam, pelos vistos. Apenas falta o Papa e os seus Bispos. :I

    • LM R diz:

      Desconversas. Ninguém falou em exclusivos; apenas em algo que acontece ali e em muitos poucos outros locais. “Ideais”, como escreves, há muitos. Agora a praxis é que não abunda.

  9. Orlando diz:

    Só vendo e vivendo é que se consegue compreender o que o Tiago sentiu e que todo a gente sente, quando chega e vive naquela Festa Maior do Portugal de Abril. Para todos os outros, aqueles que não vão por preconceito, por hipocrisia, e que escrevem coisas como os comentários vinculados neste blog e noutros, só tenho a dizer uma coisa: não sabem o que perdem, continuem a viver na ignorância e no preconceito, que nós continuaremos a ir todos os anos à nossa FESTA. E mais, e digo isso com muito orgulho, aos que aqui vêm dizer mal, só lhes digo que os vossos partidos nunca conseguiriam construir tal coisa na vida, porque os vossos partidos só sabem destruir… é por isso que o meu Partido é melhor.

  10. ezequiel diz:

    Orlando

    Eu não falei da festa propriamente dita. Falei apenas da forma como algumas pessoas-neste caso o Rainha- interpretam a festa como evidência de x ou de.

    Acho muito bem considerares o teu partido o melhor. Acreditas. Quando te desiludires, podes vir às nossas festas. Não faltará entre-ajuda, garanto-te.

    • Mike diz:

      às tuas festas????

      LOL

      qual a do pontal??? a da lagoa???

      hã, já sei… deve ser uma festa qualquer na quinta do lago… com as tias belezas e os tios loureiros…

      Ele há cada burro…

Os comentários estão fechados.