eu pergunto ao 1º ministro: onde estava você no 12 de Março? (a minha crónica nas manhãs da antena 1)

6 setembro 2011 crónica antena 1 este tempo – onde estava o 1ºministro no 12 de março? (mp3)

(…)”Eu ouvi o primeiro-ministro reconhecer que Portugal tem um dos índices mais elevados de assimetria na distribuição das receitas mas:
1. anuncia medidas que vão aumentar ainda mais esta desigualdade,
2. rejeita taxar as grandes fortunas.
Isto é um paradoxo e eu vou repetir, porque eu própria fiquei baralhada:
O primeiro-ministro reconhece que Portugal há uma injustiça social das mais graves na Europa, mas faz medidas que agravam ainda mais a injustiça social.
É assim como imaginar o país com diarreia: o primeiro-ministro percebe o que é a diarreia, mas em vez de fazer uma dieta de arroz cozido e cortar nas grandes gorduras, não, corta-lhe a água, o país desidrata e fica cada vez mais fraco e doente.
Ora o primeiro-ministro, sabe que estas medidas são injustas e está a por em risco a coesão e solidariedade nacionais, sabe que as pessoas já se começaram a revoltar e sair à rua e a protestar, aqui, pela Europa, pelo mundo fora.
e o que é ele que faz? ameaça.o primeiro ministro disse que “não confundiremos o exercício das liberdades direito de manifestação, e direito à greve com aqueles que pensam que podem incendiar as ruas”.“Pode haver quem se entusiasme com as redes sociais e com aquilo que vê lá fora, esperando trazer o tumulto para as ruas de Portugal”, mas, “nunca iremos por aí”.
Ora, é aqui em que eu pergunto ao 1ªministro: onde estava você no 12 de Março? É que dizer que as pessoas que saem à rua para exercer o direito democrático de se manifestar são todas violentas é falso.
As imagens do 12 de Março provam-no: 400 mil pessoas saíram à rua com 1 folha A4 com as suas propostas para o país, pacíficamente.
É aqui que outro dos protagonistas do nosso mundo, que somos nós, as pessoas intervimos: ameaçar as pessoas, dizer que sair à rua e lutar pelas nossos direitos e por mais justiça social e mais democracia é incendiar as ruas, é mentira.
Citando o próprio ppc em campanha eleitoral:”Não aceitaremos chantagens de estabilidade, não aceitamos o clima emocional de que quem não está caladinho não é patriota”.
No dia em que eu tiver medo de sair à rua para me manifestar porque um primeiro-ministro do meu país me ameaçou é porque deixei de viver numa democracia.
E espero que isso nunca aconteça, mas se a democracia em que vivemos continuar a ser destruída, acabar e passarmos a um regime totalitário, sem liberdade, aí, eu, como todas as pessoas que vivem neste país, terão que provar que o medo é uma coisa que não nos assiste.(…)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a eu pergunto ao 1º ministro: onde estava você no 12 de Março? (a minha crónica nas manhãs da antena 1)

  1. a anarca diz:

    Passou por mim no rossio 🙂

  2. Bolota diz:

    Raquel,

    Isto é o que pode dizer: uma mulher com eles no sitio.
    Com um senão…perguntar onde estava o 1º ministro no 12 de Março, é admitir que Passos Coelho antes de ser já era, e já era mesmo embora ainda não fosse.

    Mais meia duzias de Raqueis e isto não estava assim de certeza absuluta.

  3. Shoplifters of the world unite and take over diz:

    Radical light para consumo radiofónico

  4. Gonçalo Moreno diz:

    O novo presidente da Parque Expo, John Antunes, fez parte da Comissão de Honra de Assunção Cristas em Leiria.
    http://www.cdsleiria.org/artigos/artigo?art=328&sec=220&fb_comment_id=fbc_10150263253026807_19699982_10150372198346807#f9ef54c915a074

    GM

  5. miguel diz:

    400 mil pessoas??!
    ena, grande bacanal e eu nem me apercebi.
    a avenida tem 20 mil metros quadrados, isso dá 20 pessoas por cada metro por metro, que grande festa que deve ter sido!!

    estive la 2 horas mas perdi o melhor 🙁

  6. ricardosantos diz:

    até que enfim no cinco já se vive na paz do senhor viva a santa aliança.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      lingrinhas uma vez, lingrinhas para sempre!

      • Frank diz:

        Que existem assimetrias sociais, é verdade sim senhora, que as há por todos os países, é verdade sim senhora, que sempre as houve em toda a história da humanidade, é verdade sim senhora, taxar as grandes fortunas pode não ser a melhor solução? Porque? Parece que hoje em dia podemos movimentar facilmente os “aerios”€, para quem tem muito, mais facil é, vejo ainda que no nosso mundo globalizado, as empresas escolhem as suas sedes ou, os melhores locais para investir mediante as melhores politicas fiscais, que cada país dá, aqui não vale a pena pensar na China ou na Lua, mas olhar para a Espanha que está mesmo aqui ao lado, então eu, como investidor, era bom era, vou criar trabalho, num país onde vou pagar mais pelos meus lucros…nã,nã,nã, se calhar deixo ficar os “aerios” no banco, escuso de ouvir criticas demagogicas e ideologicas suportadas por muita desinformação…
        Até à próxima …pessoas!

Os comentários estão fechados.