Roger Waters nunca chegou a vir à Festa do Avante. Mas está na luta. Connosco. Eu sabia que este amor ainda ia dar melhores frutos. Cantemos todos:

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a Roger Waters nunca chegou a vir à Festa do Avante. Mas está na luta. Connosco. Eu sabia que este amor ainda ia dar melhores frutos. Cantemos todos:

  1. CausasPerdidas diz:

    Bom gosto.
    Eis um gajo que sempre foi de Esquerda, mesmo quando alguns colocaram isso em questão por causa do “Animals” – como se o “Animal Farm”, e até o “1984”, de George Orwell, não fossem leituras obrigatórias para quem se diz de Esquerda, “penso eu de que”…

    Já que levantou a lebre, eu atrevo-me:

    http://www.youtube.com/watch?v=rheHg7xHhU8&feature=related
    Roger Waters fala do “muro da vergonha” israelita; reparar no “vox populi” seleccionado pelo jornalista durante o concerto em Israel… Lamento mas só encontrei em inglês.

    http://www.youtube.com/watch?v=nwDzATryei8&feature=related
    “Leaving Beirut” – só porque fica “ali ao lado” e a canção é linda.

    http://www.youtube.com/watch?v=cyy4zeS4-5o&feature=related
    “It’s A Miracle” – até eriça os pêlos… Uma banda sonora para os tempos que correm.

    “Pela graça de Deus Todo-Poderoso
    E pelas pressões do mercado
    A raça humana civilizou-se
    É um milagre”

    Cumps.

  2. CausasPerdidas diz:

    Esqueci-me deste.
    Roger Waters apela ao boicote à “economia da ocupação” da mesma forma que se boicotou o apartheid na África do Sul. Em inglês novamente, desculpem.

  3. susete diz:

    ganda cacete eu fumei….

  4. Vasco diz:

    É bom ver que o mundo move-se e que com ele se movem as pessoas. Confesso que não gostei da colagem do The Wall ao muro de Berlim (como se alguma vez o mundo fosse mudar para melhor com a derrota do campo socialista…) mas daí para cá tenho gostado das suas tomadas de posição. Tear down the wall…

  5. Maria diz:

    Porque é que não cantam a favor dos oprimidos Iranianos e Sírios??? Elas e eles são menos importantes do que as/os Palestinianas/os??? Faz-me uma certa confusão.

    • Pedro Penilo diz:

      Pode cantar, Maria. Se acha que deve, cante! Devemos sempre tomar nas mãos aquilo que achamos justo.

      Já encomendar lutas a outros…

  6. ezequiel diz:

    A Maria fez uma pergunta
    O Pedro Penilo interpreta-a como uma encomenda/ordem.
    A proletarianização dá nisso. Todas as perguntas são interpretadas como ordens do patrão.

    • Pedro Penilo diz:

      Como vê, Ezequiel, a interpretação é uma coisa que não lhe é alheia…

      A pergunta da Maria não era movida pela curiosidade, era de facto um convite. Um convite de alguém que se “põe de fora” e exige dos outros que resolvam os seus problemas. Não tomo as pessoas por estúpidas. Espero delas também respostas. A Maria que as dê, se entender.

      Sugerir que apoiar o povo martirizado da Palestina exclui o apoio à liberdade verdadeira de outros povos é demagogia.

  7. ezequiel diz:

    Eu não sugeri coisa alguma.
    Limitei-me a constatar. Vocês é que excluíram Iranianos, Sírios, Chineses, Norte Coreanos etc.
    Procure aqui no 5 por manifestações de solidariedade com os Iranianos e Sírios.
    ZERO.

    A Maria detectou uma contradição.
    Quem é que está a ser demagogo?

Os comentários estão fechados.