O que vale é que o pessoal do i pertence a uma classe sem futuro histórico!

De acordo com os perigosos marxistas do jornal i, se acontecesse em Portugal algo de semelhante ao que já acontece em França e as 100 maiores fortunas cá do burgo fossem sujeitas a um imposto «solidário» seria possível arrecadar cerca de 576 milhões de euros. Mais coisa, menos coisa, permitiria manter o subsídio de natal intacto.

Ainda assim, parece que a coisa não vai pegar por cá. O proletário Amorim já veio dizer que não está para aí virado!

Américo Amorim recebe a imprensa na sua sala de estar

Editado às 12h44.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

9 respostas a O que vale é que o pessoal do i pertence a uma classe sem futuro histórico!

  1. Kid Karocho diz:

    É espantoso! Vocês por um lado andam (parafraseando G.W.Bush) a “catapultar a propaganda” dos agentes políticos dos super-ricos e depois têm a desfaçatez de vir para aqui fingir que se insurgem contra eles…

    • Carlos Guedes diz:

      Fingir? O Karocho conhece-me mal ou não me conhece de todo. Eu nem um sorriso consigo fingir. E isso de andarmos todos a «catapultar a propaganda dos agentes políticos dos super-ricos» não é, de todo, verdade. Para já é só o Figueira. Os restantes estão ainda a estudar as respectivas propostas.

  2. Elypse diz:

    Américo Amorim esteve bem – é o exemplo de um trabalhador exemplar (circunlóquio à parte). Não venham, agora, encortiçar a honestidade do seu trabalho. Afinal, há que saber trabalhar… Só assim, trabalhando bem, se pode aspirar a 1,5% do PIB.
    Nem cometam o erro de dizer, como eu disse, que não existem ricos inocentes. Afinal, não está em causa a inocência, mas a decência de um trabalhador.
    A culpa, se é que existe, não advém da clivagem, mas sim dos pobres/miseráveis que, por não saberem trabalhar, geram incapacidade de consumo, fazendo colapsar o mercado.
    🙂
    PS: Caro Amorim, pormenores à parte, caso precise de um trabalhador, disponha…

  3. E não está mesmo? Sabe porquê? Porque não é rico, é trabalhador! Porque o povão coça os tomates, não trabalha e não investe os rendimentos extra que tem e os Amorins são trabalhadores honestos, criam riqueza real, investem em sectores produtivos diversos e são poupados.

    Estamos a falar de um empresário que vai de Lamego a Santa Maria da Feira num helicóptero privado, que tem 4,6 mil milhões de euros de fortuna pessoal, que sempre aterrorizou os empregados das suas empresas com ameaças de despedimentos colectivos, que tem negócios em imobiliárias para literalmente fugir aos impostos, que tem off-shores, que sempre jogou com as empresas de trabalho temporário de modo a manter os salários baixos, que perseguiu sindicalistas nas suas fábricas de Santa Maria da Feira, entre outros factos e ocorrências.

  4. Elypse diz:

    até por lá deixei um boneco sorridente
    não me fossem interpretar bem

    isto há com cada uma
    que até parecem duas

Os comentários estão fechados.