Nos 50 anos do nascimento do Muro…

…adivinha o autor das citações.

“O que foi derrotado não foram os ideais e o projecto comunistas, mas um «modelo» historicamente configurado, que se afastou, e entrou mesmo em contradição com características fundamentais de uma sociedade socialista, sempre proclamadas pelos comunistas, onde são indispensáveis entre outras a democracia política e a liberdade.”

 

“Verifica-se que, em diversos países socialistas, após um período revolucionário e em processos mais ou menos acidentados, se foi enfraquecendo a natureza popular do poder político (poder dos operários e camponeses, poder dos trabalhadores, poder do povo) e instaurou-se, de facto, uma direcção do Estado não só altamente centralizada e dirigista, mas também cada vez mais afastada da opinião, do controlo e da intervenção dos trabalhadores e das massas populares.

Verifica-se que, em diversos países socialistas, a criação de uma organização económica excessivamente centralizada, voluntarista, rotineira, dirigida por um aparelho burocrático de dimensão excessiva, afastando os trabalhadores da intervenção empenhada e criativa nos processos de direcção económica e uniformizando esquematicamente as formações económicas, conduziu a situações de estagnação mais ou menos prolongada, a atrasos na aplicação das conquistas da revolução científico-técnica e do desenvolvimento tecnológico, a insuficiências no melhoramento  das condições de vida do povo em conformidade com as exigências da vida moderna.

Verifica-se que em diversos países socialistas, nos partidos comunistas e operários, a direcção do Partido, e por vezes apenas alguns dirigentes fora de um trabalho colectivo, assumiu uma atitude de imposição administrativa das suas orientações, opiniões e decisões e afastou-se progressivamente da ligação e da opinião da base do Partido. Partidos comunistas e operários foram-se distanciando das massas populares, das suas necessidades, dos seus problemas, das suas aspirações, do que resultou o enfraquecimento e a redução real da sua base de apoio.

Os acontecimentos põem em evidência que essas características negativas do sistema de poder e de vida dos partidos dirigentes de países socialistas acabaram por implantar-se como um «modelo»  (considerado por alguns como único) do socialismo, quando contradizem de facto ideias e valores essenciais do ideal comunista, sempre afirmados como tal.”

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

417 respostas a Nos 50 anos do nascimento do Muro…

  1. Diogo diz:

    Caro Rafael,

    O comunismo de que você fala, não só não tinha pernas para andar como foi um crime contra a humanidade.

    Agora,

    A evolução tecnológica exponencial vai, mais cedo ou mais tarde, tornar toda a produção automatizada.

    Isso significará o fim dos empregos.

    Sem empregos não haverá salários nem poder de compra.

    Sem poder de compra, não haverá vendas.

    Sem vendas, não há lucro.

    Sem lucro, não haverá propriedade privada dos meios de produção.

    Do I need to say moore?

    • Omega-3 diz:

      Um crime contra a humanidade?Estás louco!

      • Manolev diz:

        E não foi? O maior não só do sec. XX mas também de toda a história da humanidade! Mais de 100.000.000 de vítimas mortais!

        • De diz:

          Não não foi.
          A História tem as costas largas
          Mas geralmente os aldrabões não têm sorte.
          A História mais tarde ou mais cedo coloca-os no seu devido lugar

          • Gentleman diz:

            Por isso é que já colocou os aldrabões comunistas no seu lugar (não todos, pelos vistos ainda há uma meia dúzia de incrédulos por aqui).

          • De diz:

            Gentleman?
            Mas parece que perdeu os modos adequados ao nck?
            Aldrabão?Será que isso é uma auto-referência?
            Umbilical?

  2. Diogo diz:

    Errata (do último comentário):

    Onde se lê: «Do I need to say moore?»

    Deve ler-se: «Do I need to say more?»

    • Outro diz:

      Não sei se andaste a ver “Capitalismo: uma estória de amor” “Poltergeist” ou o “Zeitgeist”, o que me parece escusado é esse determinismo todo quando as variáveis em causa são do tipo social…
      “Seize the nightmare”

  3. Carlos Carapeto diz:

    Pois é Rafael que a coisa foi um fiasco, que era dominado por cupulas de oportunistas e incompetentes que se afastaram dos interesses do povo e dos trabalhadores, já nós sabemos há muito tempo. Tem sido essa a preocupação dos orgãos de informação ao serviço do capital em “avisar” as pessoas que o Socialismo é impróprio para uso humano.

    Que alternativas propõe o Rafael? Vamos puxar as barbas a S. Carlos de Trier, ou aliamo-nos à traição de Furet?

    • Rafael Fortes diz:

      o objectivo do post era precisamente realçar que o pcp tem uma visao critica do que se passou em paises onde se tentou implantar o socialismo e dirimir o argumentário dominante do partido stalinista…

  4. closer diz:

    Meu caro Rafael

    Até concordo com a observação provavelmente redigida pelo próprio Álvaro Cunhal.

    Mas qual é a data da nota? Depois da queda do Muro e da derrocada do «socialismo real». Antes disso, era um seguidismo absoluto (Sol na Terra, etc) e aqueles que faziam críticas semelhantes às desse comunicado eram apelidados de perigosos reaccionários.

    Podemos pensar que vale mais tarde do que nunca. Certo! Mas, tendo em conta as loas que se tecem a regimes semelhantes aos que aqui foram criticados, como o cubano (já para não falar de qualquer distanciamento crítico face ao capitalismo semi-esclavagista chinês) levam-me a duvidar da sinceridade dos propósitos apresentados.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      closer, pelo link, 11 de Novembro de 2009. Parece-me algo difícil que a intervenção tenha sido escrita por Álvaro Cunhal.

    • Rafael Fortes diz:

      vê-se bem que nunca esteve numa reuniao do pcp onde se discutissem as questoes internacionais…

      agradecia já agora que fundamesntasse a semelhança entre o processo revolucionario cubano e os ocorridos na europa de leste, visto que o contexto, a organização politica e social, a forma como foram dirimidas as dificuldades por que passaram e mesmo a propria fundação de cada partido comunista são completamente distintas

      • João Valente Aguiar diz:

        Meu caro Rafael, são óbvias as diferenças entre o processo cubano e o soviético, e todos os outros da Europa de Leste. Todavia, creio que concordarás que a assumpção das diferenças não tem de equivaler a uma recusa de todos os factos positivos do socialismo soviético (educação, saúde, serviços públicos, derrota do nazi-fascismo, construção do primeiro Estado Social da história da humanidade, direitos laborais, pressão para a melhoria das condições de vida dos trabalhadores do ocidente capitalista, planificação central, etc.). Claro que nem tudo foi perfeito (nalguns aspectos até longe disso), sobretudo a partir de meados da década de 50, mas o que falhou não foi o socialismo, mas a vitória das forças pró-capitalistas a partir dessa altura e que com a introdução progressiva e sistemática de mecanismos de mercado destruíram as dinâmicas socialistas na URSS.

        • Rafael Fortes diz:

          de todo, João, perfeitamente de acordo contigo ressalvando que o que creio que tem “salvado” o processo revolucionario cubano é a sua capacidade intrinseca de uma constante autocritica, aliada a uma direção do partido muito presente em todos os momentos da vida publica e organizações de base que conseguem assegurar uma forte auscultação de todo o Povo. Creio, sinceramente, que o dirigismo, o sectarismo, o “burocratismo” (que infestaram os paises de leste e cujos tiques os encontramos todos nas sociedades ocidentais) têm, melhor ou pior, vindo a ser ultrapassadas pelo Povo cubano.

          • De diz:

            Caros João Aguiar e Rafael Fortes:
            Estou de acordo com o vosso ponto de vista.
            E são bons estes posts… até para colocar alguns pontos nos is

          • De diz:

            Katulo.Tenho pena mas a afirmação” o que falhou não foi o socialismo,mas a vitória das forças pro-capitalistas” é inteiramente correcta.Que quer?Foi assim.Por cá há também quem nos queira fazer crer que o antigo regime apenas implodiu.Vá portanto buscar argumentos noutro sítio mas vá depressa antes que estes também impludam.
            (Os resultados eleitorais?Oh Katulo,você insiste não?Está desatento ou obriga-se a repetir os mesmos argumentos?)

            A frase ” o socialismo aí está como alternativa à podridão em que vivemos” é inteiramente correcta.
            Por mais pares de coisas que queira emparelhar.
            Katulo vai uma aposta?
            Katulo,olhe para a miséria que um neo-liberal como Passos Coelho está a fazer ao nosso país?Olhe para a miséria que um salafrário como Portas(aquele pária que diz ter visto provas das armas de destruição maciça) anda a fazer?Olhe para o ódio que a senhora Merkel está a despertar entre os europeus.Olhe para a “pátria da liberdade” a atolar-se naquilo que vemos todos os dias. Taiwan será incorporada na China e não é preciso mesmo ser uma águia para o saber.
            Mais liberdade?Katulo,mais liberdade para estar desempregado,para passar fome,para não ter saúde nem direito à educação como a cambada neo-liberal quer?
            Vá à fava com tal liberdade
            Mais democracia?Mais democracia em que assistimos à parelha(já que gosta de parelhas) Passos Coelho/Portas a tentar-nos roubar…ROUBAR..uma parte do subsídio de Natal, que faz subir o IVA de 6 para 23% na electricidade e no gás,em que sobe os transportes públicos de uma forma obscena…
            Vá à fava com tal democracia
            (Já agora o que teria acontecido se o que se passou em Inglaterra se tivesse passado em Cuba?A histeria da falta de liberdade e de democracia que os katuluzinhos das nossas e doutras terras teriam feito.Até já se apressavam na convocatória dos aviões da Nato e os EUA.Vai outra aposta Katulo?
            Qualidade de vida?Oh Katulo,a desonestidade tem destas coisas.Qualidade de vida?Veja-se a qualidade de vida que os que apoia estão a dar aos seus concidadãos?Não sabe o que os seus amigos do sistema financeiro fizeram ao mundo em 2008 com as terríveis consequências sociais a que assistimos?Não reparou ou está distraído?
            Ou anda por aí de bandeira na mão a decretar que o capitalismo é que é bom?
            Tenho muita pena mas…
            Eu percebo que para quem queira manter o status quo como está tal ser uma péssima notícia
            Katulo,para não ser apanhado desprevenido:
            “O socialismo aí está,como alternativa à podridão desta coisa em que vivemos.Nem sequer se reivindica de soviético.Nem sequer se vai socorrer do manancial de informações que Katulo tem.
            Socialismo a não confundir com os nossos partidos socialistas.(Para grande pesar do Katulo?)
            Um socialismo que se “reivindica de ideais superiores”.
            (Para utilizar ipsis verbis outro comentário inserido noutro local deste 5 Dias)

          • Katulo diz:

            Esta suposta resposta do “De” é de uma pobreza confrangedora.
            Não fundamenta a sua alegação que os regimes comunistas não implodiram e que foram derrubados por forças “pro-capitalistas” internas. E perante uma tese tão desengonçada, ainda tem a lata de me dizer para eu ir arranjar argumentos a outro lado! Ou seja, diz a mim e a todos os historiadores…

            Depois, perante a flagrante derrota das experiências comunistas sempre que povos cultural e geneticamente idênticos o aplicaram em simultâneo, o “De” vem com uma conversa de chacha sobre a conjuntura actual. Ó homem, os pares RDA/RFA, Coreia do Norte/Coreia do Sul, e China comunista/Taiwan é o que de mais próximo de uma experiência científica de avaliação de sistemas politico-económicos alguma vez houve. É difícil encontrar algo tão esclarecedor.

            Quem disse ao “De” que os defensores do capitalismo acham este sistema económico isento de problemas? Não é, nem nunca foi. O capitalismo, por si só, não garante progresso. Tal como uma empresa, um país progride quando é bem gerido. E o capitalismo é, muitas vezes, mal gerido. Quando uma empresa é mal gerida vai à falência. Quando um país é mal gerido entra em bancarrota ou tem que sujeitar-se às condições de quem o socorre. C’est la vie. Pelo menos nas democracia capitalistas, o povo tem algum voto na matéria. As decisões são escrutinadas pelo povo.

          • De diz:

            Quando alguém argumenta desta forma:Quem o diz?”Eu e todos os historiadores.” é porque implodiu.Não a pedantice,mas a capacidade argumentativa.Pode ficar o Katulo com “todos os historiadores” Será difícil hoje encontrar um melhor argumento como argumento(Katulo…olhe quem o diz não sou eu .Sou eu e todos os historiadores.Certo Katulo?)

            Mas se até aqui Katulo se auto-ridiculariza…já não o faz quando afirma:”foram derrotados por forças pro-capitalistas internas”.Aí katulo manipula…onde está escrito “internas”?Ah,já sei.Infere,porque é assim que costuma fazer..Não,não,Katulo não apresenta desta vez um argumento de uma pobreza confrangedora.Katulo faz apenas um entorse ao que se disse.Hábitos.

            Quanto aos pares escolhida por Katulo como aval para uma experiência científica..É melhor aprender algo antes .E mais.É melhor não fazer mais “entorses”.A comparação com Taiwan passou a ser a China comunista?Antes era a China pré-capitalista?É com estas “nuances” de linguagem que Katulo quer o quê?Mostrar que a china era comunista?E que agora é capitalista?Katulo,vá lá chamar todos os historiadores que essa não pega.Nem a China era ou é comunista nem é capitalista.

            Os pares de países escolhidos por Katulo mostram o quê?Mostram aquilo que se discute?O Katulo que releia todo o texto postado pelo Rafael Fortes para ver se percebe do que se trata
            (já não vale apena falar nesta escolha “científica” à Katulo .Por exemplo esqueceu-se de comparar Cuba e o Haiti…mais katulices como a farsa da validade científica não.

            Quanto à comparação de um país com uma empresa..essa é de tal forma que nem sequer há argumentação possível.Um neo-liberal o que vê é dinheiro e empresas.Eu não vejo assim.Mais.Até acho que é de tal forma imoral e néscio que não posso ir por aí.Uma questão de princípio salutar e higiénico

            Quanto à questão do escrutínio popular e da questão da má gestão.Uma coisa demasiado séria para ser “arrumada” assim desta forma leviana.Uma maioria conjuntural não pode hipotecar um povo.E quem o tenta tem que sofrer todas as consequências.Todas.Os que vivem no país e não foram responsáveis pela crise nem pela má gestão, não têm que pagar as trafulhices e as incompetências dos outros.Não têm que pagar as trafulhices e a governação do PS e PSD e PP.A crise tem que ser paga pelos que a provocaram e que a geriram.Ou seja.Cavaco e Sócrates,Passos Coelho e Durão têm uma factura a pagar.Mais os Belmiros e os Mellos,os Dias Loureiro e os Oliveira e Costa.E não há votos que os ilibam do pagamento dessa conta.
            Disso pode estar certo o sr Katulo

          • De diz:

            Essa admiração pelos pares em estudo faz-me lembrar um fulano que conheci,aldrabão dos sete costados,mas que adorava falar em avaliação de sistemas político-económicos.A área dele era a informática e tentava-nos convencer que era possível demonstrar cientificamente as ideias profundamente neo-liberais do fulano.Até que um dia alguém lhe lembrou que os processos históricos e políticos não são laboratoriais,mas submetem-se a lógicas de irreversibilidade histórica.
            Tinha uma admiração bacoca pelo Friedman e fazia o elogio desavergonhado das posições mais à direita do governo americano.
            Um dia tramou-se.pôs-se a fazer o elogio da invasão do Iraque.. Mandaram-no a um certo sítio.
            Ah,tinha outra característica Katuliana. Gostava de falar em “conversas de chacha”.E soltava de vez em quando o palavrão da ordem.
            Porque falo neste caso pseudo-científico?
            É que também tinha uma visão empresarial de um país.Qual neandertal neo-liberal.
            Como Katulo de resto.

        • Katulo diz:

          mas o que falhou não foi o socialismo, mas a vitória das forças pró-capitalistas a partir dessa altura e que com a introdução progressiva e sistemática de mecanismos de mercado destruíram as dinâmicas socialistas na URSS

          Este excerto é uma delícia…
          Como é que é possível, perante o manancial de informação actualmente existente sobre a ineficiência do socialismo soviético, ainda haja quem escreva bojardas destas?

          • De diz:

            Bojardas dessas…?
            Acho que não
            Foi de facto a vitória das forças pro-capitalistas
            O socialismo aí está,como alternativa à podridão desta coisa em que vivemos.Nem sequer se reivindica de soviético.Nem sequer se vai socorrer do manancial de informações que Katulo tem.
            Socialismo a não confundir com os nossos partidos socialistas.(Para grande pesar do Katulo?)
            Um socialismo que se “reivindica de ideais superiores”.
            (Para utilizar ipsis verbis outro comentário inserido noutro local deste 5 Dias)

          • Katulo diz:

            Foi de facto a vitória das forças pro-capitalista

            Dito dessa maneira até parece que houve “forças pro-capitalista” a conspirarem de dentro para derrubarem os regimes comunistas da Europa de Leste. A não ser que se tenha uma imaginação fértil e propícia às teorias de conspiração, reconhece-se que não foi essa a causa. Esses regimes simplesmente implodiram. E à excepção da Roménia, implodiram sem sangue. E implodiram porque o povo não queria mais viver naquele sistema. Não queria e, passados 20 anos, continua a não querer. Os resultados eleitorais assim o provam.

            O socialismo aí está,como alternativa à podridão desta coisa em que vivemos

            O socialismo é uma alternativa, de facto. Mas uma alternativa pior. Dezenas de experiências ao longo de décadas assim o provaram de forma inequívoca. Com efeito, de entre as melhores comparações que se podem encontrar entre comunismo e capitalismo estão os seguintes pares:

            – RDA / RFA
            – Coreia do Norte / Coreia do Sul
            – China (pré-capitalista) / Taiwan

            Cada um destes pares de países têm o mesmo povo, a mesma língua, a mesma cultura, os mesmos genes. Ainda assim, alguém tem dúvidas acerca da superioridade do lado capitalista? Mais concretamente, alguém tem dúvidas que na versão capitalista há mais liberdade, mais democracia, melhor qualidade de vida? Mais, alguém duvida que, não havendo restrições à emigração no lado comunista, o povo emigraria em massa para o lado capitalista?
            Que evidências mais é preciso encontrar?

          • Vasco diz:

            Manancial de informação? Que informação? Emana de onde? Do canal história? O que o manancial de informação de que fala diz é que nos anos 30 e 40, por exemplo, a URSS crescia muito mais do que os EUA e que nos tempos da chamada «estagnação» de Brejnev crescia a 5, 6 e 7 por cento. Foi precisamente COM a perestroika – e não apesar dela – que tudo se alterou. Que a economia estagnou. Havia problemas, evidentemente que sim – ou não se estivesse a construir – em guerra permanente – uma sociedade nova. Agora mudo o disco: e o capitalismo, resulta? É democrático? Resolve os problemas do desemprego, da fome, da miséria?

          • De diz:

            Eu vou repetir para o José tentar perceber :
            O “rapaz”ainda não percebeu que não há uma verdade?E que ela não surge de escantilhão qual revelação divina aos olhos de Katulo?
            Se não for o caso…

          • Gentleman diz:

            VERGONHA 1

            Em 1932, as autoridades Soviéticas confiscaram colheitas em zonas da Ucrânia e da Rússia habitadas por ucranianos. Provocou uma fome generalizada. No pico da fome, enquanto confiscava colheitas dos camponeses, a URSS exportou 1.70 milhões de toneladas de grão em 1932 e 1.84 milhões de toneladas em 1933. As autoridades Soviéticas proibiram a população de viajar para fora das zonas de fome, sob o pretexto que as pessoas que viajassem espalhariam “agitação anti-kolkhoz”. O governo Soviético admitiu a existência da fome apenas na era Gorbatchov. Estima-se que mais de 10 milhões de pessoas tenham morrido de fome durante este período!

            Aponte-nos uma democracia capitalista que, no séc.XX, tenha feito algo vagamente comparável.

            VERGONHA 2

            Não admira que nos anos 30 e 40 crescesse mais do que os EUA ou de qualquer país no mundo. Qual era o país que tinha o vergonhoso privilégio de ter milhões de prisioneiros escravos no campos do Gulag a trabalharem para a Economia? Nem o Sul dos EUA no tempo da escravatura dispunha de uma força laboral de escravos tão grande.

            Que maior monstruosidade poderia ter sido praticada por uma doutrina concebida para a emancipação do proletariado do que ter prisioneiros forçados a trabalharem gratuitamente? Pense bem. Nem os terríveis capitalistas americanos que, como sabem, “só vêem dinheiro à frente”, faziam tal coisa.

            NOTA

            Quanto ao crescimento da economia na era Brezhnev (também conhecida como a “Era da Estagnação”) ela andou pelos 3% ou menos. Veja este texto, insuspeito por até ser bastante pró-Soviético.

          • De diz:

            Um comentário sobre a vergonha da parte de alguém
            Um comentário que devia envergonhar quem o escreve?
            O trabalho escravo como motor da prosperidade da economia soviética?
            Lol…só agora se lembraram disso?

            As vergonha desavergonhadas que andam por aqui.
            Uma tese interessante…para apreciar isso mesmo
            Ou seja:A falta de vergonha dos desavergonhados que sem vergonha escrevem
            Ah…!!!

    • Omega-3 diz:

      E agora o Ca+italismo é o sol da terra.A invasão da Checoeslováquia foi considerada como imperialismo.E agora,nada dizem contra a invasão dos paises pelos EUA?Que baixeza moral,intelectual.

      • Katulo diz:

        A grande diferença é que a invasão soviética da Checoslováquia e Hungria visou conservar um regime ditatorial. Ao invés, as invasões americanas do Iraque e Afeganistão tiveram como resultado a instauração de regimes democráticos nesses países.
        Uma diferença óbvia para quem não usa óculos ideológicos.

        • Rafael Fortes diz:

          Ah! Essas democracias profundas e respeitadoras dos direitos humanos, o Iraque e o Afeganist\ao…pois….

          • Katulo diz:

            O Iraque e o Afeganistão podem ainda estar muito longe do nível de democracia a que estamos habituados na Europa Ocidental, mas é inegável que o seu nível de democraticidade é agora muito maior que antes da intervenção americana. Há eleições razoavelmente livres, e algum nível de liberdade de expressão, associação e religiosa.

            Que grau de liberdade de expressão e associação houve depois das intervenções da URSS na Checoslováquia e Hungria? E sufrágio universal, algum?

        • De diz:

          Há coisas assim.
          As guerras “americanas”(este esquecimento da participação dos patifórios Blair e Aznar tem algum significado?Ou é apenas para esconder as mãos sujas do cúmplice José Manuel Barroso?) tiveram como resultado….
          Vamos fazer o joguinho habitual em Katulo.Vamos perguntar aos iraquianos,a cada um deles,se eles estavam melhor antes ou depois da introdução da democracia “made in América” propagandeada por Katulo.(Sem contarmos com as vozes das centenas de milhares de mortos ocorridas já no Iraque.Mas assacadas como crimes de guerra e genocídio para os criminosos Bush,Blair e tutti-quanti).A resposta?

          E não há qualquer coisa de sórdido quando se “esquece” o verdadeiro motivo apontado pelos criminosos para iniciar tal guerra?Não,não me refiro ao saque do petróleo e a outros saques .Refiro-me à tal história das armas de destruição maciça que um pária de um nosso dirigente partidário confirmou que tinha visto aquando da deslocação a Washington
          A memória tem coisas tramadas.Mas também serve para mostrar como os Katulos desta e doutras terras vão tentando reescrever a História e manipulando as opiniões
          Os óculos ideológicos têm destas coisas.Há quem os use e não goste que se reparem neles

          • Pedro Pousada diz:

            Katulo, ou antes “que tolo” és um ignoramius, espécie que só sabe bolsar asneiras angariadas no reader’s digest concerteza. Queres comparar a Hungria socialista que tinha nos idos de oitenta um nível de vida e de desenvolvimento social superior a Portugal (e agora está falida) com o Iraque pós Saddam? O que tens na mesopotâmia americanizada não é mais que um regime fantoche de fachada democrática minado pelo sectarismo e pelo entreguismo, onde todas as infra-estruturas essenciais foram sistematicamente reduzidas a escombros para levarem de regresso à idade pré-industrial aquela que foi a nação mais moderna e avançada do mundo árabe; obra feita através de uma guerra prolongada onde se usaram armas proíbidas e mercenários de todas as nacionalidades e que matou quase 1 milhão de iraquianos, guerra essa que hoje ainda continua a assassinar de forma planeada e sistemática intelectuais, cientistas e académicos.Só responder às tuas enormidades pôs-me mal disposto, vou beber uma água com gaz e vai criar um partido político cristão-democrata para o reino dos salafitas e depois vem-me falar de liberdade de expressão!

          • De diz:

            “as invasões americanas do Iraque e Afeganistão tiveram como resultado a instauração de regimes democráticos nesses países”.

            Esta frase é uma enormidade.De tal forma que Katulo foi obrigado a reformulá-la ( é que mesmo para a vulgar mentirola é preciso não cair no ridículo). Eis a nova fórmula:
            “O Iraque e o Afeganistão podem ainda estar muito longe do nível de democracia a que estamos habituados na Europa Ocidental, mas é inegável que o seu nível de democraticidade é agora muito maior que antes da intervenção americana”
            ( parece que o resultado já não é bem um resultado..é apenas um “nível” de resultado?

            Há qualquer coisa de nojento nisto tudo.Mais de UM MILHÂO de mortos depois..e vem Katulo falar em níveis de democracia e noutras tretas do género?
            Já para não falar na espécie de democracia implantada no Afeganistão,dominada na parte sob “custódia ocidental” por senhores da guerra e do ópio?

            Mas não há limites para a vergonha ou, como diria a minha avó,para o despautério?

          • Katulo diz:

            Se vocês não conseguem enxergar que, apesar de todas as insuficiências ainda existentes, o nível de liberdades política e cívica no Iraque e Afeganistão actuais são muitíssimo superiores ao que eram nos regimes anteriores então, meus tolinhos, não há nada há a fazer por vós. Afinal de contas, para ser comunista no séc. XXI é preciso um elevado déficit de racionalidade.

          • Katulo diz:

            Só um petulante pateta é que é capaz de ousar contestar a evidência histórica de que a Hungria comunista era uma ditadura e que a intervenção soviética de 1956 não teve outro objectivo senão a manutenção dessa ditadura. Só um petulante pateta é que é capaz de contestar essa evidência histórica com uma afirmação como: “Queres comparar a Hungria socialista que tinha nos idos de oitenta um nível de vida e de desenvolvimento social superior a Portugal”. Uma afirmação que nada contesta o facto de a Hungria ser um país onde não havia sufrágio universal, onde não havia liberdade de expressão, liberdade de associação, liberdade de emigração, liberdade política. Uma afirmação que estupidamente insinua que a Hungria dos anos 80 estava melhor do que agora. Foda-se, então os húngaros devem ser masoquistas para, em 20 anos, não só nunca terem votado para regressar ao regime comunista como ainda por cima terem eleito um governo de Direita nas últimas eleições! Um país de masoquistas na opinião do tonto Pedro Pousada!

          • De diz:

            .Há algo de “repulsivo,de verdadeiramente repulsivo” quando alguém fala em”apesar de todas as insuficiências ainda existentes, o nível de liberdades política e cívica no Iraque e Afeganistão actuais são muitíssimo superiores ao que eram nos regimes anteriores”
            Os mortos não contam,nem a destruição total de um país.
            O conceito de “liberdade” para este “tolinho” está encharcado em sangue
            E as coisas ainda se tornam mais pornográficas quando se sabe que os americanos vão sair do Afeganistão derrotados.E hoje parece que cumpriram a sina da liberdade mais 60 iraquianos mortos em atentados.A liberdade cívica no seu melhor lá para os lados da Mesopotâmia
            Katulo nem sequer tem vergonha?Ou apenas demonstra o que é um fulano como Katulo eivado de excesso de “cumplicidade”neste nosso século XXI?

          • De diz:

            Katulo,vamos responder-lhe meigamente,usando os seus termos:
            Só um petulante pateta é que é capaz de ousar dizer “as invasões americanas do Iraque e Afeganistão tiveram como resultado a instauração de regimes democráticos nesses países”.
            Só um petulante pateta é que é capaz de ousar dizer que é inegável que o seu nível de democraticidade é agora muito maior que antes da intervenção americana
            “Foda-se” katulo(O katulo mostra o nível da sua argumentação com os seus”foda-se”.Sigamos assim o exemplo “fodiano” de Katulo para demonstrar que por cá também não receamos tal tipo de argumentação)
            “Foda-se” Katulo,a Hungria parece mesmo que estava melhor que Portugal quando se comparam índices de desenvolvimento humano em 1975,1980,1985.”Foda-se” Katulo que só foi ultrapassada por Portugal na década de 1990.
            “Foda-se” katulo,então volta ao argumento das eleições?É como o argumento da democracia implantada no Afeganistão?Os votinhos usados quando se quer e esquecidos quando não se quer?
            Oh (“foda-se) Katulo,mas os iraquianos foram consultados sobre a democracia imposta pelas bombas pela corja assassina dos tais?
            E quanto às liberdades cardeais para este Katulo:”liberdade de expressão, liberdade de associação, liberdade de emigração, liberdade política”…é pouco Katulo.Queremos mais.Liberdade para gritar que estamos a ser explorados não nos basta.Não queremos ser explorados.Liberdade para emigrar também não queremos.Queremos não ter que emigrar.
            Mas tudo isto,eu sei,é demais para o Katulo.Faltam ainda umas tantas liberdades que o Katulo não expressa simplesmente por pura vergonha, a saber,a liberdade de explorar o próximo, de se apropriar do trabalho alheio,de invadir países para os saquear,de bombardear populações indefesas….
            Não katulo,não queremos essas suas “liberdades”.Não queremos aqueleas que pensa e não diz.E queremos bem mais do que as que diz.
            “Foda-se” Katulo

          • Pedro Pousada diz:

            Serei petulante e pateta e até tonto (quem não o é?)mas pelo menos escrevo com o meu nome e não me escondo atrás de pseudónimos “ó que tolo”; isso diz muito sobre o tipo de “pensador” que vossa insolvência é;sobre a invasão da Hungria em 1956 faço a mesma análise que faço do que está a acontecer na Líbia -intervenção ianque iniciada com actos de sabotagem e de provocação, liderança política fraca, corrompida e progressivamente dissociada dos sectores progressistas da sociedade hungara- com um acréscimo: a Hungria foi até 1945 um dos mais activos aliados do regime nazi, milhares senão dezenas de milhares de magiares integraram as Waffen SS e foram cúmplices nas matanças de judeus em Budapeste praticamente no fim da guerra, esses jovens da cruzada anti-bolchevique não se volatilizaram, eles entregaram-se às forças norte americanas, o Sr Allan Dulles que já desde a guerra civil de Espanha andava ocupado a infiltrar os grupos comunistas exilados e que reciclou todos os agentes da contra-espionagem e das actiivdades subversivas nazis viu nesses meninos de coro um óptimo exército clandestino introduzindo-os na Hungria com a finalidade de desestabilizar o novo regime, infiltrando-os em diferentes estruturas do Estado: A insurreição hungara foi basicamente uma caça aos comunistas disfarçada de revolução democrática e por alguma razão hoje em dia a direita hungara que destruiu progressivamente todos os direitos sociais adquiridos por décadas de socialismo (foi a preservação desses direitos que manteve até agora o regime dito democrático mas paenas capitalista) utiliza a bandeira nacionalista e tenta proibir a existência de organizações de esquerda que se revejam na experiência socialista. Como deves comer todos os dias a papinha troglodita do anticomunismo não consegues explicar-me em que é que o Iraque que ainda hoje foi o que se viu é mais livre do que a Hungria socialista ou como é que no Afeganistão dos Dostum, dos Hekmatyar, dos traficantes de ópio, dos drones norte-americanos e dos casamentos aos doze anos, as mulheres estão mais emancipadas; se te deres ao trabalho de investigar descobrirás que em Cabul senão no Afeganistão o dirigente mais popular não é o senhor Karzai ou sequer o mujahedin Masood fulminado convenientemente pelo Bin Laden (esse idiota útil do imperialismo) a mando dos sauditas e da CIA que não o gramava mas o martirizado Dr.Najibullah ùltimo presidente da República Democrática do Afeganistão onde as mulheres não só eram livres como participaram activamente na construção de um novo projecto de sociedade.O Youtube está cheio de vídeos laudatórios desse dirigente abandonado pelo mundo e entregue à vingança dos serviços secretos paquistaneses. Abre os olhos pateta e indigna-te com o que os teus senhores andam a fazer na Líbia, já nem falo do Iraque ou do Afeganistão.Não tens nada para dizer sobre as guerras coloniais do séc.XXI, sobre a a fome na Somália desencadeada não por esta guerra civil mas décadas atrás quando o FMI por ali entrou (muito antes dos salafitas e dos piratas) e levou com as suas políticas económicas profundamente democráticas e humanistas à destruição da pastorícia nómada e dos pequenos agricultores, ao empobrecimento em grande escala da populção rural e ao depauperamento da actividade económica urbana? Nada, nadinha? Foram esses tipos que agora por aqui andam que semearam esses ventos de morte.

          • alb diz:

            Permitam-me só que meta a minha colherada neste tema da Hungria pois é algo que me é relativamente próximo.

            Realmente a partir dos anos 60 a Hungria passou a ter uma economia bastante boa pelos padrões da Europa de Leste. Era até considerada a “barraca mais alegre do comunismo”. Tal deveu-se à política denominada Novo Mecanismo Económico (NME) avançada por Janos Kadar. A NME introduziu alguns mecanismos de mercado na economia húngara, permitiu a importação de produtos do Ocidente, exportação para o Ocidente, autorizou a existência de pequenas empresas privadas (mesmo no sector dos serviços) e criou um sistema de liberalização de preços em algumas áreas.

            O novo sistema, a que humoristicamente chamariam “comunismo goulash” (que se pode traduzir por algo como “comunismo feijoada”), apesar de nos anos 80 já acusar alguma estagnação e de ter multiplicado a dívida externa do país em 15 vezes (!) durante um período de 20 anos, constituiu uma das primeiras experiências de adição de alguns elementos de capitalismo a uma economia comunista após o curto êxito que foi a Nova Política Económica de Lenine nos idos anos 20.

            O comunismo goulash também serviu para preparar melhor a Hungria para a transição para o capitalismo — que seria mais suave do que em outros países de Leste. O nível de vida da população praticamente não sofreu com a transição. Viria mesmo até a crescer continuamente ao longo dos 20 anos que se seguiram.

            Já quanto a eleger a Hungria como exemplo de sucesso do Comunismo, é necessária alguma prudência. A vantagem que a economia húngara adquiriu deveu-se sem dúvida aos elementos de economia de mercado introduzidos por Kadar, no que representou um certo afastamento da “pureza socialista”. Salvaguardadas as devidas distâncias, assemelhar-se-ia a atribuir o sucesso da economia chinesa dos últimos 20 anos à doutrina socialista.
            Outro argumento que deve ser levado em conta é o da economia húngara ter melhorado de forma clara após a transição para o capitalismo. Talvez, por essa razão, haja na Hungria das menores percentagens de saudosismo pelo anterior regime de todos os países do antigo Comecon.

          • José diz:

            “(…)Hungria parece mesmo que estava melhor que Portugal quando se comparam índices de desenvolvimento humano em 1975,1980,1985.”Foda-se” Katulo que só foi ultrapassada por Portugal na década de 1990.”

            Como o índice de desenvolvimento humano (IDH), de que o De fala tão sabiamente, só foi criado em 1990, e usado a partir de 1993, é natural que apenas na década de 1990 a Hungria tenha sido ultrapassada por Portugal…
            Curioso que existam registos, decerto muito fiáveis, sobre um índice criado em 1990 e aplicado a realidades ocorridas 15 anos antes…
            Divertido este De…

            Por outro lado, percebe-se que a liberdade de expressão e de decisão e manifestação política não interessa para alguns dos comentadores, inclusivé o humorista De.
            Pois terá sido essencialmente isso que faltava aos povos que deixaram cair os regimes em 1989.

          • Katulo diz:

            Há algo de repulsivo, de verdadeiramente repulsivo quando alguém fala nas supostas virtudes dos regimes comunistas.
            Os mortos não contam, os presos políticos não contam, os torturados não contam, os perseguidos e os intencionalmente mortos à fome não contam.
            O conceito de “progresso” para este melro está encharcado em sangue.
            E as coisas ainda se tornam mais pornográficas quando se sabe que todos os povos sob o comunismo anseiam pelo fim do regime e, mal lhes é dada a oportunidade, abraçam o capitalismo para nunca mais voltarem atrás. Não querem voltar a ser oprimidos.
            O “De” nem sequer tem vergonha? Ou apenas demonstra o que é um tolinho de extrema-esquerda que em pleno séc. XXI ainda defende um sistema político anacrónico, que deu repetidas provas de ser pior que o capitalismo, e que foi responsável por alguns dos maiores crimes de sempre contra a humanidade?
            Não tem vergonha?

          • De diz:

            Os registos sobre os Indíces de Desenvolvimento Humano existem e estão publicados..Há registos desde 1975.A fiabilidade destes não me compete nem a mim nem a José apurar.Ao que parece não são alvo de contestação.
            Divertido este José?
            Não,apenas a tentar mascarar a realidade,como pode.E pode pouco
            Quanto à liberdade de expressão e de manifestação política são relevantes e necessários.Devem ser garantidos.Como aliás explicita o próprio texto aposto pelo Rafael Fortes
            Que o José não o tenha lido não admira.Continua a tentar poder mais do que de facto pode

          • De diz:

            A “resposta” de Katulo reflecte a profunda irritabilidade do “melro”
            Apontado como um indíviduo sem escrúpulos,cúmplice da maior mortandade do século,apoiante de invasões vergonhosas,Katulo parece que não se veda e agita-se.

            Há algo de repulsivo, de verdadeiramente repulsivo quando alguém fala sobre os mortos provocados no Iraque e no Afeganistão
            Os mortos não contam, os presos políticos não contam, os torturados não contam, os perseguidos e os intencionalmente mortos à fome não contam.
            O conceito de “progresso” para este melro está encharcado em sangue.
            E as coisas ainda se tornam mais pornográficas quando se sabe que todos os povos sob as botifarras dos americanos e seus cúmplices anseiam pelo fim da ocupação e, mal lhes é dada a oportunidade, fazem um manguito aos americanos para nunca mais voltarem atrás. Não querem voltar a ser oprimidos.
            O Katulo nem sequer tem vergonha? Ou apenas demonstra o que é um tolinho de extrema-direita que em pleno séc. XXI ainda defende um sistema político anacrónico, que deu repetidas provas de ser pior que o socialismo, e que foi responsável por alguns dos maiores crimes de sempre contra a humanidade?~

            Katulo estrebucha e fala sobre os países socialistas ( a ignorância do “melro” é tanta que nem sequer sabe muito bem o que os países são ou não).Fala com o ódio vesgo de alguém que tem que demonstrar uma coisa.Que tem que demonstrar que não há alternativa ao modelo liderado pelo país com mais sangue inocente nas mãos.E tudo lhe serve.O ranger dos dentes e os comentários adequados aos extremistas de qualquer outra região.
            A resposta a este “passarão” (para manter o nível de linguagem deste Katulo) foi já abordada ao seu colega Vasconcelos.Adivinha-se o medo.Adivinha-se a raiva.
            Sabem porquê?
            É que o comentário semi-histérico de Katulo,semi-eivado de falsidades e de rancores profundos,escondendo os crimes dos seus apaniguados e entrando na mais despudorada tentativa de bestialização, tenta ocultar uma coisa.Tão simples como esta:
            ” Quando uma empresa é mal gerida vai à falência. Quando um país é mal gerido entra em bancarrota ou tem que sujeitar-se às condições de quem o socorre. C’est la vie”
            O que o “rapaz” tenta esconder e proteger !!!
            O que o “rapaz” oculta é mesmo isto. Perante a perspectiva dos portugueses recusarem o fardo da responsabilidade dos chacais que detém o poder económico, servido pelo poder político venial e corrupto,Katulo tem que saltar e gritar.O papão do comunismo.Os malfeitores.Os salteadores da arca por achar
            O mundo está uma desgraça.Katulo tem que proteger o seu mundo.E precisa da artilharia dos que serve.É que nunca passaria pela cabeça dos Katuos que afinal o ideal se mantivesse vivo tanto tempo após a queda do muro de Berlim
            Ninguém nega os erros e os excessos.De resto o próprio texto que despoletou isto começa por o dizer.Histérico Katulo berra e barafusta.
            O barulho para amedrontar e para fazer poeira?
            Decerto
            O “rapaz” que mostra desconhecer coisas tão básicas como “china pré-capitalista” tem esta pecha.Só pode recorrer ao jargão ultra-montano.E usa e abusa dele.
            O medo também passa por aqui
            As alternativas existem.A crise do capitalismo que se mostra profunda e abissal tem afinal saídas possíveis.Katulo quer que obedientemente sigamos as instruções dos que nos “ajudam”.Não se sabe se por falta de coluna vertebral ou simplesmente por estreiteza ideológica,Katulo obedece reconhecido à troika e ao governo.Com a genuflexão própria de quem é.
            E não é que quer que nós façamos o mesmo?

            E que tal um real manguito ao “c`est la vie” do Katulo?

          • Katulo diz:

            Obrigado ao “alb” pela contribuição informada e por nos mostrar a verdade sobre a Hungria.

          • De diz:

            Acho que a contribuição do Alb foi útil.
            Mas este comentário de Katulo é por deveras significativo da forma de “emprenhar do “rapaz”:Obrigado por nos mostrar a verdade sobre a Hungria.”diz contrito.
            O “rapaz”ainda não percebeu que não há uma verdade?E que ela não surge de escantilhão qual revelação divina aos olhos de Katulo?
            É isto que depois tenta argumentar?São as suas verdades?As ouvidas na esquina e logo reproduzidas porque agradam ao ideário do sujeito em causa?

          • José diz:

            “Os registos sobre os Indíces de Desenvolvimento Humano existem e estão publicados..Há registos desde 1975.A fiabilidade destes não me compete nem a mim nem a José apurar.Ao que parece não são alvo de contestação.”
            Brilhante!
            Os registos existem e estão publicados.
            A fiabilidade não pode nem deve ser contestada!
            Um índice que foi criado em 1990 e reconhecido em 1993, retroage 15 anos e tudo bem?!…
            Não se contesta a sua aplicação nem se duvida da sua fiabilidade?!
            Amen do “De”, porque sim…
            Brilhante argumentação, repito.

            Direitos de liberdade de expressão, de DECISÃO e manifestação política é tudo o que não havia nos países do Pacto de Varsóvia, nem há nos países que se assumem comunistas, como a China, Cuba, Vietname ou Coreia do Norte, ou nos países que assumem outras tendências totalitárias, designadamente religiosas, como o Irão ou a Arábia Saudita.
            O “De” tem que se preocupar mais com os seus argumentos e com a fiabilidade dos dados que espalha pelo ar, em vez de fazer juízos de valor sobre outrm.
            Leia, De, leia, que só lhe faz bem e, quando tiver desinteria, vá à sentina em vez de aqui vir escrever.

          • José diz:

            “O “rapaz”ainda não percebeu que não há uma verdade?”
            Claro que não. Os factos que não agradam ao “De” deixam de ser verdade…

          • De diz:

            Eu torno a repetir para até o José tentar perceber:
            ““Os registos sobre os Indíces de Desenvolvimento Humano existem e estão publicados..Há registos desde 1975.A fiabilidade destes não me compete nem a mim nem a José apurar.Ao que parece não são alvo de contestação.”
            Brilhante!
            Os registos existem e estão publicados.
            A fiabilidade não pode nem deve ser contestada!
            Um índice que foi criado em 1990 e reconhecido em 1993, retroage 15 anos e tudo bem?!…
            Não se contesta a sua aplicação nem se duvida da sua fiabilidade”
            O resto que o José escreve,perdoe-se a frontalidade, é de alguém um pouco tonto e malcriado que nem sequer merece uma resposta maior
            Há coisas assim

          • José diz:

            LOL
            O “DE” repete o que outros escrevem, como forma de argumentação, finalizando com insultos ad hominem.
            Este DE é mesmo um humorista! Como palhaço é dificil fazer melhor!…

          • De diz:

            Palhaço por acaso é uma profissão digna.
            José dixit :”Leia, De, leia, que só lhe faz bem e, quando tiver desinteria, vá à sentina em vez de aqui vir escrever.”
            Os qualificativos de tonto malcriado não cairam bem no José
            Vamos passar a coisas mais substantivas:”Há muito atum na costa algarvia mas Bruxelas deu a Espanha quota de leão”
            Ao que parece Cavaco teve uma fortíssima responsabilidade.
            Os neo-liberais são assim.E nunca são palhaços.
            Entretanto preparam-se para continar a hipotecar o país..

        • Carlos Carapeto diz:

          O Katulo é uma tristeza. Dedique-se a estudar um pouco mais de história e depois logo vem para aqui dar as suas opiniões. Porque o que está a fazer agora é a imitar a voz do dono. Cuidado não o mande ele ladrar ou zurrar.

          Se a NATO foi libertar o Iraque e o Afeganistão quem acha que deve vir libertar os países da NATO?

          E a invasão da Guatemala, da Republica Dominicana , das Honduras, do Panamá e outras mais, para que serviram? A sua liberdade impõe-se com canhoeiras, bombas e à ponta da baioneta? Não diga disparates. Você não é democrata coisa nenhuma, é um maníaco do crime e da opressão.

          • Katulo diz:

            Maníacos do crime e da opressão tenho estado a lê-los aqui nestas caixas de comentários, sendo o Carlos Carapeto um desses maníacos mais destacados. A forma despudorada como branqueia os inexcedíveis crimes do Comunismo é uma vergonha.

            O Carlos Carapeto é uma tristeza. É o protótipo do religioso fanático que, perante as evidências históricas, se atreve a ignora-las. Carlos Carapeto é o tipo de indivíduo que alegre e convictamente comandaria um qualquer campo de trabalhos forçados / extermínio na Sibéria ou na Coreia do Norte. Felizmente para a humanidade que torcionários fanáticos com o Carlos Carapeto são uma espécie em declínio.

          • De diz:

            Não gosta do que lê?
            Katulo,não gosta do que lê porquê?
            Porque ameaça o seu mundo em decomposição?
            Maníaco do crime e da opressão o Katulo não é um dos maníacos mais destacados.Há coisas piores.Lastima-se Katulo.Mas a forma despudorada como branqueia os inexcedíveis crimes do Capitalismo é uma vergonha.
            Uma tristeza este Katulo. É o protótipo do religioso fanático que, perante as evidências históricas, se atreve a ignorá-las. Katulo é o tipo de indivíduo que alegre e convictamente comandaria um qualquer campo de trabalhos forçados / extermínio no Iraque e no Afeganistão Felizmente para a humanidade que torcionários fanáticos com o Katulo são uma espécie em declínio.
            Mas uivam quando se toca no dinheiro.E querem-nos colocar a pagar os desmandos do capital
            Um manguito Katulo

          • José diz:

            “Não gosta do que lê?
            Katulo,não gosta do que lê porquê?
            Porque ameaça o seu mundo em decomposição?
            Maníaco do crime e da opressão o Katulo não é um dos maníacos mais destacados.Há coisas piores.Lastima-se Katulo.Mas a forma despudorada como branqueia os inexcedíveis crimes do Capitalismo é uma vergonha.
            Uma tristeza este Katulo. É o protótipo do religioso fanático que, perante as evidências históricas, se atreve a ignorá-las. Katulo é o tipo de indivíduo que alegre e convictamente comandaria um qualquer campo de trabalhos forçados / extermínio no Iraque e no Afeganistão Felizmente para a humanidade que torcionários fanáticos com o Katulo são uma espécie em declínio.
            Mas uivam quando se toca no dinheiro.E querem-nos colocar a pagar os desmandos do capital
            Um manguito Katulo”

            Que originalidade! Que argúcia na argumentação!
            Técnicas retiradas dos melhores manuais de retórica, as utilizadas pelo “De”!

            Diga qualquer coisa, homem! Não se limite a repetir os outros e a insinuar algo sobre cada um!…

          • De diz:

            Eu torno a repetir para o José ,até mesmo o José perceber.
            ““Os registos sobre os Indíces de Desenvolvimento Humano existem e estão publicados..Há registos desde 1975.A fiabilidade destes não me compete nem a mim nem a José apurar.Ao que parece não são alvo de contestação.”
            Brilhante!
            Os registos existem e estão publicados.
            A fiabilidade não pode nem deve ser contestada!
            Um índice que foi criado em 1990 e reconhecido em 1993, retroage 15 anos e tudo bem?!…
            Não se contesta a sua aplicação nem se duvida da sua fiabilidade?!”
            Quanto ao resto,não posso fazer mais.
            O José está agora de serviço e foi encarrregue de algo mais?

          • De diz:

            Eu não torno a repetir apesar do José não ter percebido.
            O José está a passar por um mau bocado.
            (A persistência da disenteria afecta-lhe a capacidade de raciocínio e o nível da argumentação?Esta é apenas a resposta ao seu comentário com características idênticas que o José mandou.O original não é meu)
            Isso é penoso para quem lê.
            Por isso José paciência.A sua originalidade e argumentação,retirada dos manuaís de retórica que usa não lhe permite mais nada do que isso?

            Este texto aqui colocado por si,que repete um comentário meu, foi em grande parte a cópia de um do seu amigo Katulo.
            Que eu utilizei,como utilizo alguns dos seus nacos de prosa,apenas e tão só para caracterizar “classes”assim
            ( e entenda a palavra classe apenas como categoria utilizada na classificação dos seres vivos)

          • José diz:

            LOL
            Parece o coelhinho da Duracell, repete e repete e repete e repete, sempre repetente o De, sempre sem nada para dizer a não ser a crítica inócua e ad homenm, vazio perfeito de ideias, ignorância sustentada em repetições.
            Mesmo piadético este De…

          • De diz:

            Um riso um pouco néscio
            Percebe-se porquê
            Mas vamos a algo bem mais significativo.
            A dia 18 de Agosto de 1936 era assassinado Federico Garcia Lorca.Tinha apenas 38 anos.
            Sucumbiu às mãos da besta fascista

        • Vasco diz:

          O Bush não diria melhor! Então se é assim porque é que esses povos não querem ser «salvos» (ou melhor será dizer Mortos?).

          E porque não “libertam” a Arábia Saudita, essa aberração? Ah, é amiga deles. Pois.

          • Katulo diz:

            E quem lhe diz que a maioria do povo Iraquiano não gostou de ver Saddam derrubado? E quem lhe diz que a maioria do povo Afegão não gostou de ver os Talibãs derrubados?
            Sabia que até a população das zonas fronteiriças paquistanesas onde tem havido ataques de drones são os que mais apoiam esses ataques?

            Quanto à Arábia Saudita, concordo consigo. É uma aberração de regime. Ainda assim, os seus cidadãos conseguem ter acesso à Internet e a televisão por satélite, coisas impossíveis na Coreia do Norte.

          • De diz:

            Katulo presume que…
            Katulo desiste da consulta popular,a que ele se atrela para os (seus) efeitos a cumprir
            O método científico de Katulo afinal reduz-se a “e quem lhe diz que…”
            Ah,parece que consultou as populações locais sobre o ataque com drones.E parece que tal “acontecimento” lhe permite aferir a sua presunção…
            Isto é a sério?

            A questão poderia ser levada para a brincadeira se não tivesse morrido tanta gente
            e se o mundo hoje não estivesse bem pior devido a estes assassinos de massas
            E é por isso mesmo que não posso deixar passar tal questão em branco.
            Sobretudo vinda de quem é

        • Daniel Nicola diz:

          democracias? óh homem, aí não há historiador que o corrobore… se for o nosso fantoche é democracia, se for um fantoche dos “outros” (lembra-se do resultado da vitória democrática do Hamas?) aí é terrorismo, ou ditadura sanguinária.
          Se fossem guerras humanitárias que movessem o capital, os cenários tinham-se deslocado para a Somália, não? é o pai natal e no uncle sam libertador dos povos… mas na Somália nada há para além de miséria. E terrorismo. Não andavam a combatê-lo? então ide, e já! Ah pois, já foram, para o mar porque em terra só há fome e desgraça. Proteger os cargueiros que ali lavam os porões e despejam toda a merda e os arrastões que tudo arrastam nas suas grandes redes de vão pequeno… E não confunda “historiadores” com apresentadores da Fox News ou wathever…

      • Carlos Carapeto diz:

        Vergonha é aquilo que você escreve.

        Vendeu para onde? Diga. Sabe quais foram as colheitas de cereais de 1932/33/34/35 e 36? Se soubesse de certeza que não se atrevia a colocar aqui tantas alarvidades seu palerma. Não merece ser tratado de outro modo, porque quem não respeita não deve ser respeitado.

        Quem precisa ser internado no Gulag de Bagram, ou Guatanamo é você.

        E os progressos cintificos e tecnológicos, foram alcançados por burros iguais a si?

        • Sakarov diz:

          Por este comentário e pelo desavergonhado negacionismo histórico, o Carapeto revela bem como Estaline está bem vivo em algumas cabeças… O que o Carapeto escreveu é tão desprezível como negacionismo do Holocausto ou o negacionismo do genocídio arménio. É igual.
          Nem o facto de o carácter intencional da fome de 32-33 ter sido oficialmente admitido durante a Perestroika é suficiente para ele. Para este Carapeto a Perestroika já não deve ser um período de confiança, foi uma operação contra-revolucionária preparada para denegrir os gloriosos feitos do passado soviético!…
          “Vendeu para onde?” — pergunta ele! Queres fotocópias das facturas e das guias de transporte, é isso que precisas, seu nojento suíno estalinista? Muito provavelmente nem isso te convencerá!

          Lê o seguinte documento, está muito claro:
          http://www.paulbogdanor.com/left/soviet/famine/ellman1933.pdf
          Queres mais, suíno estalinista? Então lê isto:
          http://sovietinfo.tripod.com/WCR-Scale_Repression.pdf
          Se souberes russo, lê isto:
          http://www.rusarchives.ru/publication/famine/famine-ussr.pdf
          Se ainda assim não chegar então não te poderei ajudar. Precisas de um cirurgião para para te desligar a ligação directa que deves ter do intestino ao cérebro.

          Tipos como tu são muito crédulos em relação a tudo que possa implicar regimes democráticos. Mas sobre os crimes do comunismo, por mais documentados que estes estejam, por mais que estudados que tenham sido, mesmo até que tenham já sido admitidos ao mais alto nível, suínos como tu negarão sempre os factos. Mais do que seres um porco sectário, o desprezo que revelas por milhões de vítimas é nojento. Suicida-te, animal.

          • Carlos Carapeto diz:

            SAKANOV.

            Devolvo-lhe todas as prebendas com que me presenteia.

            Já tive ocasião de lhe dizer que não meto a minha cara onde você mete o focinho para revolver o lixo da inforpédia.

            Cresça e instrua-se.

            A minha educação, a minha estatura moral e condição de classe impedem-me que dialogue com pessoas da sua índole. Fascistas entendo-me bem com eles só de fuzil na mão.

        • Gentleman diz:

          Carapeto, você bateu no fundo…
          Até o parlamento ucraniano já solicitou à ONU que a fome de 1932-33 seja internacionalmente reconhecida como genocídio.

          “Holodomor” é a palavra que deves pesquisar para saberes mais sobre o assunto.
          O presidente Viktor Yushchenko declarou em 2007 até que quer uma nova lei que criminalize a negação do Holodomor, tal como em vários países europeus existem leis que criminalizam a negação do Holocausto.

          Em 2006, os serviços de segurança ucranianos desclassificaram mais de 5000 páginas de documentos sobre o Holodomor. Estes documentos mostram como o regime soviético discriminou a Ucrânia ao não dar-lhe a mesma ajuda humanitária dada a regiões fora dela. As exportações de cereais não são especulações. 1.8 milhões de toneladas de cereais foram efectivamente exportadas durante o pico da fome. Os estudos de Michael Ellman da Universidade de Amsterdão detalham com rigor estes factos.

          • Carlos Carapeto diz:

            Yushenko também elegeu Stefan Bandera como herói nacional, eregeu-lhe uma estátua. Um colaborador das forças de ocupação nazis, que fazia o trabalho sujo da Gestapo.

            Yanokovich (atual presidente) retirou-lhe todas as honrarias. Devia ter escrito isto também poupava-me algum trabalho.

            Quanto ao Holodomar,não devia perder qualquer tempo com quem está intoxicado até ao ultimo gene do ADN, com propaganda de cariz neonazi, que é o seu caso.

            No entanto vou martirizar as minhas pobres sinapses para esclarecê-lo sobre algumas coisas que ignora.

            A campanha de desinformação sobre esse assunto foi inventada por um tal William Hearst, um magnata da imprensa Americana amigo pessoal de Hitler. Mais tarde Robert Conquest um ultra direitista publicou um livro sobre o mesmo assunto. Foi rodado um filme com o titulo ” The Harvest of Despair” que utilizou material fornecido por Conquest.

            Depois disso o jornalista Canadiano Douglas Totte no seu livro “Fraud, Fome e Fascismo e o genocidio na Ucrânia” desmontou rigorosamnete essas falsificações.

            Muitas das cenas e fotografias que aparecem no filme, são do tempo da guerra civil.
            Mas isso é muito mais complicado ainda, porque mete criminosos evadidos das prisões Americanas, pagos por Hearst. Um tal Thomas Walker de nome verdadeiro Robert Green armado em jornalista, que nunca esteve na Ucrânia mas apresentou material como lá tivesse ido, é uma mixórdia de mentiras e falsificações iguais às que você aqui colocou.

            Por outro lado, vou-lhe dizer-lhe frontalmente sem rodeios que é absolutamente mentira essa tal venda de trigo. Repito é mentira. Nos arquivos Soviéticos não consta lá nada disso e 1.8 milhões de toneladas de cereais não se levam num bolso. Como também é mentira esses milhares de páginas de que fala

            Como também continua a mentir quando diz que a Ucrânia foi descriminada na ajuda de bens alimentares. A escassez de cereais não afetou só a Ucrânia, devido a dois maus anos agricolas consecutivos outras regiões foram igualmente atingidas, se soubesse isto não me contemplava com o churrilho de asneiras que colocou no seu comentário.

            Em Julho de 1933 o problema foi resolvido, foi um excelente ano de produção de cereais.

            Responda-me a esta pergunta. No site que está no seu comentário constam lá 10 milhões de mortos. Herst fala em 6 milhões e Conquest diz que foram entre 15 e 20 milhões.
            Não me proponho discutir matemáticas macabras. Mas destes numeros qual e o verdadeiro?

            Como já tinha escrito num outro meu comentário. Não é preciso declarar que se admira fascistas, basta divulagar aquilo que eles dizem.

          • Gentleman diz:

            Carapeto, pela sua própria pena acabou de confirmar que realmente você bateu no fundo.
            Você é perfeitamente patético e diria mesmo nojento na tentativa de se agarrar a qualquer réstia de dúvida que possa pairar sobre um das maiores crueldades de sempre praticadas por um regime político. Comportamento típico de um agente de propaganda de uma ditadura.

            As suas fontes? Um certo jornalista canadiano. Ora Carapeto, não insulte a sua já martirizada inteligência, muito menos as dos leitores!! Reputados académicos têm vindo ao longo dos últimos 20 anos a estudar milhares de documentos, trabalhos escrutinados pela comunidade científica, e vem este Carapeto agora socorrer-se de um obscuro jornalista. Não seja ainda mais ridículo do que já tem sido!

          • De diz:

            Ah.O peso dos reputados académicos.O enorme peso que os académicos reputados têm…
            O peso é tão grande que de tão pesados ficaram a meio caminho…
            enterrados

            Como aqui
            Já verificaram o peso que os nossos académicos pesados e rotundos têm nos nossos media?
            Já verificaram o modo como eles se agitam na comunicação social?
            jà os toparam?
            Dizem todos o mesmo
            Será por isso que os nossos pesados académicos são convidados?

            Por exemplo.Pré-crise do sistema financeiro
            Os nossos reputados académicos a palrarem sobre a economia
            Era um fartote
            A economia de mercado.O poder do estado,melhor o deixar o estado às mãos da economia de mercado.A livre iniciativa como motor da economia.A ausência de regulamentação como motor do motor da economia.Eles diziam a várias vozes oque podia dizer só um
            (e já havia vozes discordantes.Alguém as ouviu?)
            Pois…foi o que se viu
            No campo das ideias era vê-los aos tais reputados académicos afundados na sua ignorância, incompetência ou cumplicidade.

            Foram todavia todos desenterrados
            E reaproveitados como doutos académicos exactamente ao serviço dos mesmos que já os domavam
            a esses doutos e reputados académicos

    • Vasco diz:

      Não era seguidismo, não. Pelo contrário. A direcção do PCUS entendia que Portugal só se poderia libertar do fascismo depois de Espanha – tese que o PCP sempre rejeitou e que, como se viu, se veio a concretizar. As opiniões do PCP sobre os países de Leste e o socialismo eram transmitidas aos dirigentes desses partidos em reuniões bilaterais mantidas ao longo dos anos. Agora, vir para a praça pública criticar os países e os partidos que, bem ou mal, com assinaláveis êxitos e também com falhas e atrasos, construíam o socialismo é que não. Nem tudo na vida é a preto e branco, meu caro…

  5. Tiago Resende diz:

    Olha só a nojenta e ignóbil nota que o PCP lançou em 89. Só mesmo o PC para escrever algo tão alheado da realidade

    • Rafael Fortes diz:

      isso é só para o insulto ou está interessado no debate?

      • Tiago Resende diz:

        Não é insulto nenhum, é a realidade exposta sem contornos. Se te sentires insultado Rafael, a culpa não é minha. A verdade é que esta nota ridícula do PC só revela o seu alheamento quanto à realidade do Mundo em 1989

        • Omega-3 diz:

          Espertinho,e o cque medizes dos grandes standards de vida dos ex-paises socialistas?É que acabei de lá vir e a pobreza,a corrupção,a miséria,a falta de saude é enormissima-é assim,a superioridade moral do capitalismo.

          • Tiago Resende diz:

            Standards de vida? Não será níveis de vida que tu queres dizer, espertinho?

            Diz-me lá de que país vieste recentemente. Diz-me também se conheces alguma coisa desse referido país aquando da sua “participação voluntária” no bloco comunista!

        • Rafael Fortes diz:

          se quiser desenvolver, estou aqui para debater, mas até agora são só frases feitas

          • Tiago Resende diz:

            Não são nada frases feitas Rafael. Experimenta ler a nota, se é que a leste, e enquadrá-la na realidade de 1989. Se e quando o fizeres repararás no seguinte: o PCP (partido do qual presumo sejas militante) estava em 1989, tal como está em 2011, a viver numa realidade alternativa em que o comunismo era/é uma maravilha para todos. Até parece que não leram as coisas que escreveram sobre os países de Leste. Aliás, muitos dos militantes da altura nem devem ter posto os pés nos países de Leste…

            Aqui fica uma boa frase da dita nota que ilustra bem o pensamento alheado do PC: “Ao mesmo tempo que o PCP expressa a sua activa solidariedade para com os partidos comunistas e operários dos países socialistas e faz votos pelo êxito dos processos em curso para reestruturação, consolidação e renovação das sociedades socialistas, expressa a sua preocupação com processos que revelam descrença do socialismo e põem mesmo em causa algumas das suas conquistas e valores essenciais e com o avanço e agressividade política e ideológica das forças anti-socialistas abertamente estimuladas e apoiadas pelo imperialismo.”

          • De diz:

            “Experimenta ler a nota se é que a leste…” significa exactamente o quê?
            Que a maioria dos Resendes nunca terão posto os pés nos países do leste?
            As frases feitas começam por ser pequenos insultos à honestidade de outrém?
            A realidade alternativa deixa de ser real por não ser alternativa?Ou deixa de ser alternativa pelo facto de não ser real?
            E o que se lê por ai sobre o que “escreveram sobre os países de leste”? significa exactamente o quê?
            O que se disse antes da invasão do Iraque?O que se escreveu antes da invasão do Iraque?Agora muitos dos escribas que acumularam tantos conhecimentos antes dos crimes estarão arrependidos do que disseram.
            É uma pena nem todos lerem as cartilhas oferecidas pelo Resende da forma universal como o faz..”Até parece que não leram as coisas que escreveram sobre os países de Leste”
            Até parece que não lemos outras coisas que o Resende não quer que as tenhamos lido

          • Tiago Resende diz:

            E que tal um comentário normal ó De? Que tal algo que faça sentido?

          • De diz:

            Resende posta um comentário em que me diz:”E que tal um comentário normal ó De? Que tal algo que faça sentido?”

            Pouco antes ele,Resende,postara algo como isto:”Olha só a nojenta e ignóbil nota que o PCP lançou em 89″

            Esta é uma nota minimalista para avisar Resende que nunca irei publicar os “comentários normais” à laia do Resende e que ele parece apreciar
            tanto

            Quanto ao sentido que parece escapar a Resende…estude,Resende,estude que chega lá (português,claro)

    • Vasco diz:

      Nojenta? Ignóbil? Que deveria ter dito, ó nojento? Que o capitalismo made in USA é que é bom, com o seu rasto de guerras, destruição, morte e fome? Nunca o diremos, por mais «nojento» que o aches.

  6. Dédé diz:

    “a partir de meados da década de 50”

    Ou seria a partir de meados da década de 30 ?

    • Tiago Resende diz:

      Ou a partir de meados da década de 20

      • Vasco diz:

        Em 1917, a Rússia era um país feudal com a maioria esmagadora da sua população na mais completa servidão e analfabetismo. A partir de 1917 – mas sobretudo nos anos 30 (ainda tiveram uma guerra civil) – era uma das nações mais avançadas do mundo, com uma taxa de crescimento económico brutal e com a generalidade da população empregada e com razoável nível de vida, sobretudo nas cidades – ao mesmo tempo que o mundo se afundava na crise e no fascismo. Eu sei que isto não cabe nos teus trâmites de comunismo/mau vs. capitalismo/bom mas esse já não é o meu problema…

  7. Horizonte XXI diz:

    “O que foi derrotado não foram os ideais e o projecto comunistas, mas um «modelo» historicamente configurado, que se afastou, e entrou mesmo em contradição com características fundamentais de uma sociedade socialista, sempre proclamadas pelos comunistas, onde são indispensáveis entre outras a democracia política e a liberdade.”

    A questão é que ao nível das ideologias todos os conceitos parecem perfeitos, o capitalismo na sua teoria também parece equilibrado, (oportunidades iguais para todos e blá blá blá) a questão é: o que fazem os homens a uma determinada ideologia? ou o que permite uma ideologia que os homens façam dela?
    Tenho para mim que a grandeza de um ideal sucumbe sempre á permissividade da sua representação.

  8. ze manel diz:

    da mesmíssima nota de 1989:
    “O Programa do PCP aponta características da sociedade socialista que propõe para Portugal. Entre elas (desfazendo as campanhas de deturpação e mentiras acerca dos objectivos dos comunistas) o poder dos trabalhadores, a democratização de toda a vida nacional, a garantia das liberdades democráticas, o respeito por opiniões, interesses sociais e aspirações diferenciadas, a realização de eleições com a observância estrita da legalidade pelos órgãos do poder, e a coexistência das diversas formas de organização económica (incluindo empresas privadas) a par da propriedade social dos principais meios de produção, a libertação dos trabalhadores de todas as formas de exploração e opressão, o respeito pela dignidade e personalidade de cada cidadão, a erradicação dos grandes flagelos sociais, a transformação da cultura em património, instrumento e actividade de todo o povo.
    Estas e outras características essenciais da sociedade socialista por que lutamos e propomos ao povo português, são largamente desenvolvidas no Programa do PCP aprovado no XII Congresso.

    Quem queiras conhecer o que quer e quais os objectivos de luta do PCP, e que sociedade construirá no dia em que o povo português lhe confie o governo, não se oriente pelas falsidades da propaganda anti-comunista: leia o Programa do PCP e observe como procedem e o que realizam os comunistas na sua intervenção nos mais variados sectores da vida nacional.”

  9. Omega-3 diz:

    Para o sr. Tiago Resende, algo para rebater…..
    http://resistir.info/meszaros/meszaros_salvador_jun11.html

    • Tiago Resende diz:

      Para rebater o quê?

      • JMJ diz:

        O sr. Tiago Resende nasceu ensinado e morrerá ensinado.

        Não seremos nós a mudar a natureza do ser.

        • Tiago Resende diz:

          O quê? Estava à espera de uma resposta construtiva do Omega-3, mas até agora nada. E da tua parte algo ainda menos construtivo.

          • Pedro Pousada diz:

            Sr. Resende eu cá não vou ser construtivo porque não o acho minimamente digno dessa tarefa.Mas em que mundo vivia vossa insolência em 1989?Acha que o Portugal de 2011 é apenas obra e graça dos socras e barrosos? O nosso país era (e é) uma bela merda em temros sociais e culturais comparado com qualquer pais do bloco socialista (mesmo da Roménia que se começou a falir nos dios de 70 com a ajuda do Nixon-Bucareste possuía teatros com actores e reportório Yidish, onde é que nós tinhamos na mesma altura teatros em portugal para a nossa comunidade cabo-verdiana?) e apenas te dou a revolução cultural proporcionada pelo socialismo como um exemplo prático das conquistas (enormes, tão grandes que és pequeno demais para as compreenderes sentado que estás nas garantias que outros conquistaram por ti, entre eles os comunistas que tu ignobilizas) desse historicamente recente modelo civilizacional (e a alternativa mais verosímil ao capitalismo, e deixemo-nos de fiações filosóficas Sr. (a)Horizonte XXI nós vivemos num mundo de representações e propaganda). Mas continuando: em Portugal ainda persiste uma grande comunidade de russo falantes: moldavos, bielorussos, ucranianos, casaques, russos, caucasianos, etc. Todos eles sabem ler e escrever, fazem questão e tem orgulho (como o pude testemunhar) de possuir uma pequena biblioteca em casa, os seus filhos são estimulados a estudarem e a se superarem nas actividades académicas, a cultura e o saber são altamente valorizados, todos eles frequentaram escolas técnicas ou universitárias (a servir à mesa já conheci engenheiras químicas, antigas directoras de kholkhozes, contabilistas, arquitectas, professoras primárias, enfermeiras, etc.) quando aqui chegaram criaram jornais para a sua comunidade onde entre outras coisas falam com relativa profundidade da cultura portuguesa e da nossa história. Queres comparar estes imigrantes com os nossos portugueses de 50 e 60 que largaram para o Brasil e a Europa? Como acha vossa intromitência que se originaram as qualificações culturais desta gente, por geração espontânea?Em colégios privados ou em universidades dirigidas segundo visões clientelares e empresariais?Ou em Estados onde a formação escolar e a oferta cultural estavam verdadeiramente socializadas?

          • José diz:

            Comparar os cidadãos romenos de cultura judaica com os cidadãos nacionais ou estrangeiros de origem cabo-verdiana parece-me ser um esforço excessivo…

            Por outro lado, diante das milhentas realizações evidenciadas pelo seu comentário panegírico, ainda assim, o povo não defendeu os regimes socialistas, que caíram de podres, sem intervenção externa.
            O povo, afinal, não gostava do regime que tinha, deixou-o cair e veio para a rua festejar a sua queda.
            Goste-se ou não, essa foi a realidade.

          • De diz:

            Porquê não se podem chamar as coisas pelo seu nome?
            Porque não se podem comparar as realidades sociais e culturais dos países?
            Ser excessivo porque uns tantos têm cultura judaica?Quando os argumentos são de peso,tornam-se de “peso” excessivo e já não servem?

            Quanto ao velho e repisado argumento da vinda para a rua comemorar…
            Ao que parece os iraquianos também vieram para a rua comemorar a vinda dos invasores americanos.Hoje sabe-se que tudo não passou de uma farsa.Que o apoio escasso foi amplificado pelos media e pelos meios de informação militar.O desmascarar de tal esta aí. Basta procurar.Ponto final
            No 28 de Maio de 1926 também houve comemorações.O fascismo chegava em tons de festa.Ainda não sabiam o que nos esperava,dirão.
            Pois não.Foi como a vitória eleitoral de Hitler.Comemorada em grande e à alemã..e aí só alguns ignoravam o que os esperava
            Goste-se ou não foi a realidade

          • José diz:

            Eu percebo, De, eu percebo… mesmo coisas tão básicas são areia demais para a sua camioneta.
            Leia e releia, que só lhe faz bem.

          • Katulo diz:

            O “De” continua sem compreender o óbvio…
            Não é só a momentânea satisfação pelo derrube do regime, é a vontade reiteradamente expressa pelo povo nas sucessivas eleições em não voltar ao antigo regime, pese embora partidos que defendem esse regresso concorram a essas eleições!
            O “De” não compreende a força desta evidência porque ele julga-se pertencente a uma vanguarda revolucionária. Ele é que sabe o que é bom para o povo e o que este deve querer!… Foi este autismo que conduziu às trágicas experiências de engenharia social que, desde 1917, têm tido lugar sob a égide do marximo-leninismo.

            Ninguém minimamente informado e sensato vai querer trocar o sistema capitalista — com todas as suas imperfeições — por um sistema que, até agora, não deu provas de funcionar melhor. Antes pelo contrário, por sinal: quando aplicado a povos cultural e geneticamente idênticos, o comunismo revelou-se claramente inferior ao capitalismo.

            Por essa razão, o Comunismo não convence e só pode subsistir enquanto regime se for imposto à força.
            E se for pela força que o tentarem impor, eu e muitos outros defensores da liberdade cá estaremos para afirmar “No Pasarán!”.

          • De diz:

            “Eu percebo, José, eu percebo… mesmo coisas tão básicas são areia demais para a sua camioneta.
            Leia e releia, que só lhe faz bem.”

            Um post que diz tudo ,não?
            ahahhahahaha

          • De diz:

            Katulo agora está a tentar defender o quê?
            A farsa da entrada dos EUA em Bagdade?
            As comemorações do fascismo que se prolongaram por um ror de anos?
            Ou a subida ao poder de Hitler?
            Oh Katulo é uma pena
            Em 1989,ainda o Katulo andava de calções a fazer as fitas próprias da idade,pensava-se que o assunto estava arrumado.Era o fim da história proclamam uns ,enquanto outros acenavam com a cabeça, quais sim-sins de feira.
            O diabo foi o que se passou depois.
            Os pulhas neo-liberais apossaram-se da humanidade.Ou pelo menos de uma parte dela.E querem acabar connosco
            As cíclicas crises do capitalismo agigantam-se
            Os Katulis entretando desenvolvidos e indo aprender números para a faculdade,como o caso do gu já aqui refenciado depararam-se com uma coisa esquisita.Afinal o morto não estava morto.Os ideiais socialistas mantinham-se de pé

            E hoje estão mais fortes que ontem.E ontem mais fortes do que anteontem
            Que fazem os Katulos?
            Fazem o que Katulo faz
            “Ninguém minimamente informado e sensato vai querer trocar o sistema capitalista — com todas as suas imperfeições..” Vai uma aposta Katulo?
            (quando aplicado a povos cultural e geneticamente idênticos…Katulo,já sabíamos o que era;agora racista larvar ficamos a sabê-lo.Que nojo!)

            Katulo.Pode crer que o mundo está diferente para pior.É natural que alguns como o Katulo tentem manter o status quo .Vivem do Poder e para ele.Vivem do dinheiro e para ele.Não olham a meios e não hesitam perante nada.Este Katulo foi apanhado a usar o nick”Willy Brandt” ao mesmo tempo que o de Katulo. Para o trabalhinho ser mais eficaz?(é curioso que tenha escolhido o de um político conotado com a esquerda…para a manipulação calar mais fundo?)
            “No Pasarán!”foi o grito de Dolores Ibarruren,a dirigente do Partido Comunista Espanhol face ao avanço dos fascistas…É uma boa frase de facto para qualificar o avanço dos neo-liberais,onde se inclui o Katulo
            Dai que Katulo e os seus amigos podem estar certos que estamos cá.E que eles No Pasarán!

          • José diz:

            “Eu percebo, José, eu percebo… mesmo coisas tão básicas são areia demais para a sua camioneta.
            Leia e releia, que só lhe faz bem.”

            Um post que diz tudo ,não?
            ahahhahahaha

            Um “post” não, agora um comentário plagiado sim.
            Mas claro, apenas confirma o vazio de ideias e a ignorância do “De” sobre o que escreve…
            Conhecer os conceitos antes de soletrar disparates é um dos cuidados básicos que o “De” deveria ter.
            Como o IDH de 1975… lol

          • De diz:

            Perante a clara incapacidade do José para entender, o que se pode fazer?
            Repetir comentários?
            Nop..o José não gosta
            Explicar tintim por tintim?
            Acho que já não há pachorra para ler os mesmos comentários
            Então que fazer?

            Que ele leia os comentários para trás…
            e que faça um esforço que diabo
            ele não pode ser desprovido de todo
            Afinal anda por aqui….e pode ser que aprenda algo

            Quanto ao Índice de Desenvolvimento Humano e as piadas de José:
            José escrevia a 15 de Agosto ,em resposta à minha indicação deste Indice:”Curioso que existam registos, decerto muito fiáveis, sobre um índice criado em 1990 e aplicado a realidades ocorridas 15 anos antes…
            Divertido este De…”
            A minha resposta:”Os registos sobre os Indíces de Desenvolvimento Humano existem e estão publicados..Há registos desde 1975.A fiabilidade destes não me compete nem a mim nem a José apurar.Ao que parece não são alvo de contestação.”

            O José,este José,voltava ao assunto em 16 de Agosto(22 e 41) e postava :”Um índice que foi criado em 1990 e reconhecido em 1993, retroage 15 anos e tudo bem?!…
            Não se contesta a sua aplicação nem se duvida da sua fiabilidade?!
            Amen do “De”, porque sim…”

            No mesmo dia às 22 e 56 retomava o assunto do IDH…

            Fui apurar a sua fiabilidade porque já não aturava mais as manobras deste José:

            “The UN Human Development Index (HDI) measures poverty, literacy, education, life expectancy, and other factors. It is a standard means of measuring well-being, especially child welfare. The index was developed in 1990 by the Pakistani economist Mahbub ul Haq, and has been used since 1993 by the United Nations Development Programme(UNDP) in its annual report.”

            Acontece que foi calculado retrospectivamente tal indice desde os anos 70 e os dados estão publicados.
            Por entidades dignas de crédito

            Para esclarecer dúvidas fui ao site da UNDP (Human developments reports) e fui pesquisar especificamente se tais cálculos eram validados pela entidade que deu origem a tal índice.Eis a resposta:
            “Comparable data are not available for many countries for all components of the HDI before 1980; so 1980 is the first year for which the HDI was calculated. Estimates for some indicators are available before this time, such as life expectancy, which is available since 1950.”
            Mais:
            “Is the HDI comparable over time?
            The HDI is comparable over time when it is calculated based on the same
            methodology and comparable trend data. The 2010 Human Development Report presents the HDI time series for
            1980, 1985, 1990, 1995, 2000, 2005, 2009 and 2010. This time series uses the latest HDI methodology and the
            most up-to-date trend data for each component of the index.(fonte UNDP)

            Ou seja…Desde 1980 os dados estão validados pela UNDP (desde 1980..não desde 1975 (embora estes sejam usados por e repito,entidades dignas de crédito)
            Começo a estar farto destas coisas (como este José) e do seu constante morder e atirar para o lado.Com a permanente provocaçãozinha a que se aliam os comentários a tender para o insultuoso

            O retrato deste José mostra algo:
            José age assim porque é assim
            ou age assim porque não pode deixar de ser assim?
            Será que não é uma questão de”não compreender?”
            Será que as coisas são mais graves ainda do que aparentam?
            Acho que este José nem merece sequer o tempo que se perde a responder-lhe

          • José diz:

            O De “manda umas bocas” para o alto e só depois de ser demascarada a sua ignorância, cuida de se informar sobre o que escreve como verdade absoluta e incontestável.
            Como argumento de autoridade, afirma que as entidades que falam sobre o IDH de 1975 – que deixa cair… – e anos seguintes até 1990, são credíveis. Claro que não se dá ao trabalho de revelar o seu nome a a razão da sua infabilidade!
            O De é daqueles tipos que se encontra em qualquer tasca, sempre pronto para perorar sobre todo e qualquer assunto, criticando qualquer um e afinado quando a sua careca ignorante é descoberta.
            Um humorista, este De, um Canio como há poucos.

          • De diz:

            Está tudo dito sobre o assunto
            O que foi dito e escrito por cada um está ai.
            Este fulano nem sequer tem a honestidade de reconhecer que andou a dizer aldrabices.Ridicularizava perante a existência de dados prévios a 1990.Parece que a entidade responsável por estes,valida os anteriores,pelo menos a partir de 1980.José do alto da sua toleirice bramava há dias:”Curioso que existam registos, decerto muito fiáveis, sobre um índice criado em 1990 e aplicado a realidades ocorridas 15 anos antes…
            Divertido este De…”
            Parece que existiam mesmo dados anteriores a 1990
            Perante tal facto,este fulano quer voltar à discussão dos dados entre 1975 e 1980!
            Há algo de obsceno em tal comportamento
            José mostra-se e não adianta dizer mais sobre o caso
            Apenas um registo breve.Que estratégia esta de José para sistematicamente tentar fazer poeira e partir para os pequenos apartes da ordem?
            Antes do 25 de Abril havia-os assim.Parece que eram particularmente activos nas reuniões estudantis.
            A careca ignorante do tipo é assim posta a descoberto.Mas não é só a ignorância que está em causa
            É algo mais profundo.
            E o cheiro é particularmente pouco agradável

      • Omega-3 diz:

        És mesmo um bronco!Tchau

  10. De diz:

    A necessidade da erradicação do capitalismo…Basta ler,não?

    Obrigado Omega-3 pela oportunidade de me ter dado a conhecer Mészáros

  11. José diz:

    “Claro que nem tudo foi perfeito (nalguns aspectos até longe disso), sobretudo a partir de meados da década de 50, mas o que falhou não foi o socialismo, mas a vitória das forças pró-capitalistas a partir dessa altura e que com a introdução progressiva e sistemática de mecanismos de mercado destruíram as dinâmicas socialistas na URSS.”

    Que se passou a partir de meados do anos 50? A morte de Estaline?
    Quais forças pró-capitalistas? Internas, da URSS? Representadas por quem?

  12. José diz:

    É impressão minha ou Cuba encontra-se, precisamente, a ceder às forças pós-capitalistas, autorizando empreendimentos privados até há pouco absolutamente proibidos?
    Ou despedindo milhares de funcionários públicos e encorajando-os ao auto-emprego, um eufemismo para a empresa?

  13. Carlos Carapeto diz:

    O Katulo é daqueles que nem os factos o convencem.

    Mas para que não continue a negar o óbvio, proponho-lhe que veja estas imagens para constatar a liberdade que os invasores da NATO foram levar ao Afeganistão e ao Iraque.

    http://images.abolkhaseb.net/falluja-massacres/index.htm

    http://www.rawa.org/s-photos.htm

    As mulheres do Iraque e do Afeganistão têm mais liberdade? As condições de vida desses povos melhoraram?

    No entanto mesmo que a verdade seja minusiosamente contada nada o fará mudar de opinião, as suas opções politicas não lhe permitem lucidez suficiente para compreender o drama que se abateu sobre estes povos, por isso continua sujeito à embrieguêz das suas palavras , inventando e glorificando quem está provocando essas hecatombes humanitárias.

    Sabe meu Caro. A liberdade e a democracia sãos duas grandes palavras, mas foi sob a sua sombra que se cometaram as piores guerras e pilhagens. É sob a bandeira da liberdade que hoje se expoliam e retiram direitos a quem trabalha. E a expressão democracia tal como hoje se emprega encerra ainda mentiras mais preocupantes.

    • Katulo diz:

      Sim, as mulheres do Afeganistão têm mais liberdade agora do que no regime Talibã. Podem ir à escola, por exemplo. Só a mais completa cegueira ideológica não permite enxergar simples factos como este. Estavas à espera que as mulheres do Afeganistão passassem a ter o mesmo grau de liberdade das mulheres Ocidentais, era? Obliterar séculos de tradições muçulmanas tribais de um dia para o outro só pode existir na cabeça de um tolo.

      Todas as guerras têm vítimas inocentes. Evitá-lo por completo é impossível mesmo com os meios tecnológicos mais avançados actualmente disponíveis. Mas a intervenção militar soviética no Afeganistão provocou muitíssimo mais mortos, feridos e refugiados do que a intervenção americana. Muitíssimo mais. Informe-se.

      Quanto às condições materiais de vida, é óbvio que não melhoraram. São países que saíram de guerras (que no caso do Afeganistão ainda não acabou). Recuperar de uma guerra leva tempo. As condições de vida do povo alemão em 1946 eram melhores do que em 1938??

      • Vasco diz:

        Podem ir à escola? Depende dos sítios. Quando podiam ir à escola – e iam – era quando estava no poder o PPD, aliado da URSS. Mas os EUA criaram, armaram e financiaram os Talibã para os combater e, assim, «libertar» o povo afegão, certo?

    • De diz:

      Katulo
      Tenha um poco de vergonha antes de nos vir cantar loas.
      Repare-se no que Katulo não diz.Repare-se na forma como tenta manipular e aldrabar.
      Fala nas mulheres do Afeganistão.Desapareceram as mulheres do Iraque.Katulo sabe porque as retira da sua lista de argumentos.
      Não os tem

      Fala nas mulheres no Afeganistão.Na” incrível mais liberdade” que estas têm
      Oh Katulo vá ler os relatórios dos serviços americanos e veja as conclusões sobre a liberdade das mulheres no Afeganistão.Agora,no presente.Vá ler as áreas em que os américas têm influência e vá ler o que se passa na imensa maioria do Afeganistão
      Já agora foi durante a influência dita “comunista” no Afeganistão que as mulheres tiveram mais liberdade.Vá ler em vez de tentar doutrinar e deturpar
      Vítimas inocentes?Oh Katulo não nos diga isso.Deixe-se dessas coisas sobre a inevitabilidade das vítimas inocentes.Cheira mal e cheia a cumplicidade com os pulhas que bombardeiam com drones e outras coisas mais.No Afeganistão,no Iraque ou na Líbia.
      E também se deixe dum certo histerismo como aquele que patenteia quando escreve em negrito.Ou não é histeria e apenas propaganda?Ao serviço do império?

      É que parece que os estados unidos apoiaram os fundamentalistas islâmicos.Parece que treinaram,armaram,doutrinaram os tais fundamentalistas que Katulo agora tenta em vão exorcizar.Lastimo Katulo,mas já ouviu falar em Bin Laden?Filho dilecto da CIA e por esta armado e protegido?Parece que foi agora assassinado às ordens dos states,já que consta que sabia demais para os interesses dos EUA.
      Parece que as células da al-qaeda tiveram o impulso dos norte-americanos.Desde o primeiro dia
      O que os EUA e seus aliados gastaram na guerra do Afeganistão corresponde a 30 vezes o produto interno bruto (PIB) deste país. Ainda assim, o gigante não conseguiu derrotar a união de tribos afegãs. É que no conflito com os soviéticos,uma grande potência como os EUA armavam,davam apoio logístico,material e humano a um dos lados do conflito.Agora as tribos afegãs aprestam-se para derrotar o exército mais bem equipado do mundo
      “Os Estados Unidos afirmam que, com a sua saída, deixam para trás um Afeganistão de instituições mais fortes, livre de terrorismo e da violência talibã. Mentira. O Afeganistão de hoje é um país destroçado por mais de 30 anos de conflitos ininterruptos.”..não sou eu que o digo.Apenas transcrevo
      Quanto à sua afirmação:”Recuperar de uma guerra leva tempo. As condições de vida do povo alemão em 1946 eram melhores do que em 1938??
      Mais uma vez a retórica pró-ocidental esconde apenas a propaganda dos agressores.A Alemanha iniciou uma guerra,melhor,os nazis iniciaram a segunda guerra mundial.Foram derrotados e para essa derrota,infelizmente para o Katulo também contribuiu e muito a URSS. Consta que também foi o país com maior número de mortos(vamos colocar esta frase também a negrito?bora lá?).O Afeganistão não andou a perguntar se queria ser invadido.E bombardeado,esventrado,violado pela mais sangrenta e potente potência do nosso planeta.
      Tal como no Iraque.
      Para quando a condenação como criminosos de guerra de gentalha como Bush,Blair.E seus cúmplices Aznar,Barroso e Portas?

      • Katulo diz:

        – Folgo em constatar que não se atreveu a negar que as mulheres agora podem ir à escola e durante os Talibãs não podiam. Basta só este simples facto para podermos concluir que as mulheres são agora um pouco mais livres. Até prova em contrário (isto é, referências credíveis que comparem a situação actual com a anterior), a minha afirmação é correcta.

        – Folgo em constatar que não se atreveu a negar que a URSS matou, feriu e desalojou muitos mais Afegãos que os americanos durante um período de tempo semelhante. E que não se atreveu a negar que as violações dos direitos humanos por parte do exército soviético no Afeganistão foram em muito maior escala do que agora pelo exército americano. É natural que não se tenha atrevido pois quando a discussão entra no terreno dos números e dos factos, os comunistas não conseguem aguentá-la e ensaiam logo manobras de diversão (como a de criticar o meu uso de bold!).

        – Depois veio com a patranha mais do que gasta de que o Bin Laden era um “protegido” da CIA. Ó homem, vá ler um bocado sobre os mujahideen, o ISI, Hamid Gul, e depois venha daí nadar para a piscina dos adultos.

        – Folgo em saber que não negou a evidência que após um país depois de uma guerra (que tenha iniciado ou não, isso é indiferente) fica pior do que estava antes e que, como tal, o Iraque e o Afeganistão ainda precisarão de alguns anos para se reerguerem.

        – Concluindo, para a próxima quando o “De” quiser negar alguma das minhas afirmações assegure-se que… realmente as nega.

        • De diz:

          Folga Katulo?Uma ova
          Folga o ter -se “esquecido” das mulheres no Iraque,qual desonesto boy a esconder o cadáver no armário?
          Folga em insistir no maravilhoso mundo das mulheres no Afeganistão,esquecendo que o poder afegão negociou com a rebelião armada a ida das crianças para a escola?
          Aprenda Katulo e deixe-se de pedantices ocas e vazias do tipo:” a minha afirmação é correcta”.Parece um menino mimado ou a rã inchada da fábula..Escolha

          Folga com a mortandade que ocorreu na guerra com a intervenção da URSS?Katulo não percebe ou não quer perceber o que se escreveu?Nessa guerra entraram duas super-potências,a URSS e os EUA.Esta armou,protegeu, ensinou,participou com pessoal e com “aliados”.O nível de conflito foi muito maior.Tal como as barbaridades bem conhecidas dos fundamentalistas que,com as costas quentes pelos americanos,não hesitaram perante nada.Os registos estão aí e o Katulo pode ir buscá-los.Mas há mais.Há o testemunho que os americanos incentivaram tais bestialidades.E participaram nelas
          (quanto ao atrevimento de que fala,repito o comentário anterior:parece um puto mimado ou a rã inchada…de coisa nenhuma.)

          Mas de repente há um hiato nas “folgas” do Katulo.Fala em “nadar na piscina dos adultos”.O que motivou tal crispação?
          Ah,foi a referência ao Bin Laden.Percebe-se.Um tema incómodo para os Katulos desta terra.Paciência Katulo.(Vá lá nadar para a piscina das rãs ou dos miúdos.)

          Quanto à questão da diferença entre a destruição da Alemanha e a destruição do Iraque e do Afeganistão… aí só se pode dizer que Katulo é …(Preencham o que quiserem)
          Katulo bem tenta disfarçar e diz que não há diferença entre quem começou ou não a guerra!!!.O tanas Katulo.Há uma enorme e abissal diferença,só não visível para quem anda com números na cabeça e não com pessoas.
          Vamos repetir para o Katulo perceber?
          A Alemanha nazi iniciou um conflito mundial.Uma guerra com um grau de destruição e morte à escala planetária.Os povos juntaram-se para fazer face à ameaça nazi-fascista e conseguiram derrotar o monstro.Para tal contribuiu também,para desgosto dos katulos desta e doutras terras,a ex-URSS.E a Alemanha viu-se cercada, sofrendo na pele a guerra que ela própria iniciara
          Quanto ao Iraque e Afeganistão.Não iniciaram nada.Não foram consultados democraticamente se os seus povos podiam ser mortos à bomba ,esventrados, humilhados, chacinados ou violados.Foram simplesmente invadidos e massacrados pela principal potência militar do mundo.E o objectivo dos ataques dos chacais foi a destruição de todas as infra-estruturas dos países atacados,o seu regresso deliberado à idade média.

          Os crimes dos nazis foram parcialmente julgados em Nurenberg.Os crimes de Bush,Blair e dos seus cúmplices ainda não o foram.Mas Bush já não vai a certos países.E as acusações sobre esta pandilha criminosa que alia o gosto de sangue ao extremismo neo-liberal,começam a impor-se para os levar um dia a julgamento.Já faltou mais
          Com imensa pena para Katulo
          Isto está escrito e documentado.Para azar dos Katulos que fingem não perceber

          • Katulo diz:

            LOL
            O seu delirante e ignorante discurso faz-me rir. Até tenho pena de amanhã partir de férias e não poder continuar a acompanhar as intervenções deste verdadeiro cromo do social-fascismo que é o “De”.
            Entretanto, já foi aprender mais sobre o Bin Laden, o ISI e o Hamid Gul, ou o inglês não é o seu forte?

          • De diz:

            Volta ao Bin Laden?
            Pena que os comparsas o tenham assassinado.Sabia demais não?
            Mas já o disse,Katulo.Que se passa?Não tem mais argumentos senão os tirados da tralha do anticomunismo primário?E ainda por cima repisados?Que mania esta de repetir os slogans

            Ah e agora vem falar do social-fascismo…tctctctctct
            que desespero Katulo.Agora vem retomar temas do seu amigo Durão Barroso?
            Katulo veja se se comporta.Já lhe chamei ignorante,manipulador e neo-liberal.Mas acha que chamar fascista ou social-fascista adianta alguma coisa?
            Só o permite tipificar um pouco mais
            A taxonomia tem coisas lixadas Katulo

            Mais uma do Samuel:” Quando um neoliberal rouba a milhões de trabalhadores e reformados, para enriquecer ainda mais uns tantos multimilionários… está a ser neoliberal.”

        • Vasco diz:

          Quem criou e armou os talibã? Não foram os comunistas, certamente. Há zonas inteiras do Afeganistão em que as mulheres não têm essa liberdade e não é só nas zonas dominadas pelos Talibã, fique sabendo. Leia mais do que a CNN é o que lhe aconselho…

          • Helena diz:

            A bem da verdade, os Talibans não foram criados pelos EUA. Durante a intervenção soviética, os Talibans nem sequer existiam como entidade autónoma e organizada. Estavam diluídos no seio dos mujahideen.

        • Carlos Carapeto diz:

          Katulo:

          Se fosse mal educado chamava-lhe burro. Mas assim digo-lhe que é um ignoranta ignóbil.

          Sabe porquê? Não sabe patatavina daquilo que diz.
          Bin Laden, esteve no Afeganistão e na Bosnia ao lado dos Americanos. Eu dou-lhe as minhas fontes de informação. É capaz de me dar as suas.

          Miserável mas não tropo.

          • Gentleman diz:

            Acho que o Katulo não negou que o Bin Laden tenha combatido do lado apoiado pelos americanos. Outra coisa é dizer que ele foi “criado” pelos americanos. No Afeganistão dos anos 80 o Bin Laden era um quase anónimo. Duvido que os americanos sequer soubessem da sua existência e de quais eram as suas ideias.

            Quanto à Bósnia, que “lado americano” era esse?…

          • De diz:

            Gentleman tem pruridos?
            Compreende-se.
            Não gosta que o nome de Bin Laden seja associado à CIA…
            Duvida que os americanos soubessem da existência de….
            Eles nada sabia mesmo do multimilionário saudita(cuja família foi protegida por Bush logo após o atentado às torres gémeas…permitindo a sua saída dos states uns dias após o 11 de Setembro
            “Jatos particulares, sob supervisão do governo saudita – e com sua aprovação – tiveram permissão para voar pelos céus da América, quando viajar por via aérea estava proibido, recolher 24 membros da família Bin Laden e levá-los a um “ponto secreto no Texas”. Eles então voaram para Washington e daí para Boston. Finalmente, em 18 de setembro, todos eles voaram para Paris, fora do alcance de agentes norte-americanos. Eles nunca passaram por nenhum interrogatório sério. Isto é extremamente bizarro. Seria possível que ao menos um dos 24 Bin Laden hipoteticamente soubesse de alguma coisa?
            Enquanto milhares de pessoas estavam ilhadas e não podiam voar o maior genocida na história dos EUA, ganhava uma viagem grátis para a louca Paris!)”

            O ignorado Bin Laden era,nos anos 80,um ilustre desconhecido.!!!???
            A CIA ignorava completamente a existência desse homem possuidor de uma enorme fortuna…pois.

            “Bin Laden e a sua rede terrorista, a Al Qaeda, foram criados pelos serviços secretos norte-americanos durante os anos oitenta do século passado.A tese é defendida pelo historiador Norm Dixon, em um artigo dedicado a alguns aspectos da guerra dos mujahidines afegãos contra as tropas soviéticas no Afeganistão, durante os anos oitenta.
            Segundo Dixon, o chefe da Central Intelligence Agency (CIA), William Casey, autorizou , em 1986, uma proposta de recrutamento mundial de fundamentalistas islâmicos para se juntarem à “Jihad” (Guerra Santa) no Afeganistão, para combater as tropas da União Soviética que tinham invadido o país em 1979.
            Cerca de 100 mil militantes islâmicos deslocaram-se então para o Paquistão até ao ano de 1992. Cerca de 40 mil foram mobilizados para os combates e os restantes 60 mil frequentaram escolas corânicas para reforçarem as suas convicções e os seus conhecimentos religiosos.
            Alguns dos operacionais foram recrutados pelo Centro de Refugiados de Kifah , no Brooklin (Nova Iorque), no âmbito da chamada “Operação Ciclone”, de acordo com o jornal “Independente” citado por Dixon. Os fundamentalistas islâmicos recrutados receberam dinheiro e equipamento distribuídos no Paquistão através da organização Maktab al Khidamar (MAK – Escritório de Serviços), um ramo dos serviços secretos paquistaneses (ISI). O ISI era o principal canal para onde eram encaminhados os apoios secretos da CIA e da Arábia Saudita aos chamados “contras” afegãos.
            Ossama Bin Laden, membro de uma abastada família saudita bem relacionada com a família real, era um dos administradores do MAK. Em 1989 tornou-se o único gestor desse organismo.
            As atividades de Bin Laden no Paquistão e Afeganistão realizavam-se com o conhecimento e o apoio do regime saudita e da CIA. Milt Bearden, chefe de antena da CIA no Paquistão de 1986 a 1989, admitiu ao jornal “New Yorker”, em 2000, que embora nunca tenha encontrado Bin Laden pessoalmente conhecia as suas actividades à frente do MAK.
            O artigo de Norm Dixon cita também um antigo soldado britânico que se juntou secretamente aos mujahidines, Tom Carew. Ele revelou que militares norte-americanos treinaram os fundamentalistas islâmicos em atividades de terrorismo urbano, designadamente carros-bomba, para atuar contra as tropas soviéticas nas maiores cidades afegãs.
            Em 1987-88, Bin Laden concentrou a gestão dos campos de treino e das operações dos mujahidines numa organização que designou Al Qaeda (A Rede), uma holding capitalista criada com apoio dos serviços secretos paquistaneses, norte-americanos e sauditas.
            Os mercenários desta organização, diretamente recrutados e pagos por Bin Laden, foram armados pela CIA. Os militares que os treinavam foram destacados pelo Paquistão, pelos Estados Unidos e pela Grã-Bretanha.
            O objetivo principal destas atividades no Afeganistão era combater e expulsar as tropas da União Soviética, que o então presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, qualificara como “o império do mal”. “Movimentos de libertação erguem-se e afirmam-se por si próprios em todos os continentes povoados pelo homem”, declarou Reagan em 8 de Março de 1985. “Isso acontece nas colinas do Afeganistão, em Angola, no Cambodja, na América Central. (…) Eles são os combatentes da liberdade”.

            Mas há mais:
            “Os Bin Laden são uma das famílias mais ricas da Arábia Saudita. Sua enorme empreiteira praticamente construiu o país, das estradas às usinas elétricas, dos arranha-céus aos prédios governamentais. Eles construíram algumas das pistas de pouso que os EUA utilizaram na guerra do Golfo de Bush pai. Superbilionários, eles logo começaram a investir em outros negócios ao redor do mundo, incluindo os EUA. Eles têm grandes operações comerciais com o Citigroup, General Electric, Merrill Lynch, Goldman Sachs e Fremont Group.
            De acordo com a revista New Yorker, a família Bin Laden também é proprietária de parte da Microsoft e da Boeing, gigante em aviação e defesa. Eles doaram US$ 2 milhões à sua alma mater, a Universidade de Harvard, e dezenas de milhares de dólares ao Conselho de Políticas para o Oriente Médio [Middle East Policy Council], think-tank dirigido por um ex-embaixador dos EUA na Arábia Saudita, Charles Freeman. Além da propriedade do Texas, eles também possuem imóveis na Flórida e em Massachusetts. Resumindo, eles estão enfiados até o nariz nos EUA.
            Salem Bin Laden morreu em um desastre aéreo no Texas em 1988. Os irmãos de Salem – há cerca de 50 deles, incluindo Osama – continuaram dirigindo as companhias e investimentos da família.
            Depois de deixar a Casa Branca, Bush pai se tornou um bem-pago consultor de uma companhia conhecida como Carlyle Group – uma das maiores empreiteiras militares no país. Um dos cotistas do Carlyle Group – é a família Bin Laden. Até 1994,Bush filho dirigiu uma companhia chamada CaterAir, propriedade do Carlyle Group.
            Depois do 11 de Setembro, o Washington Post e o Wall Street Journal publicaram notícias apontando esta conexão. Numa primeira resposta, Bush tentou foi ignorá-las. Então seu exército de sábios entrou em ação. Eles disseram que não podíamos enquadrar estes Bin Laden com a mesma lente que usamos para Osama. Afinal, eles deserdaram Osama! Não têm nada a ver com ele! Estes são bons Bin Laden.
            Aí apareceu a fita de vídeo. Ela mostrava alguns destes “bons” Bin Laden – incluindo a mãe de Osama, uma irmã e dois irmãos – com Osama, no casamento de seu filho, apenas seis meses e meio antes do 11 de Setembro. Não era segredo para a CIA que Osama Bin Laden tinha acesso à fortuna da família [sua parte é estimada em pelo menos US$ 30 milhões] e que os Bin Laden, assim como outros sauditas, mantinham bem patrocinados Osama e seu grupo, a Al-Qaeda.”
            ( a língua escolhida para estes textos não foi propositadamente o inglês
            Mas estão disponíveis )

            Uma pena que a principal testemunha de toda esta imensa sujidade tenha desaparecido
            Parece que foi assassinado por ordem directa do presidente americano

  14. Carlos Carapeto diz:

    Duas perguntas apenas quanto à URSS e ao Socialismo.

    Quantos destes que aqui estão a discutir essa questão conheceram (ou conhecem) o antes e o depois? Eu conheço.

    Por isso considero uma brutal falta de respeito para com aqueles que viram as suas vidas mergulharem na mais profunda miséria em resultado das mudanças abruptamente operadas. Não me estou a referir a pessoas comuns, refiro-me a milhões de cidadãos com cursos universitários, inteletuais, cientista, técnicos altamente qualificados. Porque quanto aos trabalhadores esses viram as suas condições de vida e de trabalho regredir para antes de 1917 em certas regiões da ex-URSS. No entanto com isso já ninguem se preocupa hoje. As condições terceiro mundista em que vive a maioria dessas populações(estou a referir-me para além dos Urais e Ásia Central) já não incomoda os democratas Ocidentais? As ditaduras familiares e de clãs que se impuseram ainda menos? A desindustrialização generalizada. A queda vertiginosa verificada em todos os setores produtivos “sem exceção” . O controlo escandaloso de mais de 80% da riqueza do país por apenas +- 3% de uma oligarquia dominante (isto na Rússia). Que como consequências tem gerado um profundo desnivelamento social sem paralelo a nivel mundial, uma quebra demográfica perigosa, a um recúo na esperança média de vida sem precedentes, a milhões de crianças abandonadas, anafabetismo, alcoolismo, prostituição.

    Cabe aos anti comunistas aceitar a responsabilidade desta situação, foram eles que a provocaram. Não o vão fazer porque continuam ainda com as atenções centradas, em Estaline, Praga, Budapeste, misséis de Cuba, no muro. Portanto para eles a guerra fria congelou.

    Congelou porque sabemos que a verdade à maneira Ocidental dá lugar a uma verdade mais imediatamente útil: a propaganda.

    Quanto ao Socialismo os seus inimigos e detratores devem ter a humildade de reconhecer que retirou grande parte da população da Idade Média em menos de vinte anos, mesmo submetido a todo o tipo de bloqueios, boicotes e agressões.

    • Tiago Vasconcelos diz:

      Considero uma brutal falta de respeito para com aqueles milhões que morreram e para com os milhões que foram escravizados em regimes comunistas, tentar branquear os crimes desses regimes enaltecendo as suas supostas virtudes.

      Factos:

      1. As doutrinas fascista e comunista foram as grandes assassinas em massa do século XX. Das duas, o comunismo foi a que matou mais, por larga margem — sublinho, por larga margem.

      2. O desenvolvimento económico sob o Estalinismo não foi tanto um sucesso dos métodos socialistas mas sobretudo um resultado do terror. Foi conseguido à custa do trabalho escravo de milhões de prisioneiros no Gulag. O Gulag foi mais do que um instrumento de repressão política, foi um sistema esclavagista. Era possível uma pessoa ser enviada para o Gulag só por faltar ou mesmo até por chegar atrasada ao trabalho!

      3. Em apenas duas décadas a URSS utilizou mais seres humanos para trabalho escravo do que os que foram transportados entre África e América em 4 séculos de comércio de escravos!

      4. Em todos os regimes comunistas que já existiram — sublinhe-se todos — houve sempre livros proibidos. E nunca houve liberdade de expressão. Na URSS em particular, o KGB mantinha uma impressão de prova de cada uma das máquinas de tipografia existentes no país. Isto permitia-lhe localizar facilmente os responsáveis pela publicação de qualquer material considerado “contra-revolucionário”. Na Roménia de Ceaucescu, por exemplo, as máquinas de escrever domésticas tinha que estar registadas na Securitate, a polícia política do regime. Até provas de caligrafia de todos os cidadãos romenos foram recolhidas!

      5. A nível de controlo policial, os regimes comunistas claramente excederam os fascistas. Simon Wisenthal, o célebre caçador de Nazis, disse a propósito o seguinte:
      «A Stasi era muito, muito pior do que a Gestapo, se se considerar apenas
      a repressão sobre o próprio povo. A Gestapo tinha 40 mil funcionários a
      vigiar um país de 80 milhões, enquanto a Stasi empregava 92 mil para
      controlar apenas 17 milhões.»

      6. O regime mais despótico actualmente existente é a Coreia do Norte, um regime auto-proclamado marxista. Um regime que mantém 200 mil prisioneiros em tenebrosos campos de trabalhos forçados. Na Coreia do Norte, contar uma simples piada sobre o regime ou sobre o querido líder é garantia para uma pena de prisão perpétua num campo de trabalhos forçados, não só para o próprio mas para toda a sua família! É este regime que os nossos comunistas Odete Santos e Bernadino Soares não consideram uma ditadura…

      Não basta atacar o capitalismo e a democracia burguesa. A vossa solução tem que ser melhor, não pior.

      P.S. Sugiro aos comissários de serviço que, se quiserem criticar a minha intervenção, o façam com dados e lógica e não com conversa da treta. Caso não consigam negar os factos que apresentei, tenham a decência de não os menorizar. São de uma gravidade inexcedível.

      • Pedro Pousada diz:

        És um verdadeiro catedrático dos crimes do comunismo, posso citar-te?

        • Pedro Pousada diz:

          gravidade inexcedível é o que a Nato anda a fazer na Líbia mas deves ser ceguinho.

          • Pedro Pousada diz:

            Entre 1500 a 1820 refugiados líbios já morreram nas águas do mediterrâneo a tentarem chegar à Europa que os quer libertar, no mesmo mediterrâneo infestado de Awacs, de vasos de guerra franceses e britânicos que não levantam uma palhinha para os salvar. Não tens nada para dizer sobre isto que é realmente um facto?

        • Pedro Pousada diz:

          Eu que ando com dúvidas diz-me lá, foram quantos milhões? 100, 150, 200, 300?

          • Katulo diz:

            Para é que queres saber quantos milhões o Comunismo matou, ó Pousada? Nenhum número, por maior que ele seja, é capaz de impressionar-te. Nenhuma evidência por mais chocante que seja é capaz de ter tirar a Fé.

          • De diz:

            Ah
            Um reputado académico numérico
            a questionar a sua fé nos dígitos

            Lol
            Percebe-se que quando o ridículo se acerca dos malabaristas numéricos
            estes deixem por momentos de ter em atenção
            os seus números sobre os números

      • Carlos Carapeto diz:

        Por favor esclareça-me. Onde encontrou estas informações? Quais os arquivos que pesquisou? Tem conhecimentos para o trabalho sério de históriador?

        Está apenas projetando as suas próprias misérias politicas, relatando as suas raivas, porque a sua visão da história leva-o a afirmar-se como um panfletário ao serviço dos seus interesses de classe.

        Depois tenta intoxicar os outros como detentor de uma verdade com sentido único.

        Sobre esses números fantasmagóricos de vitimas na URSS. Por favor leia os relatórios da investigação aos arquivos do sistema prisional Soviéticos mandado efetuar por Gorbachov em 1989 e concluidos em 1993 já no tempo de Yeltsin, sob a direção dos Académicos V N Zemskov, A N Dougin e OV Klevniuk, são nove mil páginas.
        Depois falamos.

        Até lá abstenha-se de alardear aldrabices. Não procure retirar dividendos politicos à custa das vitimas. Porque tratando-se de vitimas todas elas são inocentes. Por isso tome vergonha nessa cara e aprenda a respeitar quem perdeu a vida por nada.

        As suas preferencias ideológicas constatam-se claramente no branquemanto que pretende fazer à Gestapo, até nisso mostra a sua cobardia . Era com 40 mil efetivos que controlavam o vasto território sob a ocupação Nazi e assassinaram milhões de prisioneiros? Mais uma vez recomendo-lhe que tome vergonha, assumasse, cresça.

        Por outro a quem pretende iludir ao afirmar que os pragressos conseguidos foram obtidos à custa de trabalho escravo? Acredita que a nação mais desenvolvida do mundo no campo aéro-espacial, o primeiro país a emitir comunicações por satélite, o maior produtor mundial de aço, o segundo fabricante de máquinas ferramentas. Enfim; naquilo que não estava na dianteira estava em segundo lugar. Era um país de escravos e analfabetos? Não queira fazer dos outros estupidos.

        Outra coisa, foram mortos assim tantos milhões como diz. Quantos milhões? Vamos lá ver; morreram cerca de seis milhões durante a guerra civil, mais 26 milhões durante a II GG,mais essa “chacina” que fala. Se a população nunca deixou de crescer como expilca isso? Ignora que a mentira tem as pernas curtas? De certeza se soubesse não se atrevia a ir tão longe.

        Os Romenos já estão enfastiados de tanta liberdade e democracia, quando nas sondagens afirmam que viviam melhor no tempo de Ceausescu. Sabe disto?

        Já agora se está assim tão bem informado diga quais foram os progressos alcançados nos vinte anos de instauração do capitalismo.

        Fico à espera. Tenha cuidado não repita as mesmas pantomineirices, porque eu conheço a merda que lá fizeram.

        • José diz:

          “Os Romenos já estão enfastiados de tanta liberdade e democracia”
          Liberdade e democracia é algo porque os romenos, mas também os restantes países do ex-Pacto de Varsóvia , duvido que estejam fartos.
          As coisas não estão bem? Sem dúvida que não, mas, pelo menos, têm capacidade de se pronunciarem sobre os assuntos políticos e escolherem os seus dirigentes, algo que os regimes anteriores não permitiam.
          Algo que, pelos vistos, o Carapeto despreza.

          • Carlos Carapeto diz:

            Desde que digam que têm fome já satisfazem o apetite? E a educação os direitos laborais e sociais garantidos?

            Essa merda das eleições enche-lhe a pança a si porque tem a paparoca garantida na mesa.

          • Sakarov diz:

            Como?… Direitos laborais no comunismo?
            A começar pela ausência do direito à greve, e acabar no trabalho sem condições de segurança e em ambientes poluídos, o mundo comunista foi (e é) realmente um belo exemplo a seguir!
            Isto para já não falar em ser obrigado a trabalhar gratuitamente durante 10 ou mais anos na Sibéria. Grandes direitos laborais!! Dassss….

          • José diz:

            Ò Carlitos, tem toda a razão: tenho que fazer dieta que estes meus abdominais já tiveram melhores dias.

            Quanto aos argumentos… ficou-se mesmo pela minha pança, não foi?…
            Espero que a sua esteja em melhor estado!

          • De diz:

            Carlitos?
            Um bom argumento para uma discussão
            Pança?
            Outro bom argumento..este de peso

            Há uma canção infantil que diz…”…”

        • Gentleman diz:

          Essas opiniões sobre o Ceaucescu não admiram ninguém. Por cá também há muitos portugueses que dizem que tempo do Salazar é que era bom. Até o elegeram o maior português de sempre…
          A verdade é que os tempos de Ceaucescu eram de um atraso e miséria indescritíveis.

          E já que fala de fome, veja o que é verdadeira fome:

          Em 1932, as autoridades Soviéticas confiscaram colheitas em zonas da Ucrânia e da Rússia habitadas por ucranianos. Provocou uma fome generalizada. No pico da fome, enquanto confiscava colheitas dos camponeses, a URSS exportou 1.70 milhões de toneladas de grão em 1932 e 1.84 milhões de toneladas em 1933. As autoridades Soviéticas proibiram a população de viajar para fora das zonas de fome, sob o pretexto que as pessoas que viajassem espalhariam “agitação anti-kolkhoz”. O governo Soviético admitiu a existência da fome apenas na era Gorbatchov. Estima-se que mais de 10 milhões de pessoas tenham morrido de fome durante este período!

          Aponte-nos uma democracia capitalista que tenha feito uma vergonha vagamente comparável a esta.

          • Carlos Carapeto diz:

            Gentleman.
            Não se envergonha de fazer uso da mentira de forma tão leviana?

            Diga-me onde é que isso está ecrito?

          • José diz:

            Está mesmo a perguntar a sério?!

          • De diz:

            As aldrabices não deixam de o ser pelo facto de serem ditas com o ar mais sério do mundo
            Tal comentário peca por uma enorme aldrabice.O que conspurca em termos de fiabilidade todo o discurso ulterior.
            A aldrabice?
            “Por cá também há muitos portugueses que dizem que tempo do Salazar é que era bom. Até o elegeram o maior português de sempre…”

            A referida “eleição” não foi nenhuma eleição.
            Foi apenas aquilo que foi
            Não vale a pena dizer mais,sobre tal conceito eleitoral pois não?
            A menos que a frase …”até o elegeram o maior português de sempre…”delimite os portugueses com direito a voto àqueles que têm a tal opinião sobre salazar
            E aí vamos ter outro curioso conceito eleitoral

      • De diz:

        Vasconcelos posta um comentário curioso.
        Há uma coisa que todavia o deixa irritado
        O coitado pode tentar reescrever a história como quiser.
        Já muitos o tentaram e quotidianamente são desmascarados.

        Mas há uma coisa…uma enorme coisa.O Vasconcelos, que quer reescrever a história, não pode fazer propaganda do fascismo.Os partidos fascistas estão proíbidos.

        Os comunistas não
        Vamos lá a reescrever um pouco mais Vasconcelos
        Aahahhahahah

        O Vasconcelos considera uma brutal falta de respeito…Oh Vasconcelos eu considero falta de respeito um fulano vir comparar fascismo com qualquer outra coisa a não ser com o nazismo.Estamos entendidos?

        Postos estes dois importantes pontos prévios,vamos a alguns comentários ao sabor da pena e da leitura do texto a cheirar a….(já lá vamos)

        -Parece que houve progresso económico sob Estaline?Oh Vasconcelos,então isso diz-se?Ah,foi devido ao trabalho escravo…é a sua opinião (ou a de todos os historiadores,como diria o outro)?Desculpe mas é uma opinião que ainda só vi nos manuais que tentam desculpabilizar os nazis ou nos manuais que querem camuflar outra coisa
        O progresso da URSS em termos económicos repousou assim sobre os escravos e os Gulags….confere a ideia da reescrita da história,associada às pantominices habituais dos defensores do capital.Desculpe a frontalidade,mas ela é necessária quando surgem comentários como o do Vasconcelos.
        (Podíamos dizer que o progresso de quase tudo se deve a quem trabalha.Aqui e em todo o lado.E quem se apropria da riqueza do trabalho ..quem é?…ahahahah…mas já lá vamos)

        (Um aparte : o tema do trabalho escravo e dos escravos começa a ser demais.Repetido por Katulo e retomado por Vasconcelos. Encontrado quase ipsis verbis noutros blogues,com nicks diferentes destes…repetem-se assim tanto?)

        -Vasconcelos..vá lá contar a outro que a Stasi era muito pior que a gestapo…ah,não é Vasconcelos que o diz,é um outro …ahahahhaha
        acha mesmo Vasconcelos?
        (Cada vez rondando mais o ridículo as “verdades” apregoadas pelo Vasconcelos…o que não é de todo mau.Mostra que o rei vai nu.Não sozinho, mas vai nu)

        -Vasconcelos fala em regime mais despótico..e acusa a Coreia do Norte…hummm.a opinião de Vasconcelos vale o que vale.Eu preferia dizer que o pais com mais sangue inocente do mundo nas suas mãos são os EUA.Com uma gravidade muito maior,claro está.Quanto à Coreia do Norte,percebe-se a riqueza do tema,mas não sou eu que o vou retomar, tão querido aos ilusionistas de serviço.Com uma excepção.A do despotismo.Não é que o Vasconcelos se esqueceu do aliado preferencial dos EUA no Médio Oriente,à excepção de Israel,a Arábia Saudita?Oh Vasconcelos,quer que eu ponha a negrito as atrocidades cometidas?Prefere a sua versão sobre as anedotas do grande líder?É que estas fazem parte do anedotário dos rapazes da direita boçal.As da Arábia Saudita estão documentadas.
        (Aquilo que estes “rapazes” dizem para defender a sua dama.É que já estamos cansados de ouvir os “rapazes” falarem nas suas verdades.Aconteceu com as armas de destruição maciça.Aconteceu na Líbia…quando se apanham coisas destas a aldrabarem tanto..perde-se a confiança nas juras que fazem.Certo?

        (Segundo aparte:Vasconcelos…os negritos são copiados do Katulo,ou são da vossa inspiração?)

        Mas o que fazer a um fulano com tiques de procurador-geral made in USA que diz do alto da suas afirmações?”Sugiro aos comissários de serviço…”?
        Vasconcelos,a resposta que merecia quanto aos comissários de serviço,enquanto furiosamente fala de factos e dados(perdão dos seus factos e dos seus dados,seus e da pandilha) merecia uma coisa não merecia?

        Vasconcelos.Nessa tentativa de tirar de um livrinho( foi o livrinho negro de bush?) e tentar explicitar o que os seus mestres disseram, sobressaem várias coisas:
        »Que está ainda com “enxaquecas” pelo facto do nazismo ter sido derrotado com o auxílio da ex-URSS
        «Que se esqueceu de nomear os crimes do outro lado.Vamos lá agora?Muitíssimo maiores que os dos países socialistas.As fontes estão em muitos livrinhos saídos em resposta ao(s) livrinho(s) que cita…(Vasconcelos,que diabo..então já há escrita que contradiga o que tão cuidadosamente esteve a enumerar?Então há mais do que uma versão dos factos?Galo Vasconcelos.Quer números?Oh Vasconcelos.Fácil.É seguir as dicas que lhe vão mostrando.Aqui por exemplo,no 5 Dias)
        «Mas o que Vasconcelos tenta e não consegue está quase no final.O “rapaz”(de serviço?) proclama que:”Não basta atacar o capitalismo e a democracia burguesa. A vossa solução tem que ser melhor, não pior.” ( a negrito mais uma vez,como é costume…).
        Aí está.O verdadeiro motivo.Já não a defendem,à tal democracia burguesa,ao tal capitalismo.Já se limitam a dizer que os outros são piores
        Oh Vasconcelos,adivinha-se o medo.E o medo parece que justifica os planos bem traçados e a escrita repetida dos Vasconcelos deste país.
        O capitalismo está um caos.O capitalismo é um caos.Os neo-liberais apressaram as suas contradições internas.Os EUA arriscam-se a perder a hegemonia mundial mais cedo do que se pensava.A UE é uma fraude e a um passo de ver a revolta dos seus cidadãos contra as tais democracias burguesas.A fome aumenta,o desemprego alastra como uma mancha de óleo.As rivalidades das grandes potências adivinham-se a ressurgir em toda a sua expressão.(E em Portugal?Os portugueses estão fartos de pulhas que mentem e que roubam salários, que aumentam escandalosamente os preços dos combustíveis,do gás e da electricidade.É que tais actores de uma comédia sinistra têm que ser responsabilizados. E julgados os que andaram a jogar à roleta russa com a nossa riqueza e com os nossos bens.)
        E é assim o medo que aparece bem maquilhado pela escrita alfa numérica do Vasconcelos
        O medo.O medo que coloquem em causa o mundo bafiento, podre, gerador de fome e de miséria.
        O medo.O medo que haja forças que combatam de forma efectiva o poder dos senhores do poder.
        O medo. E eis que “eles” querem,exigem, alternativas “melhores”

        Oh Vasconcelos,já o disse aqui
        Alternativas surgirão.Não serão as soviéticas,nem as dos fantasmas coreanos,nem as dos vencedores dos EUA,os vietnamitas
        Mas surgirão.O mundo como está…é um mundo inviável
        E os princípios do Socialismo,como doutrina, estão aí como verdadeira alternativa.Intocáveis

        Acha que lhe aumentei o medo?
        Paciência.Vá então procurar mais dados para tentar esconder que as alternativas estão hoje mais fortes apesar das trafulhices e das acrobacias dos “Trapezistas de serviço”
        Vale?como dizem aqui ao lado

        • Katulo diz:

          Este texto do “De” é a coisinha mais patética, mais imbecil que tive a oportunidade de ler nos últimos tempos. Não que esperasse grande coisa da criatura, mas ainda tinha esperanças que ele não descesse ao grau zero da inteligência.
          Vistas as coisas por outro lado, diverte-me bastante que indivíduos como estes ainda andem por aí. É uma garantia que a Esquerda radical continuará a não convencer ninguém e que prosseguirá firme no seu inexorável declínio. E sobre isso só posso exclamar: ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah

          • Vasco diz:

            Já argumentos para mostrar que o texto do De é imbecil, ZERO, apenas um riso. Genial. O que diz a wikipedia ou o Canal História sobre isto? Veja lá veja lá…

          • De diz:

            Alguma histeria?
            Controle-se por favor.Tenha modos que diabo

          • Katulo diz:

            Vasco, o comentário do “De” ultrapassou aquele limiar mínimo de inteligência abaixo do qual se torna uma perda de tempo responder. Não que não o ache interessante do ponto de vista clínico. Mas aí prefiro adoptar uma postura meramente contemplativa.
            Quanto ao Canal História, algo me diz que foi lá que o Vasco aprendeu o que foi a operação Gládio… 😉

        • De diz:

          Operação Gladio?
          Oh Kastulo que desespero é este?Quer agora fugir para onde?
          Katulo,
          Primeiro foi Darwin.Depois o nada.Agora é a operação gládio?

          Ah…veja se aprende mais com os posts magníficos e com maior elevação que os seus ( e que os meus)aqui colocados pelo Vasco..Fazia-lhe jeito

        • José diz:

          “-Vasconcelos..vá lá contar a outro que a Stasi era muito pior que a gestapo…ah,não é Vasconcelos que o diz,é um outro …ahahahhaha
          acha mesmo Vasconcelos?
          (Cada vez rondando mais o ridículo as “verdades” apregoadas pelo Vasconcelos…o que não é de todo mau.Mostra que o rei vai nu.Não sozinho, mas vai nu)”

          Um vivo exemplo dos argumentos irrefutáveis apresentados pelo mestre “De”!

          • De diz:

            Repito:”
            “José..vá lá contar a outro que a Stasi era muito pior que a gestapo…ah,não é José que o diz,é Vasconcelos que o diz,não afinal é um outro …ahahahhaha
            acha mesmo Vasconcelos?
            (Cada vez rondando mais o ridículo as “verdades” apregoadas pelo José…o que não é de todo mau.Mostra que o rei vai nu.Não sozinho, mas vai nu)”

            Como eu previa o rei vai nu…mas não sozinho

            Quanto à argumentação
            O José que a procure
            Não tenho tempo para teses idiotas…ou para manobras de diversão
            As que houve já bastaram
            Que os demais avaliem

          • José diz:

            “Repito:”
            “José..vá lá contar a outro que a Stasi era muito pior que a gestapo…ah,não é José que o diz,é Vasconcelos que o diz,não afinal é um outro …ahahahhaha
            acha mesmo Vasconcelos?”

            Sim, De, continue com a infantilidade, que só demonstra bem quem é…

          • De diz:

            José quer que continue a ..?
            Porque posta para a infantilidade?
            Para encher ecrãn?
            Ou …?

          • José diz:

            “José quer que continue a ..?
            Porque posta para a infantilidade?
            Para encher ecrãn?
            Ou …?”

            Brilhante exemplo de encher ecrã…

          • De diz:

            Acha?
            Foi copiado do seu
            José.Apanhado com a boca na botija,
            e com o teclado na mão .
            Vai mais um tirinho para continuar o trabalhinho?

          • José diz:

            LOL
            Brilhante mesmo, este De infantil…

          • De diz:

            Acha brilhante?
            Ainda bem

        • De diz:

          Um curioso riso a rondar o néscio?
          Também
          Mas há uma outra característica patente
          Alguma falta de controlo emocional,que atesta algo

          O algo não vale agora apena expressar

          Mas ainda bem que Katulo não lê o que escreve
          Lá teria ele que corrigir o que dissera.A coisinha mais patética,mais imbecil que tivera a oportunidade de ler nos últimos tempos,passaria logo para o tempo da auto-leitura do seu texto´
          Mais um risinho Katulo?

      • Vasco diz:

        O Stáline, pelas suas contas, matou quase tanta gente como população tinha a URSS. Mas ainda consegiu que sobrassem 20 milhões para serem mortos pelos nazis e mais uns quantos para erguerem novamente o País no pós-guerra. Bolas, quantos biliões de habitantes tinha a União Soviética? E encontre fontes melhores do que os inúmeros livros negros do comunismo… Haja alguma honestidade nisto tudo…

        • Vasco diz:

          Não era do De, era do Katulo. Sorry, De, até concordo com o que escreve!!!!!

        • Katulo diz:

          LOL
          O Vasco consegue ser patético. Não vê que os crimes do comunismo não se resumem à URSS. Provavelmente é como o outro totó que por aqui anda que diz que a China nunca foi comunista (aposto que dirá o mesmo sobre o Cambodja).

          • De diz:

            Não sabia Katulo?ahahahahhahaha
            Mas afinal este rapaz nem sequer sabe o que é uma sociedade comunista?
            E pensa que já a houve na China?
            Oh Katulo,mas bolas nem mesmo o b-á-ba?
            Mas afinal você é mesmo,peço-lhe desculpa,uma fraude

          • Gentleman diz:

            É uma questão de opinião. Os maoístas consideram-se até mais puramente marxistas-leninistas do que os soviéticos pós-Estaline.

            Mas atendendo aos milhões que Mao matou — estima-se mais até do que Estaline — é compreensível que certas pessoas prefiram não incluir a China no rol dos países comunistas…

          • Carlos Carapeto diz:

            Katulo. É capaz de dizer quem libertou o Camboja do regime Khmer?

            Sabe a que país pertenciam as tropas que entraram em Phom Pen no dia 7 de Janeiro de 1979? Sabe ainda quem eram os guerrilheiros que as acompahavam? Também não sabe quem mostrou ao mundo pela primeira vez os horrores do regime de Pol Pot?

            Mais ainda; sabe quem depois deu uma preciosa ajuda financeira a Pol Pot quando ele e os seus seguidores se refugiaram na fronteira da Tailandia e continuaram a reconhecer os Khmers até 1985?

            Vá aprender porque na próxima quando eu lhe perguntar se não souber apanha uma dúzia de reguadas e coloco-lhe umas orelhas de burro.

          • De diz:

            Já começo a perder a paciência com comentadores desonestos
            As opiniões variam e ainda bem
            Mas conceitos,filosofias e princípios doutrinários estão escritos e estão aí para todos verem
            Já se sabia que Katulo é um ignorante,quando não se refugia nos números( e já vimos como os manipula…mas já lá vamos)
            Mais.Katulo é uma fraude.O seu conhecimento sobre questões básicas é igual a zero.Perdão…limita-se aos conhecimentos adquiridos no readers digest ou nos recortes de fotonovelas made in USA

            Gentleman vem em socorro do seu amigo.Diz:
            “É uma questão de opinião. Os maoístas consideram-se até mais puramente marxistas-leninistas do que os soviéticos pós-Estaline.”

            O que eu tinha escrito?
            “este rapaz nem sequer sabe o que é uma sociedade comunista?”
            Uma sociedade comunista está balizada por princípios desde há muito(quem quiser que os leia)
            Não varia de acordo com as opiniões de Katulos ou de Gentlemen
            Tal sociedade,utópica nos dias que correm,também o era aquando da existência da ex-URSS e da China
            Nenhum dos dois países se reivindicou de ter atingido tal patamar
            Reivindicavam-se de países socialistas(não confundir com sociais-democratas) ou de países em transição

            Que “os maoistas se considerem mais puramente marxistas-leninistas do que os soviéticos pós-Estaline”…e depois?
            Pergunte-se ao PC chinês sobre se eles estiveram ou estão numa sociedade comunista.Tivessem perguntado a um membro do politburo da ex-URSS se já tinham alcançado tal patamar…ninguém o diria,pois isso violava o que se entende por tal
            São princípios ideológicos básicos
            A acusação de fraude a Katulo não é leviana.Não o costumo fazer
            Agora junto a acusação ao Gentleman
            Mas este último também revela uma profunda má fé…quando diz que “é compreensível que certas pessoas prefiram não incluir a China no rol dos países comunistas…” é sinal que não só não percebe nada do que se falou,como tenta aproveitar a sua ignorância para tentar espalhar um pouco mais a desinformação.Isso,para além de outras coisas, tem um nome.Manipulação

          • José diz:

            Mais um exmplo fantástico de maestria argumentativa do De…

          • De diz:

            Acha José?
            Acha mesmo?
            Também não percebe ou recebeu indicações para não perceber?
            Anda aos caídos para ver se cobre a retaguarda a quem?
            Se não perceber peça a alguém para lhe explicar.
            Entretanto pode continuar a postar frases minimalistas.Não diz nada e assina o “ponto”
            Isso já lhe deve chegar,não?

          • De diz:

            Ah…José…aproveite para também aprender,porque parece que,pelo seu comentário,também não sabe do que se fala

          • José diz:

            De: aprenda a argumentar sem recorrer aos insultos, às citações não identificadas ou às referências vagas… enfim, argumente!
            lol

          • De diz:

            Mais uma vez Jose?
            Se ler talvez não perceba de imediato
            Mas se voltar a ler
            pode tornar a dizer:
            “argumente,argumente”

            É que no seu caso não é uma questão de argumentação
            A questão é:
            Não percebe o que lê?
            Ou não quer perceber?

    • Katulo diz:

      A economia dos países ex-comunistas sofreu um bocado com a transição para o capitalismo, é um facto. A sua indústria e agricultura estavam protegidas da concorrência. Por mais obsoleta e menos eficiente que fossem e por menos qualidade que os seus produtos tivessem, as empresas nunca faliam. Ou seja, esta falsa estabilidade económica era conseguida à custa da insatisfação do povo quanto à qualidade dos produtos e serviços.

      • Pedro Pousada diz:

        “sofreu um bocado” diz ele, és um pagode não haja dúvida, as tuas réplicas parecem um patchwork de ideias feitas e digeridas por outros: a transição para o capitalismo foi um tsunami social numa escala semelhante à invasão nazi pois neste acto de guerra da burguesia internacional e da burguesia oligarquica e entreguista da ex-URSS, já não existia planificação socialista, não existia nada capaz de recompor o país e salvar as populações soviéticas da miséria: A Rússia bicéfala dos nossos dias, dominada por uma mescla de grã-russismo e subserviencia às instâncias financeiras internacionais não passa de um Estado potemkine que espectaculariza o seu poder em grandes cerimónias patrióticas mas está resumido a exportar armamentos e matérias primas: eles os Putin e os Medvedev sabem que a população diminuiu drasticamente nos anos Ielstin, que estão a viver a maior sangria demográfica pós-segunda guerra mundial, que a Rússia se desmodernizou numa escala impressionante e que para a ciência soviética os anos pós-soviéticos foram uma tragédia sem precedentes.

        • Katulo diz:

          Sim sim… (longo bocejo) É por isso que esses povos em 20 anos já escolheram, nas diversas eleições, regressar ao antigo regime… Este Pedro Pousada é um autêntico pagode de contradições. A única dúvida é se será simplesmente ingénuo ou se quer fazer dos outros ingénuos. Evidentemente não compreende puto o que foi a Europa de Leste, muito menos porque é que os povos dessa região do mundo não quererão voltar a ver Comunismo por muito muito tempo.

          • De diz:

            Sim…longo bocejo?
            Ah,Katulo não gosta do que lê?E quer fazer interpretações?Katulo,em nome de quem?Do Willy Brandt?

          • José diz:

            “Sim…longo bocejo?
            Ah,Katulo não gosta do que lê?E quer fazer interpretações?Katulo,em nome de quem?Do Willy Brandt?”
            Ah, bom, com esta argumentação, dificilmente alguém escapa à tenaz do “De”! LOL

          • Pedro Pousada diz:

            Foste tu que decidiste democraticamente por eles sobre as suas futuras escolhas?Deves ter uma bola de cristal…

          • De diz:

            José mais uma vez não é honesto
            Quando José se quiser intrometer na conversa para defender o(s) seu(s) amigo(s), que o faça depois de ter lido o que se escreveu

            Katulo intervem.
            Muito
            Como é do seu direito
            Intervem noutros locais
            Noutros blogs
            como é do seu direito
            Até o faz com outros nicks
            Como é do seu inalienável direito
            O pior é que Katulo foi apanhado a usar outro nick,no mesmo blog,no mesmo tema,no mesmo dia,de forma praticamente sequencial-
            O nick usado pelo Katulo era…Willy Brandt
            (curioso este nick não?)
            Katulo e Willy Brandt,de braço dado.
            Seria para tornar o assunto em debate ..mais participado?
            Para arranjar à pressa um nome conotado com a social-democracia de esquerda como referência para a ligeira manipulação que Katulo estava a fazer?

            Apanhado com a mão na massa..perdão,com o(s) teclado(s) em acção

            Eu sei que o José é amigo do Katulo
            Compreende-se

            Era escusado eu ter de repetir tudo isto
            José o que faz é tentar repisar temas passados, insinuar, atirar para o lado, desviar-se dos assuntos para se centrar noutros alvos.
            José faz o que entende ser o seu trabalho
            Tal como Katulo

            mas podiam não ser o que parecem ser

          • José diz:

            De: os comentários, entre outros, podem ser argumentativos ou insultuosos. Você escolhe sempre estes últimos. Não sabe mais, decerto…

          • De diz:

            Mais uma vez Jose?
            Não é uma questão de ser argumentativo ou insultuoso.
            É que tudo isto já foi dito
            E quer que se repita tudo porquê?
            Para perturbar a leitura do que é de facto importante?
            Qual a necessidade de se voltar a temas tristes como este do seu amigo Katulo por quem tomou as dores?
            Tenha paciência mas o que é demais é demais

        • Carlos Carapeto diz:

          Oh D. Katulo as economias dos ex-países Socialistas sofreram e estão a sofrer as passinhas do Algarve.

          Por exemplo a Ucrânia era a décima economia mundial em 1991, hoje está lá para a trigessima não sei quantas.

          A Rússia atualmente é a décima segunda economia, mas para estar nesse posto é o maior vendedor de petróleo e gás, e mesmo asssim afunda-se. Nem armamento consegue produzir para as forças armadas.

          Compra aviões sem piloto (UAV) a Israel, porta-helicopteros à França, blindados ligeiros e pesados Freccia e Centauro a Itália, motores para veículos de transporte de tropas à Hummer (GM). Motores Mercedes e caixas de velocidade para os camiões Kamaz.
          Componentes eletrónicos para o sistema de navegação por satélite Glonass à China, Coreia e Tawian, mesmo assim aquela muenga nunca mais entra em funcionamento.

          O ministro da defesa recentemente propôs comprar blindados Tiger à Alemanha. Sim porque o T 90 não é mais que o T 72 com algumas alterações.

          E o general Zellin comandante da força aérea disse numa conferência de imprensa que 50% da frota de aviões de guerra não está em condições de voar.

          Nos ultimos trinta anos lançaram apenas um navio ligeiro ao mar. Construiram os submarinos classe (projeto) Borei agora não têm armas para os equipar, os enssaios com os misseis Bulavá (moca) têm sido um fracasso. Em treze testes, sete foram logo destruidos à partida, três erraram o alvo.

          Compram locomotivas à Siemens 250 no primeiro arremasso( a linha do comboio Nevsky, Moscovo San Petersburg é tudo material Alemão, a começar nos carris) . O Sapsan Moscovo Nijni Novgorod (400 Km) as carruagens são fabricadas em Espanha, as locomotivas da Siemens.

          No tocante ao setor alimentar é outra lástima, a Rússia já importa cerca de 60% dos alimentos que consome. Os Espanhóis da Cruz Campo cairam lá em força. Nos ultimos 20 anos foram abandonados 40 milhões de hectares de terras aráveis ( quase cinco vezes a superficie de Portugal, um pouco menos que Espanha), quando um jornalista colocou essa questão à ministra da agricultura, ela respondeu ” 40 milhões não, 38 milhões”

          A siderurgia de Voronej uma das maiores da Rússia também foi comprada por os Espanhóis. O complexo industrial AVTOVAZ em Toglliati empregava mais de 120 000 operários foi entregue à Nissan e à Peugeot. Que numa panada despediram 27 000 empregados.

          A frota de aviões das rotas de longo curso, são Boeing ou Airbus (andam para uns quantos Ilyushin e Tupolev, mais velhos que aquilo que se faz de cócoras).

          E a partir de 2014 mesmo estes vão deixar de voar nas rotas de longo curso. A Rússia construiu recentemente o Superjet 100 Sukoy, só que incorpora peças de oito países.

          Nos anos 90 foram fechadas cerca de 80 000 empresas na Rússia. É obra.

          Aquilo não está mal, anda mesmo pelas ruas da ruas da amargura.

          Isto é a Rússia, porque os outros estão muito pior. A Letónia está falida.

        • Carlos Carapeto diz:

          A instauração do capitalismo já provocou mais danos que a invasão Nazi.

          Está comprovado.

        • José diz:

          “A Rússia bicéfala dos nossos dias, dominada por uma mescla de grã-russismo e subserviencia às instâncias financeiras internacionais não passa de um Estado potemkine que espectaculariza o seu poder em grandes cerimónias patrióticas mas está resumido a exportar armamentos e matérias primas: eles os Putin e os Medvedev sabem que a população diminuiu drasticamente nos anos Ielstin, que estão a viver a maior sangria demográfica pós-segunda guerra mundial, que a Rússia se desmodernizou numa escala impressionante e que para a ciência soviética os anos pós-soviéticos foram uma tragédia sem precedentes.”
          É verdade, A transição deveria ter sido efectuada doutra forma e os governos que a Rússia teve, de Ieltsin a Medvedev, têm sido catastróficos para a economia e para a sociedade russas. Esta parece adormecida pelo bem-estar momentâneo proveniente das matérias-primas em alta, como o petróleo e o gás.

      • De diz:

        Insatisfação do povo?
        Ah.Katulo fala de Portugal

        ( Katulo a propósito da tal “falsa estabilidade económica”
        …que chatice..os índices económicos dos países outrora socialistas estão disponíveis para consulta…bem como os índices sociais e culturais)
        Apanhado em mais uma aldrabice,Katulo?
        Sai ao Passos Coelho?Que mal chega a primeiro-ministro mente e aldraba?
        Ou a Portas?Que aqui há uns anos,chegado de Washington,disse ter visto as provas das tais armas de destruição maciça?
        Está bem acompanhado Katulo

      • Carlos Carapeto diz:

        katulo sabe porque a intervenção Soviética provocou mais mortos no Afeganistão? É porque os invasores da NATO só matam Talibãs, insurgentes e terroristas da Al-Qaida, em escolas, casamentos, funerais, escondidos em bairros degradados e esses não são contabilizados.

        Também não tem que reconhecer que as condições de vida não melhoraram, se quer ser honesto deve admitir que pioraram.

        Sobre a comparação que faz com a Alemanha, por favor tenha mais cuidado com essas analogias. Não sabe que a Alemanha Nazi foi um agressor, primeiro destruiu os outros e por fim sofreu as consequências disso ?

        O Afeganistão pelo contrário está a ser agredido.

        Por outro lado depois da II GG foi implementado um programa de ajuda à reconstrução da Alemanha e da Europa (plano Marschal) que serviu para a espansão da economia Americana também, porque os Europeus tiveram que pagar tudo até ao último centimo e mais ainda, tiveram que conceder facilidades à entrada dos produtos Americanos na Europa.

        No Afeganistão está a suceder precisamente o contrário, existe um plano mas é para saquear as riquezas do país.

        Por favor não se escude atrás dos talibãs mauzões. Ignora que os Talibãs, são filhos legitimos dos países capitalistas, Americanos em particular. Foram gerados, paridos e amamentados por aqueles mesmos que hoje os perseguem.

        Quanto à liberdade das mulheres, está muito longe de ser assim como diz. Sim algumas vão à escola outras estão no parlamento e até há uma que é ministra. Mas isso restringe-se a uma élite previligiada minoritária, para encher o olho como se costuma dizer. Porque a grande maioria das mulheres essas continuam submetidas aos mesmos ditames, e nada se alterou.

        O De:____disse-o e muito bem que as mulheres nunca tiveram tanta liberdade no Afeganistão como no tempo do Presidente Najibullah, mas isso não convinha aos Americanos e seus sequazes, fizeram tudo para o afastar do governo e assassina-lo.

        Por outro lado e ao contrário daquilo que afirma no seu comentário, não se trata de cegueira para saber destas coisas , tratasse de estar devidamente informado para dizer a verdade.

        Meu caro também é desonesto quando diz que a religião muçulmana impede as mulheres de ter acesso à liberdade. Lembro-lhe o Iraque de Sadan Husseim o Irão de hoje, a Líbia de Kadafi, a Siria, a Turquia.

        Essa loucura de que me acusa , saiba que ainda pode ter alguma esperança de cura, existem especialistas que tratam desse tipo de enfermidades. Pelo contrário o vicio da mentira continua sem tratamento possivel, portanto continue mentir.

        Sobre a sua afirmação quanto à falta de qualidade dos produtos fabricados nos países comunistas.

        Responda a isto: a estação espacial MIR foi uma miragem? As naves espaciais Soyuz que ainda hoje estão ao serviço, e são as unicas a fazer o transporte para a estação espacial ISS são um logro? Talvez sejam engenhos que se podem fazer ali no barracão ao lado e zumba chega-se-lhe um fosforo aquela traquitana acende e lá vai ela.

        A Aeroflott que era a maior e a mais segura companhia aérea. Sabe de que aviões dispunha?

        Diz que a agricultura estava protegida da concorrência, mas nessa altura produziam mais de 200 milhões de toneladas de trigo, e ainda tinham que comprar porque não chegava para o consumo interno. Diga lá como é que hoje os países que faziam parte da URSS não produzem sequer 150 milhões de toneladas e ainda conseguem exportar ? Por exemplo a Rússia quando tem colheitas de 9o M t vende em média 20 M. Portanto alguém tem que ficar sem pão.

        E da Skoda o que acha? E a Bielorrussia que não dispôs a sua economia à mangedoura do capitalismo, é o setimo produtor de máquina de movimentação de terras a nivel mundial, vende tratores para mais de 50 países, instalou recentemente uma fábrica em Goiania no Brasil, com uma produção inicial de 5000 tratores por ano. A Bielorrússia é o maior construtor de componentes eletrónicos do Leste Europeu.

        Portanto para si é tudo sucata sem préstimo nem garantia?

        • Vasco diz:

          Excelente texto, Carlos Carapeto.

        • Pedro Pousada diz:

          Camarada Carlos não vale a pena falar com estes surdos mudos são sucata sem préstimo nem garantia; chega uma altura em que é preciso admitir que as diferenças são irreversíveis e que personagens como este sinistro Katulo estão do outro lado da trincheira e nós nada queremos com essa estirpe.Abraços

          • Carlos Carapeto diz:

            Camarada Pedro Pousada, apreci-o muito os seus comentários, tenho aprendido imenso consigo. Mas não me peça para baixar os braços.

            Não esqueço nem perdou aquilo por que passei na minha infância. Sei que quem são os causadores dos meus males.

            O premio que recebi por ter feito a 4º classe aos dez aninhos, raquitico e mal alimentado, foi ir trabalhar nos arrozais do vale do Sado enterrado em água e lama até à barriga.

            Sei que hoje muitos milhões de meninos por este mundo fora continuam a ser explorados da mesma forma.

            Hoje não preciso desta cambada para nada , por isso não me calo.

            Um abraço.

          • Gentleman diz:

            Carlos Carapeto, antes ir para os arrozais do que para a Sibéria…

          • De diz:

            Um comentário nojento este do Gentleman,sobre os arrozais e o Carlos Carapeto

            A demonstrar o verdadeiro fundo onde navegam os que se dizem de gentleman

            Preciso de ar fresco

          • Gentleman diz:

            Nojento porquê?!
            Acha trabalhar na Sibéria mais aprazível que nos arrozais portugueses?!

        • Katulo diz:

          Ó sim, a Bielorússia, esse exemplo de democracia e progresso! Espere lá, esse tal país que “não dispôs a sua economia à mangedoura do capitalismo” não foi o mesmo que pediu um pacote de salvamento económico ao FMI em 1 de Junho de 2011?
          Ora bolas, Carapeto. Lá se foi mais um modelo para os comunistas portugueses…

          O que acho da Skoda? Uma marca com uma história interessante mas que enquanto esteve nas mãos do estado comunista manteve-se tecnologicamente atrasada face às suas congéneres ocidentais. Eram melhores carros que os Trabant realmente, mas a Skoda só passou a fazer carros tecnologicamente ao nível ocidental só depois de ter sido adquirida pela Volkswagen.

          Quanto às toneladas de trigo produzidas na URSS, fez-me lembrar como o Portugal de Salazar produzia tanto trigo e centeio que o país até conseguia ser autosuficiente. Vamos também elogiar a Economia do regime salazarista, vamos Carapeto?

          Quanto ao programa espacial soviético, este constituiu uma peça central na propaganda do regime (interna e sobretudo internacional). Por isso, foi uma área prioritária dotada de orçamentos avultados. Tal era a importância do programa espacial, que até foram buscar ao Gulag um talentoso engenheiro aeronáutico, Korolyov (outros milhões não tiveram tanta sorte…). Os soviéticos tinham tecnologia militar e espacial muito boa. O grande problema é que essa tecnologia de quase nada servia aos cidadãos directamente. Aquela tecnologia que os cidadãos faziam uso no dia a dia como, por exemplo, computadores, elevadores, carros, televisores, electrodomésticos, etc., era muito fraca por comparação à ocidental. Só para dar um exemplo entre muitos, mesmo no final dos anos 80 os consumidores soviéticos tiravam fotos a preto-e-branco já que a fotografia a cores não estava vulgarizada como há muito estava no Ocidente.

          A religião muçulmana engloba muitas correntes com muitas interpretações, como seria de esperar tal a quantidade e variedade de povos que abarca. Tal como o Afeganistão, há 30 anos o Egipto era um país mais liberal em termos de costumes do que é agora. O crescimento do fundamentalismo muçulmano é um fenómeno complexo que não se explica simplisticamente com “a culpa é dos EUA”, “a culpa é de Israel”.

          Quanto à patranha que os Talibãs foram criados pelos EUA, isso já foi desmontado em outro lugar. Apenas acrescentarei que os EUA estão a prestar um serviço à humanidade ao combaterem esses tiranos medievais. Um trabalho fiel aos valores fundamentais da Esquerda tradicional (não da Esquerda caviar que só autoriza que o fanatismo religioso seja criticado se for cristão).

          • Carlos Carapeto diz:

            ««««««Gentleman says:

            17 de Agosto de 2011 at 18:16

            Carlos Carapeto, antes ir para os arrozais do que para a Sibéria…»»»»»

            Gentleman; acabou de exibir o seu certificado moral.

            Você não passa de um canalha , faz parte da mesma escumalha que assassinaram a minha infância e me roubaram a juventude e a muitos milhões da minha geração. E eu a esses o maior desejo que podia ter na vida , era varar-lhe a cabeça com 50 g de aço. Não merecem outra coisa.

            Seu energúmeno tem o atrevimento de tentar divertir-se , com quem nem o pão que o diabo amassou tinha para comer? Ainda hoje um terço da humanidade vive nessas condições.

            Se não conhece a história do seu país, atrevesse a falar sobre a história dos outros?
            Sabe quando começaram as deportações para a Sibéria? E a mando de quem?

            Leia Bertand Russel ( um anti-comunista de primeiro grau) em “Realidade e Ficção”, que encontra lá isto escrito. ” Quando eu era jovem, os herdeiros mais importantes da tradição de revolta romântica eram os revolucionários Russos. Os liberais de todo o mundo olhavam para a Rússia Czarista com um horror arrepiado; bastava a menção da palavra ««Sibéria»» para lhes gelar o sangue nas veias. Desde os Dezembristas de 1825 que os heróicos Russos lutavam para derrubar o regime de terror dos Czares”.

          • Carlos Carapeto diz:

            Karólhov “Корольов” (é assim que se pronuncia em russo). Foi o diretor de um projeto, tal como Von Braun pai dos foguetões Americanos, que por acaso até era Alemão. Como referiu, Karólhov esteve preso e foi libertado, continuou a sua vida. Menos sorte teve o casal de cientistas Americanos Ethel e Julius Rosenberg, condenados à morte sem provas, durante a paranóia da perseguição aos comunistas na América.

            Se acha que a economia Bielorrussa está assim tão má que tem uma divida inferior a 30% do PIB, diga como estão os outros países que a divida se aproxima ou é superior a 100%. Que é o caso da maioria dos países da U E. Além do mais tratasse de um país com um forte volume de exportações.

            Quando pensar em falar da Biellorrussia, deve primeiro consultar o coeficiente de GINI, IHD, índice de Maplecroft , a Bielorrussia está na lista dos dez países que não correm qualquer risco de escassez alimentar.

            Compare com Portugal e com a maioria dos países Europeus. Depois diga a conclusões a chegou.

            Compare com o Afeganistão que lidera todas as listas pela negativa. Excelente desenvolvimento que os seus amigos Americanos lá foram levar.

            Na Bielorrussia veja também a taxa de desemprego, a mortalidade infantil, a esperança média de vida, mortes provocadas por a SIDA, a taxa de emigração. Não vê médicos, engenheiros, professores ou outros com cursos universitários a labotar em serviços que os Europeus se recusam, pois não? Isso diz tudo.

            Deve ser deveras repugnante ter que engolir estes bicharocos . Isto não são sapos que o meu Caro tem entalado na garganta, são salamandras.

            Você pensa vir largar as suas larachas julgando que os outros são uma cambada de lerdaços. Que também andam a foçar na NET à cata de lixo. Engana-se.

          • Sakarov diz:

            Essa frase de Bertrand Russel, “bastava a menção da palavra ««Sibéria»» para lhes gelar o sangue nas veias. “ só tem significado e beleza para o estalinista Carapeto se for aplicado ao czarismo.
            Se for aplicado ao comunismo soviético, que aprisionou na Sibéria muito mais gente que todos os czares juntos, o Carapeto já prefere uma outra variante da frase de Russel:
            “basta a menção da palavra ««Sibéria»» para me aquecer o coração. “
            A tua dualidade de critérios é repugnante. És um estalinista deveras miserável.

        • José diz:

          “Meu caro também é desonesto quando diz que a religião muçulmana impede as mulheres de ter acesso à liberdade. Lembro-lhe o Iraque de Sadan Husseim o Irão de hoje, a Líbia de Kadafi, a Siria, a Turquia.”

          Dar como exemplo de liberdade de género o Irão é demasiado ofensivo, Carapeto! É uma ofensa às mulheres e à inteligência dos leitores.

          Não me parece que os desenvolvimentos tecnológicos soviéticos – inegáveis – possam servir de caução para todo um regime opressor das liberdades e direitos individuais e políticos.
          Goste-se ou não, os regimes ditos comunistas falharam e não deixaram saudades à generalidade da população, caso contrário os PCs teriam voltado ao poder.

          • Carlos Carapeto diz:

            Caro José o que sabe você desse tal género no Irão?

            Compare com todos os países ao redor do Irão e abserve as diferenças.

            Isto apenas; qual o país da região em que as mulheres podem conduzir taxis?

            Ensinaram-lhe a ter ódio ao Irão foi?

            Cuidado não o ensinem a morder nas pernas de quem passa na rua.

          • Carlos Carapeto diz:

            Sakanov.

            Uma situação não justifica a outra claro, é apenas para lhe lembrar que aquele terror que o incomoda tanto, vem já muito de tráz e que teve maiores dimensões.

            Sabe como foi colonizada a Sibéria?
            Se ler Julio Verne encontra lá menções a isso.

            Em Kropotkin , um profundo conhecedor da imensidão da Sibéria ainda mais.

            Portanto entre ser “Estalinista” e mentiroso ignóbil apologista de um sistema que está a provocar crueldades em guerras distantes , contra civis inocentes que nunca manifestaram as menores intenções politicas, que condena dez milhões de crianças com menos de 5 anos à morte anualmente pela fome, que é responsável por um 1/3 da humanidade viver na mais profunda miséria e no obscurantismo.

            É preferivel o primeiro. Ao menos Estaline nunca provocou desmandos fora do seu país.

            Repugnante de dar vómito é o meu “amigo” saber isto tudo e não condenar.

            Certamente porque vive à fartazana por conta do parasitismo déspota instalado.

          • Gentleman diz:

            O Carlos Carapeto sabe que o Partido Comunista está proibido no Irão?

        • George Kaplan diz:

          “A Bielorrússia é a única nação da Europa que ainda aplica a pena de morte como punição para determinados crimes durante períodos de paz.”

          • Carlos Carapeto diz:

            Quantas execuções houveram nos últimos dez anos?
            Então compare com a América, e se não lhe der muito trabalho agradeço que me dê os números.

          • José diz:

            Carapeto: a comparação está a ser feita entre países europeus.
            Quer criticar os EUA? Força, não são flor que se cheire.
            Agora tal não signifique que o Carapeto venha dar como exemplo de céu na terra a Bielorússia!

        • George Kaplan diz:

          Diz Carlos Carapeto-“Quantas execuções houveram nos últimos dez anos?
          Então compare com a América, e se não lhe der muito trabalho agradeço que me dê os números.” -Como é isto possível? Mas compare porquê? Eu falei em americanos?
          Sabe lá o Carlos o que penso eu dos americanos e da sua política.
          Este género de pessoas fica toda eriçada com factos que lhes desagradam e só sabem contrapor com o mal que os outros também fazem…
          O Carlos não me conhece e assume logo que sou um “pró-americano” e vem para aqui pedir-me números…
          Pois engana-se meu caro, nem toda a gente é assim unilateral, os americanos têm feito imensa porcaria ao mundo desde que existem e até na sua génese, é a minha opinião, mas não me interessa aqui desenvolvê-la porque seria absurdo e descontextualizado, só comentei o seu parágrafo bielorrusso…
          Registo no entanto que toquei num ponto sensível, e como já esperava, fugiu ao assunto.
          E que repugnante este joguinho da contagem de mortos que se faz por aqui, venha lá donde vier.

          • Carlos Carapeto diz:

            Estamos a discutir sistemas, ou estamos a discutir governos. Por um lado falasse no comunismo como um todo, por outro deixamos a América de fora porque não interressa.

            É capaz de me dizer qual o modelo politico que vigora na América?

            Chamasse ao seu truque fugir com o rabo à seringa.

            É repugnate para si fazer matemáticas macabras a um dos lados. Mas do outro contabilizam-se à milésima.

            Meu Caro crimes são crimes, e onde há vitimas inocentes há crime.

        • George Kaplan diz:

          É melhor explicar outra vez, indo por partes porque isto está difícil…
          1-Comentei, com uma citação o seu post onde falava da Bielorrússia-“A Bielorrússia é a única nação da Europa que ainda aplica a pena de morte como punição para determinados crimes durante períodos de paz.” Porque me pareceu oportuno, já que na minha opinião o país não é um modelo de virtudes e estas coisas devem ser conhecidas, ou não?
          2- O Carlos pede-me de seguida para “comparar com a América”, mais, pede-me “números”.
          3- O Carlos parece não achar legítimo que eu venha aqui dizer que existe pena de morte na Bielorrússia sem que vista a camisola de capitalista, de “pró-americano”, para o Carlos é mais fácil, porque o Carlos não analisa, não quer compreender, só quer comparar e contar. Ou seja, a discussão tem que ser com as regras que o Carlos define.
          4- Diz ainda -“Por um lado falasse (sic) no comunismo (fala-se?)…” quando de início não falei de comunismo nem de América.
          5-Depois diz “Chamasse(sic) ao seu truque fugir com o rabo à seringa.” presumo que quis dizer “chama-se”, mas acho que não, Carlos, não me parece ser eu quem está a fugir com o rabo à seringa.
          6-E de seguida-“É repugnante para si fazer matemáticas macabras a um dos lados. Mas do outro contabilizam-se à milésima.”-quando eu fui claro e escrevi-“…venha lá donde vier.”Não leu?
          7-E termina assim-“Meu Caro crimes são crimes, e onde há vitimas inocentes há crime.”-Não podia estar mais de acordo, mas que estranho ser o Carlos a escrever isso. Alguma confusão na forma como vê o mundo, parece-me.
          Em que ficamos? Ficamos na mesma, nem uma palavrinha (concreta) sobre a pena de morte na Bielorrússia. Sempre a fugir ao assunto, Carlos…

          • Carlos Carapeto diz:

            Meu Caro compreendi desde o primeiro momento o sentido do seu raciocinio.

            Para comprender ainda melhor, conto-lhe aquela história das duas meninas que estavam a discutir, e vai a mãe de uma delas diz para a filha, chama-lhe P…. antes que ela te chame a ti.

            Você não precisou chamar criminoso a Lukaschenko, disse apenas que ainda existia a pena de morte.

            Eu perguntei-lhe quantas execuções houveram nos últimos dez anos, e pedi-lhe que compara-se é assim ou assim comparasse ” a Priberan aceita-me as duas formas , eu não sou filólogo” com a América. Sei que prefere Obama a Lukaschenko, por isso preferiu não desviar o rumo à conversa. Foi isso? Se fosse ao contrário outro galo cantaria.

            Consegui explicar de forma a que entende-se?

        • De diz:

          Nojento
          Face ao exposto por Carlos Carapeto devia ter vergonha.

          Que gentleman tenha o seu breviário ideológico e seja um paladino do que quer que seja,ninguém lho nega
          Mas a forma como posta o seu comentário a seguir ao testemunho do Carlos é algo que mete náuseas
          Não é só a insensibilidade demonstrada.Os auto-apelidados gentlemen dão geralmente alguma perplexidade.Algo de narcísico que segue os trâmites normais em fulanos assim.
          O não perceber os limites do aceitável é marca de alguns,admitindo eu que tal possa ocorrer,de acordo com as circunstâncias,na generalidade das pessoas.
          O acontecer desta forma com um fulano que prega as características de gentleman,demonstra tão só hipocrisia ou vacuidade.
          Para além de outras coisas adequadas à natureza política do comentário.Mas neste momento nem sequer estou a falar sobre tal

        • George Kaplan diz:

          O Carlos não percebe, é melhor ficarmos por aqui. O Carlos deturpa, adivinha-me preferências e orientações políticas num tom arrogante .
          Pragmático e manipulador, o Carlos não defende, passa ao ataque, de dedo em riste. A discussão com o Carlos está constantemente armadilhada . Muito esclarecedor.
          Entendi, sim senhor.

          • Gentleman diz:

            Esse é um padrão típico, não só do Carapeto, como de outros comunistas fanáticos que aqui escrevem. À simples menção de uma barbaridade ocorrida num regime comunista eles reagem de uma ou mais das seguintes formas:

            1) Não se pronunciam sobre a barbaridade em causa, mas contra-atacam invocando outros casos supostamente de igual gravidade praticados por outros quadrantes políticos. Os exemplos que escolhem para colocar no outro prato da balança são frequentemente desastrados. Para dar um exemplo um pouco extremo, escreverem que estar desempregado é tão grave como ser preso político, por incrível que pareça não é tão improvável como possa parecer (eu já li isso num outro blogue)!
            Imaginam um réu em tribunal a defender-se assim?

            2) Negam, com unhas e dentes, que a barbaridade tenha ocorrido. Irritam-se muito e desvalorizam por completo os estudos de reputados académicos. Não é preciso ir muito longe. Temos assistido nesta discussão ao negacionismo mais abjecto.

            3) Partem para o ataque pessoal. O mais preferido é o de acusar o outro de “fascista”. É uma autêntica compulsão. Uma discussão com um comunista fanático que não termine com ele a acusar o oponente de “fascista” é uma quase impossibilidade.

          • De diz:

            Gentleman coloca em três pontos, os seus pontos de vista sobre outros pontos
            -Regista-se que a leitura dos pontos em causa em que Gentleman põe a vista, são desviados pela matriz ideológica em que Gentleman navega.As tais barbaridades que gentleman horrorizado fala não são apresentadas da forma inocente como o inocente Gentleman o faz.São devidamente acondicionadas por postulados que não passam (na minha modesta opinião) de rematados disparates ou de ignorâncias surpreendentes
            (Não se comentam naturalmente as leituras que Gentleman anda a fazer no mar alto da blogosfera.Apenas se abre um pouco a pestana e se pense.Eis aqui uma variante da fábula que termina com a morte do cordeiro.”se não foste tu,foi o teu pai)
            -O “negacionismo” mais abjecto é um termo a que Gentleman se socorre,tentando olvidar o percurso dos projectos discursivos ao longa da troca de ideias. Lembro-me de tal ter ocorrido em relação aos crimes dos EUA no Iraque
            A existência de erros,omissões,desvios e crimes da parte dos países socialistas aonteceram.Mas a abjectividade de tais acontecimentos não é reconhecida da forma como Gentleman o deseja.Pode-se pedir paciência ao Gentleman.Ou pode-se transcrever as palavras de João Valente Aguiar que tão bem sintetizam a situação:”a assumpção das diferenças não tem de equivaler a uma recusa de todos os factos positivos do socialismo soviético (educação, saúde, serviços públicos, derrota do nazi-fascismo, construção do primeiro Estado Social da história da humanidade, direitos laborais, pressão para a melhoria das condições de vida dos trabalhadores do ocidente capitalista, planificação central, etc.). Claro que nem tudo foi perfeito (nalguns aspectos até longe disso), sobretudo a partir de meados da década de 50, mas o que falhou não foi o socialismo, mas a vitória das forças pró-capitalistas a partir dessa altura e que com a introdução progressiva e sistemática de mecanismos de mercado destruíram as dinâmicas socialistas na URSS.”
            Mais claro que isto…
            -Não me recordo de pessoalmente tenha apelidado Gentleman de “fascista”.Nem Gentleman nem nenhum outro nesta discussão.
            Se se manipulam factos,dados,acontecimentos e outras coisas mais,ao menos que não se minta de uma forma tão primária
            ( a menos, claro,que Gentleman não me inclua no género “comunista fanático”)

      • Vasco diz:

        Sobre a concorrência. A Alemanha impõe que os estados europeus não protejam as empresas e a agricultura nacionais porque isso é «concorrência desleal». Mas os grupos económicos alemães também foram, a seu tempo (e continuam a sê-lo) protegidos pelos seus estados. Simplesmente isso foi há mais tempo. Desleal é pretender proibir que os estados mais frágeis protejam as suas próprias economias – para que os grupos alemães possam prosperar e impor-se, sem concorrência real. E os soviéticos puseram o primeiro satélite em órbita e o primeiro homem no espaço – mas deve ter sido de Lego, dado o seu atraso…

    • Carlos Carapeto diz:

      Senhor Gentleman.
      Leia Alexandre del Valle (um conselheiro de Sarkozy para assuntos internacionais) em “Guerras contra a Europa” e fica logo a saber de que lado estava e quem convidou Bin Laden para a Bósnia.

      Para saber ainda mais sobre Bin Laden continue a ler A del Valle que aprende outras coisas que o Senhor não sabe e que teimosamente continua a meter o nariz.

      Aprenda isto e que lhe sirva de lição. ” A pessoa informada destingue-se da não informada por considerar sempre imperfeita a sua informação”.

      • Gentleman diz:

        Continua a fugir a explicar que “lado americano” era esse na Bósnia e que interesse os americanos poderiam ter em patrocinar esse lado…

        • Carlos Carapeto diz:

          Já lhe disse leia Alexandre del Vall encontra lá a resposta, não se assuste que é um homem da UMP.

          Agradecia que me desse uma explicação à provocação que me dirigiu.

          Na próxima vai ser diferente.

          • Gentleman diz:

            Xi… Julga agora que vou ler o livro só com o único propósito de tentar encontrar lá alguma coisa que corrobore a sua lunática conclusão?
            Tenha dó, homem.
            Ou você tem capacidade para explicar que “lado americano” é esse e porque razão os americanos colaborariam com Bin Laden para se intrometerem na guerra civil Jugoslava, ou você apenas confirma ser mais um tontinho de extrema-esquerda, sempre super-receptivo a engolir qualquer tese conspirativa anti-ocidental, mas super-céptico para além do razoável em relação a crimes monstruosos como, por exemplo, o Holodomor.

  15. Homem de Esquerda diz:

    Como homem de esquerda que sou, prezo a verdade. Não pactuo com mentiras nem encobrimentos.
    Há quem diga que há um Holocausto a ocorrer no séc.XXI e que esse Holocausto é na Coreia do Norte. Vejam o seguinte vídeo para saberem o que lá se passa na realidade:

    http://bit.ly/qFWW2H

    O mundo precisa de saber a verdade

    .

    • De diz:

      Ahahahahha
      Ao Katulo,segue-se o Vasconcelos
      e depois o Homem de esquerda

      Homem de esquerda,eu já vi aqui esse seu comentário.Uma fotocópia?
      Eu repito o que postei na altura:
      Nem homem,nem de esquerda

      • Katulo diz:

        Ao “De” segue-se o Pedro Pousada e depois do Carlos Carapeto. Qual deles o mais alheado da realidade, qual deles o mais ceguinho?
        Estes bolcheviques são um autêntico concentrado de cegueira ideológica e de falta de vergonha. Não admira que os mais inteligentes já tenham abandonado as suas fileiras há muito e que para trás tenham ficado apenas estas patéticas criaturas…

        • Vasco diz:

          Eu sei: o mais alheado de todos és tu, que defendes o capitalismo com mais garra que os seus principais beneficiários, que há muito deixaram cair o entusiasmo triunfante do início da década de 90 e hoje preferem um modesto «é o que temos»…

          • Katulo diz:

            E quem te disse que eu não sou um beneficiário?
            Até tu, sem o perceberes, também és um beneficiário do capitalismo. Os exemplos rodeiam-te.

          • De diz:

            Os benefícios do capitalismo vêem-se à légua
            É por isso que temos por cá o amigo Katulo a dizer o mesmo há não sei quanto tempo…e poucos o ouvem
            É que os desempregados a miséria,a guerra a fome são cartões de visita muito pouco agradáveis

            Paul Krugman:Nem sequer e longe disso é marxista.Vejamos um pequeníssimo extracto das suas afirmações que fui buscar ao”o tempo das cerejas”:
            «(…)Repasen la página de opinión de cualquier periódico importante, o escuchen cualquier programa de debate, y es probable que se topen con algún autoproclamado centrista afirmando que no hay remedios a corto plazo para nuestras dificultades económicas, que lo responsable es centrarse en las soluciones a largo plazo y, en concreto, en la “reforma de las prestaciones”, o sea, recortes en la Seguridad Social y Medicare. Y cuando se topen con alguien así, sean conscientes de que esa clase de gente es uno de los principales motivos por los que tenemos tantos problemas. “

      • De diz:

        Katulo.Já percebemos.Está com receio que as pessoas vençam o que as separa e se juntem para dar cabo da corja que nos governa.Quer vir fazer escabeche,qual peixeira ceguinha,em concentrado ideológico.Com a falta de vergonha adequada ao perfil de Katulo,uma patética criatura que espalha o seu engenho e arte com a inteligência que lhe deram

        • Katulo diz:

          Ui, estou mesmo cheio de medo da capacidade de mobilização da sua Igreja… LOL
          Malta do seu calibre intelectual tem um discurso que já nem às pedras diz alguma coisa. Vá esperando sentado que a Revolução nunca esteve tão longe.
          Ah, e não se esqueça dos comprimidos.

          • De diz:

            Katulo fala já em revolução?Oh Katulo tomara.Entretantovamosa notícias mais importantes que o umbigo numérico do Katulo:
            “Marx tinha razão. A certa altura o Capitalismo pode destruir-se a si próprio”, diz hoje em entrevista ao Wall Street Journal, Nouriel Roubini.

          • Katulo diz:

            Essa da autodestruição do capitalismo é ainda mais cómica. Não censuro o catastrofista Roubini. É uma óptima maneira de ganhar a vida, atendendo ao cachet que ele cobra por cada bitaite que dá.
            Já o “De” é que não ganharia muito com os seus bitaites, a não ser talvez no circo Cardinalli.

          • De diz:

            Aí está um bom argumentário Katulo
            O “pretenso homenzinho das ciências eclipsou-se.
            Ficou um sujeito um pouco borrabotas cujos argumentos oscilam na corda bamba de um pobre trapezista do Cardinailli.
            O Roubini está a ganhar a vida,diz Katulo.
            Cá para nós nem sequer colocamos em causa a honestidade de Roubini.Embora saibamos que ganha a sua vida honestamente.
            Quanto a Katulo…está apenas também a tentar ganhar a sua vidinha

          • José diz:

            O pobre do Marx tem pouca responsabilidade sobre os que os seus seguidores fizeram em seu nome, como Lenine, Estaline, Mao, Pol Pot ou Kim Il Sung…

    • Carlos Carapeto diz:

      Trate-se; está infetado com a hidrofobia capitalista. Não pode ser de esquerda porque quem é de esquerda está imunizado contra essa enfermidade, se eventualmente acontecer algo que os perturbe procuram tratamento junto dos da sua própria classe. Ou seja esclarem-se com os mais esclarecidos e tiram todas as duvidas.

      Se não patua com mentiras e encobrimentos peça ajuda ao Tiago Vasconcelos, esse vende a verdade e só a verdade, fabricada por ele claro.

      • Katulo diz:

        No meio desta desmiolada tentativa de branquear os incomensuráveis crimes do comunismo (que ainda ocorrem em grande escala na Coreia do Norte), o tem mais piada nestes comunistas revisionistas é a linguagem por eles empregue. É algo muito similar ao que podemos encontrar em membros das Brigadas do Mártires de al-Aqsa e em outros grupos de fanáticos religiosos.

        Com efeito, ser comunista, especialmente no séc. XXI, é uma manifestação religiosa. Se encararmos a religião como um fenómeno de crença em algo do qual não se tem provas que exista (porque ninguém pode afirmar que tem realmente
        provas), o comunismo é, por sua vez, a crença em algo que não se tem provas que funcione.

        A razão é que actualmente ser comunista não é um acto racional. É uma questão de fé. Tal como os católicos não abdicam da sua fé mesmo apesar da Inquisição e de todo o historial negro da Igreja Católica, o comunista também não abdica da sua fé por mais factos históricos chocantes que se lhe apresentem. Ele acredita fervorosamente nas virtudes da sua doutrina e vê todos os crimes históricos quando muito como um “desvio dos princípios”, um “problema de aplicação” da doutrina, e nunca como um problema da doutrina em si mesma. Para eles, a “Palavra do Senhor” é uma verdade universal, contendo um valor moral inquestionável.

        • De diz:

          Katulo.
          Este seu texto revela algum transtorno
          E que tal surgir com outro nick?
          Calma Katulo.Porque não se socorre de mais uns numerozinhos?
          Tem que se esforçar mais.O aumento dos transportes vai ser combatido.A cambada neo-liberal No Pasara!
          Vamos a mais um tirinho?
          É que a malta está-se a unir. Comunistas,não comunistas, bloquistas, independentes…todos juntos face ao monstro que mente,rouba e se submete aos desígnios da troika

          • Katulo diz:

            LOL
            Transtorno e grave revela este “De” que, qual barata tonta, é incapaz de analisar racionalmente factos. O triste “De” foge a qualquer debate que envolva números e factos porque não tem capacidade de aguentá-lo. Como estratégia para não expor a sua ignorância, o “De” utiliza uma manobra de diversão: tentar desviar as atenções despejando conversa de chacha. O transtorno mental do “De” tem suscitado curiosidade e, por isso, tenho-o seguido com interesse… clínico.

          • De diz:

            Tem seguido com interesse clínico »Acho bem
            Mas siga outras coisas para se manter mais informado em vez de vir fazer figuras tristes.Foi nas novas oportunidades?
            Quanto aos números…Katulo vamos a dados mais substanciais.Sem serem aqueles que manipula e que foram aqui ostensiva e desapiedadamente desmascarados:
            “O conhecido filantrocapitalista Warren Buffett afirmou há já algum tempo, com realismo, que a luta de classes existia e que a sua classe a tinha ganho: num contexto de estagnação dos rendimentos das classes trabalhadoras, a percentagem de rendimentos captada pelos 1% mais ricos passou, nos EUA, de 8,95% do total, em 1978, para 20,95%, em 2008 (semelhante a 1929). A taxa de IRS que incidia sobre o ultimo escalão de rendimento passou de mais de 70%, nos anos sessenta, para 35%, na actualidade e na melhor das hipóteses. Os resultados são os que se conhecem”.

          • José diz:

            A diferença é que, para criticar o estado actual da economia mundial, não é preciso ser estalinista ou soviético-saudosista, como o Roubini ou o Buffet, aqui surpreendemente tão apreciados, demonstram à saciedade.

        • Vasco diz:

          Genocídio na Coreia do Norte. Assim de repente lembro-me de um: a destruição total do País pela aviação dos EUA entre 1950 e 1953. Em Piongyang só um edifício ficou de pé… Esse conta? Ou foi merecido?

          • Katulo diz:

            Então o amigo não sabe que isso foi uma resposta militar autorizada pela ONU a uma agressão iniciada pela Coreia do Norte.
            Tenha mas é vergonha e não pactue com a ignomínia.

      • Adriano Gomes diz:

        Patua? Que verbo é esse, patuar? Será fazer patos?

        • Carlos Carapeto diz:

          Uma distração, o verbo pactuar não perdeu o “c” com o novo acordo ortográfico. Obrigado pelo reparo.

        • Carlos Carapeto diz:

          Caro Katulo e se fosse você a tomar vergonha com os disparates que diz?

          Sabe o que ficou estipulado nos acordos sobre a Coreia no final da guerra?

          Também ignora que foram os Americanos que logo em 1945 desemparcaram na Coreia mandando às malvas o que tinham assinado poucos meses antes?

          Enganasse as agressões começaram primeiro na zona de divisão das duas Coreias, com provocações desencadeadas por os Americanos.

          A Coreia era uma colónia Japonesa, e nos acordos assinados entre Soviéticos e Americanos ficou estipulado que a Coreia ficava dividida por o paralelo 38 até à realização de eleições. Só que os seus amigos Americanos ocuparam a parte Sul com tropas e a partir daí começaram as escaramuças até ao deflagrar do conflito.

          No Vietnam foi precisamente a mesma coisa.

          Já agora para que não lhe fiquem os simius a saltitar no sotanus. Também o vou esclarecer as razões porque os Soviéticos entraram no “negócio”.

          É porque os Soviéticos libertaram todo o norte da China e Manchuria da ocupação Japonesa.
          Numa semana desbarataram os exércitos Japoneses. Mas os seus amigos Americanos para mostrarem as garras fizeram aquilo que sempre souberam fazer, assassinar civis inocentes (já tinham feito o mesmo em Dresdem, Hamburgo e noutras cidades Alemãs) e vai daí fizeram detonar aqueles dois “brinquedos” que limparam o sebo a mais de 200 000 miseráveis logo no momento.

          Isto não sabe o Cara pois não? Pode saber só que mete o rabinho entre as pernas como qualquer cachorrinho cobardolas e pisgasse sorrateiramente sem fazer o minimo ruído.

          Dói? Mas cura.

          • Gentleman diz:

            Deixe-se de mistificações! O que aconteceu foi muito simples:
            A península coreana foi dominada pelo Japão desde 1910 até ao final da Segunda Grande Guerra. Após a rendição do Japão, os americanos dividiram a península pelo paralelo 38, ficando as tropas americanas a ocupar a parte Sul e as tropas soviéticas a ocupar o Norte. Como parte do acordo, deveriam ter ocorrido eleições livres. Mas a 25 de Agosto de 1948, o Norte realizou umas eleições-fantoche completamente manipuladas que resultaram na eleição dos comunistas. Em 25 de Junho de 1950 as forças norte-coreanas invadiram a Coreia do Sul. A ONU e os americanos foram em auxílio da Coreia do Sul e rechaçaram os invasores de volta para cima do paralelo 38.
            Os norte-coreanos foram os agressores. Entendeu ou quer prosseguir com as suas falsificações?

    • Vasco diz:

      A verdade é mais difícil de atingir do que parece, ó Homem de Esquerda. Não é com os jornais da grande burguesia nem com as ONG pagas pelo OE dos EUA que se atinge a verdade, garanto-lhe!

      • Katulo diz:

        Típica conversa de comuna. Antes da queda do muro de Berlim qualquer referência a campos de trabalhos forçados, milhões de mortos e de prisioneiros políticos no lado de lá da Cortina de Ferro também era recebida automaticamente pelos nossos comunas com respostas do género: “isso é propaganda americana!”, “isso são mentiras imperialistas!”, etc. Depois da queda do muro verificou-se que o que se dizia só pecava por defeito…
        Os tiques não se perdem. E agora tudo se repete em relação à Coreia do Norte.

        • De diz:

          Típica converaa de comuna…?
          Quem o diz é alguém que já se mostrou um pouco do que é.Repete o dito num reflexo pavloviano de assegurar a propagação dos seus mitos e de assegurar o cumprimento das suas funções?

          Fala agora na Coreia.
          Pudera.Tem que fugir do Iraque e do Afeganistão,países onde já foi instaurada a democracia made in USA.
          Vê-se
          Os tiques permanecem?
          Mas há algumas preocupações.Será que agora também querem invadir a Coreia?Para mais guerras?
          Para esconder o quê?
          “O atentado à bomba no gabinete do primeiro-ministro norueguês em 22/Julho/2011, Jen Stoltenberg, do Partido Trabalhista, o qual matou oito civis, e o subsequente assassinato político de 68 activistas desarmados da Juventude do Partido Trabalhista na Ilha Utoeya, a apenas 20 minutos de Oslo, pelo militante neo-fascista cristão-sionista, levantam questões fundamentais acerca do crescimento das ligações entre a extrema-direita legal, os media “de referência”, a política norueguesa, Israel e o terrorismo de extrema-direita”
          É por isso que Katulo e Vasconcelos querem tanto falar da Coreia?
          Falta só o pimpolho.O “homem de esquerda”

          • Katulo diz:

            Como eu compreendo a sua simpatia por Saddam, ó “De”! O “De” está triste porque os tiranos estão a capitular aos poucos. Está triste porque no Iraque agora há eleições, tal como no Egipto, Tunísia e também na Líbia haverá não tarda muito.
            Lamento muito as suas frustrações, mas a democracia e o capitalismo estão a alastrar.

            Como alguém disse, mais depressa se apanha um comunista a apoiar um tirano do que uma democracia liberal — e é bem verdade.

      • Carlos Carapeto diz:

        ««««Em 25 de Junho de 1950 as forças norte-coreanas invadiram a Coreia do Sul. A ONU e os americanos foram em auxílio da Coreia do Sul e rechaçaram os invasores de volta para cima do paralelo 38»»»».

        É capaz de me dizer onde isto está escrito? Em Outubro de 1945 foi quando as primeiras tropas Americanas entraram no Sul da peninsula. Os Soviéticos nunca enviaram para lá tropas, fazem fronteira com a Coreia. Consulte Wilfrede Burchett um jornalista Austaliano que acompanhou a guerra do principo ao fim. Leia “Memórias de um Jornalista Rebelde” consta lá tudo sobre a guerra da Coreia.

        Mas a mania que esta gente tem de ir sacar coisas à inforpédia e impingi-las como verdades.

        • Gentleman diz:

          Aonde é que está escrito isto??
          Chiça! Você é um completo ignorante de História. Essa literatura de cordel da qual você se alimenta só lhe tem estimulado a confusão.
          Mais do que ignorância, você vive num universo paralelo e está a carecer de tratamento urgente (se calhar até já tem vindo a escrever aqui a partir de um hospital psiquiátrico…)
          Olhe, daqui a umas horas vou investir o meu rico tempo para o Algarve, a conviver com pessoas mentalmente sãs. Boa sorte com os tratamentos!

  16. Katulo diz:

    Nada como a força dos números para contrariar a verborreia e o revisionismo dos comunistas de serviço (fontes: 1 e 2):

    Intervenção militar da URSS no Afeganistão

    Duração: aprox. 10 anos
    Rebeldes mortos: 56000-90000
    Civis afegãos mortos: 600000-2000000

    Intervenção Americana/Britânica no Afeganistão

    Duração: aprox. 10 anos
    Rebeldes mortos: 38000
    Civis afegãos mortos: 14000-34000

    Como os números mostram, a diferença no tratamento dado à população civil é simplesmente esmagador. A intervenção militar soviética foi brutal e sanguinária. Enfim, uma intervenção própria de uma ditadura.

    Apesar de os números serem de tal forma esmagadores que não deixam margem para dúvidas, não se espera que os comunistas de serviço ganhem vergonha na cara. Afinal de contas, se nem com bem mais de 50 milhões de mortos eles ganharam vergonha na cara, não vão ser um punhado de civis afegãos que os vão comover. Eles são seguidores daquela máxima popularmente atribuída a Estaline: «Um morto é uma tragédia. Um milhão é uma estatística.»

    • Vasco diz:

      Que números são esses, meu caro? Dados oficialíssimos, calculo. E os mortos pelo outro lado – pelo «combatentes da liberdade» e pelos talibãs, também foram os soviéticos que os mataram? Mas acalma a minha curiosidade: esses números vêm da wikipedia, não?

      • Helena diz:

        No caso da intervenção americana, são números realistas (mesmo considerando os números “não-oficiais” divulgados pela Wikileaks).

    • De diz:

      Katulo
      já o sabíamos
      De volta aos números ,qual “ente” que volta sempre ao que lhe ensinaram
      Katulo..
      Preocupado?Acho que deve estar Apesar de toda a sua histeria
      Apesar dos erros cometidos pelo campo socialista, comunista, anarquista, independente.
      Apesar de tudo isso a hora é de união.Contra os que nos querem roubar e aldrabar.Contra os que nos querem submeter ao jugo da troika.Contra os que torpedeiam o direito à saúde e à educação.Contra os que promovem o desemprego,a fome, a miséria.Contra os que aumentam brutalmente os transportes, a electricidade e o gás.E contra tudo o mais que por aí vem
      É que a luta não é só pela nossa dignidade e pelos nossos direitos
      A luta é também de sobrevivência
      Sabem o que postava Katulo um dia destes ,aqui mesmo no 5 dias?
      Este lindo texto:”Vê este vídeo para perceberes como é que os americanos (neste caso coreanos-americanos) se preparam para os bandalhos que tencionam destruir-lhe a sua propriedade.Os Europeus também vão chegar à conclusão que os americanos têm razão e as coisas não vão lá com “paninhos quentes”. Esta década vai assistir a muitas mudanças. E nenhuma será no sentido que desejas…”
      O video era um videio em que se fazia a apologia do uso disseminado de armas pela população( quer mais noruegueses à solta?)
      Adivinha-se o tom de ameaça de Katulo

      • Katulo diz:

        Preocupado com quê? Com os comunistas? Olhe, eu até me considero um ambientalista, mas essa espécie em particular não me incomoda que esteja em extinção. Fascismo e Comunismo espero que sejam mantidos no caixote do lixo da História para todo o sempre.

        Se bem que, como qualquer pessoa consciente, considere que há problemas prementes, não considero a retórica marxista-leninista como a melhor abordagem para a sua resolução.

        • De diz:

          Katulo eu sei
          Quer recomeçar o tema?Mas ele já foi debatido
          Caixote do lixo da história?Oh Katulo você já começa a aprender com uma área do marxismo
          Hélas…parece que eles estão vivos e bem vivos
          Que galo Katulo.
          Já lhe falei no Roubini?Ele está longe de ser comunista.
          Já lhe falei no Samuel?Parece que esse sim é comunista.E tem esta frase que é um espanto:”a confirmação de que o neoliberal é um indivíduo que não tendo a menor noção de serviço público, tem, em contrapartida, total à-vontade e descaramento para servir-se em público”.
          Reconhece nela o retrato dos que serve e a quem se curva?

          • Katulo diz:

            Já lhe falei da História?
            E dessa coisa estranha que você não sabe bem o que é chamada Realidade? Já lhe falei?
            Há 150 anos que a cassete da autodestruição do capitalismo está a tocar na boca dos comunistas. Mas até agora tudo o que se tem visto foi autodestruição dos regimes comunistas.
            Vá esperando sentado, vá. Antes do capitalismo se autodestruir, ainda os poucos regimes comunistas existentes desaparecerão.
            Ah, e não se esqueça dos comprimidos. Em tipos como você costumam fazer efeito.

          • De diz:

            Uma questão curiosa é o motivo porque Katulo coloca a palavra realidade com maiúscula inicial.
            Para focar-se na realidade de Katulo?
            Desesperado, coloca na mesa 150 anos de aflitivas esperas.A cassete de auto-destruição do capitalismo, diz.Nem sequer consegue ler bem o que se escreve?Ou não sabe sequer o que Marx disse e,levado pelo comentário de Roubini, cede mais uma vez à sua ignorância?
            É que não é a cassete da auto-destruição do capitalismo.Katulo tem ouvido selectivo e fica-se pela prosa histórica de Miguel Sousa Tavares,ou seja,fica-se pela prosa que ele leu nos últimos minutos…e converte-a em cassete.Tal como o seu mestre
            Os comprimidos são para auxiliar Katulo a perceber que hoje o mundo já não é o do fim da história que apregoavam para aí uns tantos?
            Por isso é que Katulo tem tanto trabalho
            Tem que defender o dele
            Por mais 150 anos.Embora se duvide que, quer Katulo quer a podridão que reina, durem tanto

            Vamos avançar para outro modelo de sociedade.
            Apesar dos comprimidos de Katulo

        • De diz:

          Katulo
          Tenha paciência
          O Fascismo continua interdito
          Os comunas( e não comunas) continuam por aqui
          A importunar-lhe os sonhos e as ambições

          O caixote do lixo da História tem destas coisas
          Nem sempre alberga o que alguns querem
          Vai uma aposta Katulo?
          Apesar das suas ameaças um pouco…extremistas?

    • Pedro Pousada diz:

      Onde é que estão as referências bibliográficas da tua contabilidade?Isso são factos colectados por quem e quando? Quem encomendou esse estudo? Como se chegou a esse cálculo? Eu conheço dois estudos (objectos, como é natural num trabalho científico, de contraditório e de críticas de outros investigadores) sobre o excesso de mortalidade no Iraque ocupado pelos EUA publicados na revista The Lancet, “Mortality before and after the 2003 invasion of Iraq: cluster sample survey” publicado em Outubro de 2004 e “Mortality after the 2003 invasion of Iraq: a cross-sectional cluster sample survey” publicado em Outubro de 2006 ambos de Gilbert Burnham, Riyadh Lafta, Shannon Doocy, e Les Roberts; esses estudos apontam para um cálculo subestimado de 1oo ooo mortes violentas provocadas por “gunfire” nos períodos de Março 2003-Stembro 2004, e de 655 000 mortes no período entre Março 2003 e Maio-Julho de 2006. Como vês (espera, não vês nada porque és ceguinho) os teus queridos EUA superaram-se em relação ao que fizeram na Coreia e no Vietname.Essa investigações documentaram a sua metodologia de trabalho.Qual é a tua para fazeres essas afirmações? Pediste ajuda à GIP saudita ou à ISI paquistanesa que financiaram o terrorismo no Afeganistão nos anos 70 e 80?

    • De diz:

      Eis um comentário que mostra como Katulo age,reage e ..posta
      Gosta de números este Katulo
      Tanto que os despeja,nesta letra miudinha,cuidada,com os sublinhados tão ao gosto dos propagandistas do regime
      Aposto que os posta com aquele ar de auto-satisfação dos que pensam que cumpriram o seu dever
      Tal jogo macabro das contabilidades nem sequer o atormenta.Os seus fins justificam os meios.
      Nem que se dance sobre os mortos

      Mas o que mostra este texto de Katulo?
      Que Katulo usa números para manipular
      Não,nem sequer vou pelo caminho de colocar em dúvida tais dados,embora saiba que estes provavelmente não correspondem à verdade.
      (Wikileaks mostrou como dentro do sistema,se manipula,distorce e cozinham os números, tão prontamente apresentados nos noticiários servis)
      Adiante.

      A discussão sobre a discussão já fora feita.Aqui
      Katulo apresentara a sua versão.Eu ripostara.Katulo “folgava” eu não ter posto em causa as suas afirmações sobre o caso.Eu retorquia que a questão não residia só aí.

      Katulo resolve mais tarde postar este comentário.Redondo,bonito..mas….
      Vamos ao motivo porque considero que Katulo manipula,sabe que manipula e persiste na manipulação (já o mesmo sucedera com a sua afirmação espantosa sobre a melhoria da qualidade de vida das mulheres no Iraque)
      Partamos do princípio que estes sejam os dados
      Mas são estes todos,repito,todos os dados?
      Tais dados obtidos de forma redonda na fonte preferida pelo Katulo ( e não só) para confirmar as suas declarações escondem outra coisa.
      Quem combatia?Quantos combatiam?Que armas dispunham?
      Que apoios tinham por trás?

      O motivo porque digo que é desonesto?Tudo isto já fora sugerido
      O motivo porque digo que manipula?
      Porque Katulo “escolhe ” apenas os números que lhe interessam
      Sabe-se que 100 000 militantes islâmicos foram convocados para o Afeganistão com o início da intervenção soviética.Para a Jihad ou Guerra Santa.De um dos lados estava o poder em vigor no Afeganistão,pro-comunista e os soviéticos.Do outro os Mujahidin,outros combatentes islâmicos…mas o apoio em homens, logística e armamento de outra grande potência-os EUA.
      Mas não só.A Arábia Saudita e todo o seu peso económico.E o Paquistão.E uma série de outros países muçulmanos
      Ou seja,este dado fundamental de se avaliar as forças em presença e do seu respectivo poder de fogo foi escamoteado.
      Porquê?
      Para Katulo poder tirar a conclusão que tirou:”Como os números mostram, a diferença no tratamento dado à população civil é simplesmente esmagador. A intervenção militar soviética foi brutal e sanguinária. Enfim, uma intervenção própria de uma ditadura.”

      Eis o verdadeiro motivo da ocultação dos dados.Que é tanto mais grave quanto Katulo é um profissional destes

      Porque nem se contesta que a intervenção dos soviéticos se pautou por grandes índices de violência .Até porque estavam em causa questões culturais mas sobretudo religiosas
      Porque não se defende a intervenção soviética no Afeganistão.
      Contesta-se apenas é a forma como as coisas são apresentadas e como perante tais coisas, se tiram as conclusões que se tiram

      Hoje o combate no Afeganistão opõe as forças ditas da coligação ocidental (Nato à mistura)que apoiam o poder governamental …e os combatentes do outro lado.
      (Segundo os números ridículos de um general americano,os talibans estariam reduzidos a 5 a 20 000 combatentes.Eles esquecem-se que não são só os talibans que os combatem.São todo um povo que luta pela sua liberdade)
      Ou seja,o poder das forças em confronto é totalmente diferente do que o foram na guerra em que interveio a URSS.A superioridade numérica e tecnológica das forças americanas, e da NATO, com relação aos guerrilheiros do Afeganistão, é abissal. O número de vítimas passará também por aí
      Mas há mais um dado em relação à violência.Na intervenção soviética sobressaíam os atentados bombistas com carros armadilhados.Hoje o que se vê são bombistas suicidas.Que permite ver a determinação de um povo para se ver livre dos ocupantes.Também permite ver que os recursos para eliminar o inimigo são escassos.Mas que não permite inferir de forma nenhuma que tais atentados suicidas sejam menos violentos que os com carros. Provocam menos vítimas é certo.Mas que violência oculta demonstram?

      Tudo isto para mostrar como se joga com números e com dados

      Tudo isto para mostrar que é repugnante o uso que se faz dos mortos e das vítimas
      Kaplan tem razão no que diz

      O curioso é que a frase citada de Estaline é terrificamente verdadeira (não,não estou a defender Estaline.)”«Um morto é uma tragédia. Um milhão é uma estatística.»
      E se não gostam de tal frase,encerremos com a de Jean Rostand_”Mata-se um homem, é-se um assassino. Matam-se milhões de homens, é-se um conquistador. Mata-se a todos, é-se os Deus”
      Já basta

  17. Omega-3 diz:

    Foda-se!Isto está cheio de idiotas bem pagos.Comunismo=Fascismo?????O Fascismo é a forma de governar mais extrema do Capitalismo,ie,uma forma de roubar e de mamar à conta do Estado.É Racista.
    No Comunismo não há raças,antes se baseia na enorme descoberta do judeu Karl Marx-a Luta de Classes!

    Temos visto como a invasão da Checoeslováquia foi um ato de imperialismo e,hoje,quando os EUA estão em todo o lado levando as guerras a todo o Mundo e invadindo e espoliando os recursos naturais e explorando gente com a ajuda dos traidores dos respectivos países(bem pagos!) e os media de referência nem por um pouco fala do IMPERIALISMO!pq,oh bestas que vomitai aki na caixa de comentáerios’Duma coisa estou certo,o vosso querido modelo está a cair apesar do Totalitarismo da comunicação social,das eleições compradas e um dia destes hão de ir para o caralho que vos foda pelo vosso trabalho de obscurantismo.

    http://www.odiario.info/?p=2174&print=1
    http://www.odiario.info/?p=2169

    Os EUA são uma bitadura,que dura,dura….com que então uma democracia.Eheheheh

    • Katulo diz:

      Vejam, ainda acusa os outros de obscurantismo! ahahah
      Eu não direi que tu és um “idiota bem pago” porque acho que o PCP, se bem que em declínio, não está tão desesperado ao ponto de empregar indivíduos cultural e intelectualmente tão limitados como tu.

      • Vasco diz:

        O PCP está em declínio? Onde? Em declínio estás tu certamente, que as medidas do Governo (boas, certamente…) e da troika também te irão ao bolso. Nós estamos bem, para mal dos teus pecados. Defender o capitalismo como o fazes é a maior expressão possível de obscurantismo – porque a defesa do capitalismo é feita hoje recorrendo a poderosos meios de «convencimento» de massas – jornais, televisões, sites na internet, divulgado o que interessa e como interessa a quem possui esses meios e escondendo tudo o resto. Obscurantista, meu caro, és tu… Saudações.

        • Katulo diz:

          LOL
          Vai ver a percentagem de votos que o PCP teve em 1976 e a percentagem que teve em 2011 para ver se já consegues vislumbrar algum declínio…

          Rapazinho, o capitalismo aliado à democracia liberal nada tem de obscurantista. São a expressão máxima do racionalismo que foi impulsionado com o Iluminismo. Obscurantista é defender sistemas políticos que só deram provas de serem piores. Obscurantismo é encobrir e menorizar os incomensuráveis crimes praticados pelo comunismo. O capitalismo é a Razão e a Lógica. O Comunismo é a Emoção e a Fé.

          • De diz:

            Rapazinho?Então o fedelho agora chama rapazinho aos outros?Saberá ele a idade do Vasco?
            O “rapaz” esquece-se com quem fala?Desde quando as suas veleidades de agitar papões lhe permitem fazer afirmações destas?
            A emoção e a a fé.Já antes proclamara a sua Fé no capitalismo.E emocionado chorara lágrimas de felicidade ao ver os avanços das mulheres no Iraque e no Afeganistão;perdão só neste último país. No Iraque “engasgara-se”.

            E Katulo vota aos votos?Mas já não lhe explicaram ou o rapaz faz-de de tontinho?

            Já agora:que grande obscurantista este Katulo nos saiu.Parece que quer esconder os crimes praticados pelo capitalismo à conta de uma conversa bucólica sobre a democracia liberal
            Katulo.Percebe-se.Tudo desde que não se fale do que ama e venera.O expoente canceroso do capitalismo.
            Samuel é que tem definições certeiras para tal .Uma delas:”O neoliberal é uma espécie animal que fica com as tripas revolvidas quando vê que vai pagar o mesmo e ter direito ao mesmo tratamento, seja onde for, que é dado a um velho trabalhador com uma pensão de 300 euros mensais. Não porque ache que poderia pagar mais, como demagogicamente repetem, mas porque ficam roxos de raiva com o facto de o velho reformado, que ganha menos por mês do que aquilo que ele gasta em uísque e charutos, ou num único almoço, ter direito ao mesmo equipamento, ao mesmo médico, ao mesmo autocarro, ao mesmo metropolitano.”

          • Katulo diz:

            Continue “De”, continue. Seguir a sua lunática e ignorante argumentação tem um interesse clínico e lúdico insuperável.
            LOL

          • Vasco diz:

            Rapazote, os seu raciocínio (se pudermos chamar-lhe assim) peca por maniqueísta e profundamente ignorante, além de alheado da realidade onde vive – que até diz que hoje se vive melhor no mundo do que há 20 anos…

            Os países onde o socialismo triunfou eram essencialmente rurais e semi-feudais (já lá vamos), pelo que partiram em grande desvantagem face às potências capitalistas. Mas em poucos anos alcançaram e até ultrapassaram estas em vários indicadores, económicos e sociais, PROVANDO A SUPERIORIDADE DO SOCIALISMO. E recorrendo apenas aos seus próprios recursos e meios, não explorando outros povos, como sucedeu com as potências capitalistas, cujo crescimento se baseou na corrida às colónias e na guerra (Inglaterra, Alemanha, França, EUA…).

            Quanto ao facto de as revoluções terem sido em países atrasados, Lénine já o previra, alertando que era mais fácil fazer uma revolução num país atrasado (o elo fraco do sistema), mas mais difícil construir o socialismo.

            Mas o socialismo não está condenado a ser posto em prática apenas nos países semi-feudais. A revolução alemã foi esmagada em sangue, o mesmo se passando com a Húngara e a filandesa. No pós-II guerra os comunistas foram afastados do poder em Itália por uma malha que envolveu o Vaticano, a CIA, o exército norte-americano e a máfia (até o livro O Siciliano, de Mário Puzo, o refere) , recorrendo-se ao terrorismo «negro» e «vermelho» (a tristemente célebre operação Gládio) e os comunistas gregos foram corridos do poder, que ocupavam de facto, à custa do napalm e das bombas inglesas. Democráticas, claro…

          • Vasco diz:

            Genial, Katulo. Em 1976, Portugal vivia um período revolucionário, em que o PCP tinha sido o grande partido da resistência antifascista (também o nega?) e o grande combatente pela conquista e efectivação das liberdades políticas, sociais e económicas. Hoje, vivemos um momento de ofensiva capitalista. Há de convir que há «algumas» diferenças (que não sei de perceberá pois é tem uma forma de ver o mundo um pouco… digamos… a preto e branco). Mas não deixará de concordar que é em Portugal e na Grécia que os comunistas têm as maiores votações e representações. Porque será?

          • Gentleman diz:

            Vasco,
            Se a superioridade do socialismo é assim tão evidente, porque razão a RFA sempre foi claramente superior à RDA em todos os aspectos, em todos os indicadores? Terá sido devido às “colónias” da RFA? Terá sido devido às “guerras” conduzidas pela RFA?

            Se a superioridade do socialismo é assim tão evidente, porque razão a Coreia do Sul sempre foi ABISSALMENTE superior à Coreia do Norte em todos os aspectos, em todos os indicadores? Terá sido devido às “colónias” da Coreia do Sul? Terá sido devido às “guerras” conduzidas pela Coreia do Sul?

            Não nos faça rir…
            A verdade é que o Socialismo nunca provou ser realmente superior. A História está aí para o comprovar.

  18. Katulo diz:

    Haja pachorra para tanta cegueira, para tanta verborreia oca, para tanta falta de rigor, para tanta falta de vergonha, para tanto branqueamento da História. Nestas caixas de comentários tivemos a oportunidade de ler coisas que julgávamos já serem impossíveis nesta era. Talvez a mais fantástica tenha sido ficarmos a saber que gravidade inexcedível não foi a morte e a escravização de milhões de seres humanos sob regimes comunistas. Gravidade inexcedível é o que a Nato anda fazer na Líbia. Esta é de antologia e merece ir directa para o Museu das Bacoradas do Esquerdismo Radical Contemporâneo.

    Estes últimos moicanos do marxismo e do leninismo (para usar a feliz designação do anarquista Júlio Carrapato) caracterizam-se por serem indivíduos com claro deficits de racionalidade. Nota-se que assimilaram algum conhecimento, mas muito pouco da área das Ciências. Daí advém a sua dificuldade no raciocínio lógico-matemático. O raciocínio lógico-matemático servir-lhes-ia para entender a grande desilusão que constituiu o socialismo real, e como os crimes praticados não têm comparação com quaisquer actos exercidos por democracias liberais. Na ausência de raciocino lógico-matemático, ficamos com a Fé na doutrina, um longo catálogo de opiniões que roçam a demência, e desastres absolutos em termos da capacidade de analisar a História e entender o Mundo.

    Os célebres 3 pares:
    – RDA e RFA
    – Coreia do Norte e Coreia do Sul
    – China (pré-capitalista) e Taiwan
    mostram, de forma inequívoca, como pode ser diferente o desempenho de países genetica e culturalmente idênticos quando a única coisa que os distingue é o sistema político e económico. Introduzir aqui, como fez um dos bolcheviques de serviço, a comparação entre Cuba e Haiti é, não só desonesto, como revela não perceber minimamente o que está em causa. Essas duas nações caribenhas obviamente não são genetica nem culturalmente idênticas. Muito pouco as assemelha.

    O marxismo foi aplicado em múltiplos países, sob as mais diversas variantes. Em maior ou menor grau, em todas falhou. E os povos que anteriormente viveram sob o comunismo revelaram não mostrar a mais pequena intenção de experimentar novamente esse sistema.
    Cabe então perguntar: devemos continuar a tentar implantar o marxismo na esperança que, um dia, finalmente dê certo? A nuánce proposta pelas diversas correntes marxistas encerra a receita para o sucesso? Eu não acredito. A experiência do “comunismo real” ensinou-nos muito acerca da validade dos conceitos base em que assenta o socialismo utópico. Falhou e continuará a falhar sempre que for implementado. Porquê? Resumidamente por o Socialismo é contra-natura, é anti-darwinista (não admira, por isso, que durante muitos anos nos meios académicos soviéticos o Darwinismo não granjeasse grande simpatia).

    • Vasco diz:

      Vamos então ao concreto. É ou não verdade que, como afirmou o PCP em 2008, «aprofunda-se a polarização social, tanto dentro de cada país, a começar pelos EUA e outras grandes potências capitalistas, como, à escala mundial, ainda que com contradições, entre o centro capitalista desenvolvido e a periferia subdesenvolvida. A flagrante contradição entre os gigantescos avanços da ciência e da técnica e as terríveis regressões sociais que percorrem o mundo contemporâneo constitui uma condenação política e moral do sistema capitalista. Segundo as próprias estatísticas da ONU, cerca de mil milhões de pessoas sofrem de fome crónica e cem mil morrem todos os dias em consequência directa ou indirecta de subnutrição.

      Verdade ou mentira?

      • Katulo diz:

        Essencialmente mentira.
        Se, por um lado o acelerado crescimento populacional introduziu uma pressão enorme sobre os recursos, sobretudo água e agrícolas, também é verdade que nunca como agora o povo viveu, regra geral, tão bem. A “polarização” pode existir, mas a população viver melhor. Em termos estatísticos, a variância aumenta mas a média também aumenta. Veja este vídeo do professor sueco Hans Rosling que explica isto de forma rigorosa e científica.

        • Vasco diz:

          Está a gozar? É a própria ONU a afirmar que cerca de mil milhões de pessoas sofrem de fome crónica e cem mil morrem todos os dias em consequência directa ou indirecta de subnutrição. É isto o seu «viver melhor»?

    • Vasco diz:

      É ou não verdade?

      «Intensifica-se a exploração dos trabalhadores com a extensão do uso da força de trabalho e a redução, por todos os meios possíveis, da sua remuneração, visando arrecadar a maior fatia possível de mais-valia, tirando partido do enfraquecimento temporário do movimento comunista e operário. São eixos centrais desta ofensiva a redução dos salários reais, a intensificação dos ritmos de trabalho, a apropriação dos ganhos de produtividade do trabalho pelo capital, a desregulamentação e o aumento do horário de trabalho, o aumento da idade de reforma e diminuição dos valores de reformas e pensões, a desregulamentação das relações laborais. A linha de ataque ao sindicalismo de classe e à contratação colectiva constitui uma das mais graves expressões da política exploradora e reaccionária do grande capital e da ofensiva imperialista. Altíssimas taxas de desemprego, generalização do trabalho precário, particularmente entre as novas gerações de trabalhadores, regressão de direitos sociais e laborais, sobre-exploração dos trabalhadores migrantes, são realidades que estão a ser falsamente apresentadas como inelutáveis, realidades que contribuem, nomeadamente, para o aumento do exército de reserva e para a redução do peso dos salários no rendimento criado.»

      XVIII Congresso do PCP

      • Vasco diz:

        Mais esta:

        «A crise desencadeada nos EUA pôs em evidência os gravíssimos problemas de uma economia altamente deficitária, endividada e crescentemente dominada pelo complexo militar-industrial, com disparidades e problemas sociais gravíssimos, em que cerca de 35 milhões de pessoas vivem em situação de pobreza. A dívida externa atinge quase 90% do PIB. Mais do que «locomotiva» da economia mundial, os EUA têm sido um ilimitado sorvedouro da mais-valia criada pelos trabalhadores de todo o mundo, assim como dos recursos naturais. Representando somente 4,6% da população mundial, consomem mais de 20% dos recursos energéticos, sendo responsáveis por cerca de 21% das emissões de CO2.. A superioridade militar, o potencial científico e tecnológico e a hegemonia dos EUA nos mecanismos de criação e difusão da ideologia dominante, são inegáveis. Mas o seu poderio económico e a sua posição privilegiada como principal centro financeiro mundial estão enfraquecidos, com expressão na desvalorização e descredibilização do dólar e do seu papel de moeda de reserva internacional, papel este que já está a ser abertamente contestado. A economia norte-americana confirmou-se como o principal factor de instabilidade e crise da economia mundial. »

        XVIII Congresso do PCP

      • Katulo diz:

        Essencialmente mentira.
        Nas últimas 2 décadas, os salários têm crescido, assim como o poder de compra. Se acreditássemos na conversa do PCP, concluiríamos que o povo vivia agora pior do que há 30 anos…

        Os horários têm sido flexibilizados, como se espera de uma sociedade moderna. O povo quer lojas abertas depois das 19h e ao fim de semana. Isso requer flexibilização de horários.

        Altíssimas taxas de desemprego? Em certos países e durante certos períodos, sim. Mas não me parece que isso seja uma “estratégia” do capitalismo. Porque motivo o capitalismo permitiria então que houvesse apenas 4% de taxa de desemprego na Áustria e que, ainda por cima, esteja em decréscimo?

        Aumento da idade da reforma? Não podia ser de outra maneira. Como é que os crânios do PCP julgavam ser possível com uma natalidade baixa e uma esperança média de vida a aumentar continuamente, manter a mesma idade da reforma?

        Nunca como hoje houve tanta atenção à higiene e segurança no trabalho. Em qualquer regime comunista passado ou actual as condições não eram tão boas.

        • Vasco diz:

          «Modernidade» Katulo? Os avanços da ciência e da técnica deveriam permitir que hoje se trabalhasse menos horas e garantir uma elevada prestação de serviços sociais. Mas o que vemos? Horários MAIS ALARGADOS do que há 20 anos, menos segurança no trabalho e mais desemprego, maiores desigualdades na distribuição da riqueza. Sim, maiores. A riqueza criada é superior (o que é óbvio), mas crescentemente mal distribuída. Veja-se o caso actual de Portugal em que as 25 maiores fortunas aumentaram em quase 20 por cento as suas riquezas enquanto o desemprego aumenta e a precariedade generaliza-se.

          É isto a modernidade de que fala e que defende? Se é viva o «atraso».

        • Vasco diz:

          Desigualdade que, à escala mundial, representa isto: os EUA, com 4,6% da população mundial, consomem mais de 20% dos recursos energéticos, sendo responsáveis por cerca de 21% das emissões de CO2… Também acha bem?

        • Carlos Carapeto diz:

          Gentleman .
          Qual é o seu horário no parque a arrumar carros?

          Tem noção do chorrilho de asneiras que acabou de escrever? Você não vive neste mundo, ou então é um parasita qualquer que está a viver à conta de alguém.

          Não admira proferir esta horda de disparates, se até teve a veleidade em tentar divertir-se à custa das agruras que alguém passou na infância. Você é um desmiolado

          Desapareça , não diga boçalidades, não ouviu hoje na televisão umas senhoras dizerem que ganham cerca de 400€?

          Nunca tinha tido a infelicidade de apanhar com um fascista desgarrado , calhou-me agora. Alguma vez tinha que ser.

          • Gentleman diz:

            Carapeto, você é um caso perdido. Um dinossauro demente em inexorável extinção.

            O seu estilo de argumentação é um cocktail de desarranjo mental e ignorância. Para si, qualquer referência ao passado negro do movimento comunista é taxativamente rotulado de “fascista”. Enfim… a sua prosa é o reflexo claro de uma mente perturbada.

    • Carlos Carapeto diz:

      Katulo, Júlio Carrapato? Por sinal também tenho o livro dessa alma penada.

      Sabe o que esse livro me faz lembrar? Um outro que li do tal Bertrand Russel.

      Leva da primeira à ultima página a desancar os comunistas, Marxistas, Russos e Soviéticos, de Hitler diz apenas isto ” sobre Hitler todos sabemos o que foi não é necessário repetir”.

      Carrapato diz-se anarquista mas o seus inimigos primordiais são os comunistas, Trotsikistas e tudo quanto é de esquerda.

      Esse homem não é anarquista, é uma aberração ideologica ao serviço da burguesia. Anarquista foi António Gonçalves Correia.

      Júlio Carrapato é um impostor.

  19. Camarro diz:

    Sinceramente não percebo porque se continua a dar troco a Katulos e Companhia. Deixai-os a falar sozinhos, camaradas! Eles nunca perceberão, nunca entenderão os nossos argumentos. Eles têm certezas absolutas, certezas essas moldadas por décadas e décadas de propaganda anti-comunista.

    Não se esqueçam de uma coisa: o capitalismo é predatório! Passaram apenas 20 anos sobre a desagregação da URSS e nunca, como nestes 20 anos, os direitos dos trabalhadores foram postos em causa como estão a ser actualmente. O que os Katulos desta vida ainda não perceberam é que não existem coincidências e, mais tarde ou mais cedo, também eles sofrerão na pele a gula capitalista. Mas não se preocupem: podem contar com o PCP para defender os vossos interesses!

    • Vasco diz:

      «… A convicção do PCP de que o socialismo é na actualidade cada vez mais necessário e urgente, assenta na análise do sistema capitalista e das suas tendências de desenvolvimento actual.
      O capitalismo tem revelado capacidades de adaptação e de recuperação por vezes inesperadas, mas está ferido de insanáveis contradições e, como a crise actual evidencia, são patentes os seus limites históricos.
      Com as derrotas do socialismo lançou uma gigantesca campanha visando apresentar-se como sistema terminal sem alternativa. Mas o mito do «fim da História» – e com ele do «fim» do comunismo, dos partidos comunistas, da luta de classes, da revolução, das ideologias e outros – durou pouco. O triunfalismo capitalista dos anos 90 que, frente às derrotas do socialismo, anunciava mais liberdade, mais paz e segurança internacionais, mais progresso social, não resistiu à prova dos factos. As receitas do neoliberalismo e as teses justificativas da globalização capitalista, incluindo as da chamada «terceira via», embora ainda dominantes, desacreditaram-se rapidamente. O capitalismo não só se revela incapaz de dar satisfação aos interesses e aspirações dos trabalhadores e dos povos como põe em perigo a própria Humanidade. A contradição entre as imensas potencialidades das conquistas da ciência e da técnica e as terríveis regressões que percorrem o mundo contemporâneo – desemprego, fome, doença, analfabetismo, degradação dos recursos naturais, catástrofes ambientais – constitui, em si mesma, uma violenta acusação ao sistema capitalista.
      A necessidade e possibilidade do socialismo estão inscritas nas próprias contradições do sistema que o capitalismo contemporâneo tende a agudizar extraordinariamente. O antagonismo entre o capital e o trabalho, com o brutal agravamento da exploração e a proletarização acelerada da pequena burguesia e camadas intermédias da população. A não correspondência entre o desenvolvimento das forças produtivas e as relações de produção capitalistas que entravam o seu desenvolvimento e pervertem a sua utilidade social. A contradição entre o carácter social (cada vez mais acentuado) da produção e a propriedade privada (cada vez mais concentrada) dos grandes meios de produção. A actual crise capitalista comprova a necessidade de rupturas que coloquem a economia ao serviço dos trabalhadores e dos povos.

      In, Resolução Política do XVIII Congresso do PCP
      Novembro-Dezembro de 2008

      A extraordinária centralização e concentração de capital, a formação de gigantescos monopólios que, isoladamente ou em aliança, dominam ramos inteiros da produção, do comércio e serviços e das finanças, os próprios mecanismos de regulação internacional do capitalismo, são expressão de reais processos de socialização que mostram a necessidade do socialismo, como solução racional necessária à desumana anarquia e concorrência capitalistas. A solução dos grandes problemas que afectam toda a Humanidade, a começar pelo problema da paz, mas também os problemas dos recursos naturais, da energia, do ambiente, da pobreza e outros, exige a utilização de métodos racionais de planeamento inerentes ao socialismo.

    • De diz:

      Agora a tentativa de manipulação de Katulo surge em resumo
      Serve.Para demonstrar o que pretende e o que quer Katulo
      Tudo o que este “rapaz” aqui debita já o foi debitado
      Ele quer repetir mais uma vez.Gosta do método debitativo e do tom propagandístico
      E gosta também de assumir que a inteligência e o discernimento lhe tocaram em sorte
      “Sabem muito pouco da área das ciências” diz de forma boçal e incoerente.Já não argumenta,papagueia frases feitas e incoerentes
      (E sobra-lhe a xenofobia vergonhosa quando fala em populações geneticamente diferentes.Não gostou do exemplo do Haiti e de Cuba.Prefere os exemplos tirados à pressão e já oportunamente desmascarados).
      O desespero do “rapaz” é de ta lforma quese socorre do darwinismo.Pobre ignorante.Vá estudar quem introduziu e espalhou as teorias de Darwin.Também aqui em Portugal.Ou quer apenas mais um pretexto para debitar tudo menos o essencial.?
      Mas a ignorância não acaba aqui.Lembram-se dos tais pares que ciosamente reproduz e que com cuidados maternais cuida?Os tais escolhidos entre populações geneticamente idênticas?( o racismo causa-me náuseas)
      O “rapaz” fala na China pré-capitalista…querendo com isso dizer China comunista…
      Afinal o “rapaz” é um ignorante mesmo.Uma fraude.Que vá aprender o que é o precapitalismo..na China ou em qualquer outra parte.
      E não “boto” resumo oh infeliz Katulo

      • Katulo diz:

        O “De” não estuda, não pesquisa, não analisa, não reflecte. O “De” não é só ignorante, como demonstra também ser burro. Debater com um indivíduo que padece de tão graves limitações é desmotivante e uma perda de tempo. A propósito do Darwinismo e a URSS, só um pequeno contributo para aliviar um pouco o “De” do peso da sua ignorância: Lysenkoism

        • De diz:

          Katulo…Veja se não é um pouco …patético….A resposta ao comentário resume-se a isto?” O De não pesquisa,não analisa,não reflecte..o De isto e aquilo.O De é burro e mais isto e aquilo…
          Katulo e diz-se vossemecê um homem de ciências?
          Katulo mas você é uma fraude.Que desilusão
          Eu percebo que pedantes queiram mostrar mais sapiência do que sabem.Percebo inclusive que aldrabem por falta de argumentos.Já não tolero a má fé e a manipulação grosseira
          Mas Katulo não admitir que nem sequer saiba o que é a China pré-capitalista?Nem sequer saiba o que é o capitalismo? E põe-se a encher páginas com tiradas rebuscadas directamente da sua ignorância?É um pouco demais não acha?
          (Já agora..aquele racismo que demonstra também é albergado pelo seu liberalismo?).
          Mas chega de paleio verbalista.Mais uma tirada apropriada do Samuel :”Para o neoliberal, todo o não rico é um ser defeituoso e merecedor de castigo. E desses, os mais pobres, eventualmente e no limite, apenas candidatos à caridade. Seja como for, devem ostentar publicamente os sinais e as provas da sua pobreza e necessidades, a fim de serem convenientemente “triados” e postos no seu devido lugar.
          É neste contexto que eu entendo a subida desenfreada e brutal dos preços dos transportes públicos… a seguir “remediada” pela criação de vários escalões de pobreza, que os utentes terão que provar para terem direito a tarifas especiais….Poderá então ser assim: o fisco, conforme as declarações de IRS, fornecerá aos cidadãos (e seus familiares) pequenas estrelas de pano, que estes coserão nas roupas, em local visível. Conforme os vários escalões, poderão ser amarelas, laranja, rosa (porque não?, como homenagem aos que pavimentaram o caminho às medidas deste governo neoliberal). Desta forma simples e expedita, toda a gente será encaminhada para as diversas categorias de serviços disponíveis…
          Eu sei, eu sei… isto parece-se muito com uma ideia já antes avançada por Adolf Hitler para distinguir os cidadãos mais tarde encaminhados para a morte… mas que diabo!, uma grande ideia é sempre uma grande ideia, mesmo que tenha sido inventada pelos Nazis… e para ser franco, não me parece que isso incomode grandemente os nossos neoliberais radicais.”
          Espero que o Katulo não se inclua nestes radicais…

        • Pedro Pousada diz:

          Ó ignorante que gosta de chamar os outros de burros lê mas é o livro de Ethan Pollock, Stalin and the soviet science wars 1945-53 (2006).

          • Carlos Carapeto diz:

            Camarada Pedro Pousada sabe quem é esta gente que anda aqui a largar bujardas?

            São aqueles alienados de mentes toldadas com as “maravilhas” do capitalismo, que ocupam o tempo nas grandes superficies comerciais encantados com as ultimas novidades .

            Não reparou que nenhum deles foi ainda capaz de mencionar o nome de qualquer históriador ou escritor conhecido onde tivessem obtido a informação com que nos “brindam”? Isto é tudo gente com “cultura” de inforpédia, canal memória e quejandas

            Estes não são diferentes daqueles alucinados que em França e Inglaterra vieram para a rua roubar e destruir tudo. Se um dia a vida se complicar e que tenham ocasião fazem igual. A frustração leva-os a isso.

            São um bando de analfabetos politicos, com a pretenção de serem ricos.

            Sei muito bem quem é esta tropa fandanga, fui delegado sindical em várias empresas durante muitos anos. Não queriam saber dos sindicatos, estavam sempre ao lado dos patrões. Mas quando se viam em apuros vinham a correr filiar-se no sindicato, exigindo quase que fossemos de arma em riste defende-los junto do patrão.

            Marx disse: “enquanto o explorado ambicionar colocar-se no lugar do explorador a sociedade não muda”.

            Quer melhor exemplo que das ultimas eleições? Uma parte significativa da população a viver no limiar da pobreza e cerca de 85% votaram nos partidos que os têm expoliado.

            É uma questão de cultura.

          • Gentleman diz:

            O delegado sindical Carlos Carapeto nunca se incomodou por nos países comunistas (ou “países socialistas” como um imberbe que por aqui anda acha crucial que sejam chamados) não haver direito à greve?
            Nunca se incomodou por os sindicatos na URSS não serem mais do que orgãos de propaganda e controlo do Estado sobre o proletariado que, para além de doutrinação, se limitavam a proporcionar actividades recreativas aos trabalhadores?

          • De diz:

            -Que Gentleman queira assumir o papel de doutrinador das virtudes do capitalismo…é uma questão que tem a ver apenas com ele
            -Que gentleman já o não consiga fazer e que só se consiga mover dentro de afirmações do género “os outros são ainda piores”… é uma questão apenas que demonstra que as “coisas” afinal estão bastante más para os defensores desta sociedade podre e imoral
            -Que o gentleman queira fazer discursos comicieiros mais próprios dos de Jardim …é uma questão que tem a ver apenas com o bom gosto de Gentleman
            -Mas é de espantar quando este “Gentleman” posta coisas como esta:”países comunistas (ou “países socialistas” como um imberbe que por aqui anda acha crucial que sejam chamados)”
            Nem me vou pronunciar sobre o “imberbe”.O Gentleman parece que não gosta particularmente de ser observado como o que ele é de facto…e mais não digo sobre o assunto
            O comentário sobre os países socialistas teve um motivo.A espantosa ignorância sobre o assunto demonstrada por um tal Katulo,que anda por aqui sistematicamente a colocar “coisas” no ecrân (e a citar outras coisas e loas),mas em que de repente se verificou que as suas perfeitamente justas opiniões se baseavam na mais completa ignorância sobre assuntos básicos
            -Para meu espanto,o José também demonstrou qualidades semelhantes à ignorância mostrada por Katulo( e na questão concreta por exemplo do que era uma sociedade comunista )
            -Gentleman mostrou noutro post que estava afinal de contas à altura dos dois colegas atrás citados.Tal ocasionou um comentário meu sobre o assunto
            -Se gentleman fosse mais honesto,verificaria que o ponto da questão não se centra no nome pelo qual se designam os países.A questão central é ser correcto quando se afirmam coisas e não deturpar aspectos doutrinários essenciais
            Compreende-se que tal constitua uma dificuldade para o Gentleman.Afinal a sociedade defendida por ele é uma monstrenga que a cada dia que passa exige mais vítimas,fome e miséria.
            E os ideais socialistas aí estão,a apontar outros e melhores caminhos
            Compreenda-se que só inquinando o assunto Gentleman tenha espaço para o seu argumentário
            E é aí que contiinua a laborar este Gentleman.
            Ao menos podia tentar aprender algo sobre o assunto.E não seria necessário ler um tratado ou um livro sobre o tema.
            O assunto faz parte do b-á-bá das ciências políticas.Ou mesmo da cultura geral
            Mas ao menos o bom senso de não manifestar em público os seus conhecimentos sobre o tema.Assim evitaria o vexame de…
            Este “imberbe” que aqui escreve(ou seja, eu)achou por bem postar mais este esclarecimento.
            Para que as coisas fiquem claras

        • Gentleman diz:

          Confesso que não conhecia essa do Lysenkoism.
          Quando julgamos que já conhecemos todas as loucuras dos regimes comunistas, eis que surge sempre mais uma…

          • Carlos Carapeto diz:

            Mas quantas vezes tenho que repetir que é um ignorante? Que necessidade tinham de fazer greve. Sabe qual era o poder dos sindicatos?

            Diga-me porque não há greves agora ? Já estão todos bem na vidinha. É isso? Se fiezerem greve vão para o olho da rua ou para a prisão.

            Com isso já não se incomoda? Você não defende os direitos de ninguém é um anti-comunista raivoso.

            Desculpe mas não me massacre mais com alarvidades. Se não sabe informe-se.

          • Gentleman diz:

            Chama-me ignorante? Ahhhh….
            “Que necessidade tinham de fazer greve” — essa é para emoldurar!
            “Diga-me porque não há greves agora ?” — esta então é para entrar nos anais da imbecilidade!

            Com que então os trabalhadores agora vão para a prisão por fazerem greve?! Você terá se enganado no tempo verbal? É que isso acontecia GARANTIDAMENTE no regime comunista. Você tem noção do ridículo que atingiu?
            Quantas greves que ocorreram nos países ex-comunistas desde 1989 quer que lhe aponte? Vá diga, quantas greves acha que é necessário para mostrar que têm ocorrido greves nesses países nos últimos 20 anos?

            Satisfaça-me outra curiosidade: como é que o Carapeto consegue ser estúpido 24 horas por dia, 7 dias por semana?

          • De diz:

            Será do tempo?
            Ou será de alguma coisa mais?
            Como é que é possível alguém postar”consegue ser estúpido 24 horas por dia….”?
            Mas isso são argumentos ?
            E ainda por alguém (auto-)intitulado Gentleman?

        • De diz:

          Quanto à ignorância postulada pelo Katulo…
          Francamente…nem sequer sabe assumir que afinal anda a apanhar bonés?
          E perante tal evidência procura o refúgio no mundo das ciências?
          Mas Katulo,nem mesmo nesse.
          O método científico dá-se mal com coisas como o Katulo
          O que já se mostrou à exaustão

          • José diz:

            Grande argumento, este último do De!
            lol

          • Vasco diz:

            Eh pá façam um favor a vocês próprios: não citem a wikipedia. Não sei se sabem mas qualquer um de nós pode lá escrever que os soviéticos mataram estes e aqueles milhões e que os soldados violavam polacas – o que não faz do que lá escrevemos verdade. Não sejam ridículos…

          • Gentleman diz:

            Os artigos da Wikipédia são duvidosos em tudo o que diz respeito a atrocidades comunistas. Mas são dignos de ser citados e referidos pelos apparatchiks sempre que se tratarem de atrocidades de quadrantes políticos adversários. Enfim…

            Quando falamos da Esquerda totalitária contemporânea estamos a falar de pessoas que ainda vivem nas trevas. E retirar pessoas do mundo das trevas é quase impossível.

          • De diz:

            A visão messiânica de Gentleman revela-se nestas pequenas “coisas”
            “Mundo das trevas” … as trevas
            Faz lembrar as seitas religiosas e o seu azucrinado bacoco

            Quanto à wikipedia
            …estamos conversados

        • Carlos Carapeto diz:

          Leia também Soljenitsine em o “Arquipélago do Gulag” quando ele diz que a coisa que o mais chocou na vida e que nunca mais lhe saiu da memória. “Foi quando viu um soldado Alemão que tinha acabado de ser capturado, em tronco nú, com umas calças do Exercito Soviético vestidas a ser chicoteado por o seu captor”.

          Não lhe entrou na memoria deste “senhor” os milhões de militares e civis do seu país que sofreram as piores sevicias às mãos dos nazis.

          Se gostou de Lysenkoism de certeza que vai “adorar” este.

          http://pt.wikipedia.org/wiki/Babi_Yar

          Diga qual a sua opinião, estou interessado em saber.

          Há aí um livrinho em Português sobre este assunto. É baratucho.

          Veja também “O crime Metódico “.

          • Gentleman diz:

            Sim, e…?
            Quer dar-nos a grande novidade que os Nazis praticaram atrocidades durante a invasão da URSS? É isso? Não seja patético, homem. Isso é do conhecimento público e é consensual!
            Está a querer chegar aonde? Que por causa das atrocidades nazis, os soviéticos ficam desculpados pelos milhões que torturam, escravizaram e mataram?
            É com este tipo de argumentação que os comunistas se conseguem enterrar ainda mais do que já estão.

          • Helena diz:

            «Não lhe entrou na memoria deste “senhor” os milhões de militares e civis do seu país que sofreram as piores sevicias às mãos dos nazis.»

            O tratamento cruel dos prisioneiros pelos Nazis justificam para si um igual tratamento cruel de prisioneiros por parte dos Soviéticos?
            Os americanos e ingleses também trataram assim os prisioneiros nazis?
            Onde fica a alegada superioridade moral?
            Já ouviu falar em Convenção de Genebra?

            E o que me diz das violações em massa levadas a cabo por soldados do exército vermelho sobre mulheres polacas? Também tem justificação para isso?
            Só para contextualizar:
            http://en.wikipedia.org/wiki/Rape_during_the_liberation_of_Poland
            Não foram meia dúzia de casos. Foram milhares.

          • Vasco diz:

            À Helena, recomendo-lhe dois livros: Arco Íris, de Wanda Wassileska, sobre a ocupação da Ucrânia pelos nazis e as memórias do general Von Paulus, que conta como foi tratado nas prisões soviéticas. Os 20 milhões de mortos soviéticos (1 em cada 4 bielorrussos, por exemplo) ou o 1 milhão de vietnamitas que morreram não foram propriamente tratados como lordes…

        • Sakarov diz:

          Ei Katulo, topa-se logo pelo paleio do De e do Pousada que estes gajos nem devem saber seguir hiperligações. Cepos…

          • De diz:

            Sakarov posta uma pequena nota.
            A Katulo.
            Um chamamento ou um convite?

            Ei?
            Gosto mais de Hey
            E esta é mais apropriada para o caso vertente:

          • Carlos Carapeto diz:

            Minha Senhora qual a sua fonte de informação para me dizer que os Americanos e Ingleses trataram os seus prisioneiros como hospedes VIP? Ou respeitaram a Convenção de Genebra?

            Por favor não desconver-se. Não sabe o que aconteceu à população civil de Dresden, Hamburgo, Hiroshima e Nagasaki ? Enquanto pinta as unhas aproveite para se informar depois conversamos.

            Sabe quantos milhões de civis Soviéticos foram mortos às mãos dos nazis? Se sofresse as sevicias e os abusos por que passaram milhões de mulheres Soviéticas de certeza que a sua opinião era outra.

            Já que teve a amabilidade de me contemplar com uma informação da inforpédia eu retribuo-o com esta.

            http://pt.wikipedia.org/wiki/Babi_Yar

            Leia também de Anatoly Kuznetsov um dissidente Soviético, o livro do mesmo nome “Babi Yar” .

            E se está assim tão preocupada com os milhares de abusos cometidos por os soldados Soviéticos contra as mulheres Polacas porque omite os milhões de abusos cometidos por os Nazis sobre as mulheres Soviéticas? Sim as Soviéticas podiam ser violadas porque eram comunistas, eram sub-humanas, não eram arianas? É aquilo a que se pode chamar fazer uso de dois pesos e duas medidas.

          • Carlos Carapeto diz:

            ««««««Gentleman says:

            18 de Agosto de 2011 at 12:05

            Sim, e…?
            Quer dar-nos a grande novidade que os Nazis praticaram atrocidades durante a invasão da URSS? »»»».

            Pretendo dizer aquilo que você ainda não foi capaz de dizer .
            No entanto é incansável em denunciar os “crimes” cometidos por o outro lado.

            Trata-se de esquecimento ou simpatia pelos Nazis? Por os despachos que aqui tem deixado é mais um fraquinho que tem por o Austriaco.

          • Gentleman diz:

            Carapeto, porque insiste em tentar descer mais? Você já bateu no fundo há muito. Descer mais é impossível.

            Quer que perca tempo a mostrar-lhe pela n-ésima vez que ninguém aqui levantou a mais pequena réstia de dúvida sobre as atrocidades nazis?
            Quer que perca tempo a mostrar-lhe pela n-ésima vez que os únicos que tentaram descaradamente encobrir e menorizar atrocidades foi você e mais uns tristes que por aqui andam?
            Não perderei tempo a mostrar-lhe isso, como é óbvio. Qualquer leitor no seu perfeito estado de sanidade mental já o enxergou há muito. Sanidade mental que o Carapeto dá mostras flagrantes de não estar em posse.

            Com que então entende-se que milhares de mulheres polacas tenham sido violadas porque os nazis também violaram mulheres russas?… Polacas= Nazis… Hmmmm… Carapeto, você está mentalmente doente e constituiu um potencial perigo para a comunidade onde habita. Precisa de tratamento urgente…

          • Helena diz:

            Carlos Carapeto,
            Após tudo o que tem escrito por aqui, e em especial pelo comentário que acaba de me dirigir, quaisquer dúvidas que restassem que você é, não apenas um maníaco, mas um individuo de baixos princípios éticos teriam sido definitivamente dissipados. Nem perderei um minuto a comentar individualmente cada um dos seus parágrafos que escrevinhou. A sua natureza asquerosa é auto-explicativa.

  20. JMJ diz:

    Katulo, se o capitalismo é assim tão maravilhoso e o Socialismo tão terrivel, porque vivemos pior hoje, onde quase não há regimes “socialistas” e sobrevive e floresce o “capitalismo selvagem” do que viviamos antes da queda do muro de berlim, quando tinhamos todas esses regimes tão “horríveis”?

    • Gentleman diz:

      A sua afirmação carece de fundamento.
      Em que se baseia?

      • De diz:

        Carece?
        Acha?
        Vamos falar só no “ocidente” para o gentleman
        Uma das grandes virtudes da existência do bloco de leste derivava do receio que o grande patronato e o ocidente tinham face à possível contaminação dos seus povos pelas ideias marxistas.Tal receio manifestava-se num maior cuidado face ao trato com o mundo do trabalho e com as populações em geral.
        Ou seja,as liberdades sociais e económicas ( e também políticas)eram mais respeitadas.
        Hoje é o que se vê
        A fundamentação resulta da observação quotidiana e da realidade vivida pelas populações
        Algo que não é partilhado pela seita neo-liberal que ocupa o poder,que considera que vivemos no melhor dos mundos e que nos prescreve a receita da troika(mais uns poses tirados da demência revanchista e do extremismo ideológicco de Passos coelho e sua coorte.)
        A confirmação dos factos passará por uma coisa.
        Por tirar esta cambada que prostitui o estado e o país e que serve os interesses do grande capital e criar uma sociedade socialista no país.Plural,justa e democrática,com liberdades não só políticas mas também económicas,sociais e culturais.

    • JMJ diz:

      Baseia-se em:
      – Taxa de desemprego;
      – Taxa de exploração;
      – Distribuição de rendimento;
      – Poder de compra;
      – Percentagem de população a viver abaixo do nível de pobreza ou em risco;

  21. Gentleman diz:

    Faz esta semana 20 anos do fim da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.
    Foi o fim de uma das maiores experiências sociais da História.
    Foi também o fim de uma ilusão.

    • De diz:

      Acha?
      Mas os resultados durante uma grande parte da duração da URSS foram bastante bons.
      Compreende que me abstenha de os comprovar pois tal já foi feito de forma magnífica por outros comentadores.
      Quanto ao futuro…
      ele está aí à frente.E os ideais socialistas aí estão em toda a sua pujança
      ( enquanto se assiste à degradação desta nossa sociedade corrupta e venial)

    • Carlos Carapeto diz:

      Caro Gentleman. Pode dar-me os dados de que dispõe sobre os progressos alcançados com a instauração do capitalismo nesses países.

      Não se esforce eu ajudu-o. Hoje têm aliberdade de escolher quem os pode roubar. É isso?
      Se não sabe mais que isto, ao menos aprenda a respeitar quem tiraram todas as condições para viver. São muitos milhões

      Tem alguma experiência daquilo que diz? Está a dialogar com alguém que conheceu a URSS e conhece bem como as coisas estão. E o retrocesso civilizacional que foi imposto por o capitalismo.

      Pode dar-me as sua fontes de informação? É que esgravatar o lixo da inforpédia, ou ler os livros negros, é muito diferente que conhecer as coisas no local.

      • De diz:

        Parabéns pelo seu comentário.
        Fala com o saber da experiência feito.

      • Sakarov diz:

        Agora podem ler o que lhes apeteça.
        Agora podem escrever livremente.
        Agora podem obter livremente bens, informação, conhecimento, de qualquer sítio do mundo.
        Agora pode aderir à religião que lhes apetecer, ou a religião nenhuma.
        Agora podem viajar para onde quiserem.
        Agora podem ter acesso a produtos de diversidade e qualidade como nunca tiveram durante o comunismo.
        Agora são livres de aplicar o seu engenho e talento num negócio e fazê-lo prosperar.
        Tudo isto sem temerem ser presos, torturados ou mortos pela PIDE comunista.
        E se não gostarem do capitalismo, estão autorizados a associar-se, a criarem uma cooperativa e viverem nas suas ilhas socialistas.
        Não estão é autorizados a impor à força o seu modelo de sociedade a quem não o deseja. Ficou bem claro, seu verme estalinista?

        • Gentleman diz:

          Eu acrescentaria ainda:

          – Têm agora um sistema de justiça mais independente do poder político
          – Têm agora a possibilidade de votarem e porem na rua líderes incompetentes
          – Têm agora a possibilidade de criarem ONGs na área da protecção do ambiente, direitos humanos, etc. para pressionarem o poder político a tomarem/alterarem medidas
          – Têm agora DIREITO À GREVE
          – Têm agora uma imprensa mais livre capaz de revelar escândalos que nos tempos do comunismo eram abafados

          • JMJ diz:

            Este comentário só pode ser fina ironia.

          • Gentleman diz:

            Ironia?
            Só uma mente doente não enxerga o abismo que existe entre os regimes marxistas e as democracias liberais no que aos pontos acima diz respeito.

          • Vasco diz:

            Na Letónia fazem-se paradas em honra dos que combateram ao lado dos nazis, enquanto um dirigente político está preso por… negar os crimes ocorridos até 1991. Na República Checa o Governo pretende proibir o partido comunista e até há pouco era proibido ostentar o símbolo da foice e do martelo na Polónia. Quanto à imprensa, está nas mãos de Murdoch’s e companhia.

          • Gentleman diz:

            Se em países como Portugal — onde a ditadura até foi menos repressiva do que na maioria dos países comunistas — o fascismo foi interditado por Lei, é coerente que nos países de Leste façam o mesmo com o comunismo. Não concordo que o façam, mas compreendo.

          • De diz:

            Gentleman posta algo sobre a ditadura em Portugal.Um tema interessante vindo de quem vem
            Quanto à questão da proibição da propaganda ao fascismo em Portugal… não é caso único.Por esse mundo fora são muitos os que têm tal interdição.

            Quanto à coerência nos países do leste..há quem tente…
            E há quem não consiga.Na Polónia o projecto que tentava impedir o uso de símbolos comunistas foi declarado inconstitucional.
            A Polónia onde o partido do gémeo sobrevivente não se coíbe de mostrar as suas simpatias pelo fascismo
            Parece que ,tal como no passado,é a esquerda coerente(em que se incluem os comunistas) o maior opositor ao regresso da velha senhora ao poder

        • De diz:

          Verme estalinista?
          Como assim?
          Que deu a estes fulanos para andarem por aqui a rabiarem e a insultar quem argumenta?
          Ah,começa-se a perceber
          O desmascarar das manobras e das pulhices deixa-os assim.
          Histéricos e à beira de um ataque de nervos

        • Vasco diz:

          Não têm é dinheiro para viajar…

          • Gentleman diz:

            Dinheiro para viajar? Nunca se viajou tanto como agora! Em anos de crise dá-se um ligeiro retrocesso, mas logo a seguir o crescimento retoma imparável.
            A mobilidade é cada vez maior. E foi o capitalismo o grande impulsionador da mobilidade humana.

      • José diz:

        Bom, a Carapeto conheceu a URSS e conhece os países sucessores, tendo a sua opinião sobre os desenvolvimentos desde 1989.
        É a sua opinião, mas, pelos vistos, não é a opinião da esmagadora maioria dos povos que aí habitam, pois não quiseram regressar ao passado.
        Por outro lado, não é o único a ter conhecido os países do Pacto de Varsóvia. Não cheguei a conhecer a URSS, mas conheci outros países, logo em 1981, tendo-os v isitado diversas vezes até 1989 e desde então até agora.
        A minha opinião? Estão MUITO melhor fora da pata do urso soviética, estão muito melhor em termos de condições de vida, estão incomparavelmente melhor em termos de liberdades individuais e políticas, algo que, já sei, o Carapeto despreza. Aqueles povos não.

        • De diz:

          As visitas do José são visitas apropriadas ao José.Ponto final
          Percebe-se o que o José esteja muito melhor em Portugal,em 2011.Sob a pata de Passos Coelho e seus sequazes.
          O que acontece é que muitos não estão
          E se comecem a rebelar contra a governação ditada pela troika,a que os neo-liberais da ordem acrescentam o toque de revanchismo e de extremismo de direita, próprio de quem tem as patas sob as quais o José se move.
          Ao que parece José gosta
          O motivo do gosto não se sabe qual é.
          Pode-se especular é certo.

          • José diz:

            Grande argumentação!
            Imbatível!
            LOL
            G’anda De…

          • De diz:

            G anda
            À altura do tamanho da argumentação documental do José.
            Ele esteve lá logo em 1981
            E a pata já lá repousava
            (mas porque esta tontice do uso de palavras em maiúsculas?
            Um hábito ou um mandamento??

            As liberdades individuais e políticas para José…resume-se ao votinho da ordem nos colegas da ordem
            Estamos conversados
            Queria o José
            E os povos pelos quais o José fala
            ahahhahahahah

        • Carlos Carapeto diz:

          Caro José.

          O seu comentário deixa antever que é alguém mal informado,, tem má preparação politica e para piorar a situação contra a sua fraca argumentação, vê a coisa politica de forma unilateral. Não sei o que faz na vida nem estou interessado, eu sou operário, sei o lugar que me pertence na sociedade.

          Digo que está mal informação, porque não sabe como vive a maioria da populaçõe da ex-URSS se visse com os seus próprios olhos a penúria em que vivem de certeza que a sua opinião era outra. Os dados disponíveis por as agencias especializados não me deixam mentir. Tem a Letónia integrada na U. E como modelo perfeito de desenvolvimento social e respeito pelos direitos humanos.
          Depois arremata com mais esta infeliz argumentação ao dizer que esses povos rejeitam hoje através de eleições “livres” o modelo que viveram durante muitos anos.
          Diz isto porque não sabe que o novo poder está a ter o mesmo comportamento que tinha o anterior, proibiu os partidos de esquerda e as suas organizações. Os dirigentes sindicais que se têm atrevido a fazer protestos laborais são perseguidos e outros estão presos. Ocaso da República Checa em 15/16 de Maio.

          Ignora também porque está mesmo muito mal informado, que quem controla a informação controla a opinião publica. Esquece-se que Hitler foi eleito através de um sufrágio. Pinoch depois dos crimes que cometeu ainda obteve cerca de 48% de votos. Mubarak alcançou sempre maiorias superiores a 90%.
          Bouteflika depois de ter provocado um banho de sangue com mais de 150 000 mortos na Argélia continua agarrado de pedra e cal ao poder “democraticamente” eleito com maiorias.

          Não lhe serve de exemplo as recentes legislativas no nosso país?

          Ou o Jardim?

          Sabe; o domínio do poder exercesse-se controlando estes três vetore . Controle dos meios de informação. Controle das forças de segurança. E controle da economia. A partir daí a opinião publica moldasse.

          Espero que tenha compreendido.

          Tem má formação politica porque se enreda excessivamente em contradições na sua argumentação. Isto porque não sabe que os países do Pacto de Varsóvia estavam para a URSS como os países da NATO estão para a América. Responda a isto; como se justifica os EUA terem hoje 227 bases militares só na Alemanha?

          Sabe qual seria o destino de qualquer povo de um país da NATO atrever-se a eleger democraticamente um governo que fosse hostil a essa organização? Pense nas consequência.
          Ignora que a democracia só é válida enquanto estiver ao serviço da força dominante? O Irão de Mossadeq, a Republica Dominicana de Juan Bosh e o Chile de Allende, deviam ter ensinado algo a muita gente.

          Quanto a pôr a pata, lembre-se do Alasca, Porto Rico, Havai.

          Depois vê a coisa politica de forma unilateral, na medida em que aponta apenas defeitos , erros e crimes a um só lado. A imparcialidade nasce da boa fé e com coragem para denunciar tudo o que existe de mal para a humanidade e a natureza em que está integrada..

          Não encontra razões para criticar o que está hoje a acontecer no mundo?

          Nos muitos comentários que o meu Caro José aqui colocou ainda não tive o prazer de verificar nada que beliscasse o outro lado. É sabido que esse outro lado não está isento de culpas em crimes graves, tem igualmente as mãos manchadas de sangue. Continua a manchar.

          Sabe eu podia revelar o que sei e o que penso daquilo que vigorou na URSS.

          Se o fizesse sei que ia inchar ainda mais os cérebros já inchados com a propaganda dos órgãos de informação dominantes. Tem sido esse o seu objetivo. Intoxicar a opinião publica com a mentira descarada e grosseira. Isso é bem evidente nalguns comentários aqui deixados.

          E perante a mentira propagandeada por fascizoides envergonhados sem coragem para se assumirem, “assumo eu se necessário a defesa de Estaline, livrou a humanidade de um modelo pior que o seu, o Nazi/fascismo. Modelo que hoje pouco se discute e quando o fazem encontram sempre forma de o equipar ao comunismo de modo a adocicá-lo, branqueando os seus crimes.

          Face a tudo isto estou como aquele manifestante com um cartaz onde se lia “Este governo é uma merda, mas é o meu”.

          • José diz:

            Carlos Carapeto,
            Aquilo que faço ou deixo de fazer nada interessa para o caso.
            Tem a sua opinião sobre a minha formação política,e não posso senão respeitá-la e nem sequer a comento.
            Sou parcial? É provável, como, decerto, o C. Carapeto o é.
            Sobre a informação, vejamos:
            A Rússia não só permite as formações de esquerda como o PC será o 2º maior partido, e o maior da oposição;
            O C. Carapeto não explica como um “bom” regime cai sem o povo estrebuchar, sendo certo – como é – que o monopólio da informação se encontrava nas mãos do Estado e do partido;
            Vá verificar o número das bases dos EUA na Alemanha – mas, mesmo que fossem para cima de 200, seria entre um e outro país;
            A Pérsia de Mossadegh ensinou muita gente mas, infelizmente o Irão e Khomeini terá ensinado muito mais. Pelos vistos não ensinou o C. Carapeto de que há países que mudam as alianças;
            O Alasca foi comprado à Rússia, Porto Rico tem tido vários referendos e o povo mantém a recusa em se tornar o 51º estado mas, também, recusa a independência, o Havai fez um revolução contra a monarquia, manipulada pelos EUA. Dito isto, não tenho nada a ver com os EUA, nem tenho que os defender, limito-me a enunciar factos ao alcance de qualquer um;
            Leia melhor os meus comentários e verá que critico o que tenho que criticar, designadamente o capitalismo selvagem dos últimos anos;
            Não tenho qualquer objectivo de intoxicar quem quer que seja, muito menos num blog destes. A diferença é que não defendo cegamente seja quem for, como parece ser o seu caso.
            O comunismo foi um regime totalitário que fez demasiadas vítimas.

          • De diz:

            -A queda de um “bom regime”não acontece da forma como alguns o querem fazer crer.Há muito mais do que uma “implosão” como de modo assaz simplista foi aqui postado.
            -Os fragmentos dos textos aqui colocados pelo Rafael Fortes foram suficientemente claros.O seu “esquecimento” e a deriva para questões menores não parece ter sido uma questão meramente incidental
            -A questão da posse dos meios de informação é uma questão um pouco ingénua chamada aqui de forma simplista.A informação não passa somente pelos meios ao dispor do aparelho de estado.Passa por muitas outras coisas.Não é inocente o dinheiro gasto em emissões alternativas que quotidianamente violam os princípios de soberania de um estado.Também aí se travou uma luta e violenta
            -A questão das bases militares em território estrangeiro não apresenta os contornos ingénuos como os apresentados.Mesmo nas “democracias burguesas” os governos não podem hipotecar parcelas da sua soberania como alguns pretendem.Maiorias ocasionais não têm o direito de o fazer.A questão das “ameaças” externas que justifiquem a continuação da presença militar estrangeira torna-se “estranha” perante o actual quadro internacional na Alemanha.
            Extrapolando para Portugal,e porque o tema é actual,registe-se que uma maioria conjuntural não pode hipotecar o nosso futuro como nação e como estado independente.A submissão a interesses estrangeiros e o caminhar para um abismo sem fundo, não se compaginam com a nossa existência como país soberano.Exige-se de todos nós um combate sem tréguas contra tais pretensões.E aí passam também valores éticos
            (Razão têm os gregos quando fazem publicar o aviso que todos os “negócios” levados a cabo pelo governo que viole a soberania da Grécia serão considerados nulos no futuro e sem direito a qualquer compensação
            A mesma posição deve ser assumida em Portugal.Com a exigência do apuramento de responsabilidades por quem se curvou e curva perante a troika,quem aceitou negociar o país e quem tenta levar à prática tais intenções.Fala-se obviamente de julgamento dos responsáveis governamentais e partidários)
            -Por muito que custe ao José,os conceitos e as referências ideológicas são para respeitar.Que José queira chamar branco ao preto ou vice-versa não significa que a realidade passe a ser a postulada pelo José.Quando o José fala que “o comunismo foi um regime totalitário que fez demasiadas vítimas.”está a demonstrar que a sua informação sobre o tema está contaminada pelo ruído dos que não sabem do que falam ou dos que,sabendo-o, estão mais interessados na manipulação dos factos do que de outra coisa.
            O José pode dizer que alguns dos países socialistas ou se quiser , alguns dos países governados pelos partidos comunistas provocaram demasiadas vítimas.
            Afirmar como o faz,que o “comunismo foi um regime totalitário” é não saber, como já aqui foi dito,o que é o comunismo.
            É não saber que nenhuma sociedade até agora se reclamou de comunista
            O não saber que os princípios em que assenta o ideal comunista estão vivos e não foram colocados em causa pela queda do bloco de leste é uma prerrogativa do José.Mas não desmentem tais princípios.
            E que tais ideais permanecem de pé,bem como o desejo imparável de lutar e conseguir o triunfo de uma sociedade socialista, pode crer que é um facto.
            Nem se trata de uma questão meramente partidária.Trata-se sim de querer um mundo mais justo,sem que a exploração do Homem pelo Homem tenha lugar.Ou seja é querer que a Humanidade tenha um futuro

            Quanto à questão se o capitalismo provocou mais vítimas do que o “outro lado da barricada”….também pode crer que sim.Infinitamente mais.Por mais que tal afirmação desagrade a uns tantos(ou a muitos).
            Mas não irei agora por aí

          • José diz:

            “A queda de um “bom regime”não acontece da forma como alguns o querem fazer crer.Há muito mais do que uma “implosão” como de modo assaz simplista foi aqui postado.”
            Não sei de que “forma” fala, a que “alguns” se refere, que “post” menciona que foi “simplista” e porque é simplista.

            “A questão da posse dos meios de informação é uma questão um pouco ingénua chamada aqui de forma simplista.A informação não passa somente pelos meios ao dispor do aparelho de estado.Passa por muitas outras coisas.Não é inocente o dinheiro gasto em emissões alternativas que quotidianamente violam os princípios de soberania de um estado.Também aí se travou uma luta e violenta”
            Não sei a quem se refere quando denomina “ingénua” a questão dos media e “simplista” a forma: a quem aqui a chamou à liça, dizendo que os povos não votam no regresso dos regimes socialistas porque estão condicionados pelos media dominados pelas forças maléficas do capitalismo? Ou quem responde, dizendo que o domínio dos media não pode explicar tudo, como não o fez nas revoluções de 1989, bem como noutros exemplos, como na Rússia de 1917 ou na Cuba de 59? E porque é ingénua a questão e simplista a forma?

            “A questão das bases militares em território estrangeiro não apresenta os contornos ingénuos como os apresentados.Mesmo nas “democracias burguesas” os governos não podem hipotecar parcelas da sua soberania como alguns pretendem.Maiorias ocasionais não têm o direito de o fazer.A questão das “ameaças” externas que justifiquem a continuação da presença militar estrangeira torna-se “estranha” perante o actual quadro internacional na Alemanha.”
            De novo a apodo de ingenuidade, sem qualquer justificação, sem qualquer explicação: porque sim.
            Como disse, é uma questão entre os EUA e a Alemanha. E o número apresentado é incorrecto.

            O Partidos Comunistas e os regimes que implementaram à força, cerceando qualquer oposição, qualquer ideia política contrária dentro da sociedade, impondo visões políticas, mas também culturais e artísticas aos cidadão, não existiram, segundo o De.

            O De, uma vez mais, demonstra a sua incapacidade de utilizar argumentos em vez de críticas ingénuas aos comentários – que não aos posts – dos outros.
            Utiliza adjectivos em vez de substantivos, procura denegrir os autores em vez de provar o que quer que seja.

          • De diz:

            José continua a tentar retomar discussões já entretanto lançadas e entretanto interrompidas,boicotadas,completadas ou esquecidas.
            Que José nem sequer leia o que já foi escrito é um direito que lhe assiste.Que José queira que se repita para ele,José,o que já foi escrito já não é um direito do José.
            Donde.O José que vá procurar quem disse o quê. Valeu?

            Se acha que as explicações sobre a queda do muro de Berlim são simplistas que fique na sua.
            Há outros que também o acham.”Simplistas”,como o senhor?

            Com a questão dos media passa-se algo parecido.O tema da derrota do campo socialista nos países do leste é demasiado extenso para o justificar apenas com o poder dos media.A análise histórica do que se passou também permite ver que há ocasiões em que estes não chegam ou não evitam o que querem exactamente evitar.
            E a questão dos media não é de todo simplista.A forma como se fez a bordagem é que o foi.

            A questão das bases militares é o que é.
            Que José não goste da minha apreciação e das minhas conclusões?Olhe paciência.Eu compreendo que não goste.Essa de questionar o direito dos EUA a “negociarem” a presença das suas bases é um crime de lesa majestade.Que o José ache que a presença das bases militares na Alemanha é justificável ou que tente apresentar a questão como um assunto particular apenas entre os EUA e a Alemanha apenas reforça o que se pensa sobre o que pensa José
            Mas a questão não deixa de ser curiosa quando se pensa no conflito que opôs Cuba e os EUA, quanto à presença dos misseis em território cubano.

            (E aproveito para reforçar a minha tese.Uma maioria ocasional de votantes nos partidos da direita em Portugal não permite que se admita a execução de políticas que comprometam o futuro de Portugal)

            (O número de bases não está correcto?Isso é comigo?
            Está enganado.Não falei em números)

            Cito ipsis verbis agora este José”
            O Partidos Comunistas e os regimes que implementaram à força, cerceando qualquer oposição, qualquer ideia política contrária dentro da sociedade, impondo visões políticas, mas também culturais e artísticas aos cidadão, não existiram, segundo o De.”

            Eis a melhor prova da desonestidade intelectual de José.Nunca tal disse o que este José diz que disse.Ele,tão lesto a pedir dados concretos,podia indicar os posts onde está a minha assinatura por cima de tais comentários.Que José não saiba ou não entenda o que se disse já me parece demais,pois já foi dito e repetido.
            Não sabe conceitos?Estude-os.Não sabe ler?Aprenda.
            Não sabe o que são princípios ideológicos ou modelos sociais?
            Lastima-se
            Mas ele que prove o que diz que eu disse

            Já se percebeu( eu confesso que só o percebi tarde) que o que o José quer é “encanar a perna à rã.
            Só o percebi tarde é certo.Mais do que nos comentários minimalistas deste José tal tornou-se transparente om a discussão tida sobre os Índices de Desenvolvimento Humano.E o que se disse a propósito deste.José foi apanhado a dinamitar o apresentado, com afirmações questionando sistematicamente o que fora dito..Verificou-se no final que,chamados os factos ao debate,a manobra de José não passava exactamente disso.De uma manobra para discutir o perfeitamente supérfluo.Mas os apartes e os comentários um pouco manhosos por parte deste José estão aí como prova.

            José?
            Quer mais um qualificativo para o designar?Não.Prefiro que sejam outros a fazê-lo

          • José diz:

            “Eis a melhor prova da desonestidade intelectual de José.Nunca tal disse o que este José diz que disse.Ele,tão lesto a pedir dados concretos,podia indicar os posts onde está a minha assinatura por cima de tais comentários.Que José não saiba ou não entenda o que se disse já me parece demais,pois já foi dito e repetido.
            Não sabe conceitos?Estude-os.Não sabe ler?Aprenda.
            Não sabe o que são princípios ideológicos ou modelos sociais?
            Lastima-se
            Mas ele que prove o que diz que eu disse”
            Quer mesmo?
            Isto é o que De?
            “-Por muito que custe ao José,os conceitos e as referências ideológicas são para respeitar.Que José queira chamar branco ao preto ou vice-versa não significa que a realidade passe a ser a postulada pelo José.Quando o José fala que “o comunismo foi um regime totalitário que fez demasiadas vítimas.”está a demonstrar que a sua informação sobre o tema está contaminada pelo ruído dos que não sabem do que falam ou dos que,sabendo-o, estão mais interessados na manipulação dos factos do que de outra coisa.
            O José pode dizer que alguns dos países socialistas ou se quiser , alguns dos países governados pelos partidos comunistas provocaram demasiadas vítimas.
            Afirmar como o faz,que o “comunismo foi um regime totalitário” é não saber, como já aqui foi dito,o que é o comunismo.”
            O texto é seu, não meu.

            Gosta de virar textos e afirmações, o De, seja porque não lê, porque não sabe ler ou por simples desonestidade:

            1 – texto do De: “Se acha que as explicações sobre a queda do muro de Berlim são simplistas que fique na sua.
            Há outros que também o acham.”Simplistas”,como o senhor?”
            meu texto: “A queda de um “bom regime”não acontece da forma como alguns o querem fazer crer.Há muito mais do que uma “implosão” como de modo assaz simplista foi aqui postado.”
            Não sei de que “forma” fala, a que “alguns” se refere, que “post” menciona que foi “simplista” e porque é simplista.”
            Sabe ler, De?

            2- texto do De: “Com a questão dos media passa-se algo parecido.O tema da derrota do campo socialista nos países do leste é demasiado extenso para o justificar apenas com o poder dos media.A análise histórica do que se passou também permite ver que há ocasiões em que estes não chegam ou não evitam o que querem exactamente evitar.
            E a questão dos media não é de todo simplista.A forma como se fez a bordagem é que o foi.”
            meu texto: “A questão da posse dos meios de informação é uma questão um pouco ingénua chamada aqui de forma simplista.A informação não passa somente pelos meios ao dispor do aparelho de estado.Passa por muitas outras coisas.Não é inocente o dinheiro gasto em emissões alternativas que quotidianamente violam os princípios de soberania de um estado.Também aí se travou uma luta e violenta”
            Não sei a quem se refere quando denomina “ingénua” a questão dos media e “simplista” a forma: a quem aqui a chamou à liça, dizendo que os povos não votam no regresso dos regimes socialistas porque estão condicionados pelos media dominados pelas forças maléficas do capitalismo? Ou quem responde, dizendo que o domínio dos media não pode explicar tudo, como não o fez nas revoluções de 1989, bem como noutros exemplos, como na Rússia de 1917 ou na Cuba de 59? E porque é ingénua a questão e simplista a forma?”

            Sabe ler ou quer apenas enganar quem? A si?

            3 – texto do De: “A questão das bases militares é o que é.
            Que José não goste da minha apreciação e das minhas conclusões?Olhe paciência.Eu compreendo que não goste.Essa de questionar o direito dos EUA a “negociarem” a presença das suas bases é um crime de lesa majestade.Que o José ache que a presença das bases militares na Alemanha é justificável ou que tente apresentar a questão como um assunto particular apenas entre os EUA e a Alemanha apenas reforça o que se pensa sobre o que pensa José
            Mas a questão não deixa de ser curiosa quando se pensa no conflito que opôs Cuba e os EUA, quanto à presença dos misseis em território cubano.”

            Meu texto: “A questão das bases militares em território estrangeiro não apresenta os contornos ingénuos como os apresentados.Mesmo nas “democracias burguesas” os governos não podem hipotecar parcelas da sua soberania como alguns pretendem.Maiorias ocasionais não têm o direito de o fazer.A questão das “ameaças” externas que justifiquem a continuação da presença militar estrangeira torna-se “estranha” perante o actual quadro internacional na Alemanha.”
            De novo a apodo de ingenuidade, sem qualquer justificação, sem qualquer explicação: porque sim.
            Como disse, é uma questão entre os EUA e a Alemanha. E o número apresentado é incorrecto.”

            Se o De soubesse ler, o quisesse fazer ou, simplistamente, fosse honesto, responderia ao que escrevi. Aliás, o número das bases nem se refere a ele, ao DE que se meteu entre comentários do Carlos Carapeto e eu. Mas isso o De, não diz nem quer dizer.

            “Mais do que nos comentários minimalistas deste José tal tornou-se transparente om a discussão tida sobre os Índices de Desenvolvimento Humano.”

            Os tais IDH que o De nem sabia que foram apenas criados em 1990, mas quer utilizar o seu exemplo retroagido a 1975? Ignorância, disse? Honestidade?

            Tem razão, De: discutir consigo é discutir com um adjectivante, com alguém que manipula afirmações, que retira expressões fora de contexto, que não sabe argumentar, que se preocupa mais em insultar, expressamente ou não, o contra-argumentante e não em rebater os seus argumentos, que apresenta vacuidades e expressões vagas, ficando ofendido quando se lhe pede factos em vez de adjectivos.
            Yet, nestes dias de Verão, é uma diversão ler este De e os seus comentários.
            Toda uma vacina contra chatos com vácuo nas meninges.

          • De diz:

            José.
            Desculpe.O senhor faz por não entender ou é mesmo assim?
            Eu vou repetir
            Mas você sabe o que lê?Percebe o que lê?
            Vou voltar a repetir.Você sabe mesmo ler?
            Ainda não sabe o que é o comunismo?
            Ainda não percebeu que confundir uma ideologia com um regime ou um partido é um refinado disparate?
            Mas você ainda nem se apercebeu que foi esta confusão que provocou a minha resposta a Katulo e a Gentleman e agora a si?
            Mas ainda não percebeu que quando alguém argumenta que a China é mais comunista porque é mais marxista-leninista está a dizer um disparate?
            Mas você ainda não percebeu que não pode mesmo colocar tal frase:”o comunismo foi um regime totalitário que fez demasiadas vítimas” porque nunca existiu nenhuma sociedade em que existisse comunismo?
            Mas você ainda não percebeu que os países em que os partidos comunistas estavam no poder eram socialistas,eu vou repetir,socialistas e não comunistas?
            Mas você ainda não percebeu que nunca,nunca,eu repito nunca nenhum desses países se reivindicou de comunista?
            Mas você ainda não percebeu que nunca existiu comunismo?
            Mas você ainda não percebeu que não se discutem os termos como se ouvem nos noticiários de Balsemão ou de moura Guedes?
            Eu vou repetir para ver se agora o José percebe o que se escreveu:
            ““-Por muito que custe ao José,os conceitos e as referências ideológicas são para respeitar.Que José queira chamar branco ao preto ou vice-versa não significa que a realidade passe a ser a postulada pelo José.Quando o José fala que “o comunismo foi um regime totalitário que fez demasiadas vítimas.”está a demonstrar que a sua informação sobre o tema está contaminada pelo ruído dos que não sabem do que falam ou dos que,sabendo-o, estão mais interessados na manipulação dos factos do que de outra coisa.
            O José pode dizer que alguns dos países socialistas ou se quiser , alguns dos países governados pelos partidos comunistas provocaram demasiadas vítimas.
            Afirmar como o faz,que o “comunismo foi um regime totalitário” é não saber, como já aqui foi dito,o que é o comunismo.”

            Safa!

          • José diz:

            LOL
            O De está preocupado com a propriedade de linguagem, dizendo que não deveria dizer “comunismo” enquanto regime.
            São estas as questões ESSENCIAIS e não secundárias e derivativas que o preocupam, afinal!
            Não é o facto do “comunismo” (leia-se para que as meninges do De consigam apreender tudo: regimes instalados por partidos comunistas ou que professavam a ideologia comunista) ter provocado diversas vítimas na prossecução dos seus ideais, da liberdades de expressão, de manifestação política, de oposição política terem sido cerceadas, sendo isso que se encontrava em discussão entre mim e o C. Carapeto e na qual o De se meteu sem ninguém o convidar e com as trapalhadas dele. Não!
            O que preocupa o De é a questão essencialíssima da proprieadade de utilização do termo genérico de “comunismo” para caracterizar um regime, uma pessoa, e não apenas uma ideologia!

            LOL

            Fantástico este DE!

          • De diz:

            Mas agora também já percebe porque me recuso,eu vou repetir,me recuso em ir mais longe em explicações consigo sobre os assuntos que você entende por bem que eu lhe dê corda?
            Quer provocar mais ruído?
            Quer falar sobre o quê?Que esta discussão já a tive com o seu amigo Katulo ?
            E que a discussão sobre o que é simplista ou não,não me interessa absolutamente para nada?
            Mas você percebe o que se lê?

            Mas não vê,não quer ver,não quer que os outros vejam?
            Eu repito.Não vê,não quer ver,não quer que os outros vejam que os temas lançados,discutidos,analisados são-no na exacta medida das informações que todos nós damos?
            E que compete aos outros analisarem as respostas,o que se disse ,o que não se disse,o que se quis dizer e não se conseguiu e a forma como (ou não) se manipula ou se tentou (ou não) manipular?

            A questão dos media e a queda dos regimes do leste.
            Mas o que quer José?Discutir esse assunto?Mas sobre toda esta confusão?
            Mas José quer ainda aumentar mais a confusão?
            Quando o quiser discutir faça-o no lugar próprio e não nas mordiscadelas com que pretende desviar o debate

            Com que desfaçatez me pede para justificar se a questão das bases na alemanha é uma questão bilateral?
            A minha opinião sobre o assunto está aí .A sua também.O José quer que eu lhe cite o direito internacional para convencer o quê ou quem?Já todos perceberam o meu e o seu ponto de vista.O que o José quer é para alem de me citar abundantemente auto-citar-se a si para quê?
            Para que não se consiga perceber a minha posição?Ou a sua?

            E quanto à interrupção com o Carlos… francamente José.Mas não é isso que se faz quotidianamente? O que é preciso é que se tenha lido o comentários.Fui suficientemente claro?
            E se o número das bases( o tempo que este fulano perde com o acessório…) não era comigo,porque ma citou?

            O José passou o tempo a fazer copy paste.Dos meus comentários e dos dele.Curiosamente “esquece-se” de o fazer no caso do IDH
            A quantidade de apartes, comentários, ironias, provocaçõezinhas que este José colocou sobre o assunto…
            Quem quiser que vá ver.Quem quiser veja como os actuais “casos” de “simplista,bases,media” que o José coloca e volta a colocar à baila,já foram utilizados com esta questão do IDH
            De tal forma que fui procurar as provas solicitadas por esta coisa.Postava eu a 18 de Agosto:
            “Está tudo dito sobre o assunto
            O que foi dito e escrito por cada um está ai.
            Este fulano nem sequer tem a honestidade de reconhecer que andou a dizer aldrabices.Ridicularizava perante a existência de dados prévios a 1990.Parece que a entidade responsável por estes,valida os anteriores,pelo menos a partir de 1980.José do alto da sua toleirice bramava há dias:”Curioso que existam registos, decerto muito fiáveis, sobre um índice criado em 1990 e aplicado a realidades ocorridas 15 anos antes…
            Divertido este De…”
            Parece que existiam mesmo dados anteriores a 1990
            Perante tal facto,este fulano quer voltar à discussão dos dados entre 1975 e 1980!”

            Não me largava com o caso.A tentativa de discussão do secundário sobrepunha-se a tudo o resto.Fui à cata de provas.Perante os factos calou-se.Mas volta a tentar manipular a questão.Falta-lhe no entanto o substracto das múltiplas intervenções dele sobre o caso ( e das minhas).
            Um aldrabão

            Quanto aos comentários finais
            isso deixo para quem lê
            Acho que a estratégia de José oscilando entre o comentário minimalista e o copy paste apenas serve um propósito
            E tal é um propósito feio

          • José diz:

            Lindo, este De!
            Falho de argumentos, acaba por chamar aldrabão, entre outras alarvidades, a outro!
            Atrevido na ignorância, avança com pretensas estatística e só depois procura os factos!
            E continua a inisitir com o IDH pré-1990…
            Pavlov explicou as reações do De…

            Sabe porque não vai mais loge, De? Porque é incapaz. Com quem quer que seja que você não concorde, todas as suas reações são pavlovianamente adjectivantes, ad hominem, vácuas.
            Com os que você concorda, é untuoso, Nugget brilhante, De.

            Mas, continue, por favor, De: comigo ou com outros, é sempre divertido ler um Canio como o De.

          • De diz:

            Desculpe José mas afinal você é mesmo um aldrabão
            De feira ou de circo não me parece.Parece-me mais um aldrabão de alto coturno
            Eu dou-lhe um exemplo
            Um Dias Loureiro conhece?
            Um Oliveira e Costa era demasiado..

            Aldrabão mesmo
            Acha de somenos que as designações sejam as correctas?
            José.Quando lhe chamo aldrabão sei o que lhe estou a chamar
            Aldrabão é um sujeito que diz isto:”Não é o facto do “comunismo” (leia-se para que as meninges do De consigam apreender tudo: regimes instalados por partidos comunistas ou que professavam a ideologia comunista

            Aldrabão.As coisas são o que são
            E essas coisas são tão essenciais
            que não têm mais discussão possível
            O que quer?
            Que o seu anti-comunismo primário fique acantonado ao que aprendeu na escola dos Dias Loureiros que admira?

            Galo
            O comunismo não é igual a regime ou a partido
            Aldrabão.
            O comunismo ainda é uma utopia
            Aldrabão

          • De diz:

            José:
            Os mimos com que me presenteia são o que são
            O cheiro que se sente por aqui já se percebe de onde é.
            Dum ginásio da Reboleira
            Talvez isso explique muita coisa

            Há qualquer coisa que não encaixa no seu discurso e tenta corrigir
            Pobre José.
            A questão do IDH foi de tal forma contundente e as suas falhadas tentativas de deter por aí a discussão revelaram o que era…que volta ao tema?
            Foi à abundância revelada a sua careca?

          • De diz:

            Mas há mais dois pontos:
            O primeiro tem a ver com a sua preocupação com o facto de ” eu não ir longe ”

            Oh José
            Além de aldrabão é pedante
            ou está armado em vidente de meia-tijela?
            Oh José mas isso é um argumento?
            Oh José ,mas isso de substancial tem a ver com quê?
            Oh José,mas ainda não reparou que há algo que não cola nessa sua participação histriónica?

            O segundo ponto tem a ver com a questão da untuosidade.
            E aí noto-lhe alguma perturbação
            A força argumentativa continua a mesma
            Mas nota-se algo…algo mais primário
            Uma espécie de raivinha dissimulada

            José
            Já chegou aí?
            Oh José, untuoso é você com o seu amigo Katulo
            e apenas por pudor ainda não lho tinha dito

            Quanto ao resto
            Unte-se naquilo que quiser
            e porte se como um homenzinho
            Valeu?

          • De diz:

            Mas há uma outra questão funda,bem funda,que ultrapassa a poeira que José tenta levantar

            A questão do conceito de comunismo

            A questão levanta perplexidades,porque já o fora levantada repetidas vezes.Mesmo no diálogo com o José.

            Como se compreende que, só depois de me ter de certa forma irritado e lhe ter explicado tudo tintim por tintim, este José o tenha percebido?

            Levantam-se três hipóteses:
            Ou este José não leu o que se escreveu
            Ou este José leu mas não percebeu
            Ou leu e/ou não percebeu…mas o ler ou não,o perceber ou não e-lhe indiferente,já que os seus objectivos são outros?

            A resposta a tais questões não é despiciente
            É que permite atribuir com mais exactidão os qualificativos justos para o José

          • José diz:

            🙂

            Ò De, para além do insultar os outros, sabe fazer algo mais? Como debater, apresentar argumentos que não sejam de outros ou auctoritas?
            É evidente que não desço ao seu nível para lhe responder.
            Mas continue, por favor, porque demonstra bem o reles que é, o Canio em todo o esplendor.

            Muita frustação nessa cabecinha…
            LOL

          • De diz:

            José:
            Curioso essa questão dos insultos.
            Acha mesmo?
            Já se olhou ao espelho?

            Ontem fiquei a saber outra coisa.
            É que para além de ser tudo aquilo que disse…é também um petulante
            e um petulante como é óbvio …malcriado

            Mas gostei que lhe tivessem puxado as orelhas
            Pode ser que para a próxima se comporte mais como um homenzinho.

            Acha que agora posso postar alguns dos seus lol a saber a….como direi…?

          • José diz:

            🙂

            Mais uma tirada humorística do De!
            Típica tirada da infantilidade: quem diz é que é!

            LOL

          • De diz:

            Pois é pena.
            Mas José tem destas coisas.Umas vezes posta textos minimalistas.
            Outros despeja copy paste como se fosse semeador de batatas
            Escolhe como é legítimo os pedaços a postar
            embora se esqueça de uma coisa
            Tudo o que disse está escrito
            tudo o que eu disse também

            Que faz José…faz resumos,
            os seus resumos.
            O que esconde José?

            Dizia há2 dias noutro post esta coisa incrível:
            “o José que se diverte a ler o que o De por aqui vai soletrando, insultuoso como sempre, sem nada mais a dizer que não seja vacuidades e insultos, como estes seus comentários bem atestam…
            Mas continue, De, que sempre terá que haver alguém como o De para divertir os outros…
            E agora deixe os crescidos falarem sobre coisas sérias, vá, vá andando, De…”
            O que admirar mais?
            A pelulância?
            Algum medo?
            Ou o cheiro que se desprende?
            É assim José?
            Que actua José?

            Alguém lhe puxou as orelhas
            Fez muitíssimo bem

          • José diz:

            🙂
            Tão frustadito que ele está…
            Leia, leia, que só lhe faz bem.
            E continue com os humorismo circense, que é só que sabe fazer.

            🙂

        • Vasco diz:

          Eu bem os vi, a dormir no Metro de Budapeste no Inverno…

          • Gentleman diz:

            Há-os em todas as sociedades. Na URSS atribuiam-lhes o nome simpático de “parasitas sociais” — um crime que lá era punível por lei.

          • De diz:

            Pois há
            O problema é o seu número ser completamente diferente nas diferentes sociedades
            Não o sabia Gentleman?

            Ah,quanto ao José,ele que investigue a veracidade da minha afirmação
            Mais tiros a pardalitos não estou interessado
            Não gosto nem de dar tiros
            Nem de atingir pássaros

            Nota de esclarecimento : o termo pardalito não se refere a ninguém em concreto.Refere-se apenas a questões secundárias e derivativas usadas para se apagar o essencial

          • José diz:

            “Nota de esclarecimento : o termo pardalito não se refere a ninguém em concreto.Refere-se apenas a questões secundárias e derivativas usadas para se apagar o essencial”

            Vejamos então o que é o essencial aqui neste comentário e na resposta do De:
            “Gentleman says:
            19 de Agosto de 2011 at 17:53

            Há-os em todas as sociedades. Na URSS atribuiam-lhes o nome simpático de “parasitas sociais” — um crime que lá era punível por lei.

            “De says:
            20 de Agosto de 2011 at 17:31

            Pois há
            O problema é o seu número ser completamente diferente nas diferentes sociedades
            Não o sabia Gentleman?

            Ah,quanto ao José,ele que investigue a veracidade da minha afirmação
            Mais tiros a pardalitos não estou interessado
            Não gosto nem de dar tiros
            Nem de atingir pássaros”

            O Gentleman defende que há sem abrigos em todas as sociedades e que na URSS lhes atribuíam o qualificativos de “parasitas sociais”, sendo essa actividade (?) um crime punível.
            O De, atendo-se ao essencial, apresenta o seguinte argumento: que sim, concorda com o Gentleman, mas diz que existe o problema de o número de sem-abrigos ser diferente nas diversas sociedades.

            Bom, é isto um argumento, um comentário que se veja? A que sociedades se refere? A que países se refere?
            Parece estar implícito que existirão sociedades melhores em função do menor número de clochards, mas o De não desvenda quais serão essas fantásticas sociedades, nem sequer o seu “tipo”: socialistas vs. capitalistas? ocidentais vs. 3º mundo? ocidentais vs. asiáticas?
            Uma vez mais, como é seu timbre, o De deixa implícito muita coisa, mas nada afirma de substancial. Ainda assim deixa o seu toque, perguntando se o Gentleman não sabia, deixando nas entrelinhas que este seria ignorante. De quê, obviamente não diz, pois nada afirma de concreto, apenas vacuidades.

            Depois pede que eu investigue a veracidade da sua afirmação. De qual, evidentemente, também não diz.

            Onde está o essencial? E as questões derivativas e secundárias?

            É este o tipo de comentários que o De tem utilizado por aqui, sempre vagos, sempre ofensivos para os restantes de quem não gosta – embora possa ser muito Nugget para outros… -e sempre acusando os outros de se desviarem do essencial, quando ele nunca se atem a este.

            Em tempo de férias, serve bem para uma diversão, este De…

          • De diz:

            Peço desculpa mas mudou de estratégia?
            Em vez de arranhar as canelas passa a colocar textos inteiros …a maior parte de corte e costura?
            José ,o que pretende é que não se leiam os textos?
            Oh José,não consegue outra coisa mais…digna?

            Quanto às suas questões..procure José procure
            Não atiro sobre pardalitos

            Olhe e não são inocentes clochards
            São tipos com fome
            Valeu?

            Quanto às férias
            desculpe isso são assuntos privados seus
            valeu?

          • José diz:

            está desculpado, De, está desculpado.
            Também lhe desculpo a a ignorância sobre os clochards, bem como a mentirita dos “inocentes”.
            Igualmente fica desculpado sobre meter-se em assuntos meus sobre as férias, De.
            É como lhe digo, estas noites de verão ficam melhores com os seus comentários, De.
            Responder é que não é capaz, De.

          • De diz:

            Lol
            Oh José
            Se eu estou desculpado
            ( ah esta pedantice vinda destes pequenos senhoritos a pensar que lhes devemos vassalagem)

            José,já fez as perguntas a quem de direito?
            Ah,reparo que o José quer agora falar na inocência e nos clochards
            Mais uma
            mais uma tentativa para mascarar o que é essencial?
            José,sabe uma coisa?
            Li uma notícia sobre o Cameron e sobre a sua “pose”…de vândalo mimado(dele,Cameron)
            O José,que eu saiba não é vândalo…mas no resto…um Cameron em potência não?

      • Gentleman diz:

        Os comunistas sempre menosprezaram as liberdades apelidando-as de “liberdades burguesas”.
        O único momento em que eles dão imenso valor às liberdades de expressão e às liberdades políticas é quando estão na oposição…

        • De diz:

          Vê?
          Lá está a falar de acordo com a bíblia aprendida na escola da deturpação e da ignorância
          Quem lhe disse tal?
          A questão é que quem tem ideiais de esquerda convicta ( entre os quais obviamente os comunistas)
          não se fica pelas liberdades de expressão e políticas
          Quer mais.É mais exigentes com a sociedade.É mais generosos.Quer mesmo um mundo melhor
          Quer liberdades políticas,de expressão( e esta hein Gentleman?) mas também quer liberdades sociais,económicas e culturais
          Vale?
          Essa de estar a morrer de fome e ter liberdade para o dizer…foi chão que deu uvas

          • Julio Vaz diz:

            “não se fica pelas liberdades de expressão e políticas”

            Não se fica?… Está a ser irónico, não é?
            O dito “socialismo real” algum dia sequer entrou no terreno das liberdades de expressão e políticas, quanto mais quedar-se por lá.

          • De diz:

            Não,não estou
            Mais uma vez o debate passa para outro lado,qual bola de pingue-pongue.
            Todos os escritos aqui reflectem mais do que a abordagem histórica.Há uma leitura actual(ou deve haver) dos processos e situações em curso.
            Todo o meu texto(este último que refere como irónico) está escrito no presente.Reparou?
            Onde eu procurava centrar a questão
            Tanto mais importante quanto,e não querendo ir para questões partidários. já foi aqui postado que, por exemplo no caso concreto do PCP:”“O Programa do PCP aponta características da sociedade socialista que propõe para Portugal. Entre elas (desfazendo as campanhas de deturpação e mentiras acerca dos objectivos dos comunistas) o poder dos trabalhadores, a democratização de toda a vida nacional, a garantia das liberdades democráticas, o respeito por opiniões, interesses sociais e aspirações diferenciadas, a realização de eleições com a observância estrita da legalidade pelos órgãos do poder, e a coexistência das diversas formas de organização económica (incluindo empresas privadas) a par da propriedade social dos principais meios de produção, a libertação dos trabalhadores de todas as formas de exploração e opressão, o respeito pela dignidade e personalidade de cada cidadão, a erradicação dos grandes flagelos sociais, a transformação da cultura em património, instrumento e actividade de todo o povo.”
            Mais claro que isto acho difícil.
            Mais uma vez há que reconhecer a mestria de Álvaro Cunhal,quando ele falava em “Amplas Liberdades”
            Muita coisa dita só nesta frase.Que foi apelidada de “cassete.”
            O que transporta para outro problema
            Não se “ouve”.Faz-se barulho sobre o que se “ouve”.
            E tal é feito, queiram ou não,da forma menos inocente possível

          • José diz:

            É verdade: o actual programa do PCP não prevê a ditadura do proletariado.
            O que deixa alguma dúvida sobre a sua natureza de partido marxista-leninista.
            No mínimo, uma contradição grave, no máximo, uma mentira descarada.

          • De diz:

            José:
            Mas pensa que eu tenho tempo para responder ao seu pequeno comentário lateral, feito de contínuo ruído, sabe-se lá com que intuitos?
            Se estiver interessado no esclarecimento da questão,pergunte directamente ao PCP
            Sempre lhe ficava melhor do que esse bacoco, esclarecedor e prematuro juízo :”No mínimo, uma contradição grave, no máximo, uma mentira descarada.”
            Cheira a …isso mesmo

            Aqui há uns tempos podia falar nos temas focados por este José.
            Mas fiquei espantado com a ignorância deste sobre questões tão básicas da ciência política.
            O mal não está na ignorância,longe disso.O que não é tolerável é que,com base nesta, se arquitectem comentários completamente vazios e desprovidos de qualquer validade para a discussão.(parecidos com o vazar de velhos preconceitos próprios de blogs como o insurgente ou coisas do género)
            E,perante a evidência dos “castelos no ar” construídos sobre mitologias infantis, se parta para o insulto,que se ouve e se repete(e que repete outros de outros “comentadores”)

            José:
            Posto isto,faz favor de pedir esclarecimentos para as suas questões a quem de direito.
            Pode antes é claro tentar esclarecer o que é isso de ditadura do proletariado ou o motivo pelo qual o PCP o retirou do seu programa.Sobre o marxismo-leninismo já se viu que tinha mesmo que ir estudar mais um pouco
            No final do seu trabalho,pese o tempo que terá que sacrificar ao seu trabalhinho actual, ver-se-á que não há qualquer mentira descarada ou contradição grave.
            Suspeita-se é que,dado que este José já arrumou o assunto,tais conclusões não serem do agrado do dito cujo
            E o tal dito procurará outro ossito para continuar a fazer o que sabe fazer.
            Ou então continuará a rosnar diante do mesmo
            O trabalhinho tem que continuar,é José?

          • José diz:

            Mas De, você tem imenso tempo! Senão como poderia andar a escrever disparates como estes?!
            Uma vez mais não responde a nada e apenas insulta os outros.
            Perguntar? lol Este De… leia que lhe faz bem e verá o que os outros dizem, em vez de andar a salivar diante de quem não concorda consigo.
            Não seja tão pavloviano, De, que lhe faz subir a tensão…
            lol

          • De diz:

            Peço desculpa José,mas já lhe dei os meus conselhos
            Se os não quiser ouvir..
            Ande,vá lá perguntar
            Verá que não custa nada
            Mais ignorante do que é não sairá

            O ossito agora é a tensão ou Pavlov?
            Ahahahahhaha

          • José diz:

            Eu, a si, desculpo-lhe tudo, De!
            Continue, homem, que lhe faz bem à bílis!

          • De diz:

            Um concurso bilioso pede José.
            Pede?
            Ele ainda não percebeu que não alinho em concursos de reescrita da história?
            Nem mesmo se o que tenta for apenas um pobre petulante à espera sabe-se lá de quê

    • Vasco diz:

      O capitalismo precisou de anos para se impor, desde as suas primeiras experiências até à sua consagração como sistema mundial. O socialismo também. A Comuna durou uns dias, a URSS várias décadas. A caminhada não acabou, isso é certo. Como está o mundo não pode ficar: é incomportável.

      • Carlos Carapeto diz:

        O capitalismo está a dar os ultimos estertores. Falta quem lhe dê o golpe de misericórdia. Mas cuidado que os impérios quase sempre morrem matando.

        • Gentleman diz:

          Aonde é que já ouvimos este delírio do Carapeto?… Hmmm… parece que muitas vezes e há, pelo menos, 100 anos, atingindo uns picos de 10 em 10 anos…

          Quanto queres apostar que muito antes dos teus desejos serem concretizados, Cuba se transformará numa democracia capitalista? E isso ainda durante o tempo de vida que te resta. Quanto queres apostar?

        • De diz:

          As apostas de Gentleman têm algo de …pueril
          Então com tantas certezas porquê tanta “ansiedade”da parte deste Gentleman?
          Porquê tanto ódio esconço?
          Porquê tanto comentário escrito com as mãos mas pensado com os pés?

          Democracia…?
          Um excelente texto de João Valente Aguiar deve ser lido com atenção para tentar elevar um pouco o debate ,sem cair nestas apostas infantis
          Começa assim o texto:”Não existe democracia num estado puro. Não existe democracia no vazio. A democracia é sempre portadora de um conteúdo de classe.”
          E está aqui no 5 dias

    • Gentleman diz:

      VERGONHA 3

      Muitas vezes lemos os comunistas criticarem a avidez do lucro dos capitalistas que passa por cima de tudo: direitos humanos, meio ambiente, etc. Quanto a direitos humanos e ao curriculum negro dos regimes comunistas, estamos conversados. E quanto à protecção ambiental?

      Bem, o maior atentado ambiental de todos os tempos deu-se na URSS. Não, não se tratou de um acidente. Foi um atentado planeado e executado ao longo de anos com o maior dos desrespeitos pelo ecosistema e pelas populações. Refiro-me à tragédia do Mar de Aral, no Cazaquistão.

      Em tempos um dos 4 maiores lagos do mundo, actualmente tem 10% do seu tamanho antes de 1960. O ecosistema do Mar de Aral e dos deltas dos rios que nele desaguam foi praticamente destruído, e não apenas devido ao aumento da salinidade. O retrocesso das águas deixou vastas extensões cobertas de sal e químicos tóxicos — resultados de testes de armamento, projectos industriais, pesticidas e fertilizantes.

      A paisagem é desoladora. Vêem-se grande barcos abandonados, sepultados num deserto árido. Aqueles que tiverem curiosidade, podem ler aqui uma boa síntese acerca deste grande atentado ambiental.

      Fixem isto: qualquer barbaridade que tenha sido feita numa democracia capitalista, conseguem sempre encontrar uma pior ocorrida num regime comunista. É esta a grande desilusão do comunismo.

      • De diz:

        Gentleman posta um comentário habitual entre os da sua classe.
        (Não,não é a classe dos gentlemen, que já se viu a que conduz tal tema.)
        Posta a mensagem que tem como prioritária para a sua “mensagem”
        Gentleman já nem sequer vem defender os responsáveis pela situação actual no mundo.Gentleman já nem sequer ousa bramar que o capitalismo é o fim da história e o neo-liberalismo a sua versão mais sedutora
        O rapaz quer apenas demonstrar que temos que aceitar a corja que domina o mundo…porque as alternativas são sempre piores
        (Olhará para Passos Coelho e achá-lo-á o boy de Merkel adequado ao trabalho?
        Olhará para Portas e achá-lo-á o cúmplice ideal para as futuras cruzadas de saque dos americanos?
        Olhará para o mundo e rezará para que ele fique como est?
        O rapaz tem até o cuidado de pintalgar de negro as mensagens a reter…algo que é comum a certo tipo de propagandistas de regime,avassalados pelo temor das alternativas à podridão do seu mundo
        Reparem neste pormenor magnífico
        O fulano no final do seu acto de senil propaganda,pede ou ordena para :”Fixem isto”
        Onde aprendeu os tiques de ditadorzeco de meia-tijela?Ou de ministro de propaganda escondido no alto da sua tontice?
        Mas toda a histeria de gentleman sobre o assunto,no tom tonitroante que faria inveja aos de outros tempos abate-se sobre o caso de….que Gentleman considera o mais grave e mais não sei o quê mais o não sei o quá
        Gentleman oscila entre as estatísticas de mortes e outras estatísticas
        A classificação dos piores crimes ambientais deve estar apenas nos compêndios usados pelo Gentleman.Que tem uma memória selectiva Embalado pela desmemoriação, gentleman esquece-se de muitos outros crimes.Por exemplo poderia postar que o maior atentado ambiental de todos os tempos deu-se no Japão. Não, não se tratou de um acidente. Foi um atentado planeado e executado pela mão criminosa de criminosas mentes, avassaladas no ódio ao Homem e a tudo o que ele representa.As bombas atómicas de Agosto de 1945 made in USA.(não é um crime ambiental dirão logo os mais exaltados..sim?)
        Não.Gentleman já escolheu a sua e posta com o entusiamo próprio de quem doutrina.De quem tenta amedrontar?
        Pobre Gentleman.O concurso para tais crimes tem um óbice.Mostra o rabo escondido de quem tenta manipular e de quem tenta espalhar os seus ensinamentos “ecológicos”.O Gentleman no fundo apenas pretende fazer-nos crer que para cada crime há um outro pior…uma espécie de joguinho usado nas brincadeiras pueris do Gentleman,perpetuadas pela sua missão obscurantista
        Paupérrimo Gentleman,que anda a pescar em águas turvas
        Os crimes ecológicos do capitalismo são atrozes.O derrame no golfo do México assacado directamente às companhias de petróleo e ao seu modus-operandi de rapina poderia ser um exemplo recente.As 40 toneladas de gás tóxico na fábrica da Union Carbide em Bhopal, na Índia outro exemplo que ficou para a história como um dos piores desastres químicos do mundo( há quem diga o pior,mas não embalo nas estórias de listagens..patrióticas.)
        O que quer então ( e mais uma vez) esconder este Gentleman?
        Os crimes inevitáveis dessa coisa horrenda e grotesca que encaminha a humanidade para o abismo…de tal forma que se pode mesmo auto-destruir.Falamos no capitalismo
        “Uma análise mesmo superficial entre ecologia e capitalismo identifica uma contradição básica. Onde impera a prática capitalista se envia ao exílio ou ao limbo a preocupação ecológica. Ecologia e capitalismo se negam frontalmente. Não há acordo possível. Se, apesar disso, a lógica do capital assume o discurso ecológico ou é para fazer ganhos com ele, ou para espiritualizá-lo e assim esvaziá-lo ou simplesmente para impossibilitá-lo e, portanto, destruí-lo. O capitalismo não apenas quer dominar a natureza. Quer mais, visa arrancar tudo dela. Portanto, propõe-se depredá-la.”
        “O capitalismo produziu também uma cultura, derivada de seu modo de produção, assentado na exploração e na pilhagem.”
        (ah,essa coisa incrível de Bush nem sequer ter assinados tratados que visavam a protecção do ambiente…o criminoso de guerra asociado ao criminoso ambiental.Para quando o seu julgamento?))
        E o outro tema tão esquecido pelos “gentlemen em acção, que é da ecologia social: quanto de injustiça e violência aguenta o espírito humano? 20% da humanidade detém 83% dos meios de vida (em 1970 eram 70%) e os 20% mais pobres têm que se contentar com apenas 1,4% (em 1960 era 2,3%) dos recursos. Por isso quase metade da humanidade não possui comida suficiente. 14 milhões de crianças morrem anualmente antes de completar cinco dias de vida. “Este cataclisma social não é inocente nem natural. É resultado direto de um tipo de desenvolvimento sem medir as conseqüências sobre a natureza e sobre as relações sociais. Ele é altamente predatório e iníquo”.
        Uma prenda do desenvolvimento capitalista

        Acham que eu diga também :”Fixem isto?”
        Naaa..leiam e reflictam.As conclusões cabem a todos e a cada um
        E um dos textos que podem desde já reflectir é este:
        “A base do sistema capitalista é uma só: a exploração máxima dos trabalhadores e da natureza visando unicamente o lucro, ou seja, a multiplicação do capital nas mãos dos donos das empresas. O resto é conversa mole. Se o capital puder dispensar milhares de trabalhadores e deixá-los na sarjeta, não há problema nenhum. Uma empresa capitalista não é uma entidade filantrópica. Não tem nenhumíssimo objetivo social, humano, humanitário. Se puder acelerar o ritmo de trabalho até o extremo ela vai fazer. Quem morrer que morra. Há sempre milhões à espera de uma vaga.”
        E ai de quem pense que ele alguma vez vá respeitar a nossa Terra

        • Carlos Carapeto diz:

          De.
          Parabéns pelo excelente trabalho que publicou.

          É assim mesmo que se amansam as feras.

          Se depois disto os gentlemans fascizóides ainda tiverem a coragem de aparecer, é porque não têm réstia de vergonha na cara.

          Obrigado

        • Gentleman diz:

          Que texto mais ridículo…
          Com que então as bombas atómicas foram o maior “atentado ambiental” de todos os tempos?
          Enfim, é aonde chega a pobreza intelectual…

          • Vasco diz:

            Não foram nada. Aliás, toda a gente sabe que as bombas atómicas não poluem. É tudo limpinho. Tal como as munições de urânio empobrecido, que os EUA usam por esse mundo fora e cuja radiação permanece durante 4 mil anos. A taxa de cancros no Iraque e na antiga Jugoslávia disparou – mas não faz mal, não é?…

          • De diz:

            Confesso que foi de propósito que coloquei este exemplo.
            Queria ver até onde ia o conceito “ecológico” de alguns.Saiu-me o Gentleman.
            Não esperava era que (mais uma vez) tivesse que explicar que o texto assenta na exposição do ridículo e petulante dos que andam com listas dos “dez mais” debaixo do sovaco e dos que oscilam entre as estatísticas de mortes e “outras” estatísticas
            A referência aos terríveis bombardeamentos atómicos teve a pretensão de revelar a hipocrisia de alguns,que se “esquecem”dos crimes contra a humanidade,os quais se reflectem directamente na vida de milhões de pessoas e no meio ambiente em que vivem…
            O que eu não esperava era isto:
            Gentleman não consegue discernir o que se escreve,tal o seu enviesamento ideológico.Em resposta ao seu paupérrimo comentário sobre “O Crime Ecológico”digo que eu “poderia postar que o maior crime ecológico foi o das bombas atómicas”…
            E poderia postar outros
            E até dei outros exemplos
            Mas parece que deixei claro(pensava eu,lol) que “O concurso para tais crimes tem um óbice”
            E parecia-me que esta minha frase:”não embalo nas estórias de listagens..patrióticas”fosse perfeitamente clara.
            Lol.Enganei-me.
            Esqueci-me do Gentleman
            Que dizer mais?
            Queixar-me do “ridículo” de Gentleman?
            Ou/e da sua pobreza intelectual?

      • Carlos Carapeto diz:

        E continua a mentir, você é uma lástima sem recuperação possivel. Para fazer criticas descabidas e continuadas dessa forma contra a URSS só pode ser simpatizante do partido da suástica.

        O mar de Aral diminuiu o nivel porque foram feitos desvios de água dos rios Amudariá e Syrdariá para os grandes projetos de irrigação no Uzbequistão e Turcoménia. Hoje já existem desentendimentos na região por causa disso. O Tadjiquistão está a construir uma grande barragem hidroeletrica no rio Syrdariá, o Afeganistão com a ajuda dos Alemães também pretende reter as águas do Amudariá.

        Não se tratou de ensaios com armas e muito menos poluição elevada, se a água foi desviada não podia lá chegar, o lago baixou. E com os projetos atuais ainda passa a chegar menos.

        Já agora o que tem a dizer do rio Colorado? Destruiu-se todo um ecossistema só para alimentar hoteis de luxo e casinos.

        Isto foi feito para satisfazer os prazeres da classe em que se revê (Las Vegas). Está tudo bem?

        No mar de Aral destinou-se a produzir alimentos foi mau? Não diga mais.

        Não disfarce porque sei muito bem onde pretende chegar. Os comunistas são mais vilões que os nazis é isso?

        Se não defender a sua “familia” quem a vai defender?

        • Gentleman diz:

          Não vale a pena continuar a insistir na velhacaria, Carapeto. A sua careca já foi suficientemente exposta.

          O que eu escrevi:
          «O retrocesso das águas deixou vastas extensões cobertas de sal e químicos tóxicos — resultados de testes de armamento, projectos industriais, pesticidas e fertilizantes.»

          O que isto quer obviamente dizer é que a poluição existente é resultante de muitos anos de testes de armamento, projectos industriais, pesticidas e fertilizantes. NÃO que a causa da diminuição do leito do lago se tenha devido a isso. Se não entendeu ainda, recomece devagarinho do início do parágrafo.

          Leu bem o parágrafo anterior?… Sim?… Então continuemos.
          É verdade, foram grandes projectos de irrigação que levaram à diminuição do Mar de Aral. O tradicional desrespeito comunista pela Natureza — os marxistas-leninistas tradicionalmente vêem a Natureza como algo ao serviço do Homem — levou a este que é o maior desastre ambiental de todos os tempos.
          Não adianta espernear e tentar encontrar paralelos com o rio Colorado. Isso é patético e sem fundamento. No rio Colorado não há nem houve nenhum desastre ambiental.

          Os marxista-leninistas têm mais um galardão no seu catálogo de tragédias: o de maior desastre ambiental de todos os tempos. Que vergonha.

          • De diz:

            E Gentleman repete.
            O maior galardão,diz o “rapaz” a quem é preciso explicar o significado dos textos.
            Continua com essa do maior galardão!!!
            “Não adianta espernear”(que pobreza)
            Lol.
            Não há volta a dar-lhe.Percebe-se que quem assenta a sua lógica no lucro e nada mais que o lucro tente fazer da sua doutrina,a Doutrina. Não quer ver ou não vê que uma sociedade neo-liberal se está nas tintas quer para o Homem,quer para o meio ambiente.
            Adivinha-se o ideólogo(um pouco limitado é certo) atrás do Gentleman.Até poderia dizer que a argumentação está ao nível de outro ideólogo profundo do capitalismo.Por exemplo de Sousa Tavares.Ou de Miguel Relvas.O primeiro muito mais boçal que o segundo,mas ambos mestres da propaganda primária
            (Não é preciso “fixarem isto”.Há coisas mais importantes e mais saudáveis)

          • Gentleman diz:

            Perdoe-me a franqueza, mas o De está num patamar com o qual eu não costumo perder tempo a debater.
            O Carlos Carapeto tem opiniões aberrantes e até objecto de exame psiquiátrico, mas ainda vai tentando articular argumentos. Já quanto ao De, faz-me lembrar aqueles tolos que entram no Metro ou no autocarro a falarem alto sozinhos. Está a ver, não é muito estimulante…

          • De diz:

            Gentleman.
            Que quer que lhe diga?
            Geralmente não são muito apreciados os que dizem que o rei vai nu
            (mesmo que o rei não passe de um vulgar gentleman)

      • JMJ diz:

        Gentleman, a partir das suas fontes, repare no seguinte:

        http://en.wikipedia.org/wiki/File:Aral_Sea_1989-2008.jpg
        http://en.wikipedia.org/wiki/File:Aralsee.gif

        e lembre-se que a URSS acabou em 1991.
        Não há nada que não esteja mal, que o capitalismo não consiga piorar!

        • Vasco diz:

          Boa JMJ. A esta é que eles não respondem, já que a fonte é a deles, a grande wikipedia… Se a negarem negam-se a eles próprios…

        • Gentleman diz:

          A sua observação até poderia fazer sentido se não padecesse da mais ingénua ignorância sobre o problema do Mar Aral.
          Julga que é só querer e o lago volta a encher, é?
          Olhe, não lhe custará muito: leia atentamente aquela síntese para ter um vislumbre dos esforços que têm sido feitos nos últimos 20 anos para reverter a tragédia do Mar Aral e porque é tão difícil resolve-la.

          • De diz:

            Os “esforços gigantescos” que o capitalismo faz
            …para tentar tapar os buracos dos crimes que comete
            O golfo do México?
            O azar da petrolífera foi tal ter acontecido tão próximo da costa americana
            E aí os eleitores mostram um peso decisivo.
            Já os indianos não tiveram essa sorte com a Union Caribe

            Mas é irónico ver a forma como este Gentleman trata agora o tema da “pole position” em crimes ambientais.
            Mais moderado e deixando de parte aquele tom comicieiro à governante neo-liberal de pacotilha

          • Julio Vaz diz:

            O fulcro da questão, tal como eu a vejo, não é se ocorrem mais acidentes ambientais no comunismo ou no capitalismo. Seja por causas naturais, por negligência, por mau planeamento, acidentes ambientais ocorreram e infelizmente ocorrerão sempre, independentemente do sistema político.

            O que é importante avaliar é:

            a) Como é que esses acidentes são tratados? O povo tem acesso a informação isenta sobre o desastre?

            b) Como são responsabilizados os prevaricadores?

            c) Como são compensadas as vítimas?

            d) O que é feito para reparar os danos na natureza?

            Considerando todos estes aspectos somos forçados a concluir que as democracias lidam com os desastres ambientais de forma muito melhor do que o comunismo. O caso do derrame da BP no Golfo do México é um claro exemplo disso:

            a) Houve informação abundante e detalhada prestada ao povo
            b) Os responsáveis foram duramente responsabilizados (alguns processos ainda se encontram a decorrer)
            c) As vítimas estão a ser compensadas. 20 mil milhões de dólares é o capital do fundo de compensação que a BP foi forçada a criar
            d) A BP foi forçada a pagar a limpeza das zonas afectadas.

            O caso do Mar de Aral é, infelizmente, o oposto de tudo isto.

          • De diz:

            Mais uma vez a questão está a ser enviesada.Estão-se a confundir planos e tempos.
            Os países que Júlio Vaz” apelida” incorrectamente de comunistas já não existem como tal.
            A questão é muito mais vasta do que saber como o poder,qualquer que ele seja,lida com tais “acidentes”.A questão da “democracia” do conhecimento é uma questão demasiado redutora para assumir um papel central.Ou a punição dos prevaricadores.Já a forma como se procuram minimizar os danos me parece mais estruturante para o debate.
            Uma questão essencial passa pelas medidas que se tomam para os evitar
            Muitos dos crimes ecológicos ocorridos nos ex.países socialistas foram ocultados ou foram tratados de forma que hoje( ou ontem) nos parece (ou pareceu) incorrecta.Mas o pretenso conhecimento do que se passava deste lado é uma falácia.Os exemplos abundam e só anos após o sucedido é que somos contemplados com uma informação mais correcta.Pode-se sim dizer é que hoje é mais difícil que tais crimes passem desapercebidos.Aqui ou do lado dos países socialistas.
            Comparar sob o ponto de vista informativo os casos ditos do mar do Aral e do derrame da BP pode-se fazer.Mas não faz qualquer sentido o tirar as conclusões que se pretendem.Sem entrar nos aspectos revelados pelos comentadores anteriores, os acontecimentos reportam-se a épocas perfeitamente distintas.Mas não só
            Muito mais recente é o caso da contaminação com urânio empobrecido ( e como foi e é abafado pelo tal poder que aparentemente se mostra tão transparente)
            (Ou a disparidade de atitudes -e de tempos, também- entre o mesmo caso do Golfo do México e o acontecido na India pela Union Caribe
            -e a suspeita que a BP teve um “azar do caraças” pelo facto de tal ter acontecido na costa junto aos EUA,enquanto na India o caso estar suficientemente longe dos olhares mediáticos,para grande “falta de sorte” dos indianos-)
            Mas mais importante,do meu ponto de vista, de tais apontamentos( que são todavia importantes) é a questão central do modelo de desenvolvimento de uma sociedade.
            E quanto ao isto reafirmo o que já afirmei num post anterior :
            ““A base do sistema capitalista é uma só: a exploração máxima dos trabalhadores e da natureza visando unicamente o lucro, ou seja, a multiplicação do capital nas mãos dos donos das empresas. O resto é conversa mole. Se o capital puder dispensar milhares de trabalhadores e deixá-los na sarjeta, não há problema nenhum. Uma empresa capitalista não é uma entidade filantrópica. Não tem nenhumíssimo objetivo social, humano, humanitário. Se puder acelerar o ritmo de trabalho até o extremo ela vai fazer. Quem morrer que morra. Há sempre milhões à espera de uma vaga.”
            E ai de quem pense que ele alguma vez vá respeitar a nossa Terra”

  22. George Kaplan diz:

    A isto se resume o debate nestas páginas, acusações mútuas e contagem de mortos…
    Vergonhoso, como se pretende ocultar uma barbárie denunciando outras?
    Cegueira ideológica e negacionismo que só julgava existir na extrema-direita. Gente irritadiça, autoritária e agressiva.
    Comparação, só comparação. não vejo ninguém a assumir os males dos regimes que defendem, não é isto desonesto?
    Eu só por vir aqui fazer um comentário sou posto automaticamente do “outro lado da trincheira”.
    Raras vezes vi teimosia, e fanatismo associados a tanta falta de inteligência.

    • De diz:

      Acho que não tem razão,mas respeito a sua opinião.
      O que se passa é que o debate ficou logo inquinado pelo aparecimento daquilo que diz e bem, a “contabilidade macabra de mortos”.
      Ora a tal contabilidade sempre me recusei a aderir.Disse-o aqui.Claramente e por mais do que uma vez
      O que se passa é que as revisões da leitura de História,segundo os modismos da época e o alfabeto de quem pensa que saiu vencedor, sempre me irritaram.Por tudo e por mais alguma coisa.Porque tais reeleituras têm geralmente atrás de si outras “coisas.”E porque para além de esconderem outras coisas,são instrumento actuante e “orientado” da luta que se agudiza em torno da presente situação política,nacional e internacional.
      Quanto aos males dos regimes…se estivesse atento veria que tenho posições críticas sobre muito do que se passou.
      Mas posições extremistas,as provocações abertas ou encapotadas e as constantes interrupções e disparos para o lado,impedem por vezes a abordagem mais serena da questão.
      Porque também, se bem se lembra,quem chamou este tema à baila,fê-lo também para chamar a atenção do enviesamento sobre o que de facto se defende, se diz e se faz e o que outros manipulam sobre tais fundamentos teórico-práticos

      • George Kaplan diz:

        Exacto, desde o início o debate ficou inquinado, e de facto o De não aderiu à tal contabilidade.
        Poder-se-á continuar ad aeternum a fazer a listagem da infâmia…
        Um Manuel Noriega no Panamá é pior que um Gustáv Husák na Checoslováquia ? Enquadrando estes dois exemplos aleatórios num contexto bilateral penso que saem os dois mal na fotografia. Quero com isto dizer que se deve aprender com os erros e importa, como entendo que sugere, centrar o debate na realidade socio-política contemporânea.
        Para lavagem de roupa suja já temos imprensa ainda mais suja que chegue, espera-se mais dum blogue como o cincodias.
        E a mim também me irrita o “alfabeto de quem pensa que saiu vencedor”.

        • De diz:

          É a falar que as pessoas se entendem.

          Permita que realce uma sua frase que me agrada particularmente:
          “Quero com isto dizer que se deve aprender com os erros e importa, como entendo que sugere, centrar o debate na realidade socio-política contemporânea”

          Vamos tentar mudar (para melhor) tal realidade?

          • George Kaplan diz:

            Penso que sim.
            É no meu entender mais edificante para a discussão, um tom mais construtivo, menos caceteiro, que evite esta excessiva tipificação dos intervenientes, e em consequência a sua desacreditação.
            Entra-se depois facilmente no domínio do risível e do caricato, uma dimensão sensacionalista que chama leitores que mais não pretendem que sabotar o debate.

          • De diz:

            Completamente de acordo Kaplan.
            Acertou no vinte
            Quanto à luta…acho que estamos do mesmo lado da barricada

        • Julio Vaz diz:

          Permita-me discordar.
          Considero tão relevante a discussão dos assuntos da actualidade, como dos episódios históricos. Pois como muito bem sintetizou George Santayana na sua imortal frase: «Aqueles que não se recordarem do passado, estão condenados a repeti-lo»
          Com as experiências históricas aprendemos muito e podemos tirar úteis conclusões.

          • José diz:

            Sem entender a história, dificilmente percebemos o presente, como chegámos a este ponto.
            Sendo verdade que a contabilidade dos mortos não será essencial, bom é que ninguém se esqueça o que levou a acontecer os diversos episódios de carnifiçina, sejam quem tenham sido os autores.
            Por outro lado, é indispensável olhar para os eventos sem lentes ideológicas que toldem a visão.
            Se os crimes do nazismo e fascismo são inegáveis, os do comunismo existiram também, goste-se ou não.
            O negacionismo histórico é tão preverso quando se trata dos crimes nazis, quanto os de qualquer outro regime.

    • JMJ diz:

      Mas se reparar, verificará facilmente que no post original existe uma critica feita por um dos “lados da barricada” aos que lhe eram próximos. Há algo mais honesto que a critica que foi (e é) feita pelo PCP à queda do bloco de leste e que o autor do post original aqui trouxe?

      Pode-se discordar do seu conteúdo ou da sua análise mas é uma tentativa de leitura do que se passou. Esse foi o ponto de partida para toda uma discussão.

      Só ainda não tive foi resposta à questão que coloquei mais acima:
      – Se o problema era os regimes “comunistas”, porque razão vivemos pior hoje do que nos dias em que eles aí estavam para fazer sombra ao capitalismo?

      • Julio Vaz diz:

        “- Se o problema era os regimes “comunistas”, porque razão vivemos pior hoje do que nos dias em que eles aí estavam para fazer sombra ao capitalismo?”

        Quando escreve “vivemos” está a referir-se à humanidade em geral ou especificamente aos Portugueses?

        • JMJ diz:

          Penso que poderiamos falar da humanidade em geral, mas podemos centrar a questão em Portugal.

          • De diz:

            Na sequência de uma das suas interrogações sobre o tema,lembro-me que escrevi:”Uma das grandes virtudes da existência do bloco de leste derivava do receio que o grande patronato e o ocidente tinham face à possível contaminação dos seus povos pelas ideias marxistas.Tal receio manifestava-se num maior cuidado face ao trato com o mundo do trabalho e com as populações em geral.
            Ou seja,as liberdades sociais e económicas ( e também políticas) eram mais respeitadas.”
            Não houve oportunidade ou interesse para um abordar mais sério da situação,logo interrompido pelo bruá-bruá de um atirador fortuito.
            Mas um dos aspectos da questão para o agravamento das nossas condições de vida,foi a ausência de um poder que contrabalançasse de alguma forma a voragem dos senhores do capital
            Que se mostraram ainda mais como aquilo que são
            (o famoso plano Marshall foi posto em prática pelo receio do avanço das forças socialistas na europa…e foi uma manobra de mestre para a economia americana)

          • Julio Vaz diz:

            “Viver melhor” é um conceito que comporta alguma subjectividade. Há aspectos materiais, mensuráveis, e há aspectos emocionais, não passíveis de serem medidos. De entre os aspectos mensuráveis, um comummente usado é o Índice de Desenvolvimento Humano da ONU. Este indicador é publicado anualmente e, como pode ser observado por este gráfico comparativo, tem vindo a subir quase constantemente em todos as regiões do mundo nos últimos 10-15 anos. Podemos, portanto, concluir que vivemos agora melhor, se atendermos aos critérios do Índice de Desenvolvimento Humano.

          • De diz:

            Esse ìndice é um dos vectores pelos quais se pode observar a situação.É utilizado para classificar países ou regiões
            Mas não reflecte só por si a(s) realidade(s).
            O que acontece com a distribuição da riqueza?«O conjunto das 358 pessoas mais ricas é igual ao rendimento dos 45% da população mundial mais pobre, ou seja, 2,3 biliões de pessoas. As 200 pessoas mais ricas do mundo mais do que dobraram as suas posses de 1994 a 1998, para mais de um trilião de dólares. Os portfólios financeiros dos três maiores bilionários do mundo representam um volume de capital superior ao Produto Nacional Bruto (PNB) de todos os países menos desenvolvidos do mundo e dos seus 600 milhões de habitantes».
            “Mas a par da concentração da riqueza, o fosso entre países ditos desenvolvidos e em vias de desenvolvimento também se agravou, com os primeiros a sorverem parte considerável da riqueza e recursos dos segundos, nos quais a miséria alastra.”

          • De diz:

            Já agora, porque falámos em crimes ambientais e entre parêntesis refira-se que uma das críticas ao Indice de desenvolvimento Humano é não incluir qualquer consideração de natureza ecológica

          • Julio Vaz diz:

            A concentração da riqueza não adultera significativamente o Índice de Desenvolvimento Humano. Aqui está um resumo da metodologia utilizada no cálculo porque a fórmula que inclui o GNIpc é logarítmica.

            Os factores ambientais não são incluídos efectivamente no cálculo talvez por serem dificilmente mensuráveis. E mesmo que fossem, os países ricos sairiam beneficiados porque a protecção ambiental é bastante mais eficaz nesses países do que nos países pobres.

          • De diz:

            Claro que não adultera
            É por isso que se deve falar nela.
            Porque o IDH oculta que a produção da riqueza está distribuída apenas por uns tantos
            A tal concentração da riqueza que se vai agravando a cada dia que passa.Com o aumento das desigualdades entre pessoa se países.
            E aí está o busílis
            E aí mais uma vez Marx tinha razão
            E de que resulta que o aumento da riqueza…corrsponda apenas a

    • Julio Vaz diz:

      Concordo consigo.
      Muita falta de bom-senso, de humildade e de honestidade se encontra por aqui.

  23. durruti diz:

    Gulags, fome, repressão, violações em massa, escravatura, desastres ecológicos… tudo isso ocorreu em maior ou menor grau. Mas nem vale a pena entrar por aí.

    O muro — a palavra chave do título deste artigo. O muro, não especificamente o de Berlim, mas todos os muros físicos ou não que os estados socialistas criaram para impedir os seus cidadãos de emigrarem. Basta só isso para provar o falhanço das experiências marxistas-leninistas. É demasiado óbvio e, no entanto, isto escapa aos militantes comunistas.

    Muitas pessoas lutaram (e lutam) a tentarem emigrar para regimes capitalistas. Mas nunca lutaram para tentar entrar em países socialistas. Porquê?
    Alemães de Leste morreram para tentar entrar na Alemanha Ocidental. Porque não o contrário?
    Os países capitalistas não fazem quase nada para impedir que as pessoas saiam, mas sim que entrem. Mesmo assim, milhares tentam emigrar para economias capitalistas. Mas alguém faz fila para ir ser oprimido??

    Um regime que tem que aprisionar os seus cidadãos para evitar que abandonem o país é, à partida, um regime falhado. A participação no socialismo tem que ser voluntária. E um socialismo de sucesso é aquele que atrai pessoas, não que as afugenta.

    • José diz:

      O fracasso do ideal comunista tal como foi implementado é uma evidência. Elaborar sobre outros modelos que poderiam ter sido desenvolvidos, ou que aquele modelo em concreto foi desvirtuado, pode ser interessante, conquanto algo académico.
      O Durruti tocou no ponto: a ânsia de liberdade de quem se sentia “aprisionado” no sue próprio país foi um dos motores imediatos do desmoronamento do Muro de Berlim, símbolo das fronteiras fechadas dos países governados pelos partidos comunistas.
      A liberdade individual, ou a falta dela, para ser mais preciso, desenvolveu o impulso revolucionário nos cidadãos do leste europeu. Este poderiam não saber exactamente para onde estavam a ir, tendo a esperança apenas que fosse melhor, mas, sobretudo, sabendo que teriam mais liberdades individuais e políticas.
      Os revolucionários desses dias eram contra os partidos no poder, eram então contra os partidos comunistas.
      O actual modelo, resultante da globalização, da desregulação e da submissão do poder político ao poder económico, é um modelo não controlado democraticamente, urgindo alterá-lo. Duvido é que a generalidade dos cidadãos queira o regresso aos ideais comunistas, vacinados que estão com os exemplos antigos e actuais.

  24. De diz:

    Peço imensa desculpa ao Durruti mas:”“O que foi derrotado não foram os ideais e o projecto comunistas, mas um «modelo» historicamente configurado, que se afastou, e entrou mesmo em contradição com características fundamentais de uma sociedade socialista, sempre proclamadas pelos comunistas, onde são indispensáveis entre outras a democracia política e a liberdade.”

    Quanto ao sucesso…parece que ele agora passa por outros que não os da nossa “democracia liberal”

    (socialismo de sucesso…hum,não me agrada.Parece slogan propagandístico de uma marca de refrigerantes.
    Esta palavra “sucesso” tão ao gosto dos amantes da economia de mercado …)

    Ah, e essa liberdade de emigrar…
    Essa imensa liberdade para emigrar
    Nós por cá voltámos ao tempo dos anos 60 ou encafuámo-nos no socialismo à moda dos anos 70?
    Voltámos a ter liberdade para o fazer?
    Ou apenas o fazemos porque por aqui já não há saída?
    Ao fim de 34 anos de governação do bloco central e do seu apêndice PP…

Os comentários estão fechados.