TARIQ ALI – Desmistificações, as perguntas precisas e o dedo apontado na direcção exacta. Imprescindível para quem queira perceber as razões dos insubordinados.

“Why is it that the same areas always erupt first, whatever the cause?

Pure accident? Might it have something to do with race and class and institutionalised poverty and the sheer grimness of everyday life?

The coalition politicians (including new New Labour, who might well sign up to a national government if the recession continues apace) with their petrified ideologies can’t say that because all three parties are equally responsible for the crisis.

They made the mess.

They privilege the wealthy. They let it be known that judges and magistrates should set an example by giving punitive sentences to protesters found with peashooters.

They never seriously question why no policeman is ever prosecuted for the 1000-plus deaths in custody since 1990.

Whatever the party, whatever the skin colour of the MP, they spout the same clichés.

Yes, we know violence on the streets in London is bad. Yes, we know that looting shops is wrong.

But why is it happening now? Why didn’t it happen last year?

Because grievances build up over time, because when the system wills the death of a young black citizen from a deprived community, it simultaneously, if subconsciously, wills the response.

And it might get worse if the politicians and the business elite, with the support of the tame state television and Murdoch networks, fail to deal with the economy, and punish the poor and the less well-off for government policies they have been promoting for more than three decades.

Dehumanising the “enemy”, at home or abroad, creating fear and imprisonment without trial cannot work for ever.

Were there a serious political opposition party in this country it would be arguing for dismantling the shaky scaffolding of the neoliberal system before it crumbles and hurts even more people.

Throughout Europe, the distinguishing features that once separated centre-left from centre-right, conservatives from social democrats, have disappeared.

The sameness of official politics dispossesses the less privileged segments of the electorate, the majority.

The young unemployed or semi-employed blacks in Tottenham and Hackney, Enfield and Brixton know full well that the system is stacked against them.

The politicians’ braying has no real impact on most people, let alone those lighting the fires in the streets. The fires will be put out.

There will be some pathetic inquiry or other to ascertain why Mark Duggan was shot dead, regrets will be expressed, there will be flowers from the police at the funeral.

The arrested protesters will be punished and everyone will heave a sigh of relief and move on till it happens again.”

[Reprinted from the London Review of Books blog.]

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

48 respostas a TARIQ ALI – Desmistificações, as perguntas precisas e o dedo apontado na direcção exacta. Imprescindível para quem queira perceber as razões dos insubordinados.

  1. |Y| diz:

    Só faltava o Tareco.

    Que causas? Explicai, por favor.

    • Renato Teixeira diz:

      “There will be some pathetic inquiry or other to ascertain why Mark Duggan was shot dead, regrets will be expressed, there will be flowers from the police at the funeral.”

      É ir lendo Y. Vai ver que não dói nada.

  2. |Y| diz:

    O Mark Duggan é uma causa?

    • Renato Teixeira diz:

      Naturalmente.

      • Bill diz:

        Naturalmente porquê?

        • Rocha diz:

          Naturalmente você Bill deve ser racista para fazer essa pergunta. E não diga que é comunista, comunistas de verdade não dizem as barbaridades que você anda a dizer.

          E se fosse o seu pai, a sua mãe, a sua namorada, etc…? Ainda não entendeu? Vai entender quando? Quando a polícia se enganar e matar um branco em vez de um preto?

          O Capitalismo tira nos tudo, especialmente aos mais pobres, quando tira uma vida as pessoas revoltam-se, a revolta não tem de ser ordenada, planeada ou inteligente. O desespero e a raiva não surgem de nenhum manual de conduta. A pequeno-burguesia só vê as suas montras destruídas, o pequeno patronato toca a pedir à polícia, aos nazis e a quem mais vier para os proteger. Mark Duggan foi a gota de água.

          Chama-se luta de classes e não é o que você quer, nem sequer era o que eu queria. Mas ao contrário de você eu não cerro fileiras com os fascistas, com a pequeno-burguesia amedrontada e os sacro-santos capitalistas. Para não ver a óbvia e justa revolta com o assassinato de Mark Duggan é preciso ser cego, surdo e mudo.

          Não vivo em Londres, não estou lá e não preciso para falar com toda a convicção sobre uma realidade que é igual em todos os bairros pobres da Europa. Não há diferença nenhuma nos países capitalistas em toda a Europa, em todo o lado a receita neoliberal é a mesma, em todo o lado a deriva para o fascismo é a mesma.

          Está a favor de reprimir os “criminosos” junte-se aos fascistas BNP e ao UKIP mais Cameron, Clegg e o new labour. Caso contrário abra os olhos e entenda que Mark Duggan tinha uma família, era amado, queria viver, queria ser feliz, era um ser humano, existia.

          E como tem acontecido com tantos outros assassinados pelo capitalismo especialmente no último ano, Mark Duggan, voltou para se vingar. Não veio só para cuspir na cara do agressor mas sim para fazer ruir este capitalismo odioso.

  3. |Y| diz:

    Pois, a juventude irada grita o nome Duggan pelas ruas de Londres. Não se fala noutra coisa.

  4. |Y| diz:

    Não vendia fruta, de facto. Vendia crack aos seus confréres oprimidos pelo sistema.

    • Renato Teixeira diz:

      Tiro portanto. http://www.guardian.co.uk/uk/2011/aug/09/mark-duggan-police-ipcc O Breivik pensava mais ou menos assim. Quanto ao Y, convenhamos, já teve por aqui os seus cinco minutos de fama.

        • De diz:

          O “Insurgente” aproxima-se do fascismo

          • Tiago Resende diz:

            O 5dias aproxima-se do maoísmo versão “grande salto em frente” ou “revolução cultural”: quantos mais mortos e destruição melhor!

          • De diz:

            Comparar o que é o “Insurgente” com mais alguma coisa é perfeitamente redutor.O Resende provavelmente gosta do Insurgente e insurge-se quando chamam as coisas pelo nome?Um insurgente em acção é assim uma coisa como o resende na escrita.Mente e manipula.Quem quiser ver o horror do que está escrito no insurgente do insurgido Resende vá que apanha um choque tal a demência fascistóide do que lá é publicado.Quem quiser ver como o insurgente Resende age,basta lê-lo no link apontado.As mortes e destruições não são da responsabilidade deste blog ou os seus autores,que tentam dar pistas para a leitura do que se passa por lá.As mortes e destruições são uma consequência directa das governações abjectas dos camerons da actualidadde e dos camerons do passado.As mortes e destruiçõews surgem no contexto de uma crise sem precedentes.Podia-se dizer que há quem goste de olhar mais para o dedo do que olhar para a realidade.Mas nem isso se trata.O Resende sabe que está a ver o seu dedo e quer que nós vejamos o seu dedo.E fica danado,qual insurgente insurgido,quando não lhe seguimos o olhar.Paciência Resende.

          • Tiago Resende diz:

            E que tal escreveres algo decente ó “De”?
            A destruição não é culpa do governo Cameron ou Brown ou Blair ou Thatcher ou de qualquer outro. A culpa é dos paizinhos dos animais que andam a destruir tudo e a pilhar lojas e restaurantes, que não souberam educar os ditos animais!

          • De diz:

            Pobres pais do Resende que não souberam educar o dito animal

  5. |Y| diz:

    Este Renato é surreal. Estou-me a borrifar para os 5 minutos de fama.
    Eu nunca escrevi que ele tinha disparado contra a polícia. Foi alvejado sem qq razão, pelos vistos. A Met já cometeu erros destes. O Brazuca confundido com terrorista, por ex. Not my problem. Os Brits q tratem do assunto.

    • De diz:

      Not my problem diz aquele que saliva quando fala em Duggan.Foi alvejado por engano sibila o Y depois de ter sido posto a descoberto.O que o não impediu de lançar as suas atoardas costumeiras.O not my problem até se entende.Y está mais interessado em defender o tal sistema(as palavras são dele) que gera os tais Duggan,a Met e todos os confrères do que em se atolar com o Duggan.Não foi a Scoland Yard que desmentiu o uso da arma por parte daquele,naquela linguagem peculiar da polícia britânica?Ora aí o Y já não pode tirar mais.A não ser concluir que “not my problem”Um borrifo mais para o Y

  6. anon diz:

    Anarchists respond to the London riots – Solidarity Federation

    But as revolutionaries, we cannot condone attacks on working people, on the innocent. Burning out shops with homes above them, people’s transport to work, muggings and the like are an attack on our own and should be resisted as strongly as any other measure from government “austerity” politics, to price-gouging landlords, to bosses intent on stealing our labour. Tonight and for as long as it takes, people should band together to defend themselves when such violence threatens homes and communities.

    We believe that the legitimate anger of the rioters can be far more powerful if it is directed in a collective, democratic way and seeks not to victimise other workers, but to create a world free of the exploitation and inequality inherent to capitalism.

    http://libcom.org/news/north-london-solfeds-response-london-riots-09082011

  7. |Y| diz:

    Anarchists respond anarchically to the London riots. LOL LOL

  8. Porquê? diz:

    Kevin Sampson, Toxteth rioter in 1981, on doing it for teh lulz:

    “In all the hours and pages of reportage since rioting returned to our cities last weekend, not one commentator seems to have touched upon the sole unifying factor that fuels and drives such unrest – excitement, fun, teenage kicks. In 1981 I could have cited unemployment (check), low-income, single-parent family (check), experience of police brutality (check) as factors in my participation, but none of the above even remotely came into my thinking then and I doubt it is stoking today’s unrest, either.

    I went along in 1981 because I was swept away by the mind-blowing buzz of mob mayhem. There’s no justifying that – in the crudest terms such behaviour is quite simply wrong – but try telling that to a 15-year-old on a mountain bike. To him or her, it’s like a Wii game come to life – a hyper-real version of GTA. You taunt the police until they chase you, then you leg it and regroup. Some of the more radical kids will throw rocks and set cars and wheelie bins alight to get them going, but sooner or later the “bizzies” (police) will charge.”

  9. |Y| diz:

    O borrifo é um problema epistemológico de primordial importância.

  10. |Y| diz:

    De

    Então eu disse que o dito dealer foi alvejado porque fui “descoberto”.

    O que tem uma coisa que ver com a outra? Porque raio omitiria eu tal facto, coberto ou descoberto? Não seja estúpido.

    Sim, quero defender o sistema democrata-liberal-capitalista. Como cidadãozeco, claro. Acertou. Sempre que sinto algumas dúvidas acerca do sistema em vivo, visito o 5 e sinto-me ideologicamente revigorado (pela via da justaposição entre o real existente e os mundos possíveis apresentados por V Exas)

    O not my problem refere-se a um facto simples e incontornável: Não sou Britânico, não voto nas eleições Britânicas. É um problema que me interessa mas é um problema que NÃO É MEU, stricto sensu. Percebeu ou quer continuar a fazer uma telenovela merdosa a partir dos comentários inócuos de um mero cibernauta????

    O sistema não gerou o Duggan. A Mamã e o Papá do Duggan geraram-no

    • Renato Teixeira diz:

      Também já estava pré-condenado por ter disparado contra a polícia que como se veio a confirmar, era mentira. Deixe lá os sumaríssimos para a Scotland Yard.

    • De diz:

      Temos assim a defesa do Y.A culpa não é dele.A culpa é da mamã e do papá que o geraram.
      Quanto à telenovela…não se trata de nenhuma telenovela.Não percebe a diferença?Trata-se apenas de apontar que o defensor inóquo do sistema liberal-capitalista está nu.E que anda a dizer barbaridades.E que as suas barbaridades podem ser sujeitas ao que são.Ao contraditório,coisa que deixa o defensor do capitalismo liberalismo com algumas dificuldades.Claro que ele poderá sempre dizer que “o problema NÃO É dele, stricto sensu”.Esquecendo-se que quando expõe os seus não problemas …

  11. |Y| diz:

    Renato/De,

    Desconheço os factos. Todavia, parece-me que ele estava “pré-condenado” porque vendia crack e porque era black. A Met tem um longo historial de racismo. É do conhecimento público.

    • De diz:

      Ora até que enfim Y se aproxima um pouco de um dos problemas do problema.” A Met tem um longo historial de racismo”
      É também por essas e por outras que as coisas estão como estão

  12. |Y| diz:

    Oiça uma coisa De:

    Eu n tenho por hábito pronunciar-me sobre coisas acerca das quais pouco ou nada sei.

    O racismo da Met, das forças de segurança etc, justifica e/ou explica os riots?

    Não me parece.

    Há uma cultura Yob na GB? HÁ! A yob culture é talvez mais relevante neste contexto do que o racismo da Met ou das forças de segurança.

    A EDL (English Defence League, organização de extr direita, offshoot do BNP) já começou a organizar milícias de bairro em Lewisham etc. Eles e os fundamentalistas islâmicos que se estabeleceram em Londonistão estão contentíssimos. Nas próximas eleições para os local councils, podem ter a certeza que a ext direita Brit vai conseguir os melhores resultados de sempre.

    • De diz:

      Mais uma vez de acordo num ponto ou noutro.
      Mas,quem lhe disse que era apenas o racismo o despoletar desta crise?Não lê ps comentários ou só lê os próprios?

  13. |Y| diz:

    Post Scriptum:

    Não se esqueça que o que se passa na albion está a ser seguido com muita atenção na França.
    Marine Le Pen está deliciada com tudo isto. Os riots estão a reavivar memórias penosas dos motins nos banlieues Franceses. Até parece que a história está a conspirar contra a democracia liberal. A verdade é que vocês, comunas e derivados, são uns coitadinhos quando comparados com a extr direita. Eles são mais bem organizados e não carecem de fundos, muitos dos quais provindos de países nórdicos.

    • De diz:

      Comunas ou derivados?A democracia liberal?
      Made in USA?.A democracia liberal entenda-se..Nãoos derivados ou comunas,que aposto que também por lá os há

  14. |Y| diz:

    errata:

    provindos está errado

    provenientes.

    as minhas desculpas.

  15. |Y| diz:

    Este DE é chato como a putaça. Porra.

    A culpa é dele, do seu Papá e da sua Mamã, do Sistema, da Met, da cultura Yob, das condições sociais (que não auguram futuro auspicioso para ninguém) e bla bla bla.

    Todos os fenómenos sociais são multi-causais.

    • De diz:

      Chato?Isso vindo de si soa-me a elogio.Mas não desespere.Até concordo com algo do que diz.Por exemplo a sua última frase.

  16. |Y| diz:

    DE

    Não tenho qualquer problema com o contraditório. O que me irrita é você presumir que sabe o que eu penso acerca deste assunto e depois responder às suas próprias presunções acerca da minha posição. Está a tentar criar um dummy. Leia o que eu escrevi. Ou melhor, repare no que eu NÃO escrevi.

    • De diz:

      Mas não há qualquer problema.Eu costumo responder ao pensamento expresso de Y.E o que escreveu representa o que representa.Não sabia?Ah,infelizmente também o que não escreveu representa algo do que não quer que se represente

  17. Bill diz:

    racista?! tu é que estás a fazer da cor do homem uma causa e a base para uma causa. tu é que estás a individualizá-lo pela sua cor, quando não é, de todo, isso que está em questão. eu quero lá saber da pigmentação da pele do tipo. só sei que ele vendia a maravilhosa cannabis (e não estou a ser irónico) a miúdos de escola e armas e droga e putas e de certeza que não era nenhum anjinho. ou a punição é automaticamente desumanidade?

    o capitalismo tirou uma vida, e é sempre censurável tirar uma vida, ainda para mais sem engano, mas fazer do Duggan um mártir, e é isso que estás a fazer, é no mínimo oportunista. o homem só percebia de armas e de putas e de droga e respectivos preços, ele sabia como aliciar jovens para uma vida de delinquência (ou este é um conceito exclusivo do capitalismo?) e de crime às mãos dos quais sofrem, sofreram, sofrerão terceiros inocentes. ou vais-me dizer que o comboio da revolução não pára e as mortes em prol da revolução são só variáveis?!, francamente. e dizes-te humanista?!
    pois olha Humanista, é esse pequeno comércio, esse pequeno empreendedorismo (e odeio a palavra) que dá vida à comercialidade de um aparelho produtivo, é alavancagem do fornecimento de bens e da prestação de serviços, ou julgas que na URSS e na China não havia pequena iniciativa privada, devidamente regulada e balizada?

    cerrar fileiras com fascistas? mas estamos a falar do quê?, eu não tenho nada a provar. se nessa tua cegueira pseudo-radical, achas que és tu contra o mundo e tudo o resto é fascista, pfff… olha, o Kafka dizia que quando somos nós contra o mundo, o mundo limita-se a assistir. sê mais inteligente. a luta de classes meu caro, na teatro actual é feita com prespicácia, com astúcia, com noção de aparelho e de realidade. não somos nós progressistas a elite intelectual da sociedade, os derradeiros conscientes, os derradeiros humanistas, então trata de adaptar esse pensamento a uma estratégia realista que permita a tomada do poder, porque só a tomada do poder importa para mudar radicalmente esta merda toda.

    e a revolta pela morte do MD não é grito de uma classe oprimida, é o grito de parcela social que, por acaso, coincide com uma classe oprimida, mas que não exteriorizado enquanto classe social, enquanto luta politica.

    “Está a favor de reprimir os “criminosos” junte-se aos fascistas BNP e ao UKIP mais Cameron, Clegg e o new labour. Caso contrário abra os olhos e entenda que Mark Duggan tinha uma família, era amado, queria viver, queria ser feliz, era um ser humano, existia.”
    estou comovido e espantado. estou a favor de reprimir quem gratuitamente exerce o poder coercivo sobre inocentes e as suas inconsequentes – no âmbito dessa megalómana demagogia esquerdista – fontes de rendimento, sobre famílias que vivem pacificamente, que tentam singrar, lutar como podem, criar os seus filhos, acordar de consciência tranquila. ou achas que os donos das lojas arrasadas são parte activa no capitalismo odioso e criminoso? não serão eles também pessoas que pelo seu mérito e sem prejudicar inocentes lutaram pela sua felicidade, por uma vida decente?
    esse argumento de que o MD era humana e tinha família e era amado e quês, é um dos malabarismos de retórica mais baixos que se pode fazer. olha, o Bibi que foi ao cu a miúdos, também não havia de ser amado por alguém, não havia de ter o calor de uma família, sonhos, aspirações, não era ele humano?, e só por isso deve passar impune?, só por isso é desumano condená-lo à choldra?. não sejas obtuso. eu também me inspiro e comovo na humanidade dos outros, na miséria alheia… como te digo, o mundo não é a preto e branco, não és tu contra o mundo.

    o capitalismo não assassina ninguém, o capitalismo justifica que outros assassinem, é diferente. a glória está em jogar as suas regras e defraudá-las, em contornar dentro do seu jogo o que ele almeja. querem mudar o mundo meninos de Londres?, decepem a rainha e os putos mimados que sãos os netos dela, decepem o Clegg e o Cameron, acabem com os obreiros do sistema, não com a sua estrutura.

    e trata-me por tu, só tenho 21 anos e não gosto de convencionalismos nem de outra pessoa que não a 2ª do singular. depois quando puderes, diz-me o que é um verdadeiro comunista, gostava de saber e tu é que o trouxeste à baila, Mao.

    • man diz:

      man… pelo que percebi da tua diatribe, a punição para o Bibi devia ser a mesma que foi para o Mark Dugan: um tiro nos cornos, sem direito a julgamento.
      Parabéns, conseguiste não deixar dúvidas quanto ao teu fascismo!

  18. Bill diz:

    (o meu último comentário é a resposta ao Rocha)

  19. Pingback: Os primeiros detidos julgados são trabalhadores, boa parte está desempregada e muitas das acusações alegam ataques à polícia. Se nada se passou além de vandalismo, o que impedia o crime organizado de tomar as ruas? | cinco dias

  20. Pingback: Os primeiros detidos a ser julgados são trabalhadores, boa parte está desempregada e muitas das acusações alegam ataques à polícia. Se nada se passou além de vandalismo, o que impedia o crime organizado de tomar as ruas antes do assassinato de Mark

  21. Timo diz:

    Dismistificações? Pensei que o pessoal de esquerda era todo extremamente culto e até sabia escrever!!!!

Os comentários estão fechados.