Escolhidos por nós, por Deus ou pela consanguinidade? Que revolução fez o povo em nome do Rei?

A extrema-direita pró-templária, com gostos exóticos, ainda não percebeu que tem sido o povo a mandar a monarquia para o museu de antiguidades. Outra coisa não seria de esperar. Não há experiência republicana, fascista, liberal ou estalinista, que supere o sangue derramado pelas baionetas da corte, dos longínquos cruzados, passando pelas medievais fogueiras da inquisição e acabando na moderna coroa de Isabel II. São demasiados séculos a trocar mordomias pela vida da prole e enquanto estes não fizerem revoluções chamando pelos escolhidos de Deus, os régios não terão como falar em seu nome e só lhes resta continuar à espera de uma manhã de nevoeiro.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , . Bookmark the permalink.

24 respostas a Escolhidos por nós, por Deus ou pela consanguinidade? Que revolução fez o povo em nome do Rei?

  1. Von diz:

    Mas assim de repente, há vantagens: a coroa espanhola custa menos ao estado que a presidência portuguesa.

  2. Renato,
    Embora seja republicano, ateu e apartidário, não vejo que venha mal ao mundo por um referendo à monarquia. Em primeiro lugar, tenho para mim, que é mais importante preocuparmo-nos com o assalto ao povo que está a ser levado a cabo por PPC e sus muchachos, do que com questões laterais como república ou monarquia. Seguidamente é um desconhecimento total do “homem da rua”, em que orgulhosamente me incluo, que haja sequer um réstia de hipótese de a monarquia vencer a república. Estes [monárquicos], ciclicamente levantam esta questão, como sendo fracturante, quando de facto não o é. É apenas um fait divers a que um republicano não pode atribuir importância desmedida.
    Já vi que o Renato tem aprisionado um regicida dentro de si, mas meu caro, permita-me que lhe diga que acho que não vale a pena. A monarquia já está morta há 101 anos e não há referendo que a ressuscite.

    FL

  3. Von diz:

    E acerca da monarquia norte-coreana? Algum reparo?

  4. Pingback: Afinal quem quer ser rei é o Renato « Causa Monárquica

  5. spitfire diz:

    o norueguês e esses das barbas têm mais em comum do que se pensa lol

  6. spitfire diz:

    Há muito em comum entre esses de barba e bigode e o templário

    • Tomás Guevara diz:

      Sorry
      não há qualquer comparação
      Um contribuiu para a chegada da república e para o enterro dum sistema caduco,podre e de castas
      Outro é um pulha norueguês,xenófobo,violento,cobarde,de extrema-direita e terrorista

      Um abriu as portas a um outro mundo..um mundo que apesar de todos os erros é um mundo melhor,mais igual,mais democrático,mais desenvolvido
      O outro abriu as portas para o pior dos mundos..e revelou o mundo que nos espera se coisas como esta vingarem

  7. Carla Simões diz:

    Eduque-se. Porque o nazismo, o fascismo e o estalinismo produziram mais matanças que todos as monarquias europeias juntas, e desde sempre. E não confunda religião e regime: «longínquos cruzados, passando pelas medievais fogueiras da inquisição».

  8. NunoFCouto diz:

    Eu não sei quem foram as maiores vítimas da 1ª república se os monárquicos que caíram com D Carlos, se os Carbonários como esses dois mais o chefe da floresta Machado Santos.

    No fim pouco lhe valeu ter feito a revolução na rotunda (sozinho ou quase), foi abatido como o “caçador Simão” quem se governou foi a malta iluminista ou iluminada do costume.

    85 anos volvidos vira o disco e toca o mesmo, podem vir Buiças, Sidónios, Salazares, Nortons de Matos, Humbertos Delgados, Marcellos, Cunhais, Sá Carneiros, Coelhinhos da Madeira, enfim heróis de todas as cores e feitios. Faz-se a revolução e o povo deixa de comer pão com merda para comer merda com o pão !!! Muda-se ao menos a cor às varejeiras…

  9. Pingback: É simples João Gomes de Almeida e Paiva Monteiro: quem quer acabar com o mais importante dos referendos, não merece referendo nenhum. | cinco dias

  10. Tomás Guevara diz:

    Não,não gosto do seu post

    essa de se afirmar que todos são iguais
    é o melhor caminho para termos um pretexto para se deixar tudo como está
    ou seja
    é um argumento no mínimo cobarde
    no máximo,colaboracionista

    A mistificação tem destas coisas
    toca e foge e fica-se pela insinuação
    Machado dos Santos morreu na noite sangrenta,com outros republicanos.Nunca se soube ao certo quem foram os responsáveis pelo crime executado pelo Dente de Ouro.Sabe-se que a esposa de Carlos da Maia,um outro republicano também assassinado na altura,acreditou então que tenham sido os integralistas,a que pertencera Dente de ouro e que se pautava pela direita extrema.O mais curioso(ou não) é que foi salazar quem deu ordens expressas para a não reabertura do processo da noite sangrenta perante o avolumar de dados novos sobre o caso
    Porque digo tudo isto?
    Porque a História tem mais curvas do que nos querem fazer crer…e que os romances das varejeiras servem também para ocultar os verdadeiros fazedores de merda
    A revolução tritura muitas vezes os seus melhores filhos
    Os ideais revolucionários muitas vezes são traídos
    Mas Viva a Revolução
    Pela cabecinha funcionante do nuno couto a esta altura ainda estaríamos(os franceses pelo menos)sob a pata dos Luises…é que merda por merda ,antes merda real

    Isso queria o couto

    • NunoFCouto diz:

      Tomás.

      Não era para você gostar, nem eu estou aqui para lhe agradar como compreenderá.

      Acho no mínimo rebuscada essa teoria dos integralistas matarem o Machado Santos, sabe que a Carbonária foi útil até o Afonso Costa chegar ao poder, daí para a frente a Carbonária foi reconstruída pelos “revolucionários de véspera” liderados pelo regressado Luz de Almeida, bem mandados pelos jacobinos (um nome que se encaixa perfeitamente embora A Costa seja uma versão grosseira de Robspierre), Machado Santos, daí para a frente passou a ser um inimigo dos “Democráticos”.

      Machado Santos, até era dos poucos oficiais que lutaram contra o regime (o que quer que isso seja), foi metido na prateleira em 1911, assim como António José de Almeida e todos aqueles não alinhados com o radicalismo; mais, foram perseguidos jesuítas, socialistas, comunistas e sindicalistas, tudo o que não era alinhado acabou morto espancado ou no degredo, não é por acaso que surgem 2 ditaduras de reacção na Iª República (P. Castro e Sidónio, apoiado por Machado Santos por sinal !!!! E uma monarquia no Porto em 1919 com o quixotesco Paiva Couceiro).

      Sabe que Salazar aparece de 1926 para a frente como salvador da pátria, não houve sangue e até nos livramos do contágio da guerra civil de Espanha e subsequente II guerra mundial, agarrou-se é tanto ao posto de luminária do estado que no fim já metia nojo a todos, até ao Marcello.

      No fim não há heróis, há varejas verdes e azuis e pretas; salvadores como Pinochet, Stalin, Pol Pot, Hitler, Mao até o seu Che (também conhecido por “carniceiro de La Cabana”) todos foram de uma democracia sublime, o povo, esse lá comia as sandes que lhes arranjavam, faça-me é um favor, se quer discutir factualmente pois faça o favor, poupe-me é à sua moral ou então arranje-me um, basta um revolucionário que não tenha dado em ditador, ladrão ou criminoso.

      Quer acreditar em heróis de capa e espada, pois bem, também os há que acreditam nos pastorinhos e nos amanhãs que cantam !

      Até o Sócratino é melhor que essa tropa, e pelo caminho da crise ainda nos acaba um desses salvadores a bater há porta…

    • Carlos Carapeto diz:

      Machado dos Santos herói do 5 de Outubro, lixou-se talvez por as muitas piruetas que deu, a ponto de ser um prestimoso aliado de Sidónio.

      O estratega do 25 A quanto a macacadas politicas não lhe tem ficado atrás. Só que agora por enquanto para assassinar não é preciso tirar a vida.

Os comentários estão fechados.