Quanto ganha Rogeiro para dizer tantos disparates?

Via LR

Salva-se a última frase, o resto é uma paródia aos serviços secretos.

Três dicas para este e outros Rogeiros:

TRÊS RETRATOS A LA MINUTA
Ary dos Santos

O BURGUÊS

A gravata de fibra como corda
amarrada à camisa mal suada
um estômago senil que só engorda
arrotando riqueza acumulada.

Uma espécie de polvo com açorda
de comida cem vezes mastigada
de cadeira de braços baixa e gorda
de cómoda com perna torneada.

Um baú de tolice. Uma chatice
com sorriso passado a purpurina
e olhos de pargo olhando de revés.

Para dizer quem é basta o que disse
é uma besta humana que rumina
é um filho da puta é um burguês.

O BOMBISTA

Flamejante auriflama incendiada
patriótica face entumecida
com dentes de coroa cariada
e alma nacional – apodrecida.

Galões de oficial. Na face armada
um sorriso de arcanjo genocida
mais os comendadores da comendada
comandita que nos comanda a vida.

Olhar alarve mas não inocente
na mão aberta a palma democrata
na mão escondida a saudação fascista.

É fácil perceber que nem é gente
é um simples piolho que se cata
é um filho da puta é um bombista.

A BRUXA

As tetas são balofas almofadas
recheadas de esterco e de patranhas
da boca fogem bichas torturadas
pelo próprio veneno das entranhas.

As pernas são varizes sustentadas
pela putrefacção das bastas banhas
os olhos duas ratas esfomeadas
e as mãos peludas tal como as aranhas.

Nasce do estrume e vive para o estrume
a língua peçonhenta larga fel
e é uma corda que ela-própria-puxa.

Sai-lhe da boca pus e azedume
tem pústulas espalhadas pela pele
é filha de si própria. É uma bruxa.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 respostas a Quanto ganha Rogeiro para dizer tantos disparates?

  1. -pirata-vermelho- diz:

    Deixe lá o rapazito brincar …
    ele nunca mais cresce, vai ficar assim!

  2. Indivíduo do Submundo, Apreciador de Heavy-Metal norueguês e fornecedor de narcóticos a especialistas em política internacional. diz:

    Oh Nuno, Nuno, mete mais tabaco nisso!

  3. xana diz:

    eu gostei particularmente desta 🙂 http://gatesofvienna.blogspot.com/2011/07/fjordman-speaks-out.html
    parece q o livro q o alucinado rogeiro leu nao tem nada a ver com o acontecido.
    eu gostava de provar aquilo q ele fuma, deve ser bom 😉

  4. Rocha diz:

    Um pouco mais de informação sobre o fascismo “civilizado” do Partido do Progresso norueguês, no link abaixo:
    http://www.amren.com/mtnews/archives/2005/08/progress_party.php

    O que incomoda o Nuno Rogério é ter que explicar como um indivíduo com ideias semelhantes às suas ter cometido este massacre.

  5. Nuno L diz:

    Renato, e as perguntas extreeeeeeemente inteligentes da Clara (BOA)?

  6. Gentleman2 diz:

    Mais asneiras que o Renato Teixeira não diz certamente

  7. Tiago Vasconcelos diz:

    E lá continua o Renato a debitar mais artigos, espraiando uma completa vacuidade de ideias quiçá com o objectivo de enterrar rápido os dislates que sobre esta notícia tem escrito.
    Quanto aos comentários do Nuno Rogeiro, em vez de poemas da treta, o que seria realmente interessante era ler o que é que o Renato considera serem os “disparates”. Depois podíamos comparar esses “disparates” com os que o Renato tem escrito.

    P.S. Vá Renato, dá lá provas da tua grande democraticidade censurando este meu comentário

    • Renato Teixeira diz:

      Caio sempre nas rasteiras da psicologia invertida. Bolas. Ja lhe disse o caminho para o muro das lamentações?

  8. Diogo diz:

    Antes de nos aventurarmos em fascismos e extremismos convém perceber o que é que está por trás dos atentados:

    Canal História – O Exército Secreto da Nato

    A Operação Gladio consistiu numa operação secreta americana na Europa Ocidental que recorreu a redes clandestinas ligadas à NATO, à CIA e aos serviços secretos da Europa Ocidental durante o período da Guerra Fria, chamadas células «stay-behind». Implantadas em 16 países da Europa Ocidental, essas células visavam (supostamente) deter a ameaça de uma ocupação pelo bloco do Leste e estavam sempre prontas para ser activadas em caso de invasão pelas forças do Pacto de Varsóvia. A mais famosa foi a rede italiana Gladio.

    A rede clandestina internacional englobava o grupo dos países europeus que pertenciam à Nato: Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Grécia, Itália, Luxemburgo, Holanda, Noruega, Portugal, Espanha e Turquia, bem como alguns países neutrais como a Áustria, a Finlândia, a Suécia e a Suíça.

    No entanto, o seu verdadeiro objectivo era espalhar o terror e criar um clima de tensão permanente na Europa Ocidental.

  9. Pingback: Viva a lobotomia juspsicológica, o glenfiddich e a RFA! | cinco dias

  10. Pingback: Tudologia | Sentidos Distintos

Os comentários estão fechados.