Economia vai destruir 133,5 mil empregos em dois anos

Depois da Moodys’ surge alguém que ainda tem mais responsabilidades na regressão social – a Economia. Os despedimentos não são feitos por patrões e pelo Estado para repor a taxa de acumulação, são feitos pela «Economia» e, de acordo com esta notícia, calculados pela Troika e o Governo. Todos no mesmo barco – patrões e trabalhadores – pela salvação nacional da «Economia»…

«Cada crise destrói regularmente não só uma grande massa de produtos já fabricados, mas também uma grande parte das próprias forças produtivas já desenvolvidas”. (Karl Marx, Fevereiro de 1848).

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a Economia vai destruir 133,5 mil empregos em dois anos

  1. Niet diz:

    A Moddy´s não é o que a pintam, claro. O Warren Buffet, aquele ” génio ” do super-capitalismo e amigo de Bill Clinton e Bill Gates, integra o seu quadro de accionistas de referência. Por outro lado, há muita alteração na estratégia marxista de coordenação entre
    a teoria de valor-trabalho e a teoria da mais-valia. Houve ” homéricas ” polémicas sobre isso, quer no Vias, quer no Cinco Dias. É que, hoje, o capitalismo – puro e duro- tem o seu destino ligado- para lá do bem e do mal- naquilo que Hardt e Negri sinalizam no ” Império”, que consiste e implica a criação aleatória de” uma transformação tecnológica não visando só a repressão mas, acima de tudo, tentando mudar a composição do próprio proletariado pela integração, a dominação e a recuperação das suas novas práticas e formas “. Niet

    • Raquel Varela diz:

      Eu pensei que o Negri depois desta crise não ia ser mais citado. É que quando arriscamos projecções à la Negri, Fukuyama, temos que estar à espera que que o ridículo possa estar ao virar da esquina.

      • Niet diz:

        As teorias do Negri/Hardt têm pontos importantes. E que importa discriminar. E não foi a Raquel Valera que gritou pelos “negriistas” puro e duros, aqui há uns dias atràs?!? Está bem…Niet

Os comentários estão fechados.