OBSCURANTISMO – Coreia do Norte vs EUA

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

30 respostas a OBSCURANTISMO – Coreia do Norte vs EUA

  1. Ze_Lucas diz:

    Muito bom. Não conhecia. Parabéns. Claro que não falta quem ache que os norte-coreanos não passam de miúdos amestrados enquanto os outros não. Dá que pensar.
    Seja como for, vou colocar no meu blog (que pedante…), mas só a parte dos coreanos. Acho que a mensagem fica bem aqui.

  2. Von diz:

    Para robots, prefiro os Kraftwerk. Para mau gosto, prefiro os Village People.

    Mas a diferença de fundo, é que os da Coreia porventura são obrigados a estas figuras, e o americano, mesmo obrigado, talvez se divirta.

    No final, dois exemplos a evitar. O mais possível.

    • João Pais diz:

      chiça, que até na suposição há preconceito! E porque não supor o inverso… só assim numa de… supor? As crianças da Coreia, Somália, Guatemala ou Arménia serão assim tão diferentes das dos EUA?!

    • Samuel diz:

      Uns “porventura obrigados”… e o outro “talvez se divirta”

      Espero que ninguém o tenha obrigado a fazer este comentário indigente. Provavelmente… até se diverte… 🙂

    • Renato Teixeira diz:

      Que pedante, Von. Que pedante.

      • Von diz:

        Parece-me que a premissa do seu post, Renato, era apresentar um aspecto, ridículo e dispensável, da cultura americana, contrapondo o aparente nível cultural das crianças norte coreanas. A mim, em ambos os casos, parece-me um aproveitamento vergonhoso de crianças. Apenas me pareceu, pelas imagens, que o nível amestrado das norte coreanas era maior. Mas não omito que no miúdo americano existe o estado de amestrado, também. O que realmente vejo em ambos os vídeos é um aproveitamento vergonhoso de crianças, onde são amestradas (sim amestradas, zé lucas) e só isso digno de toda a reprovação. Agora, Renato, ao querer louvar (aparentemente) as crianças norte coreanas por este vídeo, é participar indirectamente no sofrimento que estas crianças foram vítimas no seu processo de aprendizagem. Crianças nestas idades só conseguem este nível de performance, através de um “esforço” obrigado e continuado. Se lhe parece bem, é consigo. Eu rejeito tais habilidades.

        • Renato Teixeira diz:

          O aspecto ridículo e dispensável da cultura americana só na cabeça do Von. Aquilo é a América. Por dentro e por fora, sem qualquer habilidade.

        • João Valente Aguiar diz:

          «Crianças nestas idades só conseguem este nível de performance, através de um “esforço” obrigado e continuado. Se lhe parece bem, é consigo. Eu rejeito tais habilidades.»
          Você acha que o Mozart era puro talento sem esforço? Quando mtos pianistas tocam aos 7 ou 8 anos melhor que mtos seus colegas de vinte e tal anos de idade pergunte-lhes se tb não treinam pelo menos umas quatro ou cinco horas por dia (isto descontando o talento diferenciado de cada um)? Faz favor então de escrever uma petição contra as melhores escolas de música do mundo…

          • Von diz:

            Falava da sincronização. E se acha que há mozarts em todas as esquinas da Coreia, estamos conversados.

            Renato, diga então, sem rodeios e filosofias, qual o objecto deste post.

          • scriabin diz:

            O Mozart? Está bem. Eu, de facto, fico um bocado mais impressionado se me disserem que um daqueles miúdos compôs aquela peça. Mas desconfio que aqueles miúdos, se não sairem dali, a única que conseguem é reproduzir aquela música, cada vez mais depressa e com os dedos dos pés, até aos oitenta anos.
            Miúdos de 7, 8 anos, a treinar 4 a 5 horas por dia? Para já, se calhar aqueles miúdos até treinam o dobro por dia. Mas, não sendo especialista, não recomendo o método. Nas escolas de música em todo o mundo, as actividades curriculares dos miúdos nessa idade (e até muito mais tarde), não incluem quatro horas por dia a tocar instrumentos.

        • Vasco diz:

          E que sabes tu da Coreia, o que escrevem os jornais americanos ou o que repetem as televisões ocidentais. Recomendo, em alternativa, «Novamente a Coreia?» de Wilfred Burchett…

          • scriabin diz:

            Vasco, está a surpreender-me. O que há para saber, está aqui:
            http://www.korea-dpr.com/

            Conhece fonte mais fiável de conhecimento da Coreia do Norte? para que tem de ir buscar um estrangeiro ocidental, seja, ou não, apoiante do regime da Coreia do Norte? Tenho de lhe recordar que o governo da Coreia do Norte não mente, ao contrário dos governos corrompidos e decadentes do Ocidente?

    • Youri Paiva diz:

      Acho que as crianças são obrigadas a fazer estas figuras. Seja pelo Estado, pelos pais, pela ‘cultura’. Absolutamente desprezível em ambas as situações, exactamente da mesma maneira.

      Mas adorei a comparação com os Kraftwerk e os Village People.

  3. Rui Campos diz:

    Basicamente em ambos os vídeos é mostrado talento e provavelmente muito treino e esforço.

    • Renato Teixeira diz:

      Eu no segundo só vejo um puto com piada, confesso. Embora me faça alguma confusão a sincronia do primeiro o segundo é estupidamente mais ensaiado.

  4. Confúcio diz:

    Viram o ar feliz daquelas crianças?
    Ainda querem mais provas?
    Só que a corja imperialista não descansa.
    Felizmente que SAR D. Duarte Pia já tem viagem marcada para Pyongyang para atestar que o querido líder é uma pessoa muito bem intencionada e que só quer o bem do seu povo.

  5. scriabin diz:

    Os do primeiro video estão muito mais bem treinados. Não fazem puto de ideia do que estão a tocar, mas aquilo funciona como um relógio suiço. 10 pontos. Quanto ao segundo, a Nadia Comaneci com aquela idade já fazia triplos mortais com pirueta à retaguarda. Não me impressionou, muito infantil. Três points.
    A sério, o primeiro exemplo é creepy, o segundo é pateta. As crianças deviam estar a fazer outra coisa.

    • Renato Teixeira diz:

      Pateta parece-me mais no alvo do que creepy.

    • scriabin diz:

      Como até sei que o estado norte coreano não deixa as crianças vir aqui ler estes comentários horriveis e, sendo assim, sei que não as vou magoar, sempre digo que me parece que aquelas crianças no fim do concerto vão saltar para a plateia e devorar o público com aqueles dentinhos e a sorrir, como num filme do Carpenter, kim il sung me perdoe.

      Este também é kiducho:
      http://www.youtube.com/watch?v=D7BhU7lUtiE
      Acho que vou passar a noite nisto.

      O puto americano tem a desvantagem de ter uma total falta de piada, coitadinho. Dentro do género, gosto mais dos concursos de mini e micro misses que dá num canal da tv cabo.

  6. susana diz:

    eu vi sem som e ‘creepy’ parece-me adequado.

  7. JCM diz:

    O Renato Teixeira preferia viver na Coreia do Norte ou nos EUA?

  8. Sou anonimo pq me apetece diz:

    Portanto indirectamente o objectivo do post era a defesa da Coreia do Norte vs. EUA.

    Caro Renato Teixeira, nada como postar no conforto do mundo ocidental sobre a utopia com resultados miseráveis.. gostava de o ver postar assim se vivesse nessa Coreia do Norte, em Cuba ou outros que tais.. . Sem ofensa, mas isso nao é mais do que “esquerda-caviar” levada ao limite..

Os comentários estão fechados.