É evidente que R Tavares é um erro de casting no BE; não há sequer uma vírgula mal colocada neste post de Louçã – e o deputado R Tavares deveria antes protestar com os jornais citados por Louçã (em vez de procurar protagonismo à custa do economista e líder do partido)

Um jornal (o “i”) enganou-se e escreveu, com ligeireza, que os quatro fundadores do Bloco foram o Luis Fazenda, o Miguel Portas, este que assina e o Daniel Oliveira. O Fernando Rosas desaparecia da história. Explicou depois o jornalista que tinha sido levado ao engano por uma informação de uma conversa com o Rui Tavares.
Escreve hoje outro jornal (o “Sol”) a mesma coisa. Estou por isso curioso acerca da coincidência de dois enganos tão estranhos.

A história, aliás, é bem conhecida. O Luis Fazenda contactou-me em 1999 e apresentou a ideia da formação de um novo partido. Eu contactei para o efeito o Fernando Rosas e o Miguel. Entre os quatro fizemos cuidadoso trabalho de casa para ver se era possível. E depois decidimos avançar e começamos a reunir com outras pessoas sobre a ideia (incluindo o Daniel). Por isso, é simplesmente uma falsificação a tentativa de retirar o Fernando desta história e de a refazer com novos protagonistas.

(FRANCISCO LOUÇÃ)

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

26 Responses to É evidente que R Tavares é um erro de casting no BE; não há sequer uma vírgula mal colocada neste post de Louçã – e o deputado R Tavares deveria antes protestar com os jornais citados por Louçã (em vez de procurar protagonismo à custa do economista e líder do partido)

  1. Pingback: É impressão minha ou… | cinco dias

Os comentários estão fechados.